Petisco-sensação

0
Petisco-sensação

Bolovo é uma das comidas mais pedidas em diferentes bares e encanta pelo visual e sabor

Se tem um tipo de lugar que muitos brasileiros gostam de frequentar são os bares e botecos, pontos de encontro, lazer e consumo que dificilmente ficam vazios.

Frequentar esse tipo de local já é algo cultural, tanto que há um nicho de comidas próprias, popularmente conhecidas como “comidas de boteco”. O torresmo, o toucinho de barriga, a porção de fígado com jiló, entre outras iguarias, estão nos cardápios desses espaços, que também costumam investir no famoso bolovo.

O bolovo é um bolinho frito à base de ovo cozido e carne. Um detalhe curioso é que, apesar de sua fama nos botecos brasileiros, o bolovo é uma receita que veio lá da Europa, mais especificamente da Inglaterra. A Food Service News conversou com alguns estabelecimentos que produzem a iguaria para falar um pouco mais sobre o prato.

De dar água na boca

Giovanni Avilla é sócio da hamburgueria 12 Burger and Beer e fala com a Food Service News sobre o sucesso do produto, o qual relaciona com o aspecto visual em primeiro lugar. Ele também destaca a versatilidade do prato, que pode ser uma boa pedida em diferentes momentos.

Petisco-sensação
“O bolovo possui um público fiel que chega ao nosso estabelecimento atraído por ele, mas acaba conhecendo e consumindo outros produtos”, diz Giovanni Avilla, sócio da hamburgueria 12 Burger and Beer

“Sim, o bolovo faz sucesso junto com outras delícias. Trata-se de uma famosa comida de boteco, cujo apelo está primeiramente no visual, depois no sabor e na flexibilidade. Os componentes são simples, populares (ovo, farinha, pernil, pimenta) e a confecção apesar de simples requer cuidados. Serve tanto para um happy hour, acompanhado de uma boa cerveja, como entrada para um prato igualmente atraente, como no nosso caso, hambúrgueres. Pode ser acompanhado com a nossa maionese caseira de curry, levemente apimentada, mas deixamos o cliente escolher outra, se desejar. Em geral eles ficam com o formato original. Assim, a popularidade dos ingredientes, visual atrativo e flexibilidade de acompanhamentos ajudam a fazer a fama”, afirma ele.

O empresário destaca outra característica positiva do bolovo, que é atrair clientes que já conhecem e apreciam o produto para conhecerem outras iguarias da casa, servindo como impulsionador de outros pratos.

“O bolovo possui um público fiel que chega ao nosso estabelecimento atraído por ele, mas acaba conhecendo e consumindo outros produtos. Assim, ele não deixa de ser um chamariz para a casa”, afirma.

Giovanni Avilla destaca também a necessidade de se ter alguns pontos de atenção maiores durante a produção do bolovo, afirmando ser preciso garantir a qualidade em todo o processo, desde a escolha dos ingredientes até a entrega aos clientes.

“A confecção demanda alguns cuidados, como o cozimento do ovo. O grande ponto de atenção é manter o padrão de qualidade no processo de fabricação e, sem dúvida, a qualidade dos ingredientes e depois o processo de armazenamento até o momento em que o cliente faz o pedido”, afirma ele.

Quando o assunto são as possibilidades de inovação no prato, Giovanni Avilla afirma ser, sim, algo possível na gastronomia, mas ressalta que o 12 Burger and Beer trabalha com a versão tradicional do bolovo, tendo um diferencial nos acompanhamentos.

“A gastronomia permite e demanda inovações, sempre. Porém, no nosso tipo de negócio, onde o bolovo faz parte de uma lista de entradas e outras comidas de boteco, e não é nosso carro-chefe, nós preferimos manter a tradição que tem feito o sucesso e é bem-vista. A inovação fica por conta da maionese que acompanha o nosso bolovo, no caso uma maionese caseira de curry como mencionei antes, levemente apimentada. Alguns optam por maionese tradicional ou mesmo pimenta tabasco”, diz ele.

Sobre como atrair consumidores que nunca experimentaram o produto, Giovanni Avilla afirma que a estratégia usada em seu estabelecimento é focar a parte visual do bolovo, que costuma chamar a atenção dos consumidores.

“Nós da 12Burger&Beer temos o bolovo entre os destaques e procuramos divulgar imagens na nossa TV interna. Afinal, como dissemos antes, se trata de uma comida com o visual muito atraente, que faz com que o cliente que não o conheça sinta-se com vontade de pedir”, destaca ele.

Petisco afetivo

Segundo o Bar Bagaceira, o sucesso do bolovo deve-se ao fato de ele ser um prato afetivo.

“É o nosso petisco mais vendido. Por ser bom, gostoso e remeter a uma afetividade. É muito positivo servir algo não tão comum ao paladar e ter uma taxa de resposta extremamente alta de aprovação”, destaca o estabelecimento.

O Bar Bagaceira também ressalta alguns pontos de atenção no preparo do bolovo, como a necessidade de a carne e o ovo estarem no ponto correto, para que não se perca a receita.

“Não servir a carne crua e acertar o ponto correto do ovo. Na cozinha tudo é atenção, em qualquer vacilo se perde um prato”, salienta.

A Food Service News perguntou para a equipe do Bar Bagaceira se existem formas de inovar no preparo do bolovo.

“Existe inovação em tudo, às vezes mesmo em algo tão copiado. Acredito que o bolovo está virando, inclusive, identidade de alguns lugares espalhados por São Paulo, o que é difícil em uma cidade como SP, em que não temos muita tradição de quase nada”, diz a empresa.


Bar Bagaceira
Instagram: @barbagaceira
12 Burger and Beer
Instagram: @12burgerandbeer

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 3 =