Carnaval, folia de lucros

Carnaval foi um sucesso para empresários de várias cidades

0

Os números do carnaval de 2016 foram bons não só para os foliões, mas também para os empresários dos setores de turismo e, consequentemente, de alimentação. Cidades como Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro tiveram o movimento quase triplicado durante esse período.

Em São Paulo, blocos de rua agitaram a cidade e apresentaram um aumento em comparação com o ano de 2015. Os números também foram positivos para os restaurantes de Belo Horizonte, onde alguns estabelecimentos notaram o movimento quase triplicar.
Ao mesmo tempo, empresas de alimentação encontravam um espaço nos camarotes. A Food Service News acompanhou o Camarote Brahma, um dos pontos mais prestigiados durante o carnaval paulistano. Grandes empresas, como Sadia, Absolut e Marfrig, aproveitaram a folia para realizarem grandes negócios e mostrar os produtos aos clientes.
No Rio de Janeiro, a cidade ficou dividida entre blocos de rua, sambódromo e camarotes. Todos com bons números de frequentadores.

Carnaval paulista

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, em nota para o seu site, o carnaval paulista em 2015 reuniu, em seis semanas, aproximadamente 1,5 milhão de pessoas, nos 270 blocos espalhados pela cidade. Neste ano, desfilaram 355 blocos, um aumento de 35% em relação ao último ano.

A Secretaria Municipal de Cultura da cidade teve mais de 30 atrações gratuitas espalhadas em diversas regiões, entre os dias 6 e 9 de fevereiro. Artistas agitaram o carnaval da cidade, como Samuel Rosa, Moraes Moreira, Alcione, Fafá de Belém, Sandra de Sá e Fernanda Abreu.

De acordo com o Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, os blocos de rua superaram a expectativa. “Devemos superar a meta de R$ 400 milhões em negócios gerados na cidade, isso tanto de pessoas que vieram para São Paulo, sobretudo das pessoas que deixaram de sair da cidade para brincar o Carnaval na cidade, e isso é um fato novo em São Paulo. Há pessoas que deixaram de ir para outras localidades porque tiveram a folia garantida por aqui, com a infraestrutura coerente com as necessidades da cidade”, explicou Haddad, em entrevista para o Portal da prefeitura.

Para o prefeito, as escolas de samba também têm papel essencial para São Paulo. “Nós dependemos do bom samba que São Paulo faz para ter blocos na rua, para ter ambiente de Carnaval. Uma coisa não se opõe a outra, elas são complementares e eu diria que se o Carnaval das escolas não tivesse avançado tanto, talvez o convite que a cidade fez para as pessoas permanecerem aqui em troca da infraestrutura que estamos dando não tivesse sido aceito tão facilmente como foi. Essas coisas se combinam”, explica.

Presença

Uma das empresas que marcaram presença durante o Camarote Brahma foi a Marfrig, que estava com estande de churrasquinhos no evento e contou com filas gigantescas. A empresa conseguiu atrair quem passava para curtir a folia e promover ainda mais o seu nome.
Com o tema “A Fantástica Festa do Chopp”, o Camarote Brahma preparou mais uma vez uma grande festa na cidade de São Paulo. E foi nesse clima que os foliões puderam provar os deliciosos pratos que foram servidos na “Esquina Marfrig”: E, na hora dos desfiles, o “Espaço Grill” da Marfrig, localizado no Sambódromo do Anhembi, também proporcionou momentos de muito sabor com espetinhos de carne bovina durante toda a noite.

“O carnaval é uma das festas mais esperadas entre brasileiros e turistas do mundo inteiro e atrai milhares de pessoas todos os anos. Através do conforto e da oportunidade de consumo, buscamos criar uma ponte entre empresa e consumidor, estreitando os laços. Para nós, foi uma imensa alegria e satisfação fazer parte desse momento único. E como em toda grande festa popular, não poderia faltar o melhor sabor do churrasco neste carnaval”, afirmou a empresa.

Consagrado

Presença garantida no carnaval paulistano, o Camarote Brahma mostrou, mais uma vez, a consagração pelo público da cidade. Para celebrar a festa, famosos, empresas e foliões se reuniram no Sambódromo do Anhembi, nos dias 5, 6 e 12 de fevereiro. Com estrutura capacitada para receber cinco mil pessoas por dia, entre os preços que variavam de R$699 a R$1990, o evento foi um sucesso para quem esteve presente.

Durante os três dias de folia, compareceram aproximadamente 15 mil pessoas para prestigiar a festa, chegando ao consumo de 10 mil litros de água, 12 mil litros de refrigerante, 5 toneladas de carne, 2 mil pizzas, 1 mil temakis e uma tonelada de salmão.
O encerramento do Camarote, no dia 12, teve a presença de Zeca Pagodinho para fechar a folia com chave de ouro. Durante a noite, os foliões conferiram um desfile com as escolas de samba campeãs.

Meio ambiente

Em parceria com o Instituto de Compromisso com o Desenvolvimento Humano (ICDH) e a empresa Boomerang, o Camarote Brahma lançou uma campanha para coleta profissional dos resíduos sólidos, chamado de projeto “Bem me Quer”.

Neste ano, foi estimado que 80% dos resíduos tenham sido reaproveitados – 9.000 kilogramas -, gerando renda para 90 famílias, de duas cooperativas de catadores. Os valores para se fazer a coleta foram reduzidos devido aos custos de caçambas de lixos, aterros e taxas geradas pelo aterro.

Aprendizado

Completando 10 anos no comando do Camarote Brahma, a diretora da “Engaje! Comunicação Inteligente”, Adriana Rodrigues, afirma: “o evento é um verdadeiro núcleo de aprendizado. Um grande case de construção de relacionamento entre uma grande marca como o Camarote Bar Brahma e a imprensa, que nos acompanha ao longo desse período, sempre parceira e positiva em relação às inovações do evento”.

Animados

Com um estande dentro do Camarote Brahma, a marca AbsolutF marcou presença e deixou os foliões ainda mais animados com a festa. Conhecida como uma das marcas mais famosas de vodka, a Absolut conseguiu reunir centenas de pessoas para desfrutarem dos drinks feitos pela empresa.

Estimativa

A ABIH- RJ (Associação Brasileira das Indústrias de Hotéis) estima que 85 % das vagas em hotéis tenham sido preenchidas no Rio de Janeiro durante a época de carnaval. Em Ipanema, os números foram de “tirar o fôlego”, com ocupação de 92%; Copacabana com 88%; e Barra da Tijuca com 83,79%. Em albergues, lugares com quartos compartilhados, o carnaval também foi lucrativo: com ocupação de 97,5%, é o que afirma a ACCARJ (Associação de Cama e Café e Alberguês do Rio de Janeiro).

Os navios também tiveram bastante procura durante o carnaval, com o total de 13 navios circulando pelos mares do Rio de Janeiro. No domingo, onze estavam atracados simultaneamente em Pier Mauar, um recorde para o local. Desembarcaram 130 mil pessoas dos navios neste ano; em 2015, foram 70 mil pessoas.

O carnaval no Rio de Janeiro recebeu 1,026 milhão de turistas em 2016, gerando uma renda de aproximadamente R$ 3 bilhões para a cidade. Uma das tendências apresentadas neste ano, conforme informado no site da Prefeitura do Rio de Janeiro, é o crescimento de blocos pequenos e médios, além da estabilização de grandes blocos. Um deles, o Bola Preta, reuniu 1 milhão de pessoas nas ruas da cidade.

Já para os sambódromos, o atendimento prestado teve que ser especial. Foram três pontos temporários montados para atender os turistas que passavam na região, totalizando 617 atendimentos. Além destes postos, 60 agentes de acesso trabalhavam para fazer o carnaval acontecer, atendendo 19 mil pessoas em três dias.

Botequim Boa

Para reforçar a imagem do samba no Camarote BOA, a Antarctica usou o azul em seu abadá e se inspirou nos botequins cariocas para deixar o cenário mais harmônico. No andar em que os shows foram apresentados, os botequins estavam presentes. Com letras de samba nas paredes, esses lugares deram espaço para uma boa roda de samba.

Prestigiado por famosos, o local contou com várias presenças marcantes, como foi o caso de Anitta, Susana Vieira e Sabrina Sato. Além desses, um típico sambista como Dudu Nobre subiu ao palco e deu animação ao evento.

Folia mineira

Em Belo Horizonte, a folia tomou conta das ruas da cidade. Atraindo pessoas da região metropolitana e diversos turistas, aproximadamente 200 blocos fizeram a alegria das pessoas. Enquanto a estimativa de público girava em torno de 1,6 milhão de pessoas, a Polícia Militar de Belo Horizonte apurou 2 milhões de pessoas no evento, havendo, assim, um crescimento em relação a 2015.

Foram vários os blocos que tiveram um grande destaque, como, por exemplo, o “Então Brilha” e o “Baianas Ozadas”, mas, por enquanto, não há número exato de pessoas nesses blocos. Os bares e restaurantes das regiões onde os blocos passavam fizeram sucesso com os foliões. Além disso, o policiamento na região foi fundamental para garantir a segurança. A Polícia Militar de Belo Horizonte informou que 145 pessoas foram presas por furto ou roubo.

Sambódromo

As escolas de samba de São Paulo também agitaram o carnaval paulistano, com fundamental importância do Camarote Brahma para cobrir o evento. A escola de samba vencedora foi a Império de Casa Verde, que teve como tema de sua apresentação o enredo “Império dos Mistérios”, com o terceiro título conquistado.

Durante a apresentação do Império de Casa Verde, a escola mostrou sobre os mistérios da fé, a vida pós-morte e a origem da humanidade. O desfile teve carros gigantescos, com decoração luxuosa. As fantasias e os uniformes também foram quesitos importantes para deixar a festa mais bonita. A modelo Lívia Andrade desfilou pela escola com lentes vermelhas nos olhos. Ela é a madrinha de bateria da escola e usou toda sua simpatia na hora de sambar.

Rio

A escola de samba que levou o título de campeã para a casa foi a Estação Primeira de Mangueira, que conquistou o título após 13 anos. O enredo da folia foi “Maria Bethânia – a menina dos olhos de Oya”, que levou a cantora para avenida. Logo em seguida, no segundo lugar, ficou a Unidos da Tijuca. A escola de samba teve as cores azul e amarelo, além de usar grandes carros alegóricos.

Agito

O Camarote Boa, feito pela Cervejaria Antarctica, agitou as noites cariocas. Durante o carnaval, o lugar recebeu a presença de famosos como a cantora Anitta, Mônica Iozzi, Kléber Toledo, Miguel Falabela, entre outros. Dentre os internacionais, o destaque ficou com o cineasta Tim Burton, diretor de filmes em Hollywood.

Como o tema do camarote foi o centenário do samba, o Camarote BOA consagrou Taís Araújo como a “Dona da Roda”. “Quando decidimos homenagear o centenário do samba, o nome de Taís apareceu e não conseguimos pensar em nenhuma outra pessoa que representasse tão bem a história que queremos contar. Neste ano, queríamos ir além da musa tradicional. Queríamos alguém que tivesse alma de sambista. Uma relação legítima com o ritmo, com a cultura, e topasse contar isso de forma ativa, entrando pra valer no samba. Taís é essa pessoa, além de ser dona de uma beleza espetacular, há verdade em tudo o que faz”, disse Maria Fernanda de Albuquerque, diretora de marketing de Antarctica.
De acordo com a atriz, a história com o samba começou cedo. “A primeira vez que eu desfilei na Sapucaí, tinha nove anos. Não há uma festa na minha casa que não termine em roda de samba. Participar dessa homenagem a nossa cultura, a esse ritmo cheio de histórias de amor, superação e alegria é um grande prazer. Me sinto honrada e envaidecida pelo convite”, ressalta Taís.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 + quatro =