Experiência consagrada

0

carreira

Décadas de muito trabalho, expansão e consolidação das marcas tornam empresas brasileiras referências em suas áreas de atuação.
Ao longo de suas histórias, três empresas de diferentes segmentos alcançaram resultados tão positivos que merecem ser destacados. Acompanhe nesta matéria especial da Revista Food Service News a trajetória de sucesso de algumas dessas empresas.

Tecnologia inovadora

A GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação comemora 30 anos promovendo a automação comercial em todo o país. Fundada em 1983 por empresários da indústria e do varejo que já viam a automação como elemento fundamental, introduziu em 1984 junto a varejistas e indústrias o código de barras no mercado, uma espécie de RG dos produtos, aposentando a etiqueta de preço nos itens e a digitação manual nas lojas.
Das primeiras etiquetas com código de barras ao avanço da comunicação digital, a entidade participou ativamente de mudanças significativas na evolução tecnológica do mercado brasileiro e há 30 anos promove a automação comercial em todo país, fomentando a economia e a cadeia de suprimentos nacional, inserindo associados e parceiros numa rede global de crescimento contínuo e sustentável.

A Associação conta, atualmente, com 57 mil associados e faz parte de uma federação de 111 organizações-membro no mundo que disseminam o Sistema GS1. “Esse sistema permite a integração logística e comercial entre parceiros da cadeia de suprimentos de diversos setores, em um âmbito global. Ele é utilizado por empresas do mundo todo não só para aumentar a produtividade, mas também para reduzir custos em processos comerciais e logísticos”, explica Virginia Villaescusa Vaamonde, diretora de Marketing da GS1 Brasil.

Ao estimular o uso de padrões, a Associação colabora para a maior eficiência dos processos das empresas, como gerenciamento de produção e estoques, transporte, logística, rastreabilidade e relacionamento com parceiros e fornecedores. “Os benefícios da padronização proporcionados às organizações chegam até o consumidor. O código de barras e outras soluções estão por trás do atendimento ágil em lojas do varejo e de sistemas que permitem acessar informações sobre a origem dos alimentos que consumimos”, diz a diretora.

Entre outras vantagens destacadas estão a redução do custo e complexidade de processos; aumento da visibilidade; redução de erros; habilitação de recall e de relatório de eventos adversos; otimização de processos como recebimento, movimentação e expedição de produtos; rastreabilidade.

Uma das frentes de trabalho mais fortes da GS1 Brasil é disseminar o conhecimento sobre a automação e a importância da padronização. Mas esse trabalho vai além, pois a entidade sempre está atenta às tendências tecnológicas de ponta com o objetivo de repassá-las aos seus associados. “Para isso, a diretoria e o corpo técnico marcam presença em eventos importantes de diferentes setores, no Brasil e no mundo, levando conhecimentos sobre a automação do mercado brasileiro e trazendo novas tendências”, relata a diretora.
O relacionamento com organizações parceiras para troca de informações, experiências e ações práticas que beneficiam os vários segmentos da economia e contribuem para maior conforto e segurança de todos os consumidores aparece como uma das chaves do sucesso da GS1 Brasil. “A parceria com mais de 40 organizações de diferentes áreas demonstra a importância do Sistema  GS1 e da automação para a comunidade de negócios e para a sociedade”, comemora Virginia.

A GS1 Brasil se preocupa em reconhecer todos os esforços das empresas para aprimorar os processos de automação e padronização. Para celebrar essas conquistas, há 15 anos realiza o Prêmio Automação, que reconhece as empresas e organizações que se destacam na utilização ou disseminação dos padrões GS1. “Temos, também, o projeto GS1 Brasil 30 anos que celebra o esforço da organização em atender a comunidade de negócios, principalmente na última década, quando reforçamos nossa atuação em diversos setores da economia com nossos padrões. Esse projeto resgata a história da automação no Brasil por meio de fatos e depoimentos de personagens importantes no Brasil e no mundo que nos ajudaram a fazer com que os padrões GS1 fossem adotados em nosso país. Além do livro impresso, lançamos um hotsite no endereço www.gs1br.org/30anos, que congrega todas essas informações e ainda traz uma linha do tempo da automação no Brasil”, destaca a diretora.

Em 2012, a GS1 Brasil estabeleceu um canal direto em Brasília, inaugurando um escritório na capital federal para intensificar o relacionamento com os órgãos governamentais. “O objetivo é criar ações estratégicas com os setores do Governo Federal e do Congresso Nacional para disseminar o uso dos padrões globais. Como exemplo do trabalho da entidade no Distrito Federal está a participação nas Câmaras Setoriais, organizadas pelo Ministério da Agricultura. Representantes da GS1 Brasil têm lugar cativo nas discussões dos seguintes grupos setoriais: carne bovina; fruticultura; leite e derivados; cachaça; algodão; viticultura, vinhos e derivados; infraestrutura e logística, entre outros. A entidade também participa de reuniões e audiências junto a alguns ministérios e agências do governo, como Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX), Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), dentre outras”, explica Virgínia.

Entre os desafios para os próximos anos, a diretora apresenta a inauguração do Centro de Inovação e Tecnologia. “Será mais que um showroom, pois terá o objetivo de demonstrar na prática a aplicação dos padrões em diferentes elos da cadeia e setores”, finaliza.

50 anos de serviços

Fundada no dia 23 de outubro de 1963 pelo Padre Luís Luise e mais 32 agricultores imigrantes dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a Copacol (Cooperativa Agroindustrial Consolata) surgiu com o objetivo de oferecer aos produtores da região possibilidades de crescimento e melhoria da agricultura.
Com sede em Cafelândia (PR), a Cooperativa comemora 50 anos em 2013. De acordo com Valdemir Paulino dos Santos, gerente da Divisão Comercial de Carnes da Copacol, os maiores desafios enfrentados para alcançar a consolidação no mercado tiveram relação com a concorrência. “A concorrência com os grandes plays do mercado foi uma grande barreira, já que os pesados investimentos deles no ponto de venda e em propaganda eram difíceis de manter”, diz.

Os números da Copacol mostram que essa barreira foi superada: hoje possui mais de 4,8 mil associados e mais de 7,2 mil colaboradores, 340 mil aves e mais de 30 toneladas de tilápia são abatidas por dia, além de proporcionar a seus associados e colaboradores qualidade de vida e crescimento profissional.
Ao longo de sua história, a Cooperativa vem ampliando seus negócios em busca da sustentabilidade. A empresa conta desde 2009 com o seu Propósito Estratégico chamado G.P.S. 2.5.25. Nele, a Copacol traçou metas de crescimento em cinco anos, considerando três pontos centrais: Geração de Receitas, com meta de alcançar R$ 2 bilhões em faturamento; Produtividade, com meta de obter a rentabilidade de 5%; e Sustentabilidade, com meta de capacitar e treinar 25 mil participantes em programas de desenvolvimento.
Com o objetivo traçado, a Copacol vem, diariamente, ampliando seu mix de atividades e produtos. Dentre seus principais projetos, a Cooperativa colocou em atividade em janeiro de 2012 a Unidade Industrial de Soja, com capacidade para esmagar 1.800 toneladas de soja por dia, com geração de 60 empregos diretos. O investimento de R$ 80 milhões torna a Copacol autossuficiente na produção de óleo e farelo de soja, que são utilizados em suas fábricas de rações.

Buscando oferecer novas oportunidades no campo para os associados, a geração de empregos e o fortalecimento dos municípios de sua região, a Copacol em parceria com a Cooperativa Coagru instituiu a Unitá Cooperativa Central, em Ubiratã-PR. Juntas, as cooperativas projetaram em 2013 a inauguração do Abatedouro de Aves com capacidade de abate inicial de 160 mil cabeças ao dia, com projeção de ampliação para o abate de 320 mil aves ao dia a partir de 2015.

Hoje, 60% da capacidade de abate de carne de frango da Copacol são destinadas ao mercado interno e 40% atendem consumidores de mais de 40 países. Com certificações  ISO 9001, BRC – Produtos Alimentícios e APPCC/HACCP – Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle, os produtos da Copacol atendem os mercados mais exigentes como Europa e Ásia “A busca pela excelência na qualidade dos produtos e serviços é o diferencial da Copacol”, afirma o gerente.

A Copacol completa, também em 2013, 30 anos de atuação no mercado externo na comercialização de produtos a base de frango em cinco continentes. Somando todas as suas atividades, a Copacol alcança um faturamento de R$ 1, 388 bilhão ao ano.

Os investimentos tecnológicos da Copacol no processo de incubação dos ovos, assistência técnica avançada, abate, industrialização e comercialização, aliado às certificações ISO 9001, BRC – Produtos Alimentícios e APPCC/HACCP – Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle, certificam-na não apenas como uma indústria apta a produzir alimentos, mas como uma empresa especializada e segura para atender demandas do mundo inteiro, incluindo os mercados mais exigentes como o da Europa e da Ásia.
Como resultado de todo esse processo de integração e organização e focada no crescimento sustentável, a Cooperativa conta atualmente com 10 unidades para recebimento e armazenagem de grãos na região Oeste do Paraná, onde serão recebidas mais de 900 mil toneladas de grãos em 2013, principalmente das culturas de soja, milho e trigo, além de contar com cinco filiais de vendas para a comercialização de seus produtos a base de frango e peixe em todo o território nacional.

Para Valdemir, os desafios da Copacol continuam. “Queremos a consolidação de nossa marca como sendo uma empresa de alimentos e aumento de participação no mercado”, conclui.

Reconhecimento nacional

“Só quem tem uma história de 50 anos pode buscar inspiração no passado, dar uma interpretação atual e planejar o futuro, estando sempre atento às novas técnicas de hoje, para oferecer ao consumidor os melhores queijos e manteiga, evidenciando nossas raízes e os sabores de ontem”, discorre Marcel Scalon Cerchi, diretor-executivo do Laticínio Scala, um dos maiores fabricantes de queijos do Brasil.
Em 1963, nascia o Laticínio Scala, pelas mãos de Leonildo Luigi Cerchi, seu fundador. No início, produzia apenas manteiga, mas, com o passar dos anos, modernizou a fábrica e começou a produzir outros produtos. “Desde 1963, o Laticínio Scala atua no mercado de forma responsável, ética e com ações de sustentabilidade para ter desenvolvimento econômico viável, social justo e ambiental correto, e sempre priorizando a qualidade e respeito às pessoas acima do ganho financeiro”, afirma Marcel.

A empresa está localizada em Sacramento, entre o Alto Paranaíba e o Triângulo Mineiro, na região da Serra da Canastra, onde se produz leite de altíssima qualidade. Nessa trajetória de 50 anos, o Laticínio Scala enfrentou desafios, mas eles sempre foram encarados como oportunidades para crescer e inovar. “A principal meta sempre foi a de manter a qualidade dos produtos, fazendo com que os clientes acreditem na nossa missão de oferecer qualidade com confiança e respeito”, afirma o diretor. “Implementamos ações estratégicas, destacando as que visam a melhoria na qualidade do leite e a formação de uma equipe de funcionários de alta performance, para oferecer o melhor produto, fabricado com qualidade e extremo zelo. Estas ações foram percebidas pelo nosso consumidor, o que gerou confiança e fidelidade”, completa.
Dentre as maiores conquistas, o diretor destaca o reconhecimento do mercado. “Temos o reconhecimento como um dos melhores queijos do Brasil, e é nisso que encontramos a confirmação de que conseguimos fazer produtos em alta escala mantendo o sabor e a qualidade original. Este é um fator que gerou a confiança na marca e nos permitiu alavancar o nosso crescimento com solidez”, comemora.

Para os próximos anos, a empresa quer reafirmar o compromisso com a qualidade. “Nosso caminho, marcado por muitas conquistas e inovações, nos impulsiona a continuar crescendo com solidez, automatizando e modernizando nossos processos e mantendo a qualidade e sabor tradicional dos nossos produtos, nos tornando referência no mercado. Comemorar 50 anos é o momento de reafirmarmos o nosso compromisso e respeito com os nossos consumidores para fortalecer o reconhecimento nacional”, finaliza.

GS1 Brasil:
www.gs1br.org

Copacol:
www.copacol.com.br

Scala:
www.latscala.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco × dois =