Vitrine virtual

0

Não há como negar! As imagens têm grande poder na Internet. A fotografia, por exemplo, demonstra-se bastante capaz de despertar emoções de maneira mais rápida e intensa em comparação ao texto, principalmente em tempos de maior velocidade e estímulos de informação. Que tal, então, explorar uma rede social que é baseada somente em imagens?

Fundado em outubro de 2010, disponível somente para os sistemas I.O.S. e Android, o Instagram possui atualmente 130 milhões de usuários ativos por mês, de acordo com a própria empresa. São publicadas 40 milhões de fotos todos os dias, e 8,5 mil opções “curtir” por segundo.

A rede social tem se tornado eficaz em ações de marketing digital. Com abordagem diferenciada de outras redes como Facebook e Twitter, exige ainda mais criatividade de empresas e pode ser bastante útil na consolidação do conceito de uma marca. E os conteúdos podem ser compartilhados em outras redes sociais.

São diversas as ferramentas que podem ser usadas na hora de promover uma foto na rede social. A mais famosa delas é a hashtag. O uso dela auxilia na segmentação do conteúdo e facilita as buscas dos usuários. Ao postar imagens relativas à marca com hashtags específicas, é possível identificar quem usa certo tipo de produto e serviço, o que pensa sobre ele e também publicar as melhores fotos de consumidores no próprio perfil da marca. Este tipo de ação permite a criação de campanhas e promoções para melhores imagens, por exemplo, além de demonstrar maior aproximação com o público. E não são só os produtos que podem ser expostos na rede. A empresa pode disseminar um conceito, um estilo de vida.

Marcas como Starbucks, Whole Foods e outras estão explorando as ferramentas do Instagram para atingir em cheio os consumidores. E para mostrar como estas companhias utilizam a plataforma, a TrackMaven, empresa especializa em análise de mercado, lançou um estudo mapeando o comportamento destas marcas na rede social. Segundo a análise, o serviço de vídeo do Instagram é algo novo, que ainda tende a crescer. Portanto, as fotos ainda são a primeira opção das grandes marcas.

Além disso, os dados mostram porque uma marca deve se atentar as hashtags. Segundo o estudo, se a empresa utilizar de 4 a 11 hashtags por dia, ela poderá aumentar até 77 interações por post. Por fim, apesar dos sites de mídia adotarem uma estratégia de tempo de postagem, os usuários do Instagram interagem na plataforma a todo momento. Esse comportamento deve estar no radar das marcas sempre. Portanto, os posts devem ser feitos em qualquer horário, independente de feriados, finais de semana, ou madrugadas. As marcas que fizerem isso sairão na frente.

Mark Zuckerberg já enxergou o grande poder do Instagram pois ele comprou a rede social por nada menos que US$ 1 bilhão.

O que eles fizeram

Já é comum ver fotos dos famosos cafés da Starbucks espalhadas pelos perfis dos usuários do Instagram. Só estas postagens, por si só, já formam uma grande vitrine de produtos. Mas a empresa resolveu ir além e passou a compartilhar fotos com experiências de diversos consumidores ao redor do mundo, demonstrando atenção a seu público e consideração a suas opiniões. O sucesso disso é visto no número de seguidores: mais de dois milhões. Os fãs usam a hashtag #Starbucks para criar uma rica variedade de conteúdo gerado e personalizado pelo próprio usuário. Em um mês são compartilhadas mais de 590 mil fotos com a tag, gerando 180 milhões de impressões gratuitas (aproximadamente).

Além disso, imagens do interior das lojas ao redor do mundo, fotos como os novos sabores de bebidas, belos close-ups de Frappucinos com imagens de baristas experimentando novos produtos e também de pessoas entre uma xícara personalizada e outra são exemplos de postagens encontradas no perfil da rede de cafés.

Outra marca que está “abusando” do Instagram é a Red Bull. A marca busca divulgar o estilo aventureiro de diversos atletas que são patrocinados pela marca, muito além de disseminar seus produtos. Desta forma, demonstra que parte de seu lucro é voltado para ações de esporte e de estímulo a atividades físicas.

Em 2013 eles comprovaram o poder da hashtag. A #TheShow foi lançada no Brasil para que usuários do Instagram pudessem criar digitalmente sua própria exposição de fotos, a partir das imagens postadas no aplicativo. Para participar, bastava ter uma conta no Instagram. A partir das fotos postadas, o Red Bull #TheShow criava um vídeo simulando a abertura de uma exposição usando as fotos da rede social. Foi um sucesso! Hoje eles têm mais de um milhão de seguidores.

O Guaraná Antártica aproveitou a novidade dos vídeos. A marca de refrigerantes da Ambev publicou o vídeo “Refil”, no qual o líquido do copo volta para a lata de onde veio. O Instagram suporta vídeos de até 15 segundos – mais que o dobro dos seis segundos aceitos pelo Vine – e fornece, assim como nas fotos, filtros para dar efeitos gráficos às imagens, além de contar com a tecnologia Cinema, que estabiliza as gravações.

E não são só marcas e empresas que divulgam seus produtos. Para os apreciadores de comida, o Instagram do chef de cozinha inglês Jamie Oliver é quase um paraíso. Desde fotos de seus pratos a anúncios de festivais ou com sua família, a conta de Jamie é bem divertida! Isso dá grande visibilidade ao seu restaurante.

O aplicativo de publicação de fotos está se tornando uma espécie de diário ilustrado de chefs ao redor do mundo, incluindo figuras consagradas como Alex Atala (D.O.M.) e René Redzepi (do dinamarquês Noma). Foi por meio do Instagram, aliás, que o público ficou sabendo como Atala degolou uma galinha no palco do simpósio gastronômico MAD3, em Copenhagen (Dinamarca). Já o chef do Noma, que está há sete anos entre os melhores do mundo na famosa lista “50 Best”, utiliza seu perfil no Instagram não só para divulgar novos pratos, mas também mostrar um pouco do dia a dia de seu restaurante.

Outros bastidores de cozinhas podem ser vistos em flagrantes de Thiago Castanho, chef do Remanso do Peixe, em Belém (PA), e Rodrigo Oliveira, do Mocotó, em São Paulo. Fotos no estilo “ao vivo direto do fogão” são intercaladas por imagens de pratos já prontos. Já a chef Bel Coelho utiliza a plataforma como diário dos bastidores de seu programa “Tasting Brazil”, produzido pelo canal a cabo Discovery Channel.

Starbucks
www.instagram.com/starbucks

Redbull
www.instagram.com/redbull

Guaraná Antártica
www.instagram.com/p/ayqq92D6zO

Alex Atala
www.instagram.com/alexatala

René Redzepi
www.instagram.com/reneredzepinoma

Thiago Castanho
www.instagram.com/thiagocastanho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

12 − três =