Sem margens para erros

0

Mercado recessivo, pressão de custos, inflação crescente, desemprego e outros fatores têm se traduzido no segmento, em um cenário como há algum tempo não se via.
Além da base de clientes reduzida em decorrência da redução da população economicamente ativa, a redução da frequência dos clientes remanescentes e a redução do gasto médio desses clientes resultam em queda na linha de vendas de forma rápida e expressiva.

De outro lado, a inflação impõe aumento de custos nas principais linhas componentes do negócio, entre elas o Custo com Mercadoria e o Custo com Mão de Obra.
Com a pressão de custos, a Promoção de Preço, que é uma das principais ferramentas do varejo para situações de queda acentuada de vendas como a que vivemos, se torna limitada na sua aplicação e, muitas vezes, onerosa ao resultado do negócio.

Em épocas como esta, também é comum que os clientes fiquem mais exigentes e menos dispostos a arriscar com novidades, inovações, mecânicas complexas e mudanças de hábito. Com menor disponibilidade financeira, as pessoas tendem a priorizar o dinheiro com o que é mais certo de sua satisfação e que apresente a melhor relação custo x benefício possível.

Alguns estabelecimentos e redes têm se arriscado com o lançamento de subprodutos ou produtos de “combate” com custos que permitam a prática de preços mais baixos e, consequente, aumento da atratividade junto aos clientes. No entanto, em um momento em que o nível de exigência aumenta e a concorrência trabalha mais forte, essa estratégia pode ter validade baixa ou ser pouco eficiente.

Tenho sugerido às empresas que optem, neste momento, por ações promocionais sempre associadas a produtos de grande apelo e conhecimento público. Produtos em que a percepção de relação Custo x Benefício seja decorrente da notoriedade e credibilidade que possuem, para que a oferta de preço tenha realmente valor percebido.

Trabalhando com “Best Sellers”, a chance de erro é menor quando falamos de atratividade junto ao consumidor, e os volumes de venda decorrentes das ações com esse tipo de produtos, muitas vezes, possibilitam novas negociações comerciais que melhorem ou aliviem a pressão de custos.

Além disso, promoções baseadas em produtos ou conceitos já existentes costumam oferecer menor complexidade de treinamento e implantação.
É hora de colocar na rua o que o cliente quer e o que temos de melhor. O segredo é saber como fazer.
Pense nisso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

treze − quatro =