Depois daquela aquisição

0

Tudo começou no pequeno vilarejo de Sapadda, localizado na região do Vêneto, nordeste da Itália, em 1922. O jovem italiano Vittorio Scabin começava a produzir picolés artesanais feitos de frutas frescas e neve. Os ingredientes eram cuidadosamente selecionados, tornando os produtos finais deliciosos e saudáveis. Com o tempo, Vittorio foi aperfeiçoando seus produtos e colecionando novas receitas.

Anos depois, veio a Segunda Guerra Mundial, que forçou muitos italianos a deixarem seu país natal e imigrar para o Brasil. Com Vittorio não foi diferente. Na bagagem, ele trouxe muitas recordações e histórias para contar e compartilhar.

Naquela época, ele não poderia imaginar que o seu empreendimento, décadas depois, seria retomado pelos seus netos, muito menos que receberia investimento de um dos maiores empresários do Brasil.

Herança familiar

Nos anos 2000, os irmãos Leandro e Alexandre Scabin, netos de Vittorio, resgataram as receitas do avô, que faleceu em 1998, aos 100 anos. No entanto, seguiram trajetórias distintas.

Em 2007, Leandro Scabin fundou a Diletto, marca de picolés premium da qual é sócio majoritário. Antes de empreender, Leandro, que é formado em administração, passou uma temporada em Turim. Assim, ele conseguiu reunir a tecnologia atual, matéria-prima italiana e as tradicionais receitas do avô, criando a Diletto, sofisticada marca de sorvetes e picolés gourmet.

Em março de 2013, veio o pulo do gato: a imprensa anunciou que o influente empresário Jorge Paulo Lemann fechou a compra de aproximadamente 20% da Diletto por mais de R$ 100 milhões, por meio do Fundo Innova. Quase um ano depois da aquisição, Leandro Scabin comenta como anda a empresa.

Otimismo e discrição

Após o Fundo Innova comprar 20% da Diletto em 2013, Leandro Scabin resume de forma objetiva e otimista a situação do seu negócio: “segue crescendo”. Atualmente, a Diletto possui lojas próprias em São Paulo e Curitiba, abastece vários pontos de venda no país e atende o food service.

Leandro acredita que 2014 será o ano de consolidação da marca, com o objetivo de se tornarem mais densos onde já estão presentes, nas palavras do próprio.

Diga-se de passagem, em 2013, a Diletto abriu loja conceitual em Curitiba, um mercado que, em geral, costuma servir para avaliar se determinado negócio fará sucesso em outras capitais do país.

De acordo com o sócio majoritário, existe o plano de exportar os produtos da Diletto, mas não neste ano.
Scabin recorda o que aprendeu com o avô Vittorio. “Ele acreditava que se o Gelato tradicional da família fosse colocado em uma forma prática de consumo, ele teria uma grande aceitação”, diz.

Ainda de acordo com o empresário, o mercado de sorvetes premium no Brasil é muito promissor. “Aos poucos, as pessoas têm acesso aos produtos de alta qualidade e apreciam cada vez mais a experiência diferenciada de degustar um sorvete premium”, constata.
Mesmo sabendo que sorvete é unanimidade e um produto com baixos índices de rejeição, Scabin está ciente da situação do mercado.

“Todos os segmentos têm concorrência; com o de sorvetes não é diferente. Especificamente, o mercado de sorvetes é dominado por gigantes no mundo inteiro, o que aumenta o desafio”, diz, sem citar nomes.

Investimento no food service

Além de picolés e copos de 500ml, que são produtos voltados para o consumidor final, desde 2011 a Diletto comercializa produtos voltados para o food service.

Neste departamento, são seis sabores de gelato (vanilla, chocolate italiano, limão siciliano, pistache, panna cotta com chocolate belga e iogurte) e dois sabores de sorbet em massa (chocolate e morango) em embalagens de 7 litros, voltados para a criação e acompanhamento de sobremesas.

Os produtos do food service da Diletto são feitos com os mesmos ingredientes e a partir da mesma técnica artesanal que os produtos do varejo. A iniciativa atende a uma demanda crescente por produtos gourmet, especialmente por parte dos hotéis e restaurantes.

Parcerias de sucesso

Para a Diletto, o ano de 2013 foi marcado por novidades e parcerias, sempre movida pelo lema la felicitá é un gelato (a felicidade é um sorvete, em tradução livre).

Em novembro, a marca se uniu a Kopenhagen, tradicional fabricante de sofisticados chocolates de origem europeia, em uma combinação que resultou em “releituras” geladas de alguns sucessos da marca. Os resultados foram os gelatos Nhá Benta, 70%, Lajotinha e Língua de Gato, todos disponíveis nas lojas Kopenhagen.

A parceria com O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo, que desde 2010 pertence ao Grupo CPQ Brasil, resultou no sorvete no palito de chocolate crocante. O produto é inspirado no carro chefe d´O Melhor Bolo: um doce feito com camadas de merengue e mousse de chocolate. A receita, criada pelo português Carlos Braz Lopes, é um segredo guardado a sete chaves.

Por sua vez, algumas lojas da Casa do Pão de Queijo comercializam, com exclusividade, três novos sabores: silvestre (morango, framboesa e hortelã), abacaxi com hortelã e iogurte.

De olho em Curitiba

O mercado de Curitiba é tido como fechado e resistente. Aos empreendedores que desejam agradar os consumidores curitibanos, é recomendável ter cautela.

Provavelmente pensando nisto, antes de se estabelecer de vez na capital do Paraná, a Diletto comercializou por um tempo seus produtos em carretinos, que são carrinhos bem charmosos, nos Shoppings ParkShopping Barigui e Mueller. Após o sucesso de vendas, a marca inaugurou uma loja conceito em novembro, no bairro Batel.

Além dos conhecidos picolés cremosos e cups de 500ml, a loja oferece dez sabores de sorvetes de massa. Estes poderão ser combinados com coberturas italianas como pera ao barollo, figo, granela de brownie, granela de amareto, doce de leite, frutas vermelhas, caramelo, chocolate com pimenta, chocolate Bélgica, cassis e maracujá.

A loja também contará com produtos genuinamente italianos; salgados do chef Flavio Frederico, referência em culinária italiana no Brasil; máquina de café original piemontesa Victoria Arduino com grãos da marca Lavazza; a tradiciona cerveja italiana Birra Moretti, Prosecco Luneta e os preciosos chocolates da Baratti & Milano, empresa fundada em Turim em 1858 e fornecedora oficial do Palácio

Real italiano.

“Escolhemos Curitiba para ser a segunda cidade com loja própria da Diletto, pois o hábito dos curitibanos é semelhante ao dos europeus, cuja paixão pelo sorvete não depende do clima”, comenta Leandro Scabin.

A loja instalada em Curitiba segue o padrão da identidade visual da matriz em São Paulo. A decoração da loja é totalmente inspirada na Itália, em verde escuro com elegantes detalhes em madeira. Tudo minuciosamente planejado para gerar experiências únicas aos clientes.

Por sua vez, os sorvetes são armazenados em um “pozzetto”, um refrigerador especial que mantém as características originais dos produtos, preservando a textura, aromas e sabores.

Produtos especiais

Desde novembro, os moradores de São Paulo e Curitiba podem experimentar o gelato de Chocolate Italiano Zero Açúcar, novidade da Diletto.

“Depois de um longo período de desenvolvimento, chegamos à versão que acreditamos estar à altura do restante da nossa linha”, comenta Leandro Scabin. O sorvete é fiel ao sabor do chocolate italiano e pode ser acompanhado por uma calda de chocolate igualmente zero açúcar.

O outro irmão Scabin

Além de Leandro, seu irmão Alexandre Scabin também retoma o empreendimento e as receitas do avô, porém seguindo outro caminho: pela sorveteria Stuzzi, mesmo nome que Vittorio Scabin batizou seu empreendimento há mais de 90 anos na Itália.

Antes de inaugurar o negócio, os dois irmãos passaram uma temporada na Itália. Lá, compraram máquinas e fizeram cursos, a fim de conseguir fabricar o legítimo sorvete italiano, sem deixar de aprimorar e inovar.

No mercado desde 2008, a primeira loja foi inaugurada na Vila Madalena. A segunda veio em seguida, em Campo Belo. Em 2010, quando tinha apenas dois anos de mercado, a sorveteria já havia sido eleita e indicada como a melhor de São Paulo.

A Gelateria oferece sorvetes cremosos em massa com sabores refinados, como tiramissu, limão siciliano com framboesa e pistache, todos da linha premium; Sorbet Tanzânia, que contém 70% de cacau; os Gelatos Baileys com Figo e Pistacchio di Bronte D.O.C., assim como os tradicionais baunilha e chocolate meio amargo. Em 2013, a Stuzzi lançou um sanduíche de biscoito e sorvete. Além dos gelatos, a Stuzzi comercializa cafés. A responsável por este departamento é a barista Isabela Raposeiras.

Diletto
www.gelatodiletto.com

Kopenhagen
www.kopenhagen.com.br

O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo
www.omelhorbolodechocolatedomundo.com

Stuzzi
www.stuzzi.com.br

Casa do Pão de Queijo
www.casadopaodequeijo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quinze − 11 =