Celebração diferenciada

0

Festas na caixa, que já estavam em ascensão, ganham ainda mais notoriedade com a pandemia da Covid-19

A pandemia da Covid-19 tem feito com que a população mundial mude alguns hábitos para ajudar a evitar a disseminação do vírus. Entre as alterações de comportamento, uma das mais sentidas tem sido o isolamento social. A necessidade de ter contato com um mínimo de pessoas possível tem impedido grandes encontros, comemorações, entre outros.
Nesse cenário, as festas na caixa, que já vinham em ascensão, ganharam ainda mais evidência. Como o próprio nome sugere, o produto tem os elementos de uma comemoração, como bolos, docinhos, refrigerantes e decorações, comercializados dentro de uma caixa.

Campeã de vendas

Celebração diferenciada
Érica Assis de Paula, sócia na Mãe, faz bolo?, confeitaria afetiva localizada em Belo Horizonte, Minas Gerais, diz que a necessidade de conexão entre as pessoas é a principal razão do aumento da procura das festas na caixa

Daniela Fernandes Dias, proprietária da Uai Cakes Doçaria Gourmet, localizada em Uberlândia, Minas Gerais, confirma que após a pandemia, as vendas das festas na caixa aumentaram bastante, tanto destinadas para residências quanto para empresas.
“Lançamos o kit já tem uns três anos e, desde então, tem atraído muito a clientela. Porém, depois que começou a pandemia, elas têm sido uma das campeãs de venda. Cremos que esse aumento foi devido às comemorações serem mais intimistas. A festa na caixa atende até quatro pessoas (que é mais ou menos o número de moradores em cada residência). Muitas empresas também aderiram a elas para presentear seus funcionários que estão em casa”, relata.
Daniela diz também que para chamar a atenção do público para o produto é muito importante que as fotos reflitam com exatidão o que será entregue.
“A foto e o modo que a mesma é apresentada. O pessoal gosta muito de ver o que realmente vai chegar em casa. Sem manipulação de imagem e limpeza de fundo, o real mesmo”, salienta.
Dias comenta o impacto da pandemia nas vendas da Uai Cakes e também sobre os cuidados que precisam ser tomados na produção das festas na caixa.
“Na verdade, a confeitaria no início da pandemia foi a todo vapor ao trabalho. Depois do boom da pandemia, as vendas voltaram ao normal. Desde sempre prezamos muito pela higiene nos produtos. Nós sempre trabalhamos com luvas e toucas e sempre mantivemos as bancadas higienizadas. A diferença é que agora precisamos higienizar ainda mais e utilizar as máscaras. Mas, no geral, está fluindo tranquilo assim”, afirma.
A proprietária da Uai Cakes Doçaria Gourmet ainda conta sobre como surgiu a ideia de começar a trabalhar com as festas na caixa, afirmando que foi uma demanda dos próprios clientes, que queriam kits para comemorações menores.
“Foi devido à procura dos clientes por algo menor. Muita gente pedia por kits pequenos para pouca gente. Aí pensamos: ‘vamos montar um kit desses já em uma caixa pra facilitar ainda mais o evento’. A ideia era algo simples, porém que chamasse a atenção”, afirma.

Formato ideal

Celebração diferenciada
“O que sentimos é que o aumento se deu pela necessidade das pessoas em se sentirem mais próximas de quem elas amam, de inovar nos presentes e conciliar um presente que seja também uma comemoração para a família toda”, diz Érica Assis de Paula, sócia na Mãe, faz bolo?

Juliana Rodighero, decoradora e proprietária da empresa de festas e eventos Jeito Único, localizada em São Paulo capital, também comenta sobre o aumento da procura das festas na caixa.
“Acredito que o aumento pela procura desse tipo de serviço esteja relacionado à praticidade na montagem e ao custo mais acessível comparado a uma festa convencional. A festa na caixa tem o formato ideal para uma pequena comemoração em família”, diz.
A Jeito Único aposta na exclusividade para cativar o público, personalizando as caixas de acordo com o pedido do cliente e fazendo assim cada comemoração ser única.
“Para chamar a atenção do público, cada festa na caixa é única. Desenvolvemos o projeto e a arte da papelaria utilizada na decoração com exclusividade para cada cliente de acordo com o tema sugerido, com personalização e capricho em cada detalhe, desde a bandeirola até as forminhas dos doces”, afirma.
A empresária conta ainda sobre o processo de controle de qualidade das festas na caixa da Jeito Único, afirmando que tudo é preparado com muito cuidado.
“Além de só trabalharmos com fornecedores renomados, todo material que acompanha a caixa é preparado com muito cuidado, seguindo os protocolos de segurança. Bolo e doces são enviados em embalagens apropriadas, os suportes são higienizados e a papelaria embalada individualmente”, diz.
Segundo Juliana, a empresa passou por um processo de reinvenção. “O setor de eventos foi um dos mais prejudicados pela pandemia e a ideia de nos reinventar logo no início contribuiu para um impacto positivo no nosso negócio. Esse produto não fazia parte do nosso portfólio antes da pandemia. Nós o criamos para atender uma necessidade dos nossos clientes, já que festas com aglomeração de convidados não são recomendadas. O objetivo da festa na caixa é que nenhuma data especial passe em branco e, com isso, poder proporcionar momentos de alegria durante o confinamento”, conta.

Proximidade

Érica Assis de Paula, sócia na Mãe, faz bolo?, confeitaria afetiva localizada em Belo Horizonte, Minas Gerais, diz que a necessidade de conexão entre as pessoas é a principal razão do aumento da procura das festas na caixa. Ela afirma ainda que a pandemia teve impacto significativo nessa procura.
“O que sentimos é que o aumento se deu pela necessidade das pessoas em se sentirem mais próximas de quem elas amam, de inovar nos presentes e conciliar um presente que seja também uma comemoração para a família toda. O impacto da pandemia foi bastante significativo. A procura aumentou bastante, uma vez que as pessoas encontraram na festa na caixa uma forma de se fazerem presentes para as pessoas especiais e que estavam longe”, relata.
Segundo ela, é importante conciliar custo e benefício na criação dos produtos, visto que as pessoas procuram itens únicos e especiais, mas que caibam no orçamento.
“A tendência que vemos no nosso público é a relação entre valor e qualidade. Os clientes querem presentes personalizados em que a pessoa se sinta especial, e com um valor acessível e com qualidade”, afirma.
A empresária diz que o principal cuidado tomado pela Mãe, faz bolo? na produção de festas na caixa é manter a produção artesanal e personalizada.
“O maior cuidado é manter a nossa essência de produtos artesanais, com gosto de que saíram da cozinha da mãe, da avó. Surgem muitas caixas e cestas bem trabalhadas e com produtos de grandes marcas, mas nós priorizamos o caseiro. E não podem faltar os detalhes personalizados, as fotos, mensagem, utilizar uma cor ou referência que o presenteado goste e se sinta especial”, detalha. “A Mãe, faz bolo? surgiu em 2017 ao vermos na internet sobre festa na caixa em São Paulo. Como nunca havíamos ouvido falar desse produto em BH, resolvemos inovar e deu supercerto”, afirma.

Uai Cakes
www.instagram.com/uaicakes01
Jeito Único
www.instagram.com/jeitounico.eventos
Mãe, faz bolo?
www.instagram.com/maefazbolo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 5 =