Não tem tempo ruim para milkshake

0

O milkshake, bebida originada nos Estados Unidos, já conquistou diversos paladares ao redor do mundo. A mistura de leite com sorvete, disponível em vários sabores, fez sucesso.

No Brasil, não é diferente. O clima tropical da região é um dos motivos para o sucesso da bebida durante todo o ano. Esse é um dos fatores que chamaram a atenção de várias empresas ao investirem no mercado brasileiro.

Muitas redes, nacionais e estrangeiras, investem massivamente nesse setor. O milkshake é um dos vários produtos oferecidos pelas redes de fast-food que, para se diversificarem no mercado, focam inovações o ano todo.

REDE 100% BRASILEIRA

A história do Bob’s no Brasil começou relacionada ao milkshake. O tenista norte-americano Robert Falkenburg fazia viagens ao país e sentia dificuldade de encontrar um milkshake saboroso. Foi assim que, em 1951, ele abriu a Falkenburg Sorvetes que, no ano seguinte, passou a vender também hambúrgueres, transformando-se na marca Bob’s.

A rede possui sabores de milkshake como Ovomaltine, Chocolate, Morango e Napolitano. Além desses sabores, a marca lança, todo ano, pelo menos três novos sabores disponíveis por tempo limitado. Em 2014, por exemplo, foram lançados os sabores banana com chocolate, limão crocante e maracujá.

Presente no mercado desde 1958, o milkshake de Ovomaltine do Bob’s foi uma aposta que tem dado certo. A bebida é, ainda hoje, a mais pedida desde seu lançamento. De acordo com Carlos Pollhuber, diretor de marketing do Bob’s, o segredo para o sucesso está na tradição. “O milkshake de Ovomaltine do Bob’s foi o primeiro da história a ser feito com este sabor, com uma fórmula única, que seguimos até hoje”, ressalta.

Natural dos Estados Unidos, a bebida chegou ao Brasil com um grande potencial de vendas. Mas para conquistar o paladar brasileiro, foram necessárias algumas mudanças. ”A adaptação dos produtos ao gosto dos brasileiros é uma característica do Bob´s muito relevante e é uma das grandes responsáveis pela autenticidade e sucesso da marca.” afirma Pollhuber.

A base do milkshake é bem simples e com poucos ingredientes: leite e sorvete. Mas, com o decorrer do tempo, essa receita começou a ganhar outros ingredientes para se diversificar no mercado. Além dos itens para preparação da bebida, o maquinário normalmente também é utilizado na produção. Para bater os ingredientes e chegar na consistência precisa, muitos empresários investem em aparelhos para fabricar milkshakes melhores.

O embate entre preço para produção e da venda nem sempre são justos. Apesar disso, Pollhuber diz que não é algo que alarma o Bob’s. “Seguimos uma fórmula exclusiva, que inclui insumos de alta qualidade. Apesar disso, mantemos sempre um preço acessível a nossos clientes, através de negociações com fornecedores”, explica.

Engana-se quem pensa que no inverno as vendas de milkshake caem no Brasil. Muito pelo contrário, o inverno brasileiro possui algumas características favoráveis para os comerciantes de bebidas e produtos gelados. Além das temperaturas serem amenas nessa época, o período das férias também contribui para o sucesso das vendas. Devido ao fato de haver muitas pessoas circulando fora de casa, as vendas sobem.
Pollhuber destaca outro fator que faz as vendas da rede não recuarem. ”Sempre temos um lançamento de produto neste período, normalmente com sabores mais intensos, o que também contribui nas vendas”, conta.

MERCADO FAVORÁVEL

A rede de franquias Doggis surgiu em 1987, no Chile, com o hot dog como carro-chefe da marca. A empresa chegou ao Brasi apenas em 2009, pela Brasil Fast Food Corporation ( BFFC), uma das maiores empresas de alimentação fora do lar, responsável pelas marcas Bob’s e Pizza Hut.

A busca para oferecer lanches mais completos fez com que o Doggis comercializasse outros produtos, entre eles, o milkshake. O diretor de marcas do Doggis, Bruno Grossman, diz que considera o setor de milkshakes muito promissor no Brasil. “Vivemos em um país quente, com temperaturas altas em boa parte do ano.

Sobremesas geladas sempre estão em alta. Novas sorveterias estão surgindo no mercado a todo momento, variando entre as categorias sorvetes, picolés, frozen yogurt, paletas mexicanas etc.”, ressalta.
Mesmo com o aumento de sorveterias de menor porte vendendo milkshakes, o empresário diz não notar essa rivalidade com a marca. “O Doggis é bastante pulverizado no Brasil, ainda não sentimos uma concorrência direta com sorveterias menores”, diz.

A empresa tem sabores de milkshake mais clássicos, que são: chocolate, morango e caramelo, além do novo milkshake de brownie. Pensando em inovar no mercado, o Doggis planeja mudanças no setor de gelados. “Estamos pensando as novidades de acordo com tendências do mercado internacional e também fazendo estudos para inovar e usar produtos nunca antes usados” afirma Grossman.

Presente em 12 estados brasileiros, o Doggis conta como pensa os sabores para o país. Grossman relata que o novo sabor, por exemplo, sofreu algumas mudanças ao vir para o Brasil. Na receita original, o milkshake leva cobertura de chocolate. Já no Brasil, a bebida fica sem a adição pela quantidade de açúcar que possui.
“Claro que, se o cliente preferir, incluímos a cobertura em seu milkshake” diz.

INOVAÇÕES

A rede Giraffas, fundada em 1981, comercializa o milkshake como uma maneira de oferecer mais opções para seus clientes e aumentar o mix de produtos oferecidos. A empresa foca em inovações para manter esse mercado aquecido.

De acordo com Ricardo Guerra, diretor de marketing do Giraffas, esses investimentos são feitos para tornar o cardápio mais atraente para o cliente. “Nossas inovações são pensadas de acordo com as oportunidades trazidas pelas estações do ano, datas comemorativas e tendências observadas no hábito de consumo dos nossos consumidores”, conta.

Um dos exemplos dessas inovações é o milkshake Paçoquita, uma parceria com a marca para celebrar o período junino de 2013. A parceria deu tão certo que se tornou item fixo no cardápio do Giraffas.

Guerra relata que os sabores de milkshakes já estão “abrasileirados”, mas nem sempre foi assim. “No início, os sabores eram mais fiéis ao padrão norte-americano, contudo, à medida que nós, brasileiros, incorporamos esse produto à nossa cultura, os produtores passaram a adaptá-lo ao nosso paladar”, explica.

A rede Giraffas é 100% nacional e conta com aproximadamente 400 restaurantes em todo país. De acordo com o site da empresa, somente no ano de 2014, a rede foi responsável por 11 mil empregos diretos e faturou o equivalente a um bilhão de reais.

Com os avanços da marca, o Giraffas investiu também fora do país. Foram lançadas, em 2011, algumas unidades da rede também na Flórida, nos Estados Unidos. De acordo com os dados fornecidos pelo site da rede, no período de 2006 a 2014, a empresa obteve o crescimento de 220%.

Para abrir uma unidade, é necessário investir entre R$600 mil e R$ 800 mil. A área mínima necessária é de 70m².

De acordo com Guerra, considerando o milkshake como setor de sobremesas, o segmento representa 50% do faturamento total da empresa. A organização afirma que considera essa área promissora e que o segredo está em investir em inovações para o mercado. “Acreditamos que há muitas oportunidades para serem exploradas nesse mercado de forma inovadora”, destaca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × três =