Sopa de letras

0

O s apaixonados por comida podem comemorar, pois a gastronomia e a culinária ganham cada vez mais espaço nas mídias impressas. A presença desses setores já era consolidada em programas de televisão e ganhou muitos adeptos em canais na internet, mas agora é possível ver também o crescimento da venda dos livros especializados. Alguns deles estão até mesmo entre os best-sellers; o mercado está aquecido.

A procura por livros de culinária e gastronomia pelo público em geral deve-se a diversos fatores – a maior relevância mundial dos chefs brasileiros e os novos chefs midiáticos são os principais, seguidos pelo aumento da divulgação da culinária pelas celebridades, popularização dos livros em diversos blogs especializados, aumento de canais na TV paga especializados em culinária/gastronomia, abertura de novos cursos técnicos, universitários e livres, eventos gastronômicos e preços mais competitivos em relação a outros temas.

A Editora SENAC, uma das mais conceituadas na publicação desse tema, confirma o crescimento do setor. Ao longo de 2014, serão cerca de 21 publicações lançadas. A Editora participa dos principais eventos e feiras de Gastronomia e observa o quanto a procura pelos títulos é grande. Segundo o ranking de vendas divulgado pela SENAC, o livro “Panelinha”, de Rita Lobos, foi o mais comprado entre o público geral e conta com 9318 exemplares vendidos, tornando-se o mais vendido no segmento.
Já os consumidores especializados – estudantes de gastronomia, chefs, donos de restaurantes – compraram mais os livros “Chef Profissional”, do Instituto Americano de Culinária, que teve 3488 exemplares vendidos; “Técnica de Confeitaria Profissional”, com 2119 exemplares vendidos e “Técnicas de Cozinha Profissional”, ambos da mesma autora, Mariana G. Sebess, sendo que este último teve 2001 exemplares vendidos. Dos campeões de 2013, “Ceviche – Do Pacífico para o mundo” liderou as vendas com 1496 exemplares vendidos. O livro ensina a história do prato e como ele é preparado em diversos países – o Chef Dagoberto Torres e a jornalista Patrícia Moll são os autores.

O empreendedorismo e o food service também são ressaltados nos livros de culinária. Há diversas opções de título como “Acessibilidade – Orientações para bares, restaurantes e pousadas”, de Cybele Monteiro de Barros,“Tecnologias gerenciais de restaurantes”, de Marcelo Traldi Fonseca, e “Como montar e administrar bares e restaurantes”, de Percival Menon Maricato. Ele fundou e presidiu a antiga Associação dos Bares e Restaurantes Diferenciados (Abredi), que logo depois tornou-se a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, seccional São Paulo (Abrasel-SP).

Quer que desenhe? Para quem precisa muito aprender a cozinhar

O blog de receitas e notícias de culinária ‘Mixidão’ começou em 2010, quando o publicitário Daniel Coelho, que nunca conseguiu decorar as receitas e ainda perdia as anotações que fazia em papéis, decidiu colocar na internet todas as suas experiências na cozinha.

No início, ele postava as receitas com o método convencional. Um ano depois, ele inovou e usou o seu talento com desenho para criar as receitas ilustradas, um modo de facilitar o entendimento dos passos para realizar a receita.
No fim de 2013, o livro “Quer que desenhe?”, uma produção do Mixidão, foi lançado. Nele estão reunidas algumas das receitas ilustradas do blog. Essa foi a primeira edição do livro, mas Coelho pretende lançar outras. Ele lembra que todas as receitas publicadas no blog são testadas antes. “Depois disso, começo a buscar referências para ilustrar”, completa. Para que não haja nenhum tipo de erro, os posts são revisados por mais duas pessoas. Todos os processos de criação, produção e conferência duram cerca de quatro dias.

O publicitário comenta que o público do Mixidão são, geralmente, pessoas que tinham preguiça ou medo de cozinhar, por achar chato ou muito difícil. “As pessoas conseguem visualizar os passos antes de começar a receita e percebem que, muitas vezes, cozinhar não é tão difícil quanto parece. Esse entendimento prévio dos passos necessários para finalizar uma receita é um dos maiores trunfos do blog”, diz.

O trabalho para produzir um livro é grande e o custo de produção pode ser alto. Coelho frisa que, para quem está começando e não quer arriscar um investimento alto, uma dica é começar pelos Ebooks, com uma produção bem mais barata, e há sites que vão ajudar na rentabilidade do projeto.

Com resultados tão positivos nas vendas e nos comentários dos leitores, Coelho tem certeza de que o esforço vale a pena. “Você pode consultar o livro quando estiver em busca de uma ideia para o jantar ou mostrá-lo para amigos. É um produto diferente e pode ser um excelente presente. A busca por uma receita em um livro é mais linear. Para incentivar um pouco, existe aquele famoso ditado que diz que para a vida de alguém ser completa é preciso plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho. Então, tire seu sonho da caixa e comece a produzir” finaliza.

Temperando a produção com novos temas

Para começar bem o ano de 2014, a aposta das duas pós-graduadas no curso de Gastronomia: História e Cultura do Senac, Mariane Lorente e Laura Salaberry, que lançaram juntas o livro “Cozinha Pop”, pela editora Panda Books. Trata-se de um livro que reúne as cem melhores cenas gastronômicas do cinema e dos seriados de TV, acompanhadas de mais de 60 receitas.

Laura Salaberry conta que a empatia que levou as duas a fazerem a parceria aconteceu por causa de uma piada presente no seriado de sucesso da TV norte-americana Seinfeld, que envolvia a alimentação. Ao longo do curso, as duas perceberam que os interesses de ambas iam além da cozinha. “Juntar comida e cultura pop foi, inevitavelmente, a nossa escolha.” diz ela.

A produção do livro funcionou da seguinte forma: as duas escolheram os filmes e séries que entraram, Laura, que é designer, fez o projeto gráfico e Mariane, que é jornalista, ficou responsável pelo texto. Laura explica que, inicialmente, o projeto era fazer um almanaque para registrar as muitas cenas gastronômicas do cinema e da TV. “Depois, quando apresentamos a ideia para a Panda Books, veio o pedido para a inclusão de receitas – e nós chamamos a nossa amiga Márcia Brandão de Lima para fazer a consultoria gastronômica. A partir daí, fazer o livro ficou ainda mais gostoso, literalmente, porque fomos descobrindo e testando as receitas durante o processo de produção. Foi também nas conversas com a editora que decidimos estabelecer o número de cenas que entraria no livro”.

A expectativa de agradar o público é grande por parte das autoras, já que cada vez mais os consumidores são atraídos pelo tema gastronomia. Um dos fatores que garantem o sucesso das vendas é o aumento do nível gráfico das publicações, que sempre atrai os leitores. Seguindo esse pensamento, o conselho de Laura para quem buscar publicar um livro é “buscar um gancho original para falar de comida, ou seja, fazer alguma relação diferente e inusitada entre gastronomia e outro tema específico. E fazer um livro bem bonito, que chame a atenção na forma e no conteúdo”.

A Panda Books afirmou, por meio de sua diretora de projetos especiais, Tatiana Fulas, que o mercado de livros de gastronomia cresceu muito nos últimos anos. “Este é um nicho em forte expansão”. Em 2013, a editora lançou três títulos: “O livro do Pudim”, de Daniela Aliperti; “Quem comer tudo ganha sobremesa”, de Bia Forte, e “Loucuras de Chocolate”, de Simone Izumi.

Tatiana compara os livros de culinária a obras de arte. “As produções são bem cuidadas, em capa dura, e com fotos de dar água na boca. Além disso, as pessoas estão mais preocupadas com a saúde e a alimentação, em compreender os benefícios de certos alimentos, e de aprender a cozinhar – há vários programas de TV culinários. E nada melhor do que reunir a família e os amigos em volta de uma mesa com boa comida”, diz.

Até o final do ano, além de lançar o “Cozinha Pop”, está confirmado outro lançamento no segundo semestre, “O livro do Quindim”, de Cátia Lafonte. O empreendedorismo no setor gastronômico também é tema de diversos livros e, para acompanhar o mercado, a Panda Books tem um projeto de publicação em andamento, mas ainda sem data certa para publicação.

Um lugar só para a gastronomia

O fotógrafo, jornalista, chef e autor de diversos títulos sobre gastronomia, André Boccato, é a prova de como o setor está ganhando força, com a abertura de uma livraria especializada. A Livraria Mundo Gourmet fica na Rua Augusta, em São Paulo, e é principalmente frequentada por turistas de outras cidades do Brasil.

O plano de Boccato para 2014 é reestruturar as vendas da livraria para ampliar a competitividade com as demais. Ele acredita que a Mundo Gourmet tem que ter um diferencial.“Iremos oferecer livros que só nós teremos”.

A vontade de abrir uma livraria especializada foi “um ímpeto de quem ama livros e quer ver o mundo cheio deles”, diz Boccato. A venda dos livro é rentável e ele acredita que a internet não será prejudicial para o segmento. “O livro como objeto sempre existirá, jamais sairá da condição de objeto portável, manuseável , decorativo até e, sobretudo, nos dá imenso prazer de apenas olhar para belos livros. Essa sensação não teremos nunca com computadores”.

Cozinha Pop
www.facebook.com/livrocozinhapop
Livraria Mundo Gourmet
www.livrariagourmet.com.br
Mixidão
mixidao.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco + 2 =