Pensando em algo novo!

0
Pensando em algo novo!

Reflexos da pandemia da Covid-19 podem ser vistos nas mais diferentes esferas. Nesse cenário, muitos profissionais tiveram de pensar em algo novo para o mercado

A pandemia da Covid-19 gerou uma série de reflexos negativos nas mais diferentes esferas. Diante de todos os desafios vividos há mais de um ano, muitos profissionais e empresas tiveram de se reinventar para continuar atuando.

O chef Diogo Brasil foi um dos profissionais do País que inovaram em meio à crise que se estabeleceu no Brasil e no mundo. Por conta dos reflexos da pandemia, o contrato dele foi rescindido no local onde trabalhava.

Foi a partir daí que ele criou o Tasca na Mão, no Rio de Janeiro. Trata-se de uma restaurante que opera exclusivamente no formato de delivery e cuja especialidade é a culinária portuguesa caseira. Os resultados, de acordo com ele, têm sido positivos. O chef Diogo Brasil já estuda, inclusive, expandir as opções do cardápio, inserindo também pratos típicos de outros países.

“Fiquei desempregado com o fechamento do hotel assim que a pandemia chegou ao Rio. Com filho pequeno e despesas de casa, tive que me reinventar. Iniciei com feijoada artesanal delivery, mas com o tempo algumas dificuldades começaram a surgir e o tempo para produção ficou escasso. Eu precisava manter o padrão, por isso o número de atendimento ficou bem limitado”, destaca o chef Diogo Brasil, em material enviado para a imprensa.

Pensando em algo novo!
O chef Diogo Brasil foi um dos profissionais do País que inovaram em meio à crise que se estabeleceu no Brasil e no mundo

O chef, então, deu uma pausa no delivery de feijoada e criou o seu novo negócio. “Eu ainda queria fazer parte do dia a dia das pessoas oferecendo uma refeição de qualidade e não ficar preso a hotéis e restaurantes. Então surgiu a ideia de fazer comida portuguesa congelada, com produtos encontrados nos melhores restaurantes. Queria fugir da marmita tradicional e da comida fit. A comida tinha que trazer conforto, sentimento e afetividade. Daí surgiu a Tasca na Mão”, disse ele, ainda de acordo com material enviado para a imprensa.

Para a Food Service News, o chef Diogo Brasil conta que ele sempre gostou de cozinhar e que teve várias experiências na área de gastronomia ao longo do tempo, passando por diferentes estabelecimentos.

“Sempre amei cozinhar. Minha primeira faculdade foi nutrição, mas logo percebi que gostava mesmo de estar entre as panelas e fui fazer gastronomia. Comecei a trabalhar em um pequeno bistrô na Barra da Tijuca como cozinheiro. Em pouco tempo, consegui a vaga de chef de cozinha e fui absorvendo conhecimento e experiência. Passei por todos os caminhos da gastronomia: bar, restaurante, bistrô, buffet, eventos, consultoria e hotelaria”, relata ele.

No entanto, a pandemia da Covid-19 acabou atingindo-o. “Estava em transição de contrato, tinha acabado de entrar em um hotel na Zona Sul do Rio para iniciar um trabalho. No entanto, a pandemia chegou e o hotel não tinha mais como me manter à frente do restaurante. Fiquei desempregado e tinha que tomar alguma decisão”, relata ele. “Em um momento muito difícil, pouco dinheiro circulando, muitas incertezas. Criei a Feijoada delivery do Diogo, em seguida o Tasca Na Mão, que é comida portuguesa congelada. Hoje eu faço também consultoria em algum lugares que estão brigando para se manter nesse momento”, diz ele.

Para o chef Diogo Brasil, o maior desafio de investir em um negócio neste momento é a ausência de capital de giro. “Nesse momento é a falta do capital de giro. Qualquer valor colocado nesse momento pode fazer falta mais na frente. Não sabemos quanto tempo tudo isso irá durar. A ideia é investir com muita segurança e pés no chão”, destaca ele.

Gastronomia portuguesa

De acordo com material enviado para a imprensa a respeito do empreendimento do chef Diogo Brasil, “o cardápio enxuto é um pedacinho de Portugal e conta com duas opções de entrada, menu de arrozes e pratos principais. Para começar, Caldo verde com paio português (R$ 21,40 – 600g) e Escabeche de sardinha fresca (R$ 38,40). O menu de arroz traz três versões: arroz de polvo (R$ 64,40 – 500g); de pato (R$ 59,80 – 500g) e de bacalhau (R$ 69,40 – 500g). Já entre os principais, há o polvo à lagareira (R$ 69,90 – 450g); bacalhau em natas (R$ 71,40 – 450g); bacalhau à lagareira (R$ 78,90 – 450g); e o cabrito assado (R$ 73,40 – 450g). A refeição pode ser montada no prato da maneira como o cliente preferir, ou ser consumida no pote, que é próprio para freezer e micro-ondas”, diz o conteúdo.

O chef Diogo Brasil contou para a Food Service News o porquê da escolha pela gastronomia portuguesa. “Eu ainda queria fazer parte do dia a dia das pessoas oferecendo uma refeição de qualidade e comida portuguesa é sinônimo de conforto, sentimento e traz uma memória afetiva muito presente para cariocas e brasileiros. É uma comida extremamente saborosa, simples, mas de preparo meticuloso com produtos encontrados nos melhores restaurantes. A ideia foi trazer esses pratos com facilidade para a mesa de toda casa onde podemos entregar”, afirma ele, que fala também acerca das particularidades dessa gastronomia. “Azeite, muito azeite! (risos). É uma comida que depende de matéria-prima de muita qualidade, não é uma gastronomia mutável como a francesa. É necessário realmente ter bons produtos”, afirma ele.

Planos

Pensando em algo novo!
Para o chef Diogo Brasil, o maior desafio de investir em um negócio neste momento é a ausência de capital de giro

Quando o assunto são os planos em médio e em longo prazo para o Tasca na Mão, o chef Diogo Brasil destaca que está analisando a criação de mais opções de pratos. “Estou avaliando criar opções brasileiras, francesas, italianas e espanholas. A ideia é agregar famílias ao Tasca Na Mão, através da comida e ter uma linha mais trivial”, afirma ele.

Além disso, o chef também fala acerca do trabalho nas redes sociais. “Atualmente as redes sociais têm muito peso, para o bem e para o mal, então a ideia é trabalhar bem esse canal, entregar produtos de qualidade e visualmente atrativos, sendo convidativo a ganhar uma foto e ser postado. O trabalho boca a boca tem muita força e fidelidade”, ressalta ele.

O chef finaliza dizendo que “é um momento muito difícil para todos, e o setor de bares e restaurantes está sofrendo bastante. Ter espaço nas mídias faz muita diferença. O Tasca Na Mão tem a missão de levar esse conforto afetivo e prazer de comer pratos mais elaborados na comodidade de casa e no momento que quiser”, destaca ele.

Diogo Brasil
www.instagram.com/diogobrasilgastronomia
Diogo Brasil
www.instagram.com/brasil.diogo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × dois =