Lucros em movimento

0

Consumo “on the go” é cada vez mais intenso no País. Empresas miram o acompanhamento dos novos hábitos da população e pensam em produtos especiais para todos os momentos

Quase todo mundo já viu aquelas cenas de filme ou novela em que os personagens têm que correr pelas ruas ainda tomando o café da manhã ou “almoçando” por estarem atrasados para algum compromisso ou em suas tarefas diárias, não é? Ou as clássicas cenas de algum protagonista dessas produções andando pelas ruas de grandes metrópoles com aquele copo de café expresso, ainda de manhã.
Hoje, num mundo em que cada segundo “vale ouro”, às vezes é necessário se alimentar em deslocamento, seja por necessidade, seja por preferência. Esses dias em que cada vez estamos mais em movimento vêm trazendo consigo uma nova tendência no mercado food service: o “on the go”.

Soluções cotidianas

Lucros em movimento
“Desde o início de 2019 temos investido em lançamentos que não só atendam, mas também representem o desejo do consumidor por soluções práticas, que acompanhem o estilo de vida moderna”, afirma Andrea Köhler, gerente executiva da marca Fini

Andrea Köhler, gerente executiva da marca Fini, uma das principais produtoras mundiais de balas de gelatina, marshmallows, tubes e chicles, destaca o crescimento do mercado de alimentação “on the go” e a que se deve o aumento no investimento neste.
“Desde o início de 2019 temos investido em lançamentos que não só atendam, mas também representem o desejo do consumidor por soluções práticas, que acompanhem o estilo de vida moderna. O consumo on the go traz produtos práticos, acondicionados em embalagens de pequenas porções, ideais para o consumo em movimento. Temos a nossa linha Pocket de 30g e 40g lançada no ano passado e neste ano lançamos mais duas linhas para este novo mercado. Os Tubes Twister e Morango Cítrico na versão unitária e a linha de Chicle 40g disponíveis em 3 produtos: Morango Azedinho, Salada de Frutas e os Clássicos, cujos sabores mais amados de Fini ganharam a versão em chicle. Disponíveis em embalagens práticas e menores, as novidades reforçam o posicionamento da marca em transformar e acompanhar os diferentes momentos do consumidor. Não abrimos números da empresa, mas o mercado on the go significa um importante incremento nas vendas e um alto potencial representativo para o faturamento”, diz.
A gerente fala também sobre os impactos da pandemia nos negócios, afirmando que a estrutura já existente da Fini permitiu que a empresa conseguisse atender as demandas necessárias mesmo durante a crise.
“Como uma marca referência no segmento de candies no Brasil, temos ampla variedade de canais de vendas para atender a demanda do mercado. Estamos nas principais gôndolas do varejo, atacados e farmácias, além do e-commerce próprio da marca. Além disso, durante o fechamento temporário dos shoppings, auxiliamos nossos franqueados com a ativação das vendas nas franquias por meio do delivery nos aplicativos de entrega como IFood e Rappi, com resultados positivos e significativos para o canal, que seguem em ascensão mesmo diante da reabertura dos estabelecimentos”.
Sobre como explorar o crescimento do mercado “on the go”, a gerente executiva fala acerca da importância da aproximação com o público consumidor e da realização de campanhas e inovações.
“Estar presente na rotina dos brasileiros é estar próximo, é saber celebrar todos os momentos ao lado dele, é saber traduzir e oferecer soluções que os ajudem no dia a dia. É propor vivência e experiência com a marca. Por isso, estamos nas redes sociais, falamos as gírias, os memes, criamos challenge no Tik Tok, receitas inusitadas com Fini e estreitamos nossos canais de relacionamento, entretenimento e experiência com novas possibilidades de compras, como o delivery nas franquias, campanhas no e-commerce e nos pontos de vendas, além de inovações e lançamentos que surpreendam no sabor e formato”.

Campanhas criativas e expansão

Lucros em movimentoA Fini também é conhecida por campanhas criativas, como a do “Dias dos Solteiros”, em 15 de agosto, em que todas as compras realizadas na data no e-commerce da marca ganharam um pacote de Beijos de Morango açucarados, para ninguém ficar sem beijos.
“A Fini é uma marca jovem, antenada, alto astral. Trabalhamos um calendário que se conecta diretamente ao nosso consumidor, afinal ele nos inspira a criar, inovar e transformar. As datas reforçam nosso tom e posicionamento de marca bem-humorada e descontraída ao abordar, de forma divertida, momentos que vão além do calendário do varejo, como o Dia do Solteiro, do estagiário, do sorriso, das gostosuras ou travessuras, do Beijo (só se for de Fini), do orgulho geek, entre outros”.
Em 2020, a Fini vem expandindo sua rede de franquias, em especial no Nordeste brasileiro. A meta é de 100 lojas no país até o fim de 2021.
“A Fini tem um modelo diferenciado de franquias, que valoriza a operação e gestão simples, oferece a experiência única de compra a granel com um portfólio composto com os clássicos Fini e produtos exclusivos, que acompanham as principais tendências mundiais do segmento de candies. Além disso, é uma oportunidade única de empreender, pois tem um valor baixo de investimento. Nossa previsão é alcançar a meta de cem lojas até o fim de 2021. Atualmente, temos mais de 70 quiosques distribuídos em todo o Brasil e nesse segundo semestre estamos ampliando presença no Nordeste, Centro-Oeste e Sul, além do estado de São Paulo”.

Praticidade que traz qualidade

Lucros em movimento
Gare Marques é sócio fundador e diretor de marketing da Mais1 – Café, cafeteria que trabalha com entregas no formato “on the go”. De acordo com ele, a tendência do formato é mundial

Gare Marques é sócio fundador e diretor de marketing da Mais1 – Café, cafeteria que trabalha com entregas no formato “on the go”. De acordo com ele, a tendência do formato é mundial.
“Consideramos que o formato ‘to go’, não só para cafeterias, é uma tendência mundial por vários fatores, como praticidade, agilidade e necessidade de espaços reduzidos, o que cada dia é mais importante nos centros urbanos. E isso só veio a fortalecer durante a pandemia”.
Sobre os impactos da pandemia, Gare afirma que houve perdas de um lado e ganho do outro, classificando o saldo como positivo para o mercado “on the go”.
“Nós tivemos perda de um lado, com o fato de as pessoas não estarem na rua e grande parte dos escritórios estar em home office. Em contrapartida, tivemos bastante aceitação, pois nosso modelo é completamente compatível com o momento, pois evita aglomerações e permite o consumo mesmo durante os momentos mais críticos de isolamento”, diz.
A Food Service News perguntou se houve grandes mudanças na forma de trabalho do Mais1 – Café durante a pandemia. “Não necessariamente. Temos o formato delivery, mas isso já fazia parte do nosso plano de negócio e não foi criado em virtude da pandemia. Além disso, fortalecemos ainda mais os padrões de segurança, seguindo recomendações da OMS, para minimizar todo e qualquer risco”.
Gare também ressalta a importância do bom relacionamento com o público. “Nosso maior foco com certeza é o consumidor final, pois acreditamos que o crescimento da rede e do número de lojas está completamente ligado a isso. Portanto, a maior parte da nossa mídia é destinada com este objetivo. Fazemos também ações locais, com empresas, condomínios e outros próximos a cada loja. Utilizamos como principal ferramenta as redes sociais, tanto orgânica quanto paga, e atuamos bastante com influencers digitais. Além disso, fizemos mídias em aeroporto e estamos sempre buscando novas formas para alcançar novos públicos”, afirma.

Fini
finistore.com.br
Mais1 – Café
mais1cafe.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × 3 =