Mudanças na lei para continuar crescendo

0

Em meio às futuras mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), sugeridas pelo governo Temer, foram cogitadas duas formas de contratos que podem beneficiar bares, restaurantes, donos de empresas de eventos, dentre outros estabelecimentos. Trata-se do contrato parcial e do intermitente. Eles se revelam em formas de reduzir custos operacionais e isso dá ao empregador mais condições de dar oportunidade de trabalho para várias pessoas numa época em que a taxa de desemprego chega a patamares de 12%.

No caso do contrato parcial, a jornada de trabalho acontece em dias e horas previstas pelo empregador, e o colaborador pode ser contratado apenas para esses dias. Isso passa a atender estabelecimentos que têm mais movimento nas sextas, sábados e domingos. Esse contrato está previsto na legislação atual, mas sua regulamentação é considerada precária por grande parte dos empresários.

Já o contrato intermitente é ainda mais interessante: já pensou em ter um funcionário apenas quando realmente precisa dele, tudo de forma regulamentada? Com esse contrato, os trabalhadores são acionados apenas na demanda. Exemplo disso é um restaurante que mantém o vínculo com seus garçons e cozinheiros somente para um evento ou para uma festa específica.

A flexibilização das leis trabalhistas é de profunda importância, assim como a regularização de contratos que beneficiem o desenvolvimento da economia e do mercado de trabalho. Com a regulamentação, amplia-se o leque de opções tanto para funcionários quanto para empresários. Jovens e aposentados poderiam ter a oportunidade de serem inseridos no mercado de trabalho e garantirem uma renda extra.

Beneficiar-se dessa novidade para trabalhar o capital humano visando redução de custos e aumento das vendas é providencial para atravessar esta crise que ainda parece perdurar. Mesmo se o projeto não obtiver aprovação, é importante pensarmos nas possibilidades que teríamos com uma legislação mais maleável e, junto a nossas associações, cobrarmos velocidade e eficácia de nossos governantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

seis + 3 =