Dobradinha na cozinha, chefs da cidade em clima de colaboração

0

Na Cozinha Santo Antônio parceria é a palavra da vez

Sem essa de concorrência, o clima na Cozinha Santo Antônio é de colaboração.

O mais novo prato do restaurante da chef Ju Duarte resume bem esses bons encontros entre diferentes casas e produtores da cidade. “Eu estava pensando neste prato há muito tempo. Queria usar o corte de costelinha lindo da Mercearia 130 pra fazer o Picolé do Mineiro, e fazer ele assado em baixa temperatura, bem macinho. Começou assim” conta a chef Ju Duarte.

Depois veio o maravilhoso fubá suado, comida de subsistência, que conta a história de muita gente, Minas a fora e a dentro. “Aqui preparamos ele com o fubá de milho criolo vermelho, outra história incrível de resgate e resistência. O milho criolo é um projeto de recuperação de sementes ancestrais que vem sendo empreendido pelo Projeto Criolo. Um presente para nós” explica.

Dobradinha na cozinha, chefs da cidade em clima de colaboraçãoPor fim vem o molho que recebe a costelinha. Ele é feito com o fundo do tabuleiro, concentrado de sabores, e o chocolate meio amargo da Kalapa, um chocolate orgânico produzido de forma sustentável e em respeito à natureza e às pessoas. “Eu juro que essa combinação é um espetáculo, o chocolate transforma a textura do molho e acrescenta o gosto da terra para equilibrar a untuosidade da carne” completa. Ah, e não podia faltar aquele gostinho cítrico que todo mineiro ama. Ele vem com uma pitadinha e laranja e de limão capeta!

Este prato que fala sobre o encontro de ideias e de sabores foi batizado de Juntinho.

Parceria com a Casa Bonomi

Desde o começo do ano, a chef Ju Duarte se juntou a padaria Bonomi e juntas criam um sanduíche que fica no cardápio por um curto período. O da vez é o “Pato aqui, pato acolá”, que leva especiarias, aroma de laranja, figo em geleia, azedinha pra quebrar um pouco da doçura e uma cama macia de brioche!

Sobre a Cozinha Santo Antônio

Em uma esquina charmosa, em um dos bairros mais tradicionais da cidade, a Cozinha Santo Antônio chama atenção logo de cara pela arquitetura. Ao mesmo tempo mineira e cosmopolita, com garimpos e peças de design e uma imponente e acolhedora cozinha aberta.

Uma ótima tradução para a comida feita ali. “Estamos completamente conectados com as nossas origens e com a nossa história, mas temos os pés no presente e o olhar no futuro”, diz Juliana Duarte, que comanda tudo no espaço.

A Cozinha Santo Antônio tem por principio o respeito à sazonalidade dos ingredientes, por isso o cardápio muda de acordo com o que se tem de mais fresco e gostoso para cozinhar. Os insumos são orgânicos, de origem e chegam através de pequenos produtores.

Por conta da pandemia, o restaurante tem funcionado no sistema delivery e “buscaqui”, no horário de almoço, de terça a domingo. “Todo início de semana planejo o cardápio dos próximos dias com base no que os produtores têm disponível” conta Juliana. Durante a semana os pratos são de uma comida mais caseira, que eu defino como sendo ‘que nem a da casa da gente’. No final de semana temos pratos mais elaborados e sempre há opção vegetariana. A comida varia de receitas de família bem mineiras a pratos da cozinha do mundo, como a francesa e a do Oriente Médio que eu gosto muito e estudo”, completa.

Juliana é uma cozinheira, historiadora e pesquisadora da história da gastronomia mineira. Mas antes disso tudo trabalhava na publicidade enquanto paralelamente estudava gastronomia e vendia seu disputado paté na Feira Fresca.

Do seu jeito, vem fazendo comida com história e afeto, transformando algo aparentemente banal em “extraordinário”. Comida que valoriza a cultura alimentar mineira e que faz bem para o corpo e para a alma.

Serviço

Funcionamento de terça a domingo de 12:00 às 14:30 nos dias de semana e de 12:30 às 16:00 nos finais de semana.

Delivery e o “buscaqui”

Whatsapp: (31) 9-8218-6427

https://www.instagram.com/cozinha_santoantonio/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × 4 =