Seis tendências para estabelecimentos de alimentação

0

Com um faturamento em 2015 de R$170 bilhões, conforme dados do Instituto Food Service Brasil em parceria com a GS& MD, o setor de alimentação deve continuar crescendo no próximo ano, seguindo algumas tendências. Durante os últimos anos presenciamos a saudabilidade, a customização e a preocupação ambiental ganhando espaço em restaurantes mas, o que devemos esperar de 2017?

Em entrevista para o portal Pequenas Empresas & Grandes Negócios Karyna Muniz, consultora do Sebrae-SP, mapeou seis tendências que os estabelecimentos de alimentação deverão seguir no próximo ano. Confira a lista:

1- Compartilhamento

Com o preço do aluguel mais caro, as empresas tendem a compartilhar espaços como medida para viabilizar os negócios. De acordo com Karyna, os empreendedores já estão dividindo lugares em feiras e eventos, por exemplo.“A gente precisa pensar em parcerias em tempos de crise e a grande tendência para 2017 é que os espaços vão continuar caros”, pontua.

2 – Store in Store

Abrir negócios distintos dentro de um mesmo espaço pode ser uma oportunidade de empresários garantirem bons lucros. Exemplo disso é abrir uma loja de chocolates que também funciona como cafeteria. “O empresário enxergar que pode ter um novo negócio dentre do dele, agregando conveniência com um produto que seja sinérgico”, explica Karyna.

3 – Saborização

Uma grande tendência, que já vem acontecendo fora do Brasil, é ter produtos com mais sabores. “Nos Estados Unidos, já vemos água de coco com sabor de manga ou pimenta e snacks saborizados”, afirma Karyna.

4 – Aplicativos

Os aplicativos de delivery no Brasil conquistaram um espaço significativo no Brasil e devem continuar crescendo no próximo ano. “Aplicativos como o Uber Eat, braço de alimentação do Uber, tem opção de fazer entregas de comida em até 10 minutos do pedido”, diz Karyna.

Além do delivery, aplicativos que agilizam a fila dentro de um restaurante devem crescer no Brasil no próximo ano, já que em outros países esse mercado já está consolidado. “Algumas franquias de alimentação no exterior já têm um balcão especial para quem faz o pedido pelo app e só vai retirar”, pontua.

5 – Coworking

O coworking, espaço de compartilhamento, já é uma realidade para empreendedores de várias áreas e na alimentação está conquistando um espaço cativo. Cozinhas compartilhadas, que ajudam empresários sem um espaço de produção, é uma das tendências para 2017.

“Visitei a Brooklyn FoodWorks, que funciona como uma incubadora e um espaço de coworking com cozinhas que podem ser usadas por hora”, conta a consultora. De acordo com ela, o lugar também tem espaço de armazenagem, uniformes, entre outros serviços.

6 – Food Trucks para eventos

Os food trucks, grande tendência anterior, passa por algumas reformulações após um período de baixa. De acordo com Karyna, esses trucks viram uma outra saída para continuar no mercado, que são eventos.“Eles viraram alternativas a praças de alimentação. Mas deixam de ser uma tendência como comida de rua”, conclui.

Fonte: Revista PEGN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quinze − nove =