Delivery no Brasil em 2020

0

Neste artigo, vamos atualizar algumas informações, projeções e análises sobre o mercado de delivery no Brasil.
Não consigo pensar numa forma melhor de começar este artigo do que clareando uma confusão enorme e frequente: delivery não é apenas delivery online!
Lembram-se das aulas de matemática lá no ensino fundamental? Contém e está contido?
Pois bem: o delivery online está contigo no mercado de delivery.
O delivery online está crescendo tanto, tem uma visibilidade e uma presença tão fortes em nosso dia a dia, que, quando falamos em delivery, na verdade, estamos falando do delivery online.
Então, por que discutir o tal do contém e está contido é tão importante?
Fundamentalmente, para dizer que uma enorme parcela do crescimento do delivery online está se dando em substituição ao delivery tradicional.
E, é verdade, outra parte importante é ampliação da fatia do delivery sobre outras formas do food service, mas, vocês verão, não é nada do que mereça construir qualquer pânico, como se o delivery fosse engolir outras modalidades do food service.
Vamos a alguns números: em 2019, estimamos que o total de transações por delivery em geral ficou próximo de 1,9 bilhão; deste número, perto de 500 milhões ocorreu via delivery online.
Isso significa que, no ano passado, o delivery como um todo representou entre 7,5 e 8% do mercado total de food service e que o delivery online representou perto de ¼ do total de transações de delivery.
Considerando que projetamos que o delivery online deverá crescer algo como 80% em 2020 e outros 60 a 65% em 2021, e que o delivery tradicional recuará entre 15 e 25% em 2020 e 2021, isso significa que, ao final de 2021, é provável que o online já seja quase 2/3 de todos os pedidos por delivery do Brasil.
Isso acontecendo, o delivery total deverá ampliar sua participação no food service total em apenas 1 ponto, ou seja, ainda será inferior a 10% do mercado total de food service.
Resumo: neste estágio, a grande guerra é migratória entre o delivery online e o delivery tradicional.
E, importante, segundo a maior parte dos players de delivery online e das entidades do food service, a outra parte significativa do crescimento do delivery se dá sobre o consumo no domicílio e não no food service.
E, para encerrar esta discussão, pensando num futuro um pouco mais distante: o crescimento do delivery continuará superior ao do food service. Entretanto, em taxas mais modestas.
Vide o exemplo do mercado americano, em que o crescimento previsto para o delivery em 2020 é de 6%.
O que é crítico é estarmos superalinhados e atualizados com os movimentos de mercado e de consumo, seja onde estivermos na cadeia de valor do food service.
Tratei deste tema num vídeo recente em meu canal do YouTube – Foodservice com Sergio Molinari.

Muito obrigado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × dois =