Sempre presentes

0
Sempre presentes

Alta procura do público consumidor e boa margem de lucro são algumas das características que fazem das balas e dos chicletes uma boa fonte de investimento para os estabelecimentos do food service

Doces, balas, chicletes, pirulitos, entre outros produtos do tipo, representam uma parte significativa do faturamento dos estabelecimentos de alimentação fora do lar.

Mangélio Costa, diretor comercial da Dadinho, empresa fundada em 1954 no estado de São Paulo e que produz itens como paçocas, cremes e chocolates, fala sobre a situação do mercado de doces com a pandemia e o processo de recuperação.

Sempre presentes
“Os doces industrializados comercializados em bares e restaurantes normalmente entram na condição de sobremesa rápida, vendidas ao lado do caixa. Esse processo atende ao consumidor que ao pagar a conta sai com um doce que pode ser consumido em dose única”, diz Mangélio Costa, diretor comercial da Dadinho

“O mercado de doces foi um dos que mais sofreram nos últimos quase dois anos de pandemia. Os pontos de venda especializados nessa categoria permaneceram com as portas fechadas por decisões das autoridades por um tempo mais longo que vários outros segmentos. Enquanto supermercados e farmácias funcionavam e viam suas vendas crescerem, os doceiros permaneciam com as portas fechadas. Isso levou a uma forte retração nas vendas desde março/20 até julho/21 no canal. Mas essa queda foi compensada parcialmente pelo varejo tradicional. Desde então as vendas vêm se retomando gradualmente à medida em que a economia se abre, uma vez que parte do volume desse segmento é feita por vendedores ambulantes”, afirma.

Para ele, o perfil de sobremesa rápida desses produtos acaba sendo um “casamento perfeito” com locais que servem refeições. “Os doces industrializados comercializados em bares e restaurantes normalmente entram na condição de sobremesa rápida, vendidas ao lado do caixa. Esse processo atende ao consumidor que ao pagar a conta sai com um doce que pode ser consumido em dose única”, destaca.

Mangélio Costa também fala sobre os benefícios de se trabalhar com essas guloseimas. “Essa é uma categoria rentável para o varejista de qualquer segmento: supermercado, lojas especializadas, padarias, conveniências. Normalmente as margens utilizadas em produtos que não são de primeira necessidade são mais altas que nos itens básicos. Isso torna a categoria atraente. Geralmente são produtos de baixo desembolso (preço de etiqueta) por serem pequenos, mas de alto valor agregado”, ressalta.

Sobre os principais desafios nesse mercado, Mangélio Costa diz que “o maior desafio da categoria é a baixa barreira de entrada. As grandes empresas enfrentam uma fortíssima concorrência das marcas regionais e dos produtos caseiros. Há uma grande gama de produtos com pouca tecnologia empregada que entregam sabor; embora não ofereçam a devida segurança alimentar por não serem apresentados em embalagens apropriadas.

Além disso, mesmo entre as médias e grandes empresas, a concorrência é muito acirrada pela grande variedade de produtos disponíveis em preços largamente diferentes”, afirma.

Alto retorno

Daniel Camperoni Andreolli, diretor de marketing da Cory, também cita o momento de recuperação do mercado de balas, possibilitado pelo avanço da vacinação contra a Covid-19.

“A Cory está no mercado de balas duras e drops com as marcas Icekiss e Azedinha, além de balas e drops mastigáveis com as marcas Lílith, Chita e Azedinha. Em relação às balas, o mercado vem se recuperando em função do avanço da vacinação e a liberação de funcionamento de escolas, bares, restaurantes, padarias e de todo tipo de pequeno varejo de rua, das barraquinhas aos food trucks. As balas estão presentes em ocasiões de consumo que pressupõem socialização. Servem para refrescar o hálito e aumentar a segurança da aproximação, adoçar a boca após uma refeição, até mesmo para aumentar a concentração na escola ou no trabalho. As marcas mais conhecidas passam confiança e são as mais procuradas”, afirma ele.

Segundo Daniel Andreolli, “é importante para bares e restaurantes oferecerem balas pelas ocasiões de consumo: frescor do hálito ou apreciar algo doce após uma refeição ou bebida. Ao lembrar de oferecer as balas, o bar ou restaurante colabora com o bem-estar do cliente, aumenta sua segurança para socialização e é claro, conta com uma renda extra. Alguns estabelecimentos oferecem balas como forma de agradar ao cliente e com esse gesto de gentileza acabam gerando fidelização”, destaca.

Daniel Andreolli também cita o alto consumo de doces pelo público adulto. “As crianças e adolescentes são grandes consumidores, mas os adultos também consomem com frequência. Após o almoço, durante o trabalho e após uma bebida são ocasiões em que adultos normalmente gostam de contar com uma bala. O formato drops é muito encontrado nos carros, mochilas de trabalho e bolsas”, afirma.

Para Daniel Andreolli, os comerciantes do food service precisam seguir alguns passos para potencializarem suas vendas de guloseimas e alcançarem um lucro interessante. “O primeiro passo é uma boa exposição, deixar os produtos bem visíveis e ao alcance dos consumidores, especialmente próximo aos caixas de pagamento. O segundo ponto é oferecer. O cliente que investe um ou dois reais leva não apenas produtos e sim hálito fresco, sensação de conforto ao ter algo doce para saborear, até mesmo um pequeno presente para colegas, amigos, familiares. A simples pergunta: ‘aceita X balas por X reais?’ pode trazer uma lucratividade importante. É um produto de baixo custo que bem trabalhado pode gerar um alto retorno”, afirma ele.

Entregando o que o consumidor busca

Sempre presentesAnna Carolina Teixeira, diretora de marketing de balas e gomas da Mondelez Brasil, destaca o crescimento do mercado de balas no primeiro semestre de 2021. “Aqui na Mondelez Brasil, seguimos trabalhando para conquistar resultados cada vez melhores, sempre visando oferecer inovação e qualidade ao nosso público. Após um período de queda no consumo causado pela pandemia, o setor de Balas e Gomas vem apresentando uma recuperação, de acordo com os dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), coletados e auditados pela KPMG. No primeiro semestre de 2021, a indústria apresentou um volume de produção de 118 mil toneladas, um crescimento de 5,75% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Por isso, estamos bastante otimistas com o mercado e seguimos investindo em inovações e no posicionamento de nossas marcas para estar cada vez mais próximos dos consumidores”, afirma ela.

Para Anna Carolina Teixeira, é importante que estabelecimentos tenham esse tipo de produto para vendas. “Balas e gomas são produtos que fazem parte do dia a dia do público que frequenta esses estabelecimentos. São momentos como esses que chamamos de compras de ocasião. São produtos que entregam refrescância, sabor, relaxamento e um sentimento de recompensa pós-consumo. Balas e chicletes são produtos altamente associados a momentos de socialização, interação com outras pessoas, que são ocasiões muito presentes em bares e restaurantes, além de serem itens de alto valor agregado para o negócio”, afirma ela.

Anna Carolina Teixeira também explica que a maior parte do consumo de guloseimas vem do público jovem. “O público jovem (18-34 anos) é quem detém a principal fatia de consumo da categoria, chegando a representar 60% do consumo das categorias de gomas e balas. Com foco neles, inclusive, construímos estratégias de comunicação que focam na construção de diálogos e relacionamento mais próximo entre marca e público. Temos investido em ações, patrocínios e campanhas que traduzem os posicionamentos das nossas marcas – ‘Respira Fundo’ para Halls e ‘Masca e Destrava’ para Trident – de uma maneira que converse com a realidade do consumidor. Além disso, abordamos pautas sociais como o feminismo, em Halls, e o movimento LGBTQIA+, por Trident, que são relevantes para a sociedade, para as marcas e que dialogam os consumidores”, afirma ela.

Sempre presentesAnna Carolina Teixeira diz que a marca entende os seus produtos como fonte de indulgência para o público. “Muito além de chicletes, balas ou chocolates, nosso portfólio também é uma forma de atender a busca do nosso consumidor por conforto emocional, relaxamento e prazer, por exemplo. Estamos cientes das mudanças de comportamento do público, afinal internamente realizamos um estudo que, entre outras tendências, apontou que as pessoas estão cada vez mais voltadas a consumir itens que sejam ‘essenciais’, como os alimentos, e que também estão atentos à qualidade e origem desses produtos. Dentro disso, acreditamos que empresas de sucesso vão além de focar em resultados financeiros. Elas criam valor para o mundo em geral e melhoram a vida daqueles que impactam. Na Mondelēz Brasil, somos guiados pelo nosso propósito de empoderar as pessoas a consumirem o snack certo, para o momento certo, feito do jeito certo, o que significa entregar produtos para diferentes ocasiões de consumo, seja um suco no café da manhã, um Trident ou um Halls depois do almoço ou um pedaço de chocolate para encerrar o dia. Com marcas que estão há anos na vida dos brasileiros e que eles confiam, fica ainda mais prazeroso trabalhar para continuarmos na liderança do segmento”, afirma ela.

A diretora de marketing de balas e gomas da Mondelez Brasil finaliza citando a importância de se entender o perfil do negócio para oferecimento dos produtos certos. “Para fazer a escolha certa dos produtos que serão oferecidos aos consumidores finais, é importante levarmos em consideração o perfil e tipo de público do ambiente de varejo. Para isso temos uma Foto de Sucesso, um processo interno da Mondelez International, que tem como objetivo oferecer orientações claras de planograma, sortimento e dicas de execução por tipo de loja. Os produtos do nosso portfólio são muito democráticos e consumidos por diferentes públicos e idades, mas alguns produtos possuem mais destaque com tipos específicos de público e estamos constantemente inovando nosso portfólio aos diversos momentos de consumo. Além disso, vale destacar que do ponto de vista de operação, o check out é uma das áreas mais importantes da loja e mais propenso a compras por ocasião, por isso trabalhar a visibilidade com materiais de alto impacto. É neste contexto que faz diferença contar com produtos de marcas conhecidas nas quais o consumidor já confia, como é o caso de Trident e Halls. A tradição da Mondelez Brasil e a qualidade dos nossos produtos ampliam as chances de converter em
vendas”, destaca ela.


Dadinho
www.dadinhooriginal.com.br
Cory
cory.com.br
Mondelez
www.mondelezinternational.com/Brazil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × dois =