O mercado está para sorvete

0

Parece não ser novidade para ninguém o fato de o sorvete estar ganhando espaço e notoriedade no segmento de alimentação nos últimos anos.

A 12ª Pesquisa Setorial ABF Food Service 2018 (Associação Brasileira de Franchising) aponta 68% de crescimento de faturamento e 28% de crescimento em número de pontos de venda nas redes de sorveterias pesquisadas, quando comparadas ao ano anterior.
Segundo a Abis (Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes), de 2003 para 2016, o volume de produto consumido no país saltou de 686 milhões de litros para mais de 1 bilhão de litros por ano.

O Brasil já é o 10º maior produtor de sorvete do mundo e o 11º no ranking mundial de consumo médio anual por pessoa, sendo a região de maior consumo o Nordeste do país.
Apesar dos números motivadores, ainda temos um grande caminho a percorrer quando comparamos o mercado a outros mais desenvolvidos.

Na Nova Zelândia, país de maior média de consumo no mundo, são 28,3 litros de sorvete por pessoa por ano. Nos Estados Unidos, 20,8 litros. No Brasil, a média de consumo anual por pessoa ainda é de 5,4 litros.

Alguns fatores contribuem para isso. Entre eles, podemos mencionar como principais: os aspectos culturais relacionados às características e motivos de consumo, mercado ainda pouco desenvolvido tecnicamente, referência ruim de qualidade considerando os produtos disponíveis no mercado, desafios de distribuição por parte de produtores e indústrias, falta de inovação e baixo poder aquisitivo médio da população.

Nos últimos três anos, no entanto, o desenvolvimento notório do mercado de sorvete do tipo “gelato” trouxe para o consumidor uma nova referência de qualidade e começou a gerar mudanças importantes nos hábitos e características de consumo.

O mercado rapidamente percebeu a oportunidade que existia de crescimento na categoria através do aperfeiçoamento técnico, da melhoria na qualidade média e do desenvolvimento de novos modelos de negócio.
Com novas referências estabelecidas e o mercado em potencial desvendado, a grande indústria também teve que se movimentar, inovar e sair do conceito tradicional de sorvete que vinha sendo trabalhado confortavelmente durante as últimas décadas.

Segundo a Mintel, empresa global de inteligência e pesquisa de mercado, o segmento ainda crescerá muito com o desenvolvimento de novas variações do produto nas subcategorias “premium”, saudáveis, orgânicos e veganos.

As oportunidades relacionadas à expansão desse segmento no mercado estão nas áreas de formação de mão de obra, logística, manutenção, locação de equipamentos, armazenamento, embalagens, inteligência de mercado, comunicação, desenvolvimento de produtos e soluções e inovação.

Fique atento e aproveite, 2019 promete!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × 2 =