Wagyu: avanço constante

0
Wagyu: avanço constante

Muito valorizada pelo mundo, carne de Wagyu também tem ganhado espaço no Brasil

Fonte de uma das carnes mais nobres do mundo, a raça de gado de corte Wagyu, que significa gado (gyu) do Japão (wa), é originária do Japão e faz sucesso por sua qualidade.

Produto diferenciado

O chef Thiago Gil é sócio e responsável pelo cardápio da KoBurger. “Temos uma parceria muito grande com a CowPig, são eles que abatem nosso Wagyu. Criamos o Wagyu em nossa fazenda em Boituva, na sequência a CowPig abate e entrega para a gente na KoBurger. O diretor comercial da empresa é nosso sócio no negócio. Por meio dele percebemos que tem ocorrido um aumento, sim! As pessoas estão conhecendo mais e buscando pela carne. Nós fazíamos festas japonesas há cerca de cinco anos. Entrávamos com operação de hambúrguer. As pessoas perguntavam o que era o Wagyu, depois que comiam, queriam mais e recomendavam para os amigos. Nossas operações sempre foram um sucesso. Hoje percebemos que o número de pessoas que não conhece é bem menor. Até que não sabe exatamente ou nunca provou, conhece e sabe da qualidade”, afirma ele.

Wagyu: avanço constante
“O Wagyu é de fato diferenciado”, diz o chef Thiago Gil, sócio e responsável pelo cardápio da KoBurger

De acordo com Thiago Gil, o sucesso do Wagyu se deve à carne ser de uma qualidade diferenciada, somado a um preparo cuidadoso praticado na KoBurger, que busca conservar o sabor original do produto, entregando-o com bons acompanhamentos e preço justo.

“O Wagyu é de fato diferenciado. O sabor da carne e a suculência não são comparados a nenhuma outra carne. Nosso burguer é molhadinho, mas acima de tudo suculento por si só. Não colocamos nem pimenta do reino (comum em temperos de burguer) porque o sabor do Wagyu já traz uma experiência surreal. Quem não conhece, pensa que hambúrguer é tudo igual. Mas depois de provar, a pessoa sente que de fato é diferente. O Wagyu atrai muitos interessados, imagine isso atrelado a maioneses feitas em casa, ingredientes frescos, pão fresquinho. Isso tudo deixa a experiência surreal. Agora, imagine tudo isso com preço justo? Como somos produtores, temos fazenda própria, nosso Wagyu não é caro. Dizemos que temos a cadeia mais eficiente do mundo, e não é conversa fiada não! Desafiamos encontrarem no mundo um Wagyu com tanta qualidade pelo preço que praticamos”, diz ele.

O chef também cita alguns dos benefícios do Wagyu em relação a outras carnes, explicando o porquê de ela ser mais suculenta e macia. Ele também fala sobre a forma que os animais são cuidados, em um processo natural.

“O Wagyu é um animal que por características genéticas tem fissura entremeada nos músculos. Ou seja, além daquela capa de gordura externa (aquela que conseguimos ver na picanha, por exemplo) o Wagyu tem gordura no meio das fibras da carne. Isso deixa a carne muito macia e muito mais suculenta. Nosso Wagyu é tratado de forma natural, com alimentos não transgênicos, sem química na alimentação. Nosso Wagyu come o bagaço da produção de shoyu (molho de soja), come laranja. Isso tudo vai para os músculos. Isso tudo faz a diferença”, afirma.

Thiago Gil explica os cuidados que precisam ser tomados ao se trabalhar com a carne de Wagyu.

“Wagyu é uma proteína muito delicada, merece cuidado, merece carinho. Por isso não temperamos com nada além de sal. O sal na verdade serve apenas para realçar o sabor da carne, que já é fora de série. Temos burgers para todos os gostos. Temos os burgers mais elaborados para quem gosta de explosão de sabores. E temos o THE KOBURGER, 270 gramas de Wagyu com duas fatias de queijo prato no pão brioche. Esse segundo é para quem valoriza a carne por si só”, afirma.

O empresário finaliza contando as origens de seu negócio, iniciado em festivais japoneses. Com o sucesso nesse tipo de evento, a ideia de abrir uma hamburgueria surgiu e foi implementada.

“Nós começamos com operações de hamburger em festivais japoneses. O Wagyu é um animal de origem japonesa, achamos que teria tudo a ver. E deu supercerto. Com o tempo, as pessoas começaram a perguntar onde poderiam comer nossos burgers durante a semana”, destaca ele.

Procura

Wagyu: avanço constanteGuilherme Mora, sócio-proprietário do Cór Gastronomia, restaurante que oferece a Wagyu em seu menu, fala sobre a procura cada vez maior por esse tipo de carne no Brasil.
“Sim, as pessoas cada vez mais procuram o Wagyu, no Brasil estamos tendo Wagyu de ótima qualidade, fazendo com que a pessoa tenha uma verdadeira experiência, o que difunde mais a ‘vontade’ geral de experimentar”, afirma ele.

Segundo o empresário, a qualidade da carne é a responsável por esse sucesso, impulsionado pela produção nacional, que tem sido positiva.

“Com certeza é a qualidade, a experiência, a carne é realmente diferente, e como o Brasil está conseguindo produzir Wagyu incríveis, o sucesso é crescente”, diz ele.
Para Guilherme Mora, a tendência é que o consumo de Wagyu siga crescendo no Brasil. “Com certeza, quanto mais pessoas provarem, mais pessoas vão querer provar. Raras as exceções das pessoas que não gostam de Wagyu (se não gostam é por conta do alto nível de gordura), mas isso com certeza não influenciará no seu sucesso”, diz ele.

Qualidade

Fernando e Rafael Ludgero, sócios da Casa Portenã, steakhouse que trabalha com os cortes Wagyu, ao serem questionados sobre o sucesso do produto no Brasil, confirmam que já há uma grande procura pelo item.

“O brasileiro já vem mudando o conceito de quantidade por qualidade. Preferem pedir uma carne extremamente saborosa ao invés de ficar por horas comendo quantidades enormes de carnes de raças como Nelore, que já não são mais tão interessantes como nas épocas dos tradicionais rodízios. O Wagyu é uma carne muito saborosa e extremamente macia. É um item ‘Crowd Pleaser’ por onde passa”, afirmam.

Os sócios também citam os principais motivos do sucesso do produto no país, destacando seu sabor e maciez.

“O sabor e maciez são os principais motivos na nossa percepção e tem também a questão de ser um produto que agrada a todos os paladares de uma família, desde os pequenos até os ‘especialistas da mesa’. Diferente da carne dry aged que já muda bastante o sabor final do produto. Além disso, o preço do Wagyu é bem mais acessível que as carnes dry aged”, dizem.

Fernando e Rafael Ludgero falam também sobre os benefícios e cuidados ao se trabalhar com a Wagyu.

“Os benefícios são a garantia de saber que o cliente sairá feliz com a experiência e com a certeza que voltará outras vezes para repetir o umami da carne. O cuidado é apenas em relação ao abastecimento constante, pois a produção nacional está crescendo ainda, então trabalhamos com fornecedores que nos garantam o fornecimento constante. O Wagyu importado do Japão ainda é um item muito exclusivo e se torna muito caro para uma steakhouse”, dizem.

Para os proprietários da Casa Porteña, o sucesso do produto seguirá numa crescente no Brasil. “Os brasileiros ficaram muito tempo consumindo quantidade de cortes mais comuns nos rodízios e descobriram que é muito melhor saborear qualidade em cortes de raças mais nobres como o Wagyu, Black Angus, Hereford e outras raças britânicas ou de cruzamentos muito bem feitos, por sinal”, afirmam.

Koburguer
instagram.com/koburgerhamburgueria
koburgerhamburgueria.com.br
Cór Gastronomia
corgastronomia.com.br
Casa Porteña
www.casaportena.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco × 4 =