De volta aos anos 90

    0

    Quem está há mais de 15 anos neste segmento deve se lembrar bem de como era a dinâmica do mercado e as características de consumo da época.

    Os shoppings centers, mesmo em número bem menor do que hoje em dia, tinham baixo fluxo de pessoas durante quase toda a semana, principalmente no período da noite.
    As vendas de segunda a quinta eram um desafio para as operações localizadas em shoppings e o faturamento decorrente do fim de semana representava, na maior parte dos casos, mais do que 60% do total.

    O almoço comercial tinha representatividade bem menor e a alimentação fora de casa, quando falávamos em shoppings centers, era sinônimo de entretenimento.
    Infelizmente, o cenário atual nos trouxe de volta as mesmas características, mas com alguns agravantes.

    Hoje o número de players, assim como o de shoppings, é bem maior. Dessa forma, o público está bem mais diluído do que na época. Quer dizer: tem muito mais gente brigando pelo mesmo cliente.

    Apesar de ainda existirem exceções, os shoppings, na maior parte deles, voltaram a ficar “às moscas” durante a semana e a apresentar fluxo significativo somente a partir de sexta-feira.

    A base de consumidores em potencial, principalmente do almoço comercial, foi reduzida bruscamente com o cenário de desemprego e fechamento de milhares de empresas.

    A alta da inflação e o nível de endividamento também fizeram com que aqueles que não perderam o emprego passassem a ter menor disponibilidade financeira, levando-os a buscar novas alternativas para se alimentar fora de casa.

    Os estabelecimentos e redes que se acostumaram a contar ou passaram a viver de almoço agora tem sua existência questionável.

    Está melhor quem consegue “roubar” mais clientes do vizinho. Mesmo assim, ainda é pouco.
    O melhor a fazer é construir valor que justifique a escolha do cliente e permita fugir da guerra de preços e ter ofertas e produtos adequados às novas características de consumo, lembrando que quem se alimenta como entretenimento, na maior parte das vezes, procura produtos diferentes dos consumidos nas refeições triviais.

    A tendência é que as ofertas de Pratos Feitos, que hoje reinam nas praças de alimentação, em pouco tempo não sejam mais eficientes o suficiente.

    O jogo mudou. Bem-vindo aos anos 90!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here