Vendas no setor de cerveja devem crescer em 2014

A alta deve ser impulsionada principalmente por fatores sazonais e pela decisão do governo de adiar o reajuste tributário apenas para 2015

0

A perspectiva de um bom desempenho nas vendas de cerveja no último trimestre deste ano faz com que a expectativa de analistas consultados pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, é de que o mercado brasileiro de cerveja cresça cerca de 3% neste ano.

Esse aumento, se confirmado, será impulsionado principalmente por fatores sazonais e pela decisão do governo de adiar o reajuste tributário apenas para 2015.

Ao longo do primeiro semestre, a produção de cerveja foi beneficiada pelas elevadas temperaturas no verão, pelo carnaval tardio em março e pela realização da Copa do Mundo. De janeiro a junho, a produção de cerveja segundo o Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe) acumulou alta de 11,2% na comparação com igual período do ano anterior.

Segundo levantamento da Associação Brasileira das Indústrias de Cerveja (CervBrasil), apenas o Mundial colaborou para um aumento de 2,2% na fabricação da bebida entre os meses de junho e julho, período no qual o setor costuma apresentar uma retração das vendas.

Depois de passado os efeitos sazonais, o setor voltou a apresentar queda na produção em agosto e setembro, fazendo com que o terceiro trimestre encerrasse com uma diminuição de 2,1% em relação ao mesmo período de 2013.

“É importante notar, no entanto, que os dados de produção não necessariamente representam os das vendas. Além disso, o desempenho do último trimestre é normalmente o mais forte do ano, sendo responsável por aproximadamente 30% das vendas”, afirmam, em relatório, os analistas Catarina Pedrosa e Douglas Coelho de Oliveira, do Banco Espírito Santo.

Apesar da queda no último trimestre, os profissionais lembram que o mercado brasileiro de cervejas mantém um resultado positivo no acumulado do ano até setembro. Segundo o Sicobe, até o momento a produção em 2014 apresenta alta de 6,8% em relação ao ano passado.

Além disso, analistas acreditam que a decisão do governo federal em adiar o reajuste tributário do setor para 2015 vai evitar que as companhias realizem aumentos expressivos nos preços de seus produtos, o que também deve ajudar a elevar as vendas.

Fonte: Exame.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

9 − 2 =