Fartura de criatividade

0

Rodízios, cada vez mais, englobam itens diversificados. Hoje o formato já abrange mini-hambúrguer, comida mexicana, coxinha, brigadeiro, entre outros

No Brasil, os rodízios de carne e de pizza são alguns dos mais comuns de serem encontrados, assim como os de comida japonesa. Mas a variedade desse tipo de serviço aumenta a cada dia, com diferentes tipos de alimentos sendo oferecidos, o que consegue agradar diversos consumidores.

Encarando desafios

Fartura de criatividade
“Aí começaram as criações, pois o mercado de hamburgueria artesanal em São Paulo já estava criado e para entrar ou tinha de investir muito dinheiro ou criar algo novo”, afirma Jeferson Lodi, proprietário da Mais Burguinho

Jeferson Lodi, proprietário da Mais Burguinho, hamburgueria que oferece o rodízio de mini-hambúrguer, conta sobre como entrou no mercado de food service, impulsionado pelo conhecimento adquirido atuando em sua outra profissão.

“Eu e minha esposa, Natália Lodi, temos a Mais Burguinho há três anos. Somos engenheiro civil e arquiteta e temos uma empresa que faz projetos de reformas. Entre nossos clientes, sempre apareceram restaurantes, e por me aprofundar muito em tudo que faço, comecei a conhecer uma cozinha a fundo, bem na época do boom das hamburguerias artesanais. Por esse motivo, comprei uma hamburgueria antiga em São Paulo”, ressalta.

O empresário também relata como surgiu a ideia de investir nesse tipo diferente de serviço. Segundo ele, o “empurrão” veio de sua filha, após ver o alimento numa festa infantil.

“Aí começaram as criações, pois o mercado de hamburgueria artesanal em São Paulo já estava criado e para entrar ou tinha de investir muito dinheiro ou criar algo novo. Em uma festa infantil, minha filha chegou correndo com um hamburguinho e me falou: ‘Olha, pai, igual o nosso’. Respondi: ‘Não, filha, não fazemos hambúrgueres deste tamanho’. Ela retrucou: “Mas deveria!”.

Segundo ele, após o conselho inusitado, começou a pesquisar e descobriu que não existiam serviços do tipo em São Paulo. Com isso, passou a tentar entender o porquê dos mini-hambúrgueres serem um produto não explorado no comércio local.

“Isso me deixou pensativo e comecei a pesquisar o mercado e descobri que não tinha rodízio de mini-hambúrguer em São Paulo. Comecei a fazer contas e descobri os motivos:
medo de tomar um baile dos clientes, margem de lucro baixa e muita, muita, muita, muita e repito muita mão de obra”, destaca.

Apesar dos percalços, Jeferson e Natália decidiram investir no produto e, segundo ele, mesmo não tendo sido fácil, persistiram e logo colheram os frutos.

“Com isso encarei o desafio e comecei a desenvolver o rodízio”, relata. “Em menos de três meses, aquela hamburgueria que nunca teve os 20 lugares ocupados estava com uma fila longa de 1h30 a 2h, no mínimo, de domingo a domingo. Em menos de um ano, tivemos que largar o pequeno lugar e nos mudar para uma esquina no mesmo bairro. A nossa capacidade saiu de 20 lugares para 120 lugares. Também em pouco tempo, recomeçaram as filas aos fins de semana. Em 2019, abrimos a nossa segunda unidade com mais 90 lugares para diminuir as filas”, conta.

Reinvenção constante

Fartura de criatividade
“A nossa capacidade saiu de 20 lugares para 120 lugares”, conta Jeferson Lodi, proprietário da Mais Burguinho

Jeferson fala ainda sobre os principais desafios de procurar inovar no serviço oferecido aos consumidores, ressaltando a importância de não se acomodar, mantendo-se em constante movimento para que o estabelecimento não fique obsoleto.

“O nosso maior desafio hoje é manter a qualidade e sempre inovar. Não posso pensar que o jogo está ganho, pois uma hora vem alguém e melhora minha ideia”, pontua.
O empresário ressalta o desejo do Mais Burguinho de fazer com que os clientes comam bem e com fartura, pagando um valor justo.

“Queremos que nossos clientes comam produtos de qualidade, sem ter que ‘vender um rim’ para isso. Para ter uma ideia, fazemos tudo aqui. Quando falo tudo é tudo mesmo: pão, moemos as carnes, o sorvete, os molhos, as sobremesas, as batatas, as conservas
etc. Em breve queremos fazer o nosso próprio queijo! Quem sabe, né?”.

O poder do conhecimento

Samir Diba Neto, proprietário da Tacos Londrina, restaurante mexicano que serve rodízios, fala sobre a ideia de trabalhar com esse tipo de serviço.

“A ideia surgiu há sete anos, quando eu gerenciava um restaurante mexicano e conheci minha mulher e ela me convidou para montar um restaurante mexicano em Maringá”, relata.

Ele comenta sobre o grande benefício de se trabalhar com um rodízio diferente, afirmando que isso dá ao cliente a oportunidade de conhecer mais a fundo a culinária em questão, pagando um valor acessível.

“O principal benefício de se trabalhar com rodízio é que é uma culinária diferente, a qual a maioria das pessoas não conhece. E a ideia de ter criado o festival/rodízio de comida mexicana é que eu consigo trabalhar com todas as opções do cardápio, quase todas, em miniporções, onde as pessoas conseguem experimentar um pouco de tudo, sentir a culinária mexicana inteira, pagando um valor mais baixo, podendo conhecer”, afirma.
Questionado sobre os principais pontos de atenção ao trabalhar com um estabelecimento que oferece produtos que fogem do comum, Diba Neto ressaltou a importância da relação com os clientes, além de enfatizar que hoje a atenção da administração e funcionários tem que estar voltada às questões trazidas pela pandemia da Covid-19.

“Primeiramente focar o atendimento aos clientes e devido a essa pandemia focar as normas preventivas, para não propagar a pandemia. A gente tem que cuidar das pessoas. Hoje o ponto de atenção é mais nessa parte da pandemia”, salienta.

Samir ressalta a possibilidade que trabalhar com uma culinária diferente traz. “No começo é bem difícil porque a gente não sabia como ia ser o público paranaense, por trazer uma culinária diferente de tudo que eles já tinham experimentado. Mas Graças a Deus foi um sucesso. O bom de se trabalhar com uma culinária diferente é que tem menos opções para as pessoas saírem, então quando têm vontade de comer comida mexicana já vão para o ‘Tacos’. Hoje estamos com um nome bem bacana, bem forte”, afirma ele.

Mais Burguinho
maisburguinho.com.br
Tacos Londrina
www.instagram.com/tacoslondrina/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

seis − 6 =