Sustentabilidade: Compromisso com o meio ambiente

0

Sustentabilidade, responsabilidade socioambiental e engajamento são palavras que movem diversas empresas a investirem em ações, projetos e programas relacionados

Você sabia que 42% dos consumidores brasileiros se preocupam muito com práticas sustentáveis quando compram algo e 49% deles se importam com essas questões pelo menos um pouco? Ou ainda que 54% dão preferência para marcas famosas sempre ou com frequência por elas cuidarem do meio ambiente? Esses são alguns dos dados presentes em levantamento feito e publicado pela empresa especialista em pesquisa de mercado Opinion Box em 2017.

O estudo, cujo foco foi descobrir qual é a percepção dos consumidores brasileiros sobre a sustentabilidade e o engajamento social nas empresas, diz também que 65% dos entrevistados deixariam de comprar produtos de uma marca caso ela poluísse o ambiente. A pesquisa aponta ainda que 66% das pessoas consultadas abandonariam uma marca se ela estivesse envolvida com trabalho escravo e 42% deixariam de comprar produtos de uma organização que estivesse sob denúncias de assédio.

Essa tendência de valorização da sustentabilidade não está somente no Brasil. É uma onda mundial. Um estudo realizado por meio de uma parceria entre a Unilever e a Europanel, consultoria estatística, apontou que um terço de consumidores questionados no Brasil, Estados Unidos, Índia, Reino Unido e Turquia fazem compras baseados na responsabilidade socioambiental das empresas. Especificamente no mercado nacional, 85% dos consultados afirmaram se sentir melhor quando adquirem produtos de marcas sustentáveis.

Na prática

Leão Alimentos e Bebidas
Fabiano Rangel é gerente Institucional e de Desenvolvimento Sustentável da Leão Alimentos e Bebidas, joint venture responsável pela gestão e produção de parte da cadeia produtiva da linha nacional de bebidas sem gás, como chás, néctares, energéticos e bebidas isotônicas do portfólio da Coca-Cola no Brasil. Ele considera que “pensar em sustentabilidade é aprender com o passado, agir no presente e visar sempre uma condição melhor para o futuro do negócio, das pessoas e dos recursos e serviços ambientais essenciais à saúde e qualidade de vida. É uma realidade que inspira nossas estratégias e conduta nas relações cotidianas, pois reconhecemos nosso papel social de agente de desenvolvimento de práticas sustentáveis”.

Fabiano-Rangel
“Pensar em sustentabilidade é aprender com o passado, agir no presente e visar sempre uma condição melhor para o futuro do negócio, das pessoas e dos recursos e serviços ambientais essenciais à saúde e qualidade de vida”, diz Fabiano Rangel, gerente Institucional e de Desenvolvimento Sustentável da Leão Alimentos e Bebidas

Atualmente, a Leão Alimentos e Bebidas conta com toda uma estrutura direcionada aos cuidados com o meio ambiente, como explica Rangel: “Temos uma área integrada na estrutura corporativa que tem uma atuação focada e dedicada nas frentes de qualidade, saúde e segurança e meio ambiente, atuando, fortemente, nos controles e melhorias das nossas operações, mas também com pessoas dedicadas a ter uma visão e atuação mais sistêmica com as diretrizes de sustentabilidade ao longo da cadeia de valor. Como também identificamos que parte desse trabalho é técnico, mas outra parte é cultural, integramos a essa mesma gerência as áreas de Desenvolvimento Humano e Organizacional (DHO), Comunicação Corporativa e Relações Institucionais. Mais do que projetos, programas, processos, políticas e práticas que são importantes, precisamos que essas diretrizes estejam presentes no dia a dia das pessoas, no jeito de pensar e agir. Por isso, optamos por ter esse desenho pouco usual de integrar áreas eminentemente técnicas com áreas mais de suporte, gestão e cultura”, afirma. “Além disso, além dos esforços contínuos para que essas diretrizes estejam presentes em todas as áreas como um jeito de pensar e agir, também temos profissionais dedicados a esses temas nas operações fabris, logísticas e comerciais”.

O gerente Institucional e de Desenvolvimento Sustentável salienta também que “como uma empresa de alimentos e bebidas, a base da nossa matéria-prima vem de um processo de cultivo e transformação que depende, essencialmente, dos recursos e serviços ambientais. Portanto, precisamos ter um olhar atento e uma atuação responsável e presente para a gestão ambiental em todos os elos da nossa cadeia de valor. Além de ser uma atitude ética e valiosa para a sociedade, é também uma atitude responsável com a sustentabilidade do próprio negócio. Afinal, nosso negócio é transformar os insumos cultivados na natureza em alimentos e bebidas de qualidade, seguros para o consumo, práticos, nutritivos e saborosos. Acreditamos que esse cuidado, de alguma forma, sempre esteve presente. Contudo, com o tempo, nos aprimoramos e ganhamos novas referências com a integração da Leão no Sistema Coca-Cola Brasil, que tem direcionamentos de sustentabilidade bem atuais e presentes a realidade da sociedade atual”, avalia.

Rangel partilha que a Leão Alimentos e Bebidas tem “uma agenda definida internamente que demos o nome de Plano Leão Sustentável 2022, onde definimos os principais campos de atuação com base em uma análise interna de materialidade e nas diretrizes de Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, uma vez que somos uma join venture formada pela Coca-Cola e seus fabricantes de bebidas no país. O primeiro plano foi feito em 2012 e foi trabalhado até 2017 com ênfase em 5 temas centrais: bem-estar, água, energia e clima, resíduos e cadeia de suprimentos. Alcançamos mais de 85% das metas definidas para esses primeiros 5 anos. Em 2018, realizamos uma revisão do plano para os próximos 5 anos e, buscando simplificar nossa atuação para que possamos ser mais efetivos, consolidamos o plano em 3 campos de atuação: pessoas, meio ambiente e agricultura. A partir dessa revisão, estamos priorizando nossos objetivos, metas, projeções e ações internas e externas”, esclarece.

De acordo com o gerente Institucional e de Desenvolvimento Sustentável, “em termos práticos, ao longo dos últimos 10 anos da Leão, temos alguns projetos e ações interessantes que podem ser destacados para materializar a nossa responsabilidade com a gestão ambiental das nossas operações e relacionamento externo. Nossa unidade de chás em Fazenda Rio Grande/PR inovou no conceito de construção sustentável e recebeu, em 2012, a certificação internacional LEED – Liderança em Energia e Design Ambiental. Inaugurada em 2009, essa fábrica foi a primeira do Brasil a conquistar a Certificação LEED, na categoria new construction, que atesta o nível de eficiência na utilização dos recursos naturais nos processos de edificação e endossa o atendimento a requisitos que privilegiam o uso eficiente de água, energia, conforto térmico, qualidade do ar e gestão dos resíduos. Planejada a partir dos conceitos de sustentabilidade, a unidade foi construída com materiais ecológicos, contando com aquecedor solar, telhado verde e com um sistema de reaproveitamento de água. Atualmente, outros fabricantes do Sistema Coca-Cola Brasil evoluíram também por esse caminho e já temos outras unidades fabris e logísticas no Sistema Coca-Cola Brasil construídas e operadas com base nas diretrizes de sustentabilidade do LEED e que também receberam a certificação. Nossa unidade de néctares, chás prontos para beber, energéticos e sucos que fica em Linhares, no norte do Espírito Santo, foi uma das primeiras do Sistema Coca-Cola Brasil a investir em um sistema de Osmose Reversa para tratamento dos efluentes industriais com objetivo de gerar água de reuso para abastecer o consumo das utilidades industriais, como torres de refrigeração e caldeiras. Nossa unidade de processamento de fruta em polpa Trop Frutas, também em Linhares/ES, além de garantir a compostagem de todo o resíduo orgânico que volta para produtores de frutas, ainda usa o efluente tratado como fertirrigação, evitando o envio do mesmo para corpos hídricos. Além disso, nossa unidade de beneficiamento de erva mate em Fernandes Pinheiro, no Paraná, também envia todo o resíduo orgânico como composto para os cultivos de erva mate na região. Assim como, a Leão Alimentos e Bebidas integra o arranjo institucional para recuperação florestal e produção de água na Microbacia do Barra Seca e Foz do Rio Doce, no norte do ES, com a meta de ampliar a cobertura florestal em 150 hectares nos próximos anos. O objetivo do programa Reflorestar é criar as condições favoráveis para aumento da oferta e reserva hídrica na região, em especial com um direcionamento voltado aos produtores rurais por meio de ações de restauração e conservação da vegetação nativa, desmatamento evitado e arranjos florestais de uso sustentáveis. Fruto de uma parceria público privada, o projeto conta com o apoio da Coca-Cola Brasil e articulação da Leão Alimentos e Bebidas com o Governo do Estado do Espírito Santo, TNC (The Nature Conservancy), IBIO e o Comitê de Bacias Barra Seca e Foz do Rio Doce. O investimento da Coca-Cola Brasil e da Leão Alimentos e Bebidas nesse projeto é de R$ 1 milhão”, revela.

Rangel enfatiza também o “projeto socioambiental Estação Sustentável, que, em 2018, bateu a marca de 1,5 tonelada de resíduos sólidos recolhidos em escolas municipais de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba/PR, e 1 tonelada em escolas municipais de Linhares. O Estação Sustentável promoveu neste ano uma série de atividades baseadas na Política Nacional de Resíduos Sólidos, incentivando o exercício da cidadania nas comunidades escolares municipais de ambas as cidades, localizadas no entorno de nossas unidades fabris. Em sua oitava edição, o projeto envolveu a adoção de métodos e processos participativos destinados ao desenvolvimento de competências e habilidades essenciais na capacitação de crianças e jovens, visando a formação de agentes multiplicadores que perpetuam boas práticas socioambientais em seus ciclos sociais, suas famílias, comunidades e as cidades”, conta o gerente, que informa que a marca também está desenvolvendo um “projeto ligado à agricultura sustentável em solo capixaba por meio de um projeto de irrigação eficiente em São Roque do Canaã/ES, que vem enfrentando muitas dificuldades em virtude da escassez hídrica na região. Foi um projeto-piloto que envolve 19 pequenos produtores rurais de goiaba, todos dentro do contexto de agricultura familiar, com pouca estrutura e apropriação tecnológica. Por meio da parceria entre a Leão e a start-up Agrosmart, as áreas desses produtores receberam a instalação de sensores de solo e uma estação meteorológica, que capturam as informações mais relevantes do microclima local, como velocidade do vento, temperatura, nível de umidade do ar e do solo e níveis pluviométricos em tempo real. A precisão do monitoramento permite que os produtores façam o uso mais eficiente da água, energia e outros insumos, gerando tanto ganhos na utilização racional de recursos naturais, como no ganho de eficiência, produtividade, custo e, consequentemente, rentabilidade. Os cerca de R$ 300 mil necessários para o projeto foram investidos pela empresa. Essa iniciativa recebeu o Troféu Planeta, premiação do Instituto Coca-Cola Brasil para incentivar ações de gestão em responsabilidade social no Sistema Coca-Cola Brasil”.

Ranger afirma ainda que “vale destacar o Prêmio Distribuidor de Valor, uma iniciativa de reconhecimento de melhores práticas de sustentabilidade, com foco nos temas de Meio Ambiente, Comunidades e Público Interno, realizadas pelos nossos distribuidores comerciais da Linha Seca (chás para infusão) que estão espalhados no território nacional”, relata. “Essa foi uma forma criativa que encontramos de estimular a incorporação das diretrizes de sustentabilidade nas quais acreditamos ao longo de toda a cadeia de valor da Leão, indo do campo ao ponto de venda”, salienta.

Já sobre os investimentos da Leão Alimentos e Bebidas nos cuidados com o meio ambiente, Rangel relata que “ano a ano, realizamos diversos investimentos com impactos diretos e indiretos sobre nossas performances ambientais, seja em melhoria contínua ou projetos que mudam o ‘status quo’ e o patamar de operação, como foi o caso do sistema de Osmose Reversa, que, ao longo dos últimos anos, teve investimentos acima de R$ 5 milhões com objetivo de aumentar o nível de reuso de água a partir dos efluentes tratados, reduzir o consumo de água e do descarte de efluentes em corpos hídricos”, exemplifica.

FEMSA
De acordo com Gilberto Carlos de Sousa, gerente corporativo de Qualidade, Meio Ambiente e Segurança do Trabalho da Coca-Cola FEMSA Brasil, a companhia cuida e preserva o meio ambiente. “Essa postura surgiu com os valores da empresa de sustentabilidade e de preservar os recursos para as futuras gerações, gerando impactos positivos nas comunidades onde atua. Hoje, o uso eficiente da água é um dos principais compromissos da Coca-Cola FEMSA. Por isso, a empresa conduz e participa de iniciativas de preservação dos recursos hídricos e vem trabalhando para reduzir o volume de água por litro de bebida produzido, diminuindo o consumo e a perda nas fábricas. No Brasil, retornamos ao meio ambiente 100% do volume excedente da água que usamos em nossa produção. Nossas unidades de Jundiaí e Bauru, interior de São Paulo, são exemplos de eficiência, alcançando a média de 1,37 litros de água para cada litro de bebida produzido. A meta é que todas as fábricas atinjam no mínimo 1,45 litros de água por litro de bebida produzida. Das 48 unidades de produção da Coca-Cola FEMSA no mundo, a fábrica de Itabirito, Minas Gerais, marcou um novo nível de eficiência e produtividade, pois seguiu normas de construção, infraestrutura e operação sustentáveis, sendo considerada uma planta verde”, detalha.

Gilberto-de-Sousa
“O uso eficiente da água é um dos principais compromissos da Coca-Cola FEMSA”, afirma Gilberto Carlos de Sousa, gerente corporativo de Qualidade, Meio Ambiente e Segurança do Trabalho da Coca-Cola FEMSA Brasil

Segundo o gerente corporativo de Qualidade, Meio Ambiente e Segurança do Trabalho, “outro foco da Coca Cola FEMSA é em relação ao resíduo e o uso sustentável de insumos por meio do Programa World Without Waste. Para o uso eficiente de insumos, por exemplo, foram desenvolvidas embalagens mais leves e que exigem menos matéria-prima, além da adoção da utilização de resina reciclada nas pré-formas que contribuem para a cadeia de economia circular das garrafas de PET. O crescimento do uso de embalagens retornáveis é um elemento importante na estratégia de redução de resíduos. As ações de reuso de embalagens têm como objetivo dobrar, em cinco anos (2016-2020), a participação de retornáveis no portfólio, chegando a 30%. Esse formato oferece ao consumidor uma opção mais acessível e sustentável, uma vez que cada garrafa é reutilizada até 25 vezes. Tínhamos como meta para 2020 reciclar 90% dos resíduos gerados. Hoje, já ultrapassamos essa meta. Em 2018, reciclamos internamente 92,84% desses resíduos. Para esse resultado, a Coca-Cola FEMSA Brasil investe no desenvolvimento da cadeia de reciclagem, impulsionando por um lado novas tecnologias e opções sustentáveis de destinações, além de ações de logística reversa, incluindo o apoio a cooperativas de catadores de materiais recicláveis. E, por outro, auxilia na conscientização da população e de funcionários quanto à importância da reciclagem”, avalia.

Mas a atuação da FEMSA em relação ao cuidado com o meio ambiente não para por aí. Também de acordo com Sousa, “no Brasil, além das ações recorrentes já citadas, podemos destacar projetos como o Geração + Verde, resultado de uma parceria entre Coca-Cola Brasil, SOS Mata Atlântica e Prefeitura de São Paulo, que faz parte do eixo do programa Água+. O objetivo é contribuir para a estabilidade climática e a segurança hídrica na cidade de São Paulo com a recuperação de bacias hidrográficas e o restauro florestal por meio do plantio de 600 mil mudas na cidade de São Paulo e regiões de mananciais que abastecem a cidade até 2020. A Coca-Cola FEMSA Brasil também apoia a ação ‘Minha Galera Faz Eco’ – programa pedagógico de educação ambiental em formato de competição interescolar que tem como objetivo despertar a consciência sobre conteúdos de sustentabilidade e fomentar ideias que contribuam na preservação do meio ambiente entre os alunos das escolas das cidades de Brumadinho, Moeda e Itabirito, em Minas Gerais. O programa atende, em média, 23 escolas e 670 alunos por edição. O Reciclar pelo Brasil, projeto em parceria com Coca-Cola Brasil e AMBEV, tem como objetivo empoderar e profissionalizar cooperativas de reciclagem e fortalecer sua inserção na cadeia formal, gerando mais eficiência, trabalho em rede, renda justa e ambiente digno aos catadores. Foi lançado em 2017, com base no aprendizado obtido em 12 anos de trabalho com reciclagem do Instituto Coca-Cola Brasil, juntamente com informações de um processo de mapeamento e avaliação de cooperativas de catadores por todo o país”, acrescenta.

Para o gerente corporativo de Qualidade, Meio Ambiente e Segurança do Trabalho, investir no cuidado com o meio ambiente vale a pena. “Na Coca-Cola FEMSA Brasil, investir em ações que promovam a preservação e a conscientização ambiental é compromisso. É investimento na construção de um legado responsável que a empresa deixa para toda a comunidade, colaboradores e familiares do entorno das suas fábricas. A Coca-Cola FEMSA Brasil tem como valor a preservação do meio ambiente e o foco em sustentabilidade”, frisa. “Cuidar do meio ambiente é garantir que futuras gerações tenham a possibilidade de usufruir dos recursos e encontrem um ecossistema melhor do que o que temos hoje. Nosso negócio e nossas iniciativas são alinhados a meio ambiente, estilo de vida saudável e desenvolvimento comunitário”, afirma.

Danone
A Danone, empresa multinacional de capital aberto de produtos alimentares com sede em Paris, na França, e com forte atuação no Brasil, é outra organização que, há um bom tempo, tem o cuidado com o meio ambiente como uma das suas premissas. Ligia Camargo, head de Comunicação e Sustentabilidade da marca, relata que “a importância que a Danone dá para o impacto social faz parte da essência da companhia. Desde a década de 70, a empresa tem como DNA o que chamamos de ‘Projeto Duplo’, que estabelece um modelo de negócio que promove o sucesso econômico vinculado ao progresso social. Em 2007, definiu sua missão de levar saúde por meio da alimentação ao maior número de pessoas. A empresa busca promover impacto positivo em todos os ciclos nos quais atua. Para trazer vida à essa missão, a companhia publicou, no mesmo ano, o ‘Manifesto Danone’, que convida toda a sociedade a promover uma revolução alimentar, expandindo o olhar da alimentação como ferramenta de transformação positiva na sociedade em todos os elos do ciclo de vida. E tudo isso por meio de escolhas mais saudáveis. A Danone, por meio de seu portfólio, oferece produtos que colaboram com escolhas mais saudáveis, assim como também trabalha para que o ciclo de vida desses produtos impacte, de maneira positiva, toda a cadeia produtiva. As iniciativas na rede de suprimentos visam a redução de impactos de CO2, água e resíduos, além de globalmente responder a ciclos estratégicos de alimentação e embalagens, que são assuntos prioritários na gestão da empresa. Além disso, a Danone se comprometeu em se tornar mundialmente uma B Corp até 2030. Hoje, oito entidades dentro da Danone, em países como Espanha e Estados Unidos, já são certificadas como B Corp, representando aproximadamente 30% dos negócios globais da empresa. Isso faz da Danone a maior empresa B do mundo”, ressalta.

Conforme Camargo, as ações que a Danone desenvolve em relação ao cuidado com o meio ambiente são totalmente alinhadas aos valores da companhia, sendo que, no Brasil, a empresa tem três programas em destaque, que são o Kiteiras, Novo Ciclo e Caruanas. Os três “entregam sustentabilidade do ponto de vista de meio ambiente, inovação social, geração de emprego e renda, desenvolvimento de habilidades e empreendedorismo. O Kiteiras é um programa de vendas porta a porta com foco no desenvolvimento do empreendedorismo para mulheres e homens de comunidades menos favorecidas. Atualmente, mais de 179 mil famílias têm acesso a produtos mais saudáveis e a venda ocorre em parceria com microdistribuidores que compram os produtos da Danone, separam em kits e vendem para as ‘Kiteiras’. Essas vendas nas comunidades são realizadas por meio de um catálogo com kits de produtos. O Novo Ciclo é um programa de reciclagem que tem como ambição recuperar, até o fim de 2019, 100% do material reciclável que a Danone lança no mercado por meio de implantação de sistemas de reciclagem inclusivos. O modelo do projeto objetiva o incentivo à capacitação profissional, à mudança de comportamento social e ao desenvolvimento da economia circular e, atualmente, recicla 78% do material recolhido. Em 2018, foram recicladas 42 mil toneladas de materiais. E o Caruanas é um projeto com foco na proteção e preservação da água por meio da promoção de agricultura orgânica familiar, contribuição para a preservação da bacia hidrográfica da região de Tinguá e uso sustentável da terra. O projeto foi fundado em fevereiro de 2018”, apresenta.

Por fim, Camargo frisa que, “para a Danone, cuidar do meio ambiente está diretamente relacionado com a melhora da qualidade de vida das pessoas. Como somos uma empresa direcionada para a saúde, não há como não caminharmos unindo essas duas frentes”, diz.

Leão Alimentos e Bebidas
www.leaoalimentosebebidas.com.br
Danone
www.danone.com.br
Coca-Cola Femsa
www.coca-colafemsa.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco × quatro =