Em franco Crescimento

0

O franchising, modelo de negócio importado dos Estados Unidos na década de 1960, faz sucesso no Brasil, que se tornou o segundo país do mundo com o maior número de franqueadores. Entre 2002 e 2012, o faturamento desse setor passou de R$ 28 bilhões para 103,292 bilhões. Neste mesmo intervalo, o número de redes subiu de 650 para mais de 2.400. As informações são da ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Uma pesquisa realizada pela entidade mostrou que as franquias de alimentação foram as que mais cresceram nos últimos anos, de 12.015 unidades em 2010 para 13.866 em 2011. Muitas redes do segmento têm apostado no franchising como forma de crescer e conquistar cada vez mais clientes. Para isso, apostam em atrativos variados a fim de atrair futuros franqueados.

Aceitação total

A Mil Milkshakes é uma marca de sorvetes fundada em 2005, conhecida pela variedade de sabores do seu produto. Por conta do sucesso, a empresa decidiu aderir ao sistema de franquias em 2007. Hoje, conta com mais de 50 lojas em 11 estados brasileiros.

De acordo com Ofélia Massis, gerente de operações e expansão da Mil Milkshakes, para abrir uma franquia da rede, algumas características são essenciais, como “possuir espírito empreendedor, determinação, disponibilidade para estar à frente do negócio, facilidade de relacionamento e, principalmente, ter disposição para evoluir junto à marca”, afirma. A quantia inicial necessária para a abertura de uma unidade é de R$ 70 mil a R$ 115 mil. Há retorno financeiro após 18 meses.
Entre os atrativos oferecidos pela Mil Milkshakes para os interessados em abrir uma franquia da rede, Ofélia destaca o suporte total ao franqueado por meio de treinamento e reciclagem, suporte administrativo, operacional e consultoria especializada. Segundo ela, o mercado está bastante propício à abertura de novas unidades. “Oferecemos um produto que tem aceitação de todas as faixas etárias e financeiras. O clima tropical do Brasil é ideal para a venda dos nossos produtos, além de o custo de implantação não ser tão alto e a operação da franquia ser simples”, diz.

Conforme conta Ofélia, a Mil Milkshakes busca atingir todos os públicos, mas foca nas classes C e D. “Com a ascensão da classe C, este público tem se tornado mais exigente, buscando qualidade com preço justo, e nós oferecemos isso com valores acessíveis”, diz.

Em 2012, a empresa obteve faturamento de cerca de R$ 16 milhões e espera fechar contratos de aberturas de 50 novas unidades até o fim deste ano, “totalizando 100 unidades localizadas em todo o Brasil”, conclui Ofélia.

Franquia sob demanda

A China House, rede de restaurantes especializada em culinária chinesa, foi fundada em 1995. Em 2001, aderiu ao sistema de franquias devido a constantes solicitações de interessados. Para abrir uma unidade da empresa é necessário, conforme explica o fundador, chef e diretor de franquias, Jorge Torres, ter recursos financeiros para o investimento inicial — em média R$ 260 mil — e ser maior de 25 anos. “Experiência anterior em comércio é sempre bem-vinda também, mas não obrigatória”, afirma.

Suporte durante todo o processo, consultoria jurídica, treinamento financeiro, operacional e treinamento da equipe são alguns dos atrativos que a China House oferece para os seus franqueados. O retorno financeiro aparece após 24 a 36 meses. De acordo com Torres, o mercado está favorável à abertura de franquias da rede. “Continua crescendo, pois aliamos serviço de delivery com alimentação”, diz.

O principal público do China House pertence à classe média, segundo Torres, que completa “a classe C também vem crescendo ano após ano”. Em 2012, a rede abriu uma unidade e, este ano, espera abrir três novas lojas.

Diferenciais diversos

A Red Sun Pizza, rede de pizzarias fundada em 2011, exige dos futuros franqueados o espírito empreendedor, gostar de lidar com o público e servi-lo. “Além disso, é preciso estar disponível para trabalhar no ramo da gastronomia, que exige muito tempo. Paixão pelo negócio, pode acreditar, faz toda a diferença”, ressalta Beto Leite, sócio-diretor da empresa.
A quantia inicial necessária para a abertura de uma franquia da Red Sun é de R$ 400 mil reais, valor que inclui a taxa de franquia e o capital de giro. De acordo com Leite, o retorno financeiro vem entre 28 e 36 meses “de dedicação e trabalho”. O principal público que os franqueados atendem pertence às classes A, B e C, tem entre 25 e 45 anos, inclui casais e grupos de amigos.

A Red Sun Pizza oferece muitos atrativos para os franqueados, segundo Leite. “Além dos sabores exóticos e diferenciados que vão agradar aos fãs das redondas, temos as novidades tecnológicas que estão atraindo empreendedores e conquistando os consumidores”, afirma. No atendimento, a empresa substituiu os cardápios de papel pelos digitais, em tablets. “A inovação tem chamado a atenção dos nossos clientes, pois para muitos é uma experiência inédita, já que eles fazem o pedido pelo aparelho, podem consultar a conta por ele e até mesmo navegar pela internet enquanto apreciam nossas pizzas”, diz. Outro diferencial da Red Sun Pizza está no serviço de entrega, pois a empresa conta com uma hotbox, base de alumínio que mantém as pizzas aquecidas a 80ºC por até 40 minutos. “O pedido chega quentinho na casa do consumidor, como se tivesse acabado de sair do forno”, conta Leite. Além disso, o sistema de pós-venda eficiente e as paredes de vidro com câmeras entre cozinha e consumidores também são destacados por ele.

Quanto ao mercado atual, Leite diz que está bastante propício à abertura de franquias da Red Sun, pois o segmento de franchising, especialmente na área de alimentação, está em alta. De acordo com ele, os diferenciais da empresa também fazem com que os franqueados se sobressaiam no mercado. “Todo mundo gosta de pizza, não tem como negar”, afirma.
Conforme conta Leite, em menos de 12 meses de fundação, a Red Sun Pizza atingiu a meta de quatro mil pizzas vendidas mensalmente e faturou R$ 1 milhão. Em 2012, a empresa cresceu 25% e, com a abertura de 23 novas franquias previstas para este ano, espera crescer 250% em 2013. “Nosso plano de expansão é bem ambicioso”, conclui.

Clientela fiel

A Dídio Pizza, rede paulistana de pizzarias especializada em delivery, apresenta algumas especificações para abertura de franquias da marca: “Primeiramente, é necessário se identificar com a operação do negócio, estar envolvido e dedicar-se integralmente a ele, disposto a arregaçar as mangas e, principalmente, ter o investimento inicial de R$ 260 mil”, diz Elídio Biazini, fundador da empresa.

Segundo ele, os principais atrativos que a Dídio Pizza oferece são o suporte ao franqueado e à equipe, que inclui treinamento operacional, administrativo, financeiro, marketing, RH e logístico, e a infraestrutura necessária para iniciar o negócio. “Além de todo treinamento, a franqueadora cuida também de todo o processo de busca e aprovação de ponto comercial e entrega a loja pronta para o franqueado operar. Esse modelo chama-se turn key, ou seja, chave na mão”, explica. O retorno do investimento aparece em cerca de um ano e 11 meses.
O mercado atual está propício à abertura de franquias da Dídio Pizza, de acordo com Biazini. “Trabalhamos com um produto de grande aceitação no mercado brasileiro, a pizza. No Brasil, ainda existem muitas regiões carentes de um bom produto e de um serviço profissional”, afirma. Segundo ele, os clientes da rede estão distribuídos em todas as faixas etárias e pertencem, principalmente, à classe B.
No ano passado, a Dídio Pizza faturou aproximadamente R$ 14 milhões. Segundo Biazini, 80% desse valor se deve aos 57 mil clientes fiéis que a rede possui, em um total de 104 mil pessoas atendidas mensalmente. Em 2013, a empresa espera crescer 75%. “O plano de expansão prevê a abertura de 15 novas lojas em 2013 nas regiões de São Paulo, Grande ABCD e interior de Campinas”, finaliza.

Experiência na bagagem

A Divino Fogão, fundada em 1984 e especializada na comida típica da fazenda, exige do franqueado disposição de tempo para dedicar-se inteiramente ao negócio, “inclusive para participar de treinamentos administrativos e operacionais sempre que necessário”, completa Reinaldo Varela, fundador e presidente da rede. Segundo ele, é necessário, ainda, ter conhecimento dos hábitos, características e cultura do mercado de atuação, dispor de um investimento inicial de R$ 600 mil, além da taxa de franquia de R$ 100 mil e capital de giro de R$ 20 mil.
Entre os atrativos para abrir uma franquia da Divino Fogão, Varela cita os mais de 29 anos de experiência da marca, o fato de ela ser nacionalmente conhecida e de permitir ao franqueado facilidade de administração. “O crescimento no número de unidades da rede é outro atrativo. Para fortalecer sua atuação no setor de alimentação, a empresa também adotou expressivas estratégias de comunicação, como o ícone da marca, a carismática Sinhá”, diz. O público-alvo da empresa inclui pessoas das classes A, B e C. Segundo Varela, é possível atingir todas as faixas etárias, devido à variedade dos pratos oferecidos no cardápio.

De acordo com Varela, o mercado está propício à abertura de franquias de alimentação em geral, “tanto pela performance das redes que são as mais antigas e rentáveis, quanto pelo momento de expansão”, afirma. Ele diz, ainda, que o aquecimento da economia brasileira, o aumento do poder de consumo da nova classe média e a construção de novas obras visando à Copa do Mundo e às Olimpíadas fizeram com que a Divino Fogão crescesse 34% em 2012. Atualmente, a rede possui 131 unidades e pretende abrir outras 23 este ano. O retorno financeiro para os franqueados se dá, em média, em 24 a 36 meses. “Tudo dependerá da experiência do franqueado”, finaliza.

Mil Milkshakes:
www.milmilkshakes.com.br
China House:
www.chinahouse.com.br
Red Sun Pizza:
www.redsun.com.br
Dídio Pizza:
www.didio.com.br
Divino Fogão:
www.divinofogao.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

três + oito =