Da França para o Brasil

0
Da França para o Brasil

Maçã, kiwi, cebola chalota: como a importação desses produtos está revolucionando o mercado brasileiro e o food service

A maçã, cada vez mais, tem se mostrado um ingrediente indispensável nas cozinhas profissionais de todo o país. A versatilidade da fruta faz com que ela seja utilizada nas mais diferentes receitas, tanto doces quanto salgadas, além do uso para a produção de bebidas diversas.
Diante desse cenário, as maçãs de origem francesa têm se destacado no mercado nacional, e não é para menos. Em um universo em que tanto se preza a sustentabilidade e no qual o consumidor busca saber a origem do que come e, muitas vezes, exige o cuidado dos produtores em relação ao meio ambiente, o produto francês tem tudo isso e muito mais a oferecer.
Esses benefícios têm sido cada vez mais conhecidos pelo grande público por meio de uma ação especial e inédita. A Interfel (Interprofession de fruits et légumes frais) desde o ano passado realiza a campanha “Maçãs francesas, deliciosamente crocantes” e tem tido excelentes resultados com isso.
A campanha de promoção de frutas e legumes frescos no Brasil, que tem a maçã como produto principal, dura três anos. Entre os seus objetivos, estão o aumento da notoriedade e atratividade da fruta vinda da França frente ao consumidor do País e o destaque das características e os diferencias da maçã francesa, como a origem, o know how e as técnicas de produção utilizadas.
De acordo com os dados da Interfel, a França é nada menos do que o terceiro maior produto europeu de maçã. Os dois primeiros lugares são ocupados pela Polônia e pela Itália. Ao todo, é colhido, em média, 1,65 milhão de toneladas da fruta anualmente, sendo que de 30% a 40% têm como destino a exportação para mais de 100 países.

Sustentabilidade

A maior parte dos produtores de maçãs francesas, 65%, tem certificação de “pomares ecorresponsáveis”. Essa iniciativa se apoia nos princípios da produção integrada, que privilegia, em primeiro lugar, a observação dos pomares, a proteção da biodiversidade, o entendimento sobre todas as intervenções com o apoio de um consultor técnico, entre outros fatores que colaboram para reduzir as agressões/impactos ao meio ambiente. Com isso, é gerado um item de qualidade ao consumidor e é proporcionado o equilíbrio econômico do negócio.

 

Variedade

As características do território francês também são responsáveis pelos diferenciais da maçã cultivada por lá. Os diversos tipos de microclimas do país contribuem para que a produção seja bastante diversificada e abundante. Mais de 30 variedades da fruta são produzidas na França, dividas em cinco famílias: Gourmandes, Aromáticas, Rústicas, Tônicas e Equilibradas.

 

 

Maçãs Gourmandes

Dentro da família de gourmandes, a Golden se destaca, sendo a maçã francesa que conta com o maior reconhecimento. Amarela com tons esverdeados por fora, por vezes também surge com cores mais rosadas pela exposição ao sol. É crocante, doce e refrescante. Na área de alimentação fora do lar, costuma ser bastante utilizada em tortas.
Já a Gala ocupa a segunda posição entre as maçãs mais cultivadas em território francês. Apesar de ser bicolor, o tom avermelhado é predominante. Crocante, suculenta e levemente adocicada, também costuma ser bastante utilizada em tortas no food service.

Maçãs aromáticas

A Pink Lady® tem a casca caracterizada pelo brilho, além de ser lisa. Apresenta cor rosada com tons verde-amarelados e é doce e crocante. Também é muito usada em tortas. Outras maçãs que integram essa família são Jonagold, Elstar, Ariane®, Jazz, Braeburn e Tentation®.

Maçãs Rústicas

A Reinette Grise du Canadá, apesar do nome, vem da França. Uma de suas características é a casca rugosa e bronze, assim como o fato de ela ser um pouco achatada. Crocante e com aromas complexos, é muito servida ao natural ou ao forno. Belle de Boskoop, Antares, Belchard®, Chantecler, Choupette, entre outros tipos, também compõem essa família.

Maçãs Tônicas

A Granny Smith é a maçã mais ácida e se apresenta de forma verde e brilhante. Crocante e suculenta, costuma ser muito utilizada em saladas na área de alimentação fora do lar.

Maçãs Equilibradas

A Fuji é uma maçã cuja origem é japonesa. Grande, arredondada e refrescante, sua casca é vermelha com fundo verde claro. É servida ao natural.
Já a Red é caracterizada pela casca vermelha escura e pela polpa branca. É firme,crocante e delicadamente doce. É servida ao natural.
De acordo com Daniel Soares, diretor de marketing internacional da Interfel, para exportar novas variedades de maçã é preciso fazer com que o consumidor as conheça e, por isso, as ações de promoção são tão importantes.
“As empresas também investem diretamente no mercado para apoiar essa promoção”, diz ele, que ressalta, ainda, que em breve devem ser desenvolvidas novas inovações relacionadas à fruta.
Nesse sentido, a questão do incentivo ao consumo de alimentos sustentáveis também tem sido um investimento, segundo o profissional, focando “a realização de um cultivo de forma responsável a fim de reduzir o máximo a utilização de produtos fitossanitários”, diz.

Outros produtos

Além das maçãs, outros alimentos franceses também são bastante promissores em terras brasileiras. Um exemplo dessa realidade são o kiwi, cuja média de produção francesa entre os anos de 2016 e 2018 foi de 58.549 toneladas (Fonte: SAA, Estatísticas Agrícolas Anuais), e a cebola chalota, com produção média na França de 49.673 toneladas também entre os anos de 2016 e 2018 (Fonte SAA, Estatísticas Agrícolas Anuais).
Um exemplo de marca que tem se destacado no cultivo e comercialização de kiwi é o grupo Primland. A empresa tornou-se uma das principais operadoras da França na produção e comercialização de kiwis Hayward. Em 2017, a receita consolidada total da companhia foi de 32 milhões de euros.
A marca se preocupa em atender o consumidor em seus mais diferentes anseios e preza o sabor e a rastreabilidade dos itens cultivados pela companhia.
“A Primland está comprometida em oferecer produtos consistentes, onde quer que sejam cultivados, por meio de monitoramento de padrões, implementação de certificações e conformidade com as especificações que validam a qualidade em todas as etapas da produção: pomar, fábrica de embalagens e expedição”, diz a empresa em seu site oficial.
A Japienou, fundada no começo da década de 60, também comercializa o kiwi Hayward, além das maçãs Pink Lady® (sendo produtora, embaladora e distribuidora) Royal Gala, Chantecler, Canadá Grey e Granny Smith. Trata-se de uma empresa familiar localizada próxima a Agen, no sudoeste da França.
A Blue Whale, por sua vez, além de comercializar maçãs e kiwis, também investe em ameixas, peras e uvas. Assim como as outras marcas, também foca o fato de ser sustentável, destacando como características de atuação a presença de profissionais comprometidos, rastreabilidade do pomar até a comercialização, regularidade e qualidade dos produtos, entre outros.
Por fim, a Fleuron d’Anjou se destaca pelo cultivo de vários produtos, entre eles a cebola chalota, que tem feito um grande sucesso. “A força da Fleuron d’Anjou é o envolvimento diário de nossos produtores e esse espírito de compromisso compartilhado por todos os funcionários que têm um forte impacto na vida da empresa: Pesquisa e desenvolvimento, Qualidade, Produção, Marketing …Essa organização carrega a ambição do grupo: otimizar a produção, aprimorar produtos, satisfazer clientes e consumidores, compartilhar a paixão da planta”, afirma a empresa em seu site oficial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco × três =