Um tempero a mais para o segmento

Sal rosa, azul, flor de sal. Entre os fatores em comum, esses produtos têm destacado, de maneira positiva, as empresas que os comercializam

0

O sal é o principal condimento na culinária mundial e é, inclusive, usado até em algumas sobremesas. A utilidade do item é inquestionável. Esse tempero agrega e realça o sabor das receitas. O produto pode ser encontrado em diferentes tipos: Flor de sal, sal rosa e sal azul são alguns deles. Corriqueiros na gastronomia de muitas regiões do mundo, esses sais especiais já estão ganhando espaço na mesa dos brasileiros e nas receitas dos chefs de cozinha. Os sabores diferenciados comparados ao sal tradicional conquistaram o paladar dos consumidores.

Toneladas

A Cimsal, indústria salineira fundada na década de 70, possui matriz no Rio Grande do Norte e filiais no mesmo estado, no Ceará e em São Paulo. Tem como objetivo a produção, extração, moagem e refino do sal marinho. Com uma produção de mais de 600 mil toneladas de sal por ano, a Cimsal está entre as cinco maiores empresas produtoras de sal por evaporação solar do Brasil.

Roberto de Freitas, gerente de marketing da indústria, conta sobre a origem do produto Flor de Sal Cimsal. “Primeiramente, tomamos conhecimento da existência da flor de sal através de um primo que mora no sul da França, onde se origina a produção da iguaria. Encomendamos a amostra desse sal, que chegou na forma de flocos delicados e irregulares que desmanchavam na boca, com sabor e aroma jamais encontrados em qualquer outro tipo de sal. Ao provar, descobrimos também que os cristais, por serem mais leves, destinavam-se à finalização de pratos. A partir daí, resolvemos produzir”.

A empresa absorveu esses conhecimentos e as técnicas de produção e as aplicou em uma de suas salinas. “Foram mais de dois anos analisando tecnicamente o produto até que ele atingisse o grau de qualidade desejável. Entramos no mercado em um momento em que a gastronomia brasileira ainda carecia de produtos especiais que somente eram produzidos em outros países”, relata Roberto.

O teor de sódio da Flor de Sal Cimsal é relativamente mais baixo pela presença em sua composição de outros elementos, em que se destacam o cálcio e o magnésio, que também se precipitam junto ao cloreto de sódio nas superfícies das águas das salinas e agem como um realçador de sabor natural nos alimentos, tornando-se também uma alternativa aos adeptos da qualidade de vida saudável.

O gerente de marketing ainda esclarece que com o aumento do conhecimento do consumidor quanto aos benefícios da Flor de Sal Cimsal, a iguaria, como Roberto a chama, tem crescido tanto no mercado gourmet quanto no segmento fitness. Além do crescimento da procura pelo consumidor final, por reconhecer o diferencial de qualidade do produto – natural com menos sódio –, o item despertou o interesse da indústria alimentícia que, aos poucos, vem introduzindo a iguaria no processo final de fabricação de seus produtos.
“Portanto, equiparamos o padrão de qualidade, fazendo com que o mercado observe a Flor de Sal Cimsal não apenas como um item ‘gourmet’ e, sim, mais saudável; em segundo, igualamos a confiança de um produto europeu tradicional com o nosso – genuinamente brasileiro”, complementa.

Opções

A empresa Fernandes Cury trabalha com as marcas Companhia das Ervas, Collecta e Bendito Fruto. “Posicionamo-nos no mercado para oferecer produtos gourmet e de excelente qualidade. Temos uma extensa linha de ervas e especiarias, geleias, pimentas, flor de sal, sal rosa, entre outros produtos”, destaca Tereza Cristina Fernandes Cury, diretora comercial da companhia.

A organização atende o varejo e o food service. A Flor de Sal, sob a marca Companhia das Ervas, é produzida nacionalmente. Já o Sal Rosa Collecta é trazido do Paquistão por fornecedores. “Sobre o Sal Rosa, exigimos laudo técnico de cada lote, além da análise química de corante orgânico e artificial, para termos a garantia de sua pureza e composição”, garante Tereza.

A Flor de Sal é vendida em embalagens de 140g, 800g e de 1kg. O pote de 800g é vendido na faixa de R$ 32,00. O Sal Rosa vem em embalagens de 250g, 500g e de 1kg. O Sal Rosa de 1kg é vendido por R$ 22,90. “Os preços variam de acordo com a política de cada cliente”.

A diretora comercial salienta aos investidores do ramo que esses itens são diferenciados. “Oferecer esse tipo de produto nos posiciona no mercado positivamente. Tem tudo a ver com o perfil das nossas marcas”, diz.

Natália Colombo, nutricionista clínica funcional, ensina que a principal diferença entre esses tipos de sais especiais é o fato de eles não serem refinados e, por conta disso, apresentam uma maior concentração de minerais do que o sal convencional. Além disso, em geral, contam com menor concentração de sódio do que o sal refinado comum e um sabor diferenciado.

“O sal rosa do Himalaia pode ser utilizado em qualquer prato. Por ter menos sódio, geralmente ‘salga’ menos, e isso é interessante do ponto de vista que a pessoa tende a se acostumar com menores níveis de sódio. A flor de sal deve ser utilizada sempre no fim do preparo e seu maior diferencial é a capacidade de oferecer uma textura
diferente ao prato. O sal azul deve ser utilizado pra ‘salgar’ e também para enfatizar o sal do prato”, orienta Natália.

Portfólio

A Grings Alimentos Saudáveis é uma empresa familiar, fundada na década de 1990 no interior do estado de São Paulo. Desde o início, investiu no segmento de alimentação saudável. Atualmente, o seu portfólio possui 150 itens: sais, granolas, cookies, cereais, chás, entre outros, e é desenvolvido com base no tripé saudabilidade, sabor e praticidade.
“O Sal Rosa do Himalaia Grings é iodado e moído, facilitando o uso no preparo culinário, podendo substituir o sal comum”, conta Marília Zielinski, nutricionista da empresa.
O sal rosa do Himalaia é considerado o sal mais puro do mundo. Ele é extraído de forma manual, sem o uso de maquinários ou produtos químicos. Esse item da Grings é vendido em embalagens de 250g, com preço médio sugerido de R$ 7,00. Os sais da marca são comercializados em supermercados, lojas de produtos naturais, entre outros estabelecimentos. Marília ainda comenta que o sal rosa do Himalaia contém mais de 84 tipos de minerais, como magnésio, potássio, cálcio, ferro, fósforo, zinco, selênio e cobre. Esses minerais contribuem para o equilíbrio do ph do estômago, melhorando a digestão e absorção de nutrientes quando chegam ao intestino.

“Por mais que esses tipos de sais sejam mais saudáveis do que o sal refinado habitualmente utilizado no preparo culinário, todos devem ser consumidos com moderação. Não se deve ultrapassar a ingestão diária de 4g, conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS). O recomendado é que as pessoas sempre procurem orientação de um médico ou nutricionista para saber qual é o tipo de sal mais apropriado a sua dieta”.
A nutricionista Natália Colombo ainda explica que flor de sal são delicados cristais formados na superfície da água e recolhidos de forma artesanal, que secam ao sol, resultando cristais mais crocantes (a maior parte é de origem francesa). Devido a isso, de cada 80kg de sal marinho produzidos, somente 1kg de flor de sal é extraído. Isso explica o alto valor de venda do produto.

O sal rosa é extraído de minas localizadas no Himalaia – região onde se concentra a mais alta cadeia de montanhas do mundo. Seu sabor é bastante semelhante ao do sal convencional, embora seja mais rico em minerais e possua um teor de sódio inferior (240mg de sódio por grama – enquanto o sal mais comum possui 400mg por grama).
O sal azul é extraído de minas antigas de sal no Irã (antigo Império da Pérsia – o que justifica seu nome “sal azul da Pérsia”). Até hoje, ele segue o mesmo processo e é recolhido manualmente. Seu nome se dá pela sua coloração. É rico em minerais como zinco, cobre e manganês e possui baixo sódio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezesseis + 15 =