Rendimentos online

Com baixo custo de investimento e com diversas alternativas, negócios via internet podem gerar excelentes resultados

0

Em uma época em que grande parte das pessoas possui uma rotina bem agitada, um dos serviços que podem oferecer bastantes lucros para os empreendedores é o de entrega de kits de comida, ainda mais quando eles são de alimentos saudáveis, que vêm sendo muito procurados pelos consumidores e precisam de cuidados especiais na hora de serem preparados.

Sendo assim, chefs de cozinha têm apostado nessa ideia e aberto seus negócios na área. A chef Iza Clara Pantuso é um exemplo dessa realidade. Ela tem driblado a crise entregando marmitas veganas, tendo sido responsável por criar a “Veganiza”. “Quando fiz minha transição para o veganismo, comecei a me incomodar de trabalhar com uma cozinha convencional, na qual eu não estava mais me sentindo à vontade de trabalhar com produtos de origem animal. Eu já estava há quase um ano sendo vegana e, como consequência, testava muitas receitas. Eu ficava impressionada com os resultados. Eu me perguntava: ‘por que não temos isso em Belo Horizonte? Por que ninguém faz isso?’ Acho que, aí, caiu a ficha: ‘eu vou fazer isso!’. Eu já queria uma forma de falar mais sobre veganismo r encontrei na Veganiza uma maneira de unir as duas coisas: minha profissão com ativismo na causa animal”, diz.

A empresa da chef Iza Clara Pantuso teve início na rede social Facebook e, atualmente, já atende mais de 200 clientes. A marca realiza, desde o mês de janeiro do ano passado, a entrega de kits semanais de refeição, sendo que todas as receitas não levam em sua composição qualquer produto que tenha origem animal. O público já é bastante definido e há uma demanda que é crescente na cidade de Belo Horizonte. Em pouco mais de seis meses de atividade, a marca já havia vendido mais de 500 marmitas.

São várias as opções de kits semanais que estão entre os preferidos dos consumidores. São, ao todo, 7 refeições, que são disponibilizadas em embalagens que são individuais, próprias para micro-ondas e também para o freezer, sendo que duram até 60 dias quando elas estão congeladas. Os clientes podem optar por planos que se dividem entre mensais, quinzenas e semanais, incluindo, ainda, aqueles que são básicos, cujo público-alvo são os universitários.
E não são somente os kits que são comercializados pela marca. Também podem ser realizadas encomendas de produtos como tortas, bolos, pizzas, salgados e também de pratos especiais. Os perfis do Facebook e do Instagram da marca compartilham promoções de produtos mensalmente e já conta com alguns casos de sucesso, como o do hambúrguer de soja que, em apenas um dia de promoção, teve 115 unidades vendidas.

A internet tem mostrado toda a sua força e com a Veganiza não é diferente. A Empresa funciona de forma 100% online, sendo que as pessoas também podem fazer os pedidos delas por meio do WhatsApp. Além das divulgações que são realizadas nas redes sociais, a marca possui, ainda, um blog que atua na divulgação de informações, de dados, de experiências e também de receitas que são veganas. E não são somente as pessoas de Belo Horizonte que compram os produtos: a marca já possui admiradores em São Paulo, no Rio de Janeiro e até mesmo em Portugal.

Iza Clara

A jovem chef Iza Clara Pantuso tem 24 anos, sendo que já está há seis anos no mercado. Possui formação em Gastronomia, tendo estudado na Universidade Estácio de Sá. Em seu currículo, consta trabalhos em várias cozinhas da cidade de Belo Horizonte. Depois da transição para o veganismo, a profissional optou por não aceitar ofertas de emprego, uma vez que ela queria se dedicar em algo que fosse capaz de aliar o seu ativismo à oportunidade de divulgação do trabalho dela. Ela conta que, inicialmente, esperava que quem procuraria os seus produtos seria exclusivamente o público vegano ou vegetariano, mas não foi isso o que aconteceu, sendo que vários tipos de clientes têm optado pela marca. Os negócios, para a chef, têm superado as expectativas.

Atuação

A chef Iza Clara Pantuso conta que ela sempre gostou de cozinhar. “Aprendi a cozinhar aos 8 anos e não parei mais. Quando chegou a época do vestibular, não tive dúvidas do que fazer: gastronomia. Comecei a faculdade e, logo depois, consegui o primeiro emprego na área. No primeiro dia, já assumi sozinha a cozinha de um pequeno bar mais ‘gourmet’ e, desde então, trabalhei em várias cozinhas até chegar aqui”, relata.

No entanto, apesar de todos os benefícios que a área oferece, ela destaca que há, também, os desafios que são encontrados. Para a chef, o maior deles é o cansaço. “Além do físico, há o cansaço mental. Os horários são muito sacrificantes e, enquanto você trabalha, as pessoas dormem/se divertem. Enquanto você descansa, as pessoas trabalham. Há a troca do dia pela noite, sábados, domingos e feriados. Em cozinha, você é peão, você lava, limpa, cozinha e faz de tudo. É preciso muita vontade e paixão pela cozinha porque de uma coisa eu tenho certeza: de glamouroso não tem nada (risos)”.

Já em relação às vantagens de trabalhar nesse segmento, Iza Clara ressalta que as pessoas nunca vão parar de comer, sendo que é uma área em que sempre haverá mercado. De acordo com ela, se existir disposição para trabalhar muito, é possível conquistar, de maneira rápida, o próprio espaço. “Gastronomia do Brasil tem tido visibilidade mundial cada vez maior, mesmo que com um certo atraso. Algumas coisas acho muito tradicionais (e muitas pessoas cabeças-duras) e, como no Veganismo/Vegetarianismo, muitos mitos fazem com que as pessoas ainda torçam o nariz”, salienta ela.

A chef conta que sempre gostou de ver vídeos de receitas e que, atualmente, ela continua assistindo esse tipo de vídeo e fazendo substituições automaticamente na cabeça dela. “É preciso ter conhecimento de cada ingrediente, da sua função, sabor e textura, para conseguir chegar numa receita na sua versão vegana”, afirma.

A profissional também relata que conseguiu criar seus próprios métodos por meio de outras experiências profissionais e que aprendeu, sobretudo, com os erros. Ela diz que aprendeu a ser mais proativa e a ser mais criativa para resolver os “perrengues que só quem trabalha em cozinha sabe (risos)”.

O dia a dia de um chef, de acordo com ela, é de muito trabalho. Quando o profissional não se encontra na produção, segundo ela, ele está cuidando de clientes, demídias sociais, de fornecedores e respondendo e-mails. “É um trabalho gratificante, cuidar de perto de todos os detalhes”, ressalta.

Para, para quem está entrando agora na área, ela aconselha: “Não se iluda. Ser chef é mais do que ter uma faculdade ou usar uma dolmã. Ser chef está na atitude e como você lida com o seu trabalho. É aprender que você é um cozinheiro e, por mais que alguém que te dê o título de ‘chef’, você é um cozinheiro. E, sim, isso é um motivo de orgulho gigante! Sempre que perguntam qual é a minha profissão, respondo: ‘eu sou cozinheira!’. Se é o que você ama, vai fundo. Mas saiba: você vai pegar no pesado, vai perder seu sono, seus fins de semana e reuniões de família. Mas não desista, no fim das contas, você vai se orgulhar muito disso”, afirma.

Atuação

Iza Clara conta que optou por ter um negócio online pela facilidade que existe de iniciá-lo e também de alcançar pessoas em um período menor de tempo, além de não ser necessário um investimento que seja muito alto. Ela também destaca os principais pontos do negócio. “Levar conhecimento sobre Veganismo e quebrar os mitos que citei de que veganos vivem à base de folhas, falta de sabor e infelicidade. Mostrar que veganismo e sabor andam maravilhosamante bem juntos, obrigada”, diz.

rendimentos online
A divulgação de produtos alimentícios pela internet expande possibilidades e conquista consumidores em várias partes do mundo

Além disso, de acordo com a chef, um negócio pela internet apresenta muitas vantagens, como, por exemplo, as ferramentas à disposição e a facilidade de levar informações para as pessoas, tendo um alcance maior, de acordo com ela, do que aquele que se tem apenas com uma loja física. Mas não ter uma loja física, para a chef, às vezes também pode ser um desafio. “Para as pessoas que não estão acostumadas, comprar pela internet é sempre motivo de desconfiança. Mas era um desafio no começo. Agora, com a página crescendo, as pessoas deixam suas avaliações positivas e, com quase um ano firmes aí, as pessoas confiam cada vez mais no trabalho”, pontua. “Só posso dizer que não poderia estar mais satisfeita. Com as conquistas, com a confiança das pessoas cada vez maior, com o crescimento de pessoas interessadas em Veganismo por causa das informações que compartilhamos. É muito gratificante e todo o trabalho valeu e vale a pena”, ressalta.

E um dos segredos para se destacar no mercado, de acordo com ela, é não ficar competindo e investigando a concorrência, pois, para a chef, tais atitudes fazem com que o foco seja perdido. “E ser autêntico no que você faz. Confiar e acreditar no seu trabalho e ouvir e aceitar críticas. O mercado de Comida Vegana em Belo Horizonte tem crescido cada vez mais, eu acho isso maravilhoso e acredito que todos tenham seu espaço. Não concordo com aqueles que precisam virar cópias mal feitas pra tentarem ganhar espaço: o produto acaba sendo ruim e deixando as pessoas insatisfeitas a ponto de não confiarem em outros produtos e serviços dessa área”, diz ela, que também já faz planos. “Pretendo estudar Nutrição, firmar a Veganiza ainda mais no mercado (com as redes e também agora no Youtube) e, futuramente, gostaria de dar aulas em faculdades de gastronomia/nutrição sobre vegetarianismo”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × quatro =