Voluntários brasileiros vão a Roraima levar atendimento a refugiados venezuelanos

0

Mais um passo importante foi dado na nossa corrente fraterna para acolher famílias venezuelanas. O projeto “Brasil, um coração que acolhe” vai lançar agora na páscoa, durante nossa caravana que já está por lá, a ação “Trabalhar para Recomeçar”. No texto abaixo explicamos melhor o projeto.

Contamos com toda a força de divulgação que essa corrente precisa. Quanto mais pessoas se mobilizarem mais famílias poderemos ajudar, Acesse: www.fraternidadesemfronteiras.org.br e escolha sua melhor forma
de contribuir!

Mais de 60 voluntários de várias cidades do Brasil estarão em Roraima, de 29 de março a primeiro de abril, em uma ação inédita para ajudar imigrantes venezuelanos que atravessam diariamente a fronteira em busca de uma chance. A caravana é uma parceria entre o Projeto Canudos e a Fraternidade sem Fronteiras. Os voluntários vão oferecer atendimento médico, alimentação, itens básicos de higiene e dar início a uma ação para criar oportunidades de emprego para trabalhadores venezuelanos.

A iniciativa faz parte do projeto da FSF “Brasil, um coração que acolhe”, que hoje já mantém um centro de acolhimento para famílias venezuelanas em Boa Vista.
A ação “Trabalhar para Recomeçar” vai criar pontes entre quem precisa de emprego e quem pode ofertar uma vaga de trabalho. Também vai mobilizar quem pode apoiar com transporte, moradia temporária, mobília, e outras necessidades do trabalhador e sua família. Um voluntário da FSF será o “tutor fraterno” da nova relação de trabalho, incentivando o zelo pelo cumprimento do compromisso assumido pelo trabalhador e pelo empregador.

O caminho para ajudar será pelo site da organização, fraternidadesemfronteiras.org.br. Ao acessar a página, é só clicar no botão “quero ajudar – Brasil, um coração que acolhe” e informar se pode oferecer emprego, apoio ou ser um tutor fraterno. Os dados serão analisados por voluntários da Fraternidade que farão a conexão entre quem precisa de ajuda e quem quer ajudar.

O currículo dos trabalhadores venezuelanos também ficará disponível para visualização no site da Fraternidade sem Fronteiras. O cadastro profissional será feito por meio de um aplicativo que leva os dados automaticamente para o site. O trabalho começa durante a caravana, na Páscoa, e segue de forma continuada.

Assistência e atendimento médico
As ações de saúde contarão com profissionais da medicina, odontologia, fisioterapia, psicologia, enfermagem, biomedicina e farmácia. O trabalho está sob a coordenação do Instituto Brasileiro de Expedições Sociais – Projeto Canudos.

As ações sociais serão desenvolvidas pelos voluntários da Fraternidade sem Fronteiras. Semanas antes da caravana, voluntários do movimento realizaram uma campanha de arrecadação de donativos e até o domingo, primeiro de abril, deve chegar a Boa Vista um caminhão com 25 toneladas de alimentos e produtos de higiene. A primeira caravana a Roraima é também a primeira da FSF no Brasil – a Organização realiza com frequência caravana de voluntários à África Subssaariana, especialmente às aldeias de Mocambique e ao sul da ilha de Madagascar, onde hoje acolhe mais de 12 mil crianças africanas, graças à ajuda de padrinhos e apoiadores da causa. A Fraternidade sem Fronteiras mantém projetos humanitários na África e no Brasil e semeia a ideia de que se cada um ajudar um pouquinho, todos farão um mundo bem melhor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

três × dois =