Crise econômica favorece marcas mais baratas

0

Pesquisas divulgadas na semana passada – Inflação pode fechar o ano em 8% e a maior taxa de desemprego desde fevereiro de 2011- mostram que o consumidor vai ficar cada vez mais cauteloso na hora de comprar. Para contornar a crise econômica, o consumidor está mais disposto a experimentar, como mostra um levantamento feito pelo Data Popular. Com isso, marcas com produtos mais em conta tendem a se beneficiar.

Um exemplo dessas marcas é a Hypermarcas, que pretende ganhar um mercado em um momento de crise. “É a hora de melhorar a relação custo-benefício dos produtos. E estamos com uma série de propostas nesse sentido”, afirma o presidente da empresa, Cláudio Bergamo.

Outra ação feita pela empresa foi repaginar algumas marcas, como Monange ( beleza feminina) e Cenoura e Bronze ( protetores solares). “”A gente já vinha com essa visão (de oferecer um bom custo-benefício). Achamos que, em 2015, isso vai ficar mais disseminado”, afirma Bergamo.

O grupo Pão de Açúcar também vem investindo em outras opções para atender o bolso do consumidor. O grupo vem apostando na ampliação do portfólio com marcas próprias, como é o caso da bandeira Extra, voltada para o público da classe C.

A empresa oferece desde 2008 a marca Qualitá, com redução de até 15% em relação ao preço dos concorrentes. Logo depois, surgiu a marca Extra, com uma proposta mais ousada, com redução de 30% em relação às marcas líderes. “O objetivo é o de que as marcas próprias sejam mais atrativas não só do ponto de vista de preço, mas também porque estão sempre presentes nas gôndolas – o que nem sempre é possível para outras marcas de posicionamento intermediário” , afirma Rafael Bernardi, gerente de marcas próprias do GPA.

Fonte: Revista PEGN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

oito − quatro =