Resultados positivos

0
Resultados positivos

Kraft Heinz conta com um novo head de foodservice Brasil, Bruno Ferragut. Em entrevista para a Food Service News, ele falou mais acerca da atuação e dos planos da companhia, que tem conquistado bons números mesmo em meio à crise

Resultados positivos
“Um profissional hoje deve ter um conhecimento amplo do negócio”, destaca Bruno Ferragut

Food Service News: Primeiramente, conte-nos um pouco da sua história.
Bruno Ferragut: Me formei em engenharia química pela Universidade de São Paulo (Poli-USP) e comecei na Kraft Heinz em 2017 pelo programa de trainee da companhia. Internamente já passei pelas áreas de trade marketing – chegando a liderar a área como Gerente. Em FoodService, atuei como Gerente de Marketing antes de assumir a posição de head.

Food Service News: O que representa para você esse novo desafio?
Bruno Ferragut: O FoodService é um mercado marcado por empreendedores por trás de cada negócio e é muito desafiador, porque a relação com nossos clientes e parceiros deve ser sempre de troca. Precisamos estar sempre atentos em como prover soluções para cada um deles e trabalhar de uma forma que proporcione um ciclo virtuoso para todos: gerando receita, conquistando novos clientes e tendo cada vez mais sucesso e rentabilidade.

Nessa posição eu me sinto parte dessa cadeia, ajudando cada um desses negócios e empreendedores a crescerem ainda mais em um mercado com muito potencial para desenvolvimento. Estou próximo de todas as áreas da empresa, procurando soluções para os operadores e buscando sempre as melhores parcerias para que tenhamos um resultado financeiro saudável para companhia. É necessário olhar o todo, sempre pensando em amarrar todas as pontas, do financeiro ao marketing.

Food Service News: Como a empresa enxerga o mercado food service do Brasil?
Bruno Ferragut: Apesar do cenário complexo que estamos vivendo, o mercado de FoodService no Brasil tem muito espaço para crescer, principalmente se comparado aos demais países, principalmente Estados Unidos e países da Europa. Contudo, precisamos ter em mente uma especificidade do mercado brasileiro – a maioria é o pequeno empreendedor. Sendo assim, além do crescimento que enxergamos nesse mercado, também temos muitas oportunidades de aproximação com o cliente, destacando sempre a importância de experimentação, trazendo produtos de qualidade para nossos parceiros e, assim, oferecendo aos consumidores a experiência completa.

Food Service News: Quais são as particularidades brasileiras desse mercado e como trabalhá-las da melhor maneira?
Bruno Ferragut: Por ser um mercado em expansão no Brasil, nosso principal desafio é conseguir atender as diferentes tipologias existentes no canal, sempre respeitando as particularidades de cada um. Acreditamos que ainda há muito para aprimorar e profissionalizar, mas estamos construindo e fazendo isso juntos aos nossos clientes. Um dos nossos focos na Kraft Heinz é pensar em como a digitalização pode ajudar os parceiros e restaurantes a crescerem tendo um delivery mais eficiente, associado a produtos e ingredientes de qualidade para gerar uma melhor experiência ao consumidor consequentemente, gerando mais vendas.

Food Service News: Quais são os principais desafios vividos pela marca em meio à pandemia da Covid-19?
Bruno Ferragut: Olhando especificamente para o FoodService, tivemos muitos desafios. Um deles foi a mudança rápida de demanda de embalagens diferentes: pelo contexto atual e o boom dos deliveries, aconteceu uma migração natural das bisnagas para o consumo de embalagens individuais, os mini saches. Foi uma adaptação necessária pensando a curto prazo.

Pensando em longo e a médio prazo, o desafio é desenvolver uma forma digitalizada e mais sustentável de compra para nossos parceiros oferecendo entregas promocionais, principalmente nos agregadores (Rappi, Ifood, Uber Eats etc.). Esse ainda é um desafio que estamos vivendo já que o cenário segue incerto. Seguimos analisando as tendências para pensarmos em diferentes soluções e sermos cada vez mais assertivos em nossa estratégia e, consequentemente, auxiliando o setor de maneira geral.

Food Service News: Quais são os planos da empresa para o Brasil em médio e em longo prazo?
Bruno Ferragut: O FoodService tem um papel estratégico para o crescimento da Companhia e temos a ambição de dobrar o negócio até 2025. Chegaremos lá por meio de um portfólio robusto que funcione como solução para o dia a dia dos operadores, uma distribuição consistente através dos nossos distribuidores e atacados especializados, e uma parceria de longo prazo com as principais redes.

Food Service News: Quais resultados da empresa você destaca como mais relevantes no País no último ano?
Bruno Ferragut: 2020 foi um ano difícil para todo o mercado de Foodservice. Enquanto o mercado no Brasil apresentou queda quando comparado ao ano anterior, segundo o IFB (Instituto Foodservice Brasil), Kraft Heinz teve um crescimento local substancial, considerando as vendas via distribuidores Food Service e Cash&Carry. Isso se deve a parceria consistente e forte da Kraft Heinz com o mercado, que só tende a se fortalecer.

O sentimento de orgulho de nossos colaboradores e a transformação digital foram peças essenciais nesse resultado. A transformação digital se tornou realidade na companhia por meio do e-commerce, que foi implementado via parcerias com marcas fortes e consolidadas, que nos ajudou a crescer e se tornou um dos grandes focos dentro da companhia.  O resultado deste trabalho foi visto no crescimento acelerado em condimentos, que obteve o maior número de vendas na história de Heinz no Brasil.
Todos esses pontos, atrelados aos excelentes resultados apresentados globalmente, mostram que estamos no caminho certo na estruturação do crescimento da companhia no Brasil. Em 2018, construímos uma fábrica específica para produção de condimentos. Em 2019, investimos no processo de transformação do go to market, através de uma malha de distribuidores forte onde começamos a ter DNA de execução e distribuição do nosso negócio, com investimentos e mudanças importantes. O Brasil é um dos focos da empresa mundialmente.

Food Service News: Como esses resultados foram alcançados?
Bruno Ferragut: Para tais resultados, implementamos um plano de ação com três frentes.
A primeira foi garantir a saúde de todos nossos funcionários por meio de protocolos rígidos de higiene e segurança. Assim garantimos a nossa cadeia de produção e a entrega dos produtos no cenário em que estamos vivendo, o que foi traduzido por nós no manifesto #ComidaNãoPodeFaltar.Iniciado em 2020 por conta da pandemia da COVID-19, a Kraft Heinz lançou um manifesto interno e convidou a sociedade a valorizar todos os trabalhadores da cadeia de produção (do agricultor até o promotor de vendas nas lojas).

A segunda frente foi estreitar ainda mais a parceria com nossos clientes, nos fazendo presentes e ouvindo as suas necessidades neste momento. Um programa de parceria foi estruturado com os principais distribuidores através de planos que suportaram o desenvolvimento das categorias mesmo em um período de crise. Esses clientes cresceram 13% quando comparamos com o ano anterior, contribuindo para o desenvolvimento do canal.

A terceira frente foi a agilidade de adaptação da companhia às novas tendências, como migração para o digital (E-commerce) e fortalecimento do cash and carry.

Food Service News: Quais deverão ser os principais investimentos da Kraft Heinz daqui para a frente?
Bruno Ferragut: Continuaremos o caminho que iniciamos em 2020. Vamos trabalhar fortemente em nosso e-commerce e parcerias com grandes players do mercado, tornando esta unidade de negócio cada vez mais relevante.

Outro foco de investimento em busca de um crescimento ainda mais expressivo para 2021 está no marketing. Ambas as marcas – Heinz e Quero – terão mais de 20% a mais de investimento em marketing quando comparado ao ano anterior.

Além disso, focaremos nas inovações direcionadas especificamente para o foodservice, dando prosseguimento aos nossos projetos. 2020 foi o ano em que adaptamos as nossas inovações, reforçando nossa estrutura com equipes dedicadas e um plano agressivo, em busca de atuarmos como líderes no setor de molhos e condimentos. Para 2021, teremos grandes novidades tanto em Heinz quanto em Quero.

Uma delas, inclusive, foi lançada recentemente e é uma grande aposta nossa, o ketchup HEINZ PICLES. A novidade foi desenvolvida 100% no Brasil e celebra o primeiro item produzido e vendido por Henry J. Heinz, fundador da marca, e seu produto mais icônico, o ketchup. Encaramos o desafio de criar alto excepcional e surpreendente e, depois de muitos testes, chegamos a uma fórmula incrível feita com 6 ingredientes naturais e só – sal, açúcar, cebola, vinagre e aromas naturais – que tem um sabor único e inesperado que vai conquistar os consumidores.

Food Service News: Muito se tem falado que o consumidor já não é mais o mesmo e tornou-se mais exigente. Como você enxerga isso? Como atender as novas demandas dos consumidores?
Bruno Ferragut: Uma pesquisa realizada pelo BHB Foods e Suplementos, plataforma da consultoria Equilibrium Latam, e pela Decode, braço de inteligência de dados do grupo BTG Pactual, ilumina cinco grandes tendências na alimentação dos brasileiros, entre elas a busca por produtos clean label.

As pessoas estão cozinhando mais nesse momento, mas isso não garante que elas vão permanecer fazendo isso quando voltarem para a rotina fora de casa. Mas ainda se percebe tendências dentro desse cenário, porque esse hábito criado na pandemia fez com que o consumidor tenha mais contato com os produtos e ingredientes, desenvolvendo uma maior consciência sobre eles – olhando para suas origens e processo de produção. Isso acaba influenciando em como os restaurantes oferecem os seus serviços e produtos, como no caso de diversos negócios que estão preocupados em trazer opções clean label para seus consumidores.

Os produtos clean label são aqueles feitos apenas com ingredientes naturais, sem conservantes, aditivos, corantes e outro produtos artificiais. O aumento de produtos com rótulo clean label no mercado faz parte de uma tendência ligada à saudabilidade com as pessoas efetivamente olhando o rótulo e entendendo em um nível mais aprofundado o que estão consumindo. Isto vai ao encontro do que fazemos aqui na Kraft Heinz. Nosso Ketchup Heinz é feito com seis ingredientes naturais e só (tomate, açúcar, sal, aromas naturais, vinagre e cebola), a mostarda Heinz, que também conta com ingredientes naturais (vinagre, água, mostarda, sal e corantes naturais cúrcuma e páprica) e o milho, ervilha e seleta Quero, que contêm apenas os vegetais e uma solução de salmoura (água e sal).

Food Service News: Quais foram os seus maiores aprendizados na carreira até agora?
Bruno Ferragut: Um profissional hoje deve ter um conhecimento amplo do negócio. No meu caso, tive a oportunidade de passar por áreas diferentes na empresa que me trouxeram (e trazem) uma visão mais holística. Além disso, o meu maior aprendizado no momento é o autoconhecimento e entender como isso se traduz em ajustes de rota na área, principalmente olhando para liderança. Aqui na Heinz temos um programa interno que nos ajuda e nos desenvolve para esse processo de autoconhecimento, que é o Learn To Fly, que tem a missão de democratizar a jornada de autodesenvolvimento ajudando pessoas a encontrarem sua melhor versão. Este programa foi fundamental na minha jornada até o momento.

Food Service News: Para você, quais são os principais benefícios de trabalhar no setor de alimentação?
Bruno Ferragut: Costumo brincar e dizer que antes da pandemia, grande parte das minhas reuniões estavam acompanhadas de um bom hambúrguer e com ketchup/mostarda ou maionese saborosos e de qualidade. Trabalhar nessa área nos permite ter esses momentos prazerosos e trabalhamos com um propósito, que é estarmos cada vez mais no dia a dia das pessoas trazendo experiências mais conectadas às suas necessidades e desejos, sempre fazendo a vida dos consumidores mais deliciosa.

Food Service News: Como se destacar nesse mercado?
Bruno Ferragut: Acredito que, para se destacar, precisamos ser provedores soluções e flexíveis para atender os diferentes segmentos, necessidades, comportamentos e regiões, já que o Brasil é um país de proporções continentais. Precisamos entender e ouvir a dor e particularidades de cada cliente, oferecendo soluções. Não podemos ser apenas um fornecedor de ingrediente/produto, mas, sim, trabalhar em parceria, contribuindo com todo o ciclo do canal e indo além, chegando até mesmo ao ponto de apoiar na sugestão e produção de cardápios com os ingredientes que oferecemos e nosso expertise. Esses são pilares fundamentais da Kraft Heinz na construção do negócio de Foodservice, uma das alavancas da companhia.

Food Service News: Como crescer em tempos de crise?
Bruno Ferragut: Crescer em tempo de crise é ser flexível, ter a mente aberta para se reinventar e mantermos o olho no longo prazo, nas novas tendências, acompanhando as mudanças de maneira proativa. Outro ponto é a velocidade. Com tudo acontecendo tão rápido e de maneira tão dinâmica, o time precisa estar atento e ter a velocidade na execução.

Em 2020, nós da Kraft Heinz nos reinventamos rapidamente. Realinhamos nossos esforços e prioridades, encaixamos um plano de negócios com nossos parceiros e reforçamos o engajamento dos times, que são a espinha dorsal para que tudo aconteça, pensando em flexibilidade, velocidade, inovação e mudanças de mindset que a crise da COVID-19 trouxe, mas que foram antecipação de tendências já mapeadas e vieram pra ficar.

O segredo é adaptar- se ao cenário, olhando sempre para as pessoas que estão conosco, principalmente os colaboradores – que são a prioridade absoluta da companhia – e depois olhar para fora. É preciso focar no essencial, tendo empatia com os nossos parceiros, ainda mais no momento que estamos vivendo, onde o nosso mercado está sofrendo bastante.

Kraft Heinz
www.heinzbrasil.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

catorze + 8 =