Trabalho de artista

0

Desenhar um projeto, pensar em cada detalhe dele e colocar em execução até parece assunto de arquiteto ou de qualquer profissional da área de construção, mas estamos falando de bolos decorados por cakes designers.

Esse profissional consegue, por meio da pasta americana, de muita técnica e material apropriado, criar bolos diferentes e divertidos. O trabalho do cake designer vai além da decoração de bolos, por isso, ele precisa estar sempre atualizado. Para conseguir fazer esse serviço, é preciso se especializar e também adquirir materiais específicos para alcançar efeitos únicos.

As empresas que fornecem matéria-prima para esses profissionais devem estar atentas a tudo. Os designers são exigentes e estão sempre procurando coisas novas.

Bolos decorados

A história de Rosangela Maria da Silva Marinho Alves, conhecida como Rosangela Marinho, na profissão de cake designer, começou após ela conhecer técnicos de confeitaria estrangeiros que vieram ao Brasil. Ela chegou a esses profissionais pelo fato de seu marido trabalhar em uma multinacional, no ramo de alimentos. Depois disso, Rosangela viu o trabalho da argentina Marta Ballina e se inspirou para iniciar sua busca por conhecimentos nessa área.

“Na prática, ser cake designer é ter dentro de si várias profissões. Somos decoradores, claro, mas ao mesmo tempo também somos costureiros (quando fazemos roupinhas de açúcar), engenheiros (para calcular as estruturas), pintores (quando confeccionamos delicadas pinturas)”, destaca Rosangela.

A decoradora de bolos ministra cursos em seu atelier, para quem quer se tornar um cake designer, como ela ressalta, as aulas são 100% práticas. Os interessados em fazer o curso completo vão passar por três módulos, sendo cada um com uma carga horária de 26 horas. “O aluno se capacita para atuar na criação de projetos de bolos utilizando importantes fundamentos de design, aliando o projeto gráfico ao conhecimento dos principais recursos e técnicas de decoração”, diz. Além disso, ela aplica cursos de diversos níveis, em várias partes do Brasil e no mundo todo.

Fabricar um bolo, na visão da cake designer, é um projeto que precisa ser pensado e colocado no papel. Dessa forma, ela aborda as três etapas do curso. No primeiro módulo, é ensinado a executar um projeto do bolo. Aqui, é feito o desenho de como a pessoa quer que fique e quais detalhes vão ser colocados. Também é a hora de explicar como se faz a massa, recheio, montagem, cobertura e as decorações básicas. Já na segunda fase das aulas, o aprendizado está voltado ao aprofundamento das principais técnicas internacionais de decoração. Assim, o aprendizado se torna mais avançado e acontece a apresentação do projeto do bolo inclinado, “em que o aluno começa o desafio à gravidade”, completa Rosangela. No terceiro, o aluno se especializa em esculturas de bolo. “A cada aula, é confeccionado um projeto diferente de escultura”, diz.

De acordo com Ronsangela, o principal público que procura por esses cursos são pessoas que querem profissionalização como cake designer. Mas ela ressalta que, para seguir nessa área e torná-la uma profissão, é preciso muito treino e dedicação. Outro ponto destacado pela designer é a importância de estar sempre atualizado com as novidades do ramo.

Quando questionada sobre seus planos, a cake designer conta que quer aprender ainda mais, participar de congressos internacionais e de bons eventos relacionados ao design de bolos.

“É muito gratificante ter tido a oportunidade de formar profissionais que, hoje, posso dizer com muito orgulho, se destacam no mercado”, conclui.

Mercado em expansão

A cake designer Ana Paula Netto é formada em Turismo e Hotelaria pela Univali-SC. No início de sua carreira, sempre trabalhou dentro da hotelaria no setor de alimentação e bebida, já demonstrando sua inclinação pelo mundo da gastronomia Quando se mudou para São Paulo no ano 2000, começou a procurar por cursos de confeitaria especializada em decoração de bolos. Aperfeiçoou seu trabalho, ministrou cursos e, em 2007, abriu a empresa Anacake, em Balneário Camboriu, Santa Catarina.

Para Ana Paula, esse trabalho de design faz com que o produto tenha um valor diferenciado. “A profissão de cake designer é uma forma de expressar uma arte, é um trabalho que não segue uma rotina e cada trabalho finalizado é uma realização única”, diz.

De acordo com a decoradora de bolos, esse ainda é um mercado que precisa valorizar o trabalho desses profissionais, em termos financeiros. Para justificar sua afirmação, ela conta que o preço da matéria-prima é cara, sem contar o tempo que esse serviço demanda para a finalização. Outro fator que Ana questiona é a dificuldade de encontrar matéria-prima. “A indústria alimentícia tem um grande mercado a ser trabalhado”, pontua.

As empresas que querem seguir esse caminho, segundo a designer, vão precisar separar as áreas, pois esse é um trabalho diferenciado que exige material e equipamentos que, na maioria das vezes, são importados e não possuem um preço tão acessível, além de exigir a contratação de profissionais especializados. “Também temos que levar em consideração o fator mais importante, o cliente que carrega neste produto uma expectativa muito alta e, muitas vezes, a realização de um sonho”, diz.

Experiência é lucro

Desde o início interessada no ramo da gastronomia, Leslie Marie, cake designer e fundadora da Petit Marie, se formou em gastronomia na Universidade Anhembi Morumbi. Ela começou trabalhando em restaurantes, mas não se identificou com o trabalho. Após isso, iniciou cursos de bolos decorados, “por curiosidade”, ressalta. Acabou se identificando com a área e se especializando.

Inicialmente, as encomendas eram de amigos e familiares e Leslie trabalhava na área de tecnologia da informação. Mas a procura pelos doces começou a crescer. Com uma demanda maior de pedidos, ela saiu de seu emprego e se dedicou exclusivamente aos bolos. “Agora, tenho minha cozinha profissional para dar aulas e preparar os bolos”, diz.

“Um cake designer é muito mais do que uma pessoa que faz bolos decorados. Nossa função é, também, criar a arte para a pessoa, saber fazer o bolo dos sonhos do cliente se tornar realidade. Para se tornar um, tem que ter muita vontade e dedicação, pois é uma profissão que exige muito de nós, mentalmente e fisicamente”, destaca Leslie.

Os cursos oferecidos na Petit Marie são todos práticos, e a designer preza por isso, pois como ela cita, “a prática leva à perfeição, então incentivamos todos a tentarem quantas vezes forem necessário”. Além disso, ela destaca que nem sempre é fácil aprender logo de início. “O aluno aprende desde a massa e recheio (diversos) do bolo, como dimensionar quantidade, como montar os andares, até sua decoração”, explica.

Para a decoradora de bolos, cada cake designer é único. Por isso, ela enfatiza a importância de conhecer como é seu próprio trabalho e seus diferenciais, pois, assim, consegue se destacar no mercado. Outro ponto que Leslie destaca é o de se aperfeiçoar cada vez mais com informações novas.

Os cursos oferecidos são ministrados no próprio atelier da Petit Marie. Os preços variam de R$ 90,00 a R$ 400,00. A designer diz que qualquer pessoa pode fazer as aulas, mas é preciso se atentar ao nível de cada curso.

“Para mim, decorar e confeitar um bolo é um dos grandes prazeres que tenho. Ver o trabalho final é muito gratificante”, diz Leslie. “As empresas que fornecem matéria-prima para os cakes designers deveriam treiná-los quanto ao uso dos produtos, desde farinhas, pastas americanas, chocolates e até mesmo utensílios próprios, para poder ajudar mais na hora de efetuar a compra de um produto novo e diferente, por exemplo”.

Rosangela Marinho
rosangelamarinho.com

Petit Marie
www.petitmariecakedesign.com.br

Anacake
www.anacake.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

2 × dois =