Solução para a sede de ganhos

0

A água mineral envasada é uma das opções atuais no consumo de água. Ela é vendida em embalagens de plástico, geralmente contendo entre 200ml e 20 litros. A venda do produto aumenta a cada ano. Segundo dados do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e da Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam), a estimativa de produção/consumo desse produto em 2013 foi de 10,781 bilhões de litros, o que representa um aumento de pouco mais de 85% em relação a 1995, quando a quantia era de 1,553 bilhão de litros.

O número de produtoras de água mineral no Brasil em 2011, último ano em que o dado foi contabilizado, era de 589 empresas, correspondentes a produção de 422 marcas. A geração de empregos diretos naquele ano foi de 40 mil pessoas, e a principal envasadora do período foi o Grupo Edson Queiroz, com as marcas Indaiá e Minalba.

Em 2012, a água mineral foi eleita a 2ª categoria de bebidas com maior crescimento, atrás apenas do suco pronto. Em 2013, entre janeiro e junho, as vendas foram de R$ 21,56 bilhões e cresceram 14,8% em relação ao 1º semestre de 2012. Já o volume vendido aumentou 10,2%, para 1,82 bilhão de litros.

A produção e distribuição da água mineral possui diversos desafios, entre eles a pesquisa mineral – uma busca pela água de qualidade e quantidade, cujas características possibilitem que a mesma seja classificada como água mineral. Para ser considerada água mineral no Código de Águas Minerais Brasileiro, ela deve ser proveniente de fontes naturais ou de fontes artificialmente captadas e devem possuir composição química ou propriedades físico-químicas distintas das águas comuns, com características que lhes confiram uma ação medicamentosa. Caso isso não ocorra, elas serão denominadas “águas potáveis de mesa”, ou seja, águas de composição normal que preencham as condições de potabilidade para a região.

Definida como mineral, a exploração de uma fonte de água, bem como sua industrialização, depende de uma concessão, que será dada desde que a empresa cumpra as regulamentações. Os padrões de consumo estão mudando, a evolução nas regras dos órgãos ambientais, nas instalação do parque fabril e na distribuição são algumas das características da mudança.

Tecnologias e serviço a favor da produção

A empresa Indaiá tem 21 fontes distribuídas em 15 estados do Brasil. A água é obtida diretamente de fontes naturais (surgências) ou por extração de águas subterrâneas. As fontes são constituídas em áreas de preservação ambiental. Segundo o Gerente Nacional Industrial da marca, Francisco Sales, o processo realizado é totalmente automatizado; não acontece nenhum contato com a água que está sendo extraída.

A produção segue um fluxo: extração; filtração; armazenamento em tanques de aço inox; filtração novamente; envase; tamponamento; rotulagem; inspeção e expedição.

Entre os processos, a empresa segue diversos parâmetros de qualidade estabelecidos pelos órgãos fiscalizadores: o Ministério da Saúde, Ministério de Minas e Energia, por meio do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), e a Anvisa. “São realizadas periodicamente análises físico-químicas, químicas e microbiológicas das fontes e do produto acabado em nossos laboratórios de autocontrole e em laboratórios externos acreditados”, explica Sales sobre como a empresa garante a qualidade dos produtos.

A Indaiá investe ainda em novas tecnologias de alta performance e em automação industrial com o objetivo de melhorar a eficiência desses processos. De acordo com Sales, “a automação é uma aliada na garantia do cumprimento dos padrões estabelecidos para o processo/produto. Ela nos permite detectar e corrigir com rapidez desvios que possam ocorrer durante o processo”.
O food service representa cerca de 46% dos negócios da Indaiá e é um mercado que Sales garante possuir necessidades distintas, como a qualidade do serviço, que tem um impacto tão decisivo na escolha quanto a qualidade do próprio produto. Nos últimos anos, a marca registrou crescimento médio de dois dígitos e, em 2014, a expectativa é de manter esse crescimento.

A importância do saneamento aplicado

A Lindoya Verão está na produção de água envasada desde os anos 1960, presente principalmente na região Sudeste e parcialmente nas regiões Sul e Centro-Oeste. Durante o primeiro processo da produção, a água é captada do subsolo por meio de uma bomba e de tubulações feitas em aço inoxidável, e dentro de uma área de proteção que deve ser pavimentada, mantida limpa e livre de focos de insalubridade. Um sistema de drenagem de águas pluviais também é feito no local para impedir a infiltração de contaminantes, tudo de modo a não comprometer a qualidade sanitária da água mineral natural.

A marca produz também as próprias embalagens que são armazenadas em silos vedados, ficando, assim, totalmente isoladas do ambiente externo. Elas saem do isolamento somente após rinsagem – desinfetação -, envase e tapamento das mesmas, seguindo rigorosamente as normas e requisitos de Boas Práticas de Fabricação, Procedimentos e APPCC – Análises de Perigos e Pontos Críticos de Controle.

Todo o processo é inspecionado e aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral) e NSF (National Sanitation Foundation), a maior Empresa Certificadora de Qualidade de Águas Minerais do mundo, além de um laboratório nas mediações da Lindoya.

Hoje, cerca de 50% do faturamento da Lindoya é proveniente do food service, mas a tendência para o futuro é de 60%. Simone Zanqueta Martauro, Supervisora de Controle de Qualidade, afirma que a produção deve ser cuidadosamente inspecionada. “Devemos permanecer perpetuando na segurança da saúde de nossos consumidores, garantir sempre a qualidade e tradição da empresa e produtos, continuar com os investimentos em tecnologias que assegurem modernização, praticidade, higiene e segurança”.
O crescimento da empresa no ano passado foi de 10%. Nesse ano, a expectativa é que ele seja maior, por volta de 15%, tudo embasado nas novas práticas da marca, como o lançamento nacional do produto dermo-cosmético Água Thermal, um spray de água indicado para o cuidado da pele.

Inovação e certificação nos filtros que distribuem água

Além de envasada, a água pode chegar ao consumidor de outras maneiras, uma delas é o filtro purificador. Uma das marcas pioneiras no segmento, a Europa aplica seu desenvolvimento tecnológico em filtros há 30 anos, para atender as diferentes demandas técnicas existentes no estados do Brasil. As vendas e locações dos Filtros de Entrada e Purificadores de Água junto aos clientes do segmento food service somam, hoje, 21%.

As muitas concessionárias do serviço público de abastecimento de água possuem pressões hidráulicas diferentes e, segundo Manuella Curti de Souza, sócia e diretora-geral do Grupo Europa, raramente mais altas que o recomendado e, geralmente, abaixo do ideal. Além da produção, a distribuição também é desafiadora, alguns dos fatores citados por Manuella são: atendimento ao regime tributário e o controle do custo de venda associado à manutenção de uma rede exclusiva.

O parque fabril da empresa inclui um laboratório de análises físico-químicas e microbiológicas equipado para realizar ensaios tanto dos elementos filtrantes quanto do desempenho dos produtos acabados. Investir em novas tendências é a aposta da empresa para se adaptar às necessidades atuais de consumo. “Para manter a liderança no mercado, isso é bastante importante. A tendência atual, por exemplo, aponta para purificadores coloridos, muito procurados pelo público jovem. O Bliss, lançado no ano passado, está disponível em seis cores e já é um sucesso de vendas. Outro produto que tem agradado é o Da Vinci, principalmente por ser compacto e possibilitar que o sistema de refrigeração seja instalado em local separado, como na área de serviço ou embaixo da pia. O Grupo Europa investe constantemente na criação de novos produtos e na modernização das unidades fabris”, diz Manuella.

A fábrica possui a certificação que garante um sistema de normas e procedimentos voltados para a qualidade máxima, a ISO 9001, desde 2003, e a empresa alcança todas as regiões do Brasil, por meio de uma extensa rede de distribuidores e revendedores exclusivos, que contam com mais de 600 pontos de venda e atendimento.

Europa
www.europa.com.br
Indaiá/Minalba
www.minalba.com.br
Lindoya
www.lindoyaverao.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezoito − 11 =