Fast food é opção de almoço no Rio

Lanchonete e redes de fast food tem ganhado peso principalmente por executivos

0

Os consumidores de fast food no Rio de Janeiro começaram a mudar o perfil. Agora, é comum ver executivos circulando por lanchonetes no horário de almoço.

O advogado Fábio Eustáquio,29, é um desses exemplos. Antes, ele não costumava frequentar hamburguerias no horário de almoço mas, com a alta da inflação na alimentação fora de casa, o empresário tem mudado seus hábitos. Nesta terça-feira, o advogado esperou aproximadamente dez minutos na fila do Burger King, onde precisava cumprir a meta de gastar até R$25 em uma refeição.

“No último ano, notei que (comer fora de casa) ficou mais caro. Já tentei trazer marmita, mas me falta disciplina para fazer comida. Procuro alternar os restaurantes com as opções mais em conta. Um dia estou aqui, no outro vou ao KFC, ao Spoletto”, ressalta.

Nos últimos 12 meses, o custo com a alimentação fora de casa subiu 8%, é o que afirma o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O administrador Jorge Pecly, 28, conta que aderiu aos hambúrgueres pelo menos duas vezes na semana e, mesmo assim, precisa conter seus gastos.

“Mesmo assim, na última semana do mês, o dinheiro do tíquete-refeição para o almoço acaba. Estamos gastando mais. Isso é notável. Quando não como aqui, no Burger King, procuro os restaurantes a quilo mais baratos ou os pratos executivos. Não dá para ficar sem comer, mas, às vezes, é preciso andar um pouco mais para conseguir as melhores ofertas”, explicou Jorge.

O Rio de Janeiro é considerada uma das cidades mais caras para se comer no Brasil. De acordo com a Associação de Empresas de Refeições e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert ), o custo médio para se alimentar na cidade é de R$ 33,66 , acima da média nacional, que é R$ 27,36.

Fonte: O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

um × 4 =