De olho no benefício

Planos de saúde contribuem para que as empresas possam atrair e reter talentos

0
305

São vários os benefícios – obrigatórios por lei ou não – oferecidos pelas empresas aos funcionários: vale-transporte, vale-alimentação e participação nos lucros, entre outros.

No entanto, um dos benefícios que mais atraem e retém talentos nas empresas é o plano de saúde, principalmente quando é permitido agregar cônjuge e filhos.

Seguradoras, medicinas de grupo e cooperativas médicas fornecem planos de saúde, que vêm em modelos de financiamento como pré-pagamento, pós-pagamento ou híbrido (confira os detalhes de cada um ao lado no BOX).

Recentemente, o mercado de planos de saúde do país passou por uma reestruturação. Em fevereiro deste ano, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) anunciou a suspensão da venda de 111 planos de saúde de 47 operadoras. A cada três meses, o órgão suspende planos que desrespeitaram prazos na marcação de consultas, exames e cirurgias e que negaram coberturas.

“Há uma tendência de consolidação das empresas de planos de saúde em detrimento de fusões ou aquisições, além de uma grande concentração em um número maior de fornecedores: cerca de 18% das operadoras em atividade assistem 80% dos beneficiários de planos privados”, afirma Lígia Schiano Parise, diretora de relacionamento internacional e consultoria da Willis Brasil.

Benefício para reter mão de obra

Eduardo Monteiro, diretor técnico da Marítima Seguros, ressalta como é importante para as empresas adquirirem planos de saúde. “Isso influencia sobre o ativo mais importante de qualquer empresa, independentemente do ramo de atuação ou porte: o capital humano. Quando há colaboradores felizes, a empresa conquista engajamento, produtividade e baixo índice de demissões. Já em situações em que os colaboradores estão insatisfeitos, há um alto índice de rotatividade e todos os gastos acarretados por este problema: baixo índice de produtividade e eficiência, desperdício de materiais e processos trabalhistas”, pondera.

O foco da organização são produtos coletivos empresariais. O Seguro Saúde Marítima PME é destinado às empresas devidamente constituídas de duas a 29 vidas entre titulares e dependentes. Por sua vez, o Seguro Saúde Marítima Empresarial é destinado às pessoas jurídicas devidamente constituídas. Para contratar tal plano, é necessário que o grupo tenha no mínimo 30 segurados, entre funcionários e dependentes. A Marítima também comercializa oito modalidades de planos de saúde que se diferenciam quanto à rede referenciada e múltiplos de reembolso.

O diretor reconhece que o mercado de planos e seguros de saúde é concorrido, ao mesmo tempo em que a demanda por tais serviços é alta. “Cada vez mais, as empresas estão descobrindo as vantagens estratégicas de contratar o seguro para os colaboradores. O desafio das empresas do ramo é o mesmo de sempre: estabelecer meios para que o segurado tenha acesso aos serviços de qualidade que melhor atendam às suas necessidades”, diz.

No quesito necessidades da empresa contratante, ele destaca alguns pontos, como avaliar as necessidades dos funcionários. “Elas podem ser diferentes conforme o ramo de atividade, abrangência da empresa e outros fatores. Por exemplo, caso os funcionários viajem com frequência para outros estados, um seguro que cobre apenas determinada cidade pode não funcionar para esse público interno”, diz.

Uma operadora, vários planos

A Unimed Paulistana comercializa mais de uma modalidade de plano corporativo. No caso de pequenas e médias empresas, os contratos podem ser feitos contando apenas com dois beneficiários. Nas demais empresas, é necessário no mínimo 50 beneficiários.

“Neste tipo de contratação, é possível escolher toda a grade de serviços da operadora e cada funcionário pode escolher o serviço que melhor se adapta ao seu perfil, tendo em vista a política de benefícios da empresa em que trabalha. Também oferecemos a contratação por meio da co-participação, na qual a empresa pode optar por uma taxa menor nas mensalidades, modalidade em que o funcionário custeia itens básicos como consultas e exames simples, o que inibe a utilização desnecessária. Esta modalidade é bastante utilizada por grandes empresas”, explica Alex Flausino da Silva, representante da área comercial da Unimed Paulistana.

Os funcionários que adquirem os planos têm o direito contratual de incluir seus dependentes (cônjuge, companheiro, filhos e equiparados), sempre respeitando a legislação vigente. Dependendo da política de benefícios da empresa contratante, há casos em que há descontos.

Assim como as demais operadoras de saúde, a Unimed enfrenta desafios. “Além da concorrência, o maior desafio é atender as demandas do órgão regulador e de liminares judiciais”, diz Silva.
Intermediário em prol da saúde A Willis Brasil oferece vasta gama de serviços. Entre eles, faz a intermediação entre operadoras de planos de saúde e empresas. “A oferta pelo mercado privado de assistência médica de diferentes produtos permite escolher aquele que corresponda ao perfil da empresa e dos beneficiários, bem como a disponibilidade orçamentária”, explica Lígia Schiano Parise, diretora de relacionamento internacional e consultoria da Willis Brasil.

Basicamente, a atuação da Willis é focada nos planos empresariais. “Entretanto, há demandas específicas que devem ser atendidas através do plano individual, a exemplo de uma operação de startup no Brasil que, inicialmente, conta com um único funcionário. Outro ponto a ser destacado é que, atualmente, o mercado oferece poucas opções para contratações de pessoas físicas”, constata.
A diretora reforça a importância de respeitar a legislação. “Obrigatoriamente, as coberturas devem atender no mínimo ao Rol de Procedimentos estabelecido pela Agência Nacional de Saúde, que determina os procedimentos relativos tanto às internações quanto aos procedimentos ambulatoriais, como consultas, exames e terapias, entre outros. Usualmente, a cobertura odontológica é objeto de contrato específico e também há uma cobertura mínima prevista pela ANS. Algumas operadoras oferecem, opcionalmente, planos conjugados – saúde e odontológico – mas conceitualmente são produtos independentes”, diz.

Para se manter no mercado, Lígia destaca que as operadoras precisam atender a todos os critérios previstos na legislação, o que inclui o cumprimento das regras de garantia de atendimento, como os prazos estabelecidos para que o beneficiário obtenha atendimento de acordo com cada tipo de procedimento, assim como a oferta de diferenciais de cobertura e pela qualidade dos serviços prestados, o que inclui os critérios de acesso ao benefício, a abrangência da rede de serviços médicos e hospitalares e informações gerenciais que permitem a correta gestão do benefício, entre outros.

Lígia explica que a empresa pode oferecer o plano apenas aos funcionários ou estendê-los aos dependentes: cônjuges, companheiro (a), filhos solteiros até 21 anos ou até 24 anos (neste caso, se forem estudantes). “Como normalmente os valores são calculados de acordo com a composição do grupo, resultando em um custo médio per capita, os valores estipulados são iguais para os titulares (funcionários) e para cada um dos dependentes incluídos no plano. Nos planos em que se pratica o custo por faixa etária, o valor cobrado para cada integrante – titular e dependentes – está ligado à faixa etária de cada beneficiário”, diz.

Pacote completo de planos de saúde

Atenta ao mercado de planos empresariais, a SulAmérica atende empresas de pequeno, médio e grande porte. No total, oferece seis opções diferentes de contratação que se distinguem pela acomodação hospitalar, pelo atendimento à rede referenciada – composta por mais de 22 mil referenciados, entre eles 16 mil clínicas e consultórios, 2.700 centros diagnósticos e 1.400 hospitais – e pelo reembolso a procedimentos médicos.

A linha de planos empresariais oferece diversos benefícios: assistência viagem nacional e internacional em casos de remoção médica; hospedagem após alta hospitalar; garantia de regresso de viagem; serviço de localização de bagagens extraviadas; repatriação funerária; auxílio farmacêutico e odontológico; transmissão de mensagens urgentes e outros, além de emergência médica 24 horas para segurados dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, com aconselhamento médico por telefone e atendimento emergencial a domicílio.

“Além de diversos procedimentos abrangidos por lei, os beneficiários também contam com coberturas adicionais como escleroterapia, fonoaudiologia, psicomotricidade e transplantes”, afirma Maurício Lopes, vice-presidente de produtos de saúde e odontologia da SulAmérica.

Os planos oferecidos pela SulAmérica variam de acordo com o número de beneficiários. O plano SulAmérica Saúde PME comporta de três a 29 segurados. Por sua vez, a margem de contratação do plano SulAmérica Saúde PME Mais vai de 30 a 99 beneficiários. Para empresas de grande porte, o plano SulAmérica Saúde Empresarial requer um mínimo de 100 pessoas.

O seguro saúde da SulAmérica disponibiliza às empresas os seguintes planos: Exato, Básico 10 Clássico, Especial 100, Executivo e Prestige. Diga-se de passagem, no caso do plano Prestige, há benefícios como check-up para titulares dos planos acima de 29 anos, cirurgia refrativa sem limite de grau, consulta médica, fisioterapia domiciliar e vacinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × cinco =