Crise Hídrica e elétrica preocupa empresários

0

O ano mal começou ,e donos de bares e restaurantes em São Paulo já enfrentam problemas. Além da crise hídrica, a falta de energia passou a fazer parte da rotina de empreendedores.

Em janeiro, após a queda de algumas árvores, faturou energia elétrica em bairros paulistanos. Valter Luiz Sanches, sócio da Chopperia Genuíno,no bairro Vila Mariana, teve que contratar geradores para o estabelecimento. ““O custo de aluguel de um gerador com dez horas de uso é de 1,2 mil reais”, diz. Ele ficou sem energia durante os dias 14 e 15 de janeiro e, depois, a queda foi parcial.

O empresário conta que registrou oito protocolos durante a queda de luz e pretende entrar com uma ação judicial contra a Eletropaulo. “Toda vez que acontecer, terei que recorrer a gerador” ,afirma Sanches.

Para minimizar o consumo de água, Gilson de Almeida, dono do Na Garagem, localizado no bairro dos Pinheiros, afirma que trocou o uso de pratos e copos de vidro, pelos descartáveis.“A gente acumula a louça para lavar no dia seguinte quando sofre com corte de água” ,diz.

Já na Churrascaria Gauchão Grill, na Praça da Árvore, zona sul da capital paulista, o efeito foi ainda pior. A casa precisou fechar durante o turno do almoço, diminuindo o faturamento ,o que pode levar a redução no quadro de funcionários.

Enquanto algumas empresas sofrem com a crise hídrica, outras possuem chance de aumentar os lucros. É o caso, por exemplo, da rede de lavanderias 5àsec. Segundo Sérgio de Souza Carvalho Jr., diretor de marketing, TI e SAC da empresa, o faturamento em algumas unidades ja chegava a 18% em outubro de 2013.

Percival Maricato, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/SP), afirma que desde abril do ano passado estão sendo distribuídos cartazes e adesivos para alertar sobre a importância de economizar água. “É possível trabalhar racionando água da caixa d’água, mas sem energia não tem como lidar” , afirma.

Dependendo do período em que o estabelecimento fique sem luz ou água, ele recomenda considerar a possibilidade de recorrer a indenização.

Fonte: EXAME

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

três + oito =