Teknisa – Uma empresa com crescimento expressivo

0

Wilson Lima de PaulaNa entrevista concedida pelo presidente da Teknisa, podemos observar que o crescimento horizontal da empresa se deu com a crescente exigência do mercado. Já o crescimento vertical foi conseguido a partir de uma preocupação com gestão por indicadores e muito trabalho junto aos clientes.

Foi ainda durante o curso de Engenharia que Wilson Lima de Paula passou a se interessar pela área de software. Gradativamente, o desejo de trabalhar com gestão de organizações empresariais foi aumentando. A velha retórica de que sucesso é igual a oportunidade aliada à preparação pode ser facilmente reparada na entrevista.

Wilson de Paula descobriu no food service, um setor carente de sistemas de gestão de informação, e decidiu especializar-se nesse segmento. Este crescimento ininterrupto durante seus 26 anos de história, completados no mês de maio de 2016, é fruto de muita dedicação e conhecimento.

A Teknisa tem como missão estratégica, a busca pela liderança mundial neste mercado. Nesta entrevista, Wilson de Paula conta os desafios de administrar a empresa, os projetos futuros e de que forma pretende alcançá-los.

FSN: Primeiramente, você poderia contar um pouco da sua história?

Wilson: Eu me formei em Engenharia pela Universidade Federal de Minas Gerais e já durante o curso me enveredei pela área de software. Especializei-me no desenvolvimento de sistemas e consolidei a experiência em algumas empresas de software onde trabalhei antes de fundar a Teknisa.

FSN: Como surgiu a ideia de fundar a Teknisa?

Wilson: A ideia de fundar a Teknisa veio de um desejo pessoal de empreendedorismo. Sempre desejei empreender e construir uma companhia voltada para a área de gestão e soluções empresariais completas, incluindo produtos e serviços, mas não só para a venda de aplicativos. A intenção era de também trabalhar com organização empresarial e organização de gestão de empresas.

FSN: Por que você decidiu investir no ramo do food service?

Wilson: O food service veio por acaso. Uma das empresas que contrataram nossos produtos e serviços era deste ramo. Foi só depois de captar este cliente que percebemos que existia um grande nicho nesse segmento, que é, ainda hoje, muito grande, devido ao contínuo crescimento do setor. Poucas empresas trabalhavam nessa área. Como o crescimento de vendas dos nossos produtos foi maior para esse segmento, acabamos tendo uma evolução natural para o mercado de food service, o que fez com que a Teknisa se tornasse uma empresa bastante especializada neste segmento.

FSN: Quais são suas responsabilidades e os maiores desafios?

Wilson: Nosso objetivo é prover, para o nosso cliente, a informação do seu negócio de forma organizada, simples, clara, garantindo assim, maior produtividade nos processos e melhores resultados no negócio. Aprimoramos o produto constantemente incorporando novos processos, melhores práticas, para que ele dê soluções, para que ele forneça indicadores objetivos, de maneira cada vez mais rápida. A gestão de uma empresa, hoje, tem que ser eficiente e em tempo real.

FSN: Quais os valores que você busca agregar à gestão da Teknisa?

Wilson: A Teknisa participou, há alguns anos, do PAEX (Parceiros Para a Excelência) na Fundação Dom Cabral. O nosso modelo de gestão foi baseado nas melhores práticas que aprendemos com as metodologias desta excelente escola de gestão, considerada hoje a 3ª melhor do mundo. Dessa forma, procuramos implementar todas as melhores práticas de gestão, aprendidas nesta pós-graduação empresarial, em nossos aplicativos de software, de tal forma a ofertar tais controles a todos os nossos usuários e clientes do segmento de food service.

FSN: Durante esses 26 anos, quais foram as maiores dificuldades enfrentadas no comando da empresa?

Wilson: O gerenciamento de pessoas é sempre um desafio para qualquer líder. Formar mão de obra especializada no segmento food service é outro desafio a ser superado continuamente, visto que o número de clientes aumenta exponencialmente, e temos que manter a mesma qualidade de serviço para cada um deles. Portanto, precisamos prover, para esses clientes, consultores especialistas no segmento de food service, que possam garantir soluções de economia de custos e através das melhores práticas adotadas no mercado. Manter uma equipe crescente de consultores especializados com conhecimento nesse segmento é nosso maior desafio.

FSN: Qual é a missão da Teknisa?

Wilson: A missão da Teknisa é prover soluções com software e serviços para o mercado global. Temos como visão, ser líder mundial em soluções para gestão no mercado de food service. Nós já estamos trabalhando em oito países e temos um plano estratégico para crescer, no mínimo, um país por ano, nos próximos dez anos.

FSN: O que vocês pretendem fazer para alcançar esse objetivo?

Wilson: O Planejamento Estratégico prevê ações com dois formatos diferentes, um para os países da América Latina e outro para Europa e Estados Unidos. As particularidades de cada mercado exigem ações específicas. Os produtos já estão disponíveis em vários idiomas e contemplam a parte fiscal parametrizada, de tal forma que possam atender às legislações fiscais dos diferentes países.

FSN: Qual é o diferencial da Teknisa?

Wilson: O diferencial da Teknisa está na expertise no segmento de food service. Os produtos oferecem recursos para gestão de diversos processos específicos deste segmento. Eles permitem vários níveis de controle para garantir que não hajam rupturas nos processos, conduzindo a operação segundo os procedimentos planejados.

A expertise também está nos serviços. Nossos profissionais são treinados tanto nos produtos quanto nos processos dos diversos segmentos do food service que atuamos. São profissionais com longa experiência e que conhecem as melhores práticas de gestão para os diferentes modelos de empresa desse segmento, desde as que fabricam alimentos, passando por aquelas que fazem refeição hospitalar, executiva, escolar, alimentação de bordo, buffets e grandes eventos.

Além disso, abrangemos também os controles das áreas de compra, distribuição, logística e entrega de produtos alimentícios.

FSN: A Teknisa trabalha com softwares destinados, principalmente, ao food service. Vocês pretendem expandir os serviços para outras áreas?

Wilson: Nós nos tornamos especialistas em prover soluções de gerenciamento para empresas que estocam ou fabricam produtos que se deterioram com o tempo, que tenham, portanto, necessidade de controles de datas de validade ou que possuem controles específicos de qualidade, armazenamento, temperatura, transporte e entrega, ou que exigem em seu processo produtivo um grande manuseio.

Como as empresas que trabalham nestas circunstâncias normalmente são controladas pela Anvisa, a Teknisa tornou-se referência para gestão de processos de empresas que são auditadas ou têm sua qualidade controlada por essa agência. Expandimos bastante os segmentos, mas continuamos muito focados no setor de food service.

FSN: De que forma os softwares oferecidos pela Teknisa auxiliam no crescimento de seus clientes?

Wilson: O software guia a empresa por processos bem definidos, homologados e testados no mercado, capazes de trazer retorno ao investimento feito pelo cliente. O sistema elimina os desvios, aperfeiçoa custos, diminui os desperdícios e as perdas na produção. Ele gera, com muita velocidade, o demonstrativo de resultado gerencial e operacional, de tal forma que o gestor possa tomar decisões em tempo real. O software também controla todo o processo de produção e o que é entregue ao cliente. Isso ajuda muito na redução de custos.

FSN: Quais são as suas perspectivas em relação ao mercado de food service nos próximos anos?

Wilson: O mercado de foodservice é um dos que mais crescem no Brasil e nós crescemos junto a ele. Temos, também, crescido muito com exportação, com nossos clientes do exterior. Nosso sistema já é multi-idiomas e incorpora tabelas fiscais de forma parametrizada, permitindo-nos trabalhar em outros países de maneira ergonômica e sem necessidade de alteração do código fonte. Isso facilita o uso do produto por empresas multinacionais e o nosso crescimento no exterior.

FSN: Quais são os principais clientes com quem vocês trabalham hoje? Como é o relacionamento com estas empresas?

Wilson: Todo cliente é um cliente importante para nós, desde o menor até o maior. Temos clientes que faturam de R$ 2 milhões a R$ 2 bilhões anuais. Cada cliente tem uma demanda diferente. Procuramos corresponder à demanda de cada cliente, que é sempre específica, individual.

FSN: Qual é, na sua visão, o principal setor a ser controlado em uma companhia?

Wilson: Ao fazermos o levantamento inicial dos clientes, identificamos diferentes torneiras abertas em cada uma das companhias. Quanto maior é esta torneira aberta, isto é, quanto maior a perda financeira que o cliente está tendo naquele setor, mais importante é o controle, o que normalmente é feito com uso de tecnologia.

Por exemplo, se identificamos desvio de estoque, ou se o volume de ajustes de inventário está alto, ou ainda se a empresa não tem um controle seguro para retirada de mercadorias de estoque, urge o controle deste processo. Outro exemplo, se identificamos que a quantidade de insumos calculados no planejamento é muito menor do que o realizado, justifica priorizarmos o controle da área de produção.

A implantação do nosso sistema pode começar em áreas diferentes, mas é importante que, ao final desta implantação, toda empresa esteja sendo controlada de forma integrada. Isso garante que uma área vai acabar exigindo controles aprimorados e corretos da área adjacente. Se o fornecedor entrega mercadorias com preços diferentes daqueles contratados, isso será notado desde a área financeira, passando pela área de recebimentos, de compras e de gestão.

Com a integração completa dos processos, proporcionamos custos operacionais menores para os nossos clientes. Eliminamos as rupturas nos processos, fechamos as torneiras de desvios e amadurecemos o modelo de gestão da referida companhia.

FSN: Mas de uma maneira geral, qual é o setor em que os seus clientes mais podem economizar custos?

Wilson: Cada empresa tem oportunidades diferentes. O mais comum é nos depararmos com vários setores onde se pode economizar custos, mas, se for para citar apenas um, aponto o setor de Compras. É um setor que exige auditorias de negociações e dos melhores preços, centralização do volume de compras e relacionamento com fornecedores homologados. É um setor que, bem controlado, pode garantir reduções de 10% ou mais nos custos de matéria-prima.

FSN: Quais os projetos da Teknisa para 2017?

Wilson: Temos vários projetos em andamento, a maioria deles explorando a mobilidade na operação e gestão dos negócios. Alguns clientes têm nos solicitado sistemas exclusivos e procuramos atendê-los também. Estes sistemas abrangem todo o controle da gestão empresarial, a partir de soluções mobile.

FSN: Qual é a expectativa de crescimento da Teknisa para os próximos anos?

Wilson: Viemos crescendo, nos últimos anos, a uma taxa de 25% ao ano. Esperamos que, apesar da crise e de termos vários clientes multinacionais, possamos continuar com o mesmo crescimento este ano.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

13 + 18 =