Serviços: O brilho das tarteletes

0
O Brilho das Tarteletes

Iguaria se destaca pela diversidade de sabores e contribui para haver menos desperdício nas cozinhas

Aproximadamente 18% da população brasileira consome alimentos doces, como sorvetes, bolos e chocolates durante cinco ou mais dias da semana, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde há cinco anos. O mesmo estudo aponta, ainda, que os alimentos doces, como algumas tortas, estão mais presentes nas refeições das mulheres.

Nesse cenário, as tarteletes, tortas francesas em tamanho individual, conquistaram os brasileiros e marcam presença no mercado nacional food service. Mariana Correa da Cunha é chef pâtissière formada pela Le Cordon Bleu Paris, na França, e proprietária da La Parisserie, localizada em Belo Horizonte, Minas Gerais. Ela afirma que as tarteletes se destacam no setor de alimentação fora do lar devido à diversidade de sabores e saída, sem desperdício para o empresário que trabalha com o produto.

Mariana Correa da Cunha,
“Seu apelo comercial deve-se, principalmente, à ideia de consumo individual e à opção de poder degustar mais de um sabor”, diz Mariana Correa da Cunha, proprietária da La Parisserie

“Seu apelo comercial deve-se, principalmente, à ideia de consumo individual e à opção de poder degustar mais de um sabor, algo que não seria possível com uma torta grande inteira. Para cafeterias e confeitarias, pode ser também mais interessante que a venda por fatias, por exemplo, já que uma torta partida tem vida de vitrine menor, podendo não ser vendida por inteiro em um dia, o que pode ocasionar desperdícios. Enquanto que as tarteletes podem ser feitas e recheadas diariamente em pequena quantidade, de acordo com a saída”, detalha.

A chef Cunha explica que as “tarteletes são feitas com base de uma massa amanteigada e quebradiça, recheadas, no caso das opções doces, com cremes diversos, como patissier, ganaches, curds, amêndoas e frutas”. Além disso, ela ressalta que, para ter sucesso com a comercialização de tarteletes, é preciso ter atenção a alguns fatores que fazem toda a diferença.

“Primeiramente, a utilização de bons ingredientes, frutas frescas e sazonais, quando for o caso. Assim como, o uso correto das técnicas para confecção das massas, que devem ficar leves, quebradiças e desmanchar na boca. Harmonia entre os sabores e texturas escolhidos e uso consciente do açúcar, que deve atuar como um realçador de sabor. As tarteletes sempre devem ser servidas o mais frescas possível”, recomenda a profissional.

A marca Ofner trabalha com tarteletes desde 1952, ano de sua fundação. De acordo com Alexandre da Costa, diretor-executivo da empresa, “as tarteletes são preparadas com uma massa exclusivamente artesanal, com uso de manteiga em sua formulação, garantindo qualidade e leveza”.

O profissional conta que a Ofner oferece uma receita inovadora de tartelete, que é uma de limão chamada Due Citron. “Sua principal e única característica é a união da base de um creme de limão siciliano com uma mousse de limão thaiti. Esse produto é considerado inovador, pois, quando comparado ao mercado que somente utiliza um tipo de limão, a Ofner garante dois sabores e uma consistência distinta”, salienta.

Atualmente, a Ofner produz tarteletes de morango, a carro-chefe, tarte tatin e as de limão. Conforme Costa, a comercialização desses itens representa 26,5% na categoria de doces da empresa.

As tarteletes também estão presentes no cardápio da Momo Confeitaria, fundada em 1989 pelo casal Eugênia Procópio e Marcelo Guerra e que, atualmente, possui três lojas na capital mineira, onde é possível encontrar tortas, doces, salgados, buffet self-service, pratos à la carte e pizzas.

“A Momo Confeitaria trabalha com ingredientes selecionados, sem nenhum conservante, o que acreditamos ser o diferencial da marca. Hoje, possuímos na Momo as tarteletes de morango, limão, banana, chocolate e amêndoas”, diz Eugênia Procópio.

Eugênia Procópio,
As tarteletes são doces que podem ser servidos em coquetéis, aniversários, casamentos, eventos em geral”, indica Eugênia Procópio, fundadora da Momo Confeitaria

Segundo a empresária, as tarteletes nos sabores morango, limão e banana são vendidas em todas as lojas da Momo. A empresa também oferta uma versão coquetel da iguaria para festas e eventos nos sabores morango, limão, banana, chocolate e amêndoas.

“É uma sobremesa popular e democrática, que circula em qualquer público. É um doce cosmopolita que pode ser encontrado em qualquer parte do mundo, sempre agradando uma gama enorme de clientes, o que torna o item um produto de boa aceitação e alto giro”, garante Procópio.

Origem

As tarteletes foram criadas na França, em meados dos anos 1970. Nessa época, um famoso chef de cozinha teria recebido o pedido inusitado da realeza de preparar minitortas de frutas francesas para serem servidas, individualmente, a cada convidado em uma festa de gala. Assim, o pedido teria sido atendido, dando origem a essa iguaria chamada tartelete ou tortelete, como também é conhecida no Brasil.

Inicialmente, as tarteletes eram mais servidas em recepções de casamentos e coquetéis. No entanto, hoje em dia, a iguaria já caiu no gosto popular e é degustada até em festas infantis. Além disso, a receita original francesa acabou passando por algumas modificações ao longo do tempo, principalmente, em relação ao sabores, que ganharam aquele toque brasileiro, como versões salgadas, por exemplo.

Fonte de renda

Daniela de Barros Ferreira, funcionária pública estadual em São José dos Campos, em São Paulo, não só faz parte do expressivo grupo de brasileiros que ‘adotaram’ as tarteletes francesas, como também fez da receita uma nova fonte de renda para sua família.

Há cerca de um ano, Ferreira começou a fazer tarteletes e a vender o produto, sendo que, atualmente, faz, em média, duas mil unidades por mês. “Poderia ser bem mais, mas, como tenho meu trabalho fixo, não consigo produzir e me dedicar 100% como gostaria. Tenho uma irmã que trabalha com decoração de festas infantis e ela sempre perguntava se eu não queria fazer os doces que as clientes dela pediam. A princípio, não chamou minha atenção, pois sempre gostei de preparar coisas diferentes e não só o que as clientes dela pediam. Mas fui em um chá de panela de uma amiga e, na ocasião, levei umas tortinhas de maçã que fizeram muito sucesso. Tanto que uma pessoa que estava no evento me perguntou se eu não fazia para vender. Foi aí que comecei a pesquisar sobre o assunto e cheguei nas tarteletes, nascendo, assim, a Dani Tarteletes”, conta.

Ferreira partilha ainda que fez muitos testes até chegar à receita ideal que utiliza hoje. “A massa da tartelete deve ser leve e crocante, sem esfarelar, o que, geralmente, acontece com esse tipo de massa. Consegui chegar a uma receita que atende a esses requisitos e, mesmo sendo congelada, não perde a crocância. O recheio deve ser leve e cremoso, sem passar umidade para a massa. Além disso, a massa é moldada uma a uma e, para isso, conto com a ajuda da minha filha Talitha, de 12 anos. Sou uma pequena empreendedora doméstica em constante aprendizado. Amo o que faço. Cada tartelete é produzida com muito amor e dedicação. E, a cada encomenda entregue, faço como se fosse a minha primeira”, salienta.

Outra brasileira que viu nas tarteletes francesas uma chance de ter uma renda é a doceira Jorseline Fernanda, proprietária da Doçuras e Gostosuras Shalom, que fica na cidade do Rio de Janeiro. “Eu comecei a fazer tarteletes porque eu e meu marido ficamos desempregados e temos dois filhos para criar. Quem me ensinou a receita foi uma amiga natural de Manaus, onde morei por quatro anos”.

Fernanda faz tarteletes nos sabores de chocolate, beijinho, morango, maracujá, limão, chocolate com morango, romeu e julieta, frango com catupiry e quatro queijos. “As que mais vendo são as de beijinho e frango com catupiry”, diz.

La Parisserie
www.laparisserie.com.br

Ofner
www.ofner.com.br

Momo Confeitaria
www.momoconfeitaria.com.br

Dani Tarteletes
www.facebook.com/dani.tarteletes

Jorseline Fernanda
www.facebook.com/jorselinecastro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

20 − 11 =