Campeão de consumo

0

Com aplicações em frituras, chocolates, massas, margarinas, cremes vegetais, biscoitos, sorvetes, além de ser usado na produção de cosméticos até detergentes, sabões e sabonetes, o óleo de palma se destaca como um dos óleos vegetais mais consumidos no mundo.

No Brasil, a planta que fornece o óleo de palma é a própria Palma, também chamada de Palmeira do Dendê. Por isso, este óleo também é conhecido como azeite de dendê. Muitas vezes, ele aparece nos rótulos como óleo vegetal, tornando difícil a sua identificação nos produtos direcionados ao consumidor final.

Extraído da polpa dos frutos que crescem em cachos nas palmeiras, através da prensagem nas usinas, tem como uma de suas principais características a alta produtividade. Um hectare da palmeira do dendê produz, em média, cinco toneladas de óleo.

Comparando com a soja, esse número é de meia tonelada.

Como importante vantagem, possui excelentes propriedades de cozimento, mantendo suas propriedades mesmo sob altas temperaturas. Por isso, ele é usado intensamente em restaurantes, lojas de fast-food e na preparação em larga escala de produtos como batata frita, lanches e salgados.

Outra vantagem se deve à sua textura cremosa e macia aliada à ausência de odor, o que faz do óleo de palma um ingrediente perfeito para várias receitas, especialmente para produtos de panificação, como biscoitos. Possui também um efeito conservante natural que amplia a vida útil dos produtos alimentícios, além de ser o óleo vegetal mais barato do mundo.

Desenvolvimento sustentável

Com 64 mil hectares de reservas florestais, 40 mil hectares de áreas de plantios e cinco usinas de extração de óleo bruto situados nos municípios de Tailândia, Acará, Moju e Tomé-Açu, a 230 quilômetros de Belém (PA), o Grupo Agropalma é o maior produtor individual de óleo de palma da América Latina.

“O óleo de palma é um dos mais versáteis que existem no mercado, o que explica o vultoso crescimento em sua utilização no mundo, alcançando o primeiro lugar na produção e no consumo. Esse óleo propicia a produção de forma natural (sem hidrogenação) de uma série de produtos, além de possuir inigualável resistência à oxidação e não interferir no sabor próprio dos alimentos, mas apenas realçá-los”, apresenta Marcello Brito, diretor comercial e de sustentabilidade da Agropalma. De acordo com ele, o volume de nossa produção deverá atingir, neste ano, 175 mil toneladas.

A empresa comercializa o Óleo de Palma Refinado e o Orgânico. “Ambos têm a mesma utilização, seja na indústria alimentícia ou cosmética. O que os difere é que na produção do orgânico não há a utilização de defensivos químicos e adubos inorgânicos”, explica o diretor.

De acordo com ele, o diferencial dos produtos da Agropalma em relação aos concorrentes no mercado é a forma de produção e os compromissos socioambientais. A Agropalma é a única do Brasil certificada segundo as normas do RSPO – Mesa Redonda do Óleo de Palma Sustentável/Roundtable on Sustainable Palm Oil (www.rspo.org), uma iniciativa internacional multissetorial que define oito princípios, 39 critérios e mais de 120 indicadores de sustentabilidade social, ambiental, técnica e econômica para a cultura da palma.

A empresa também faz parte do POIG – Palm Oil Innovation Group (http://www.agropalma.com.br/palm-oil-innovation-group.asp), uma inciativa em conjunto com outros produtores e ONGs, como Greenpeace, WWF, RAN e Forest People Program, que trazem ainda mais segurança socioambiental na produção dos produtos, em consonância com os anseios da sociedade atual de uma economia mais verde e socialmente responsável. “A somatória dessas ações levou a empresa ao primeiro lugar no Scorecard do Greenpeace, o Sistema de Avaliação dos Produtores de Óleo de Palma, como a mais sustentável produtora de óleo de palma do mundo em 2012”, comemora Brito.

Essa é a missão da Agropalma: produzir e comercializar, no mercado nacional e internacional, óleo vegetal e derivados, garantindo o desenvolvimento sustentável do negócio. “Nossa área de produção encontra-se na Amazônia brasileira, o que por si só exige cuidados adicionais”, ressalta o diretor. Entre vários aspectos, ele julga dois de maior importância, sendo o primeiro no campo ambiental.

“A lei brasileira exige, na região onde atuamos, a manutenção de 50% da área total como reserva legal. Por iniciativa própria, mantemos 60% como tal. Mas não mantemos com o intuito de dizer que ‘cuidamos’ de algo. É preciso primeiro ter o conhecimento necessário, e isso se traduz num imenso trabalho de identificação e monitoramento de fauna e flora iniciado em 2004. De lá para cá, já foram identificados e são anualmente monitoradas em nossas áreas 407 espécies de aves, sendo sete ameaçadas de extinção, 37 espécies de mamíferos, seis delas na lista do IBAMA de espécies ameaçadas, além de dezenas de anfíbios, répteis, insetos e plantas.

Tudo isso é monitorado por ONGs nacionais e internacionais”, diz. O segundo campo é o socioeconômico. “Temos o programa de agricultura da Agropalma, em parceria com pequenos produtores locais, que engloba 234 famílias no Pará, é um exemplo de sucesso e serviu de modelo para outros investimentos semelhantes no Brasil e no mundo. A transparência nas ações, o investimento em modernas práticas agrícolas e industriais, o compartilhamento do conhecimento adquirido e as parcerias com as comunidades vizinhas mostram que é perfeitamente possível a integração economia-ecologia quando os processos são bem planejados e executados”, finaliza.

Sabor inigualável

Com 66 anos de experiência no mercado de alimentos, a Cepêra, empresa nacional do ramo, tem como posicionamento atuar em todos os segmentos de mercado, oferecendo soluções deliciosas dentro do seu conceito “Mais que caseiro, Brasileiro”, ou seja, utilizando receitas caseiras e em sintonia com o paladar brasileiro. Por isso, investe no óleo de palma através do Azeite de Dendê.

O azeite de Dendê Cepêra é um óleo obtido 100% dos frutos do dendezeiro (palma), produzido a partir de frutos provindos de plantações jovens que permitem um sabor intenso. Puro e de sabor muito apreciado, é indicado na preparação de pratos de origem nordestina como acarajé, bobó de camarão, moqueca, vatapá e também nos pratos de origem africana como a galinha de cabidela.

Além disso, pode ser utilizado para realçar sabor de outros pratos de diferentes tipos de culinária.
Para o Departamento de Marketing da empresa, o sabor inigualável é o que torna os pratos muito apreciados, quando os estabelecimentos de food service utilizam o produto. “A Cepêra disponibiliza ao mercado a embalagem de 900 ml em frasco PET, o que propõe quantidade adequada para o segmento food service e a facilidade no manuseio, bem como a redução de perdas”.

Bom investimento

A Aboissa Óleos Vegetais vem mostrando um trabalho inovador junto ao mercado de representação de óleos, gorduras e derivados. Preocupada em manter um alto padrão da qualidade de seus serviços, a Aboissa, segundo dados da empresa, é a única do setor a dispor de uma equipe de operadores exclusivos para cada produto, proporcionando maior precisão nas informações sobre o mercado. A companhia comercializa também todos os óleos vegetais e gorduras animais, bem como todos os óleos vegetais brutos e refinados.

“Passamos um panorama do mercado e posicionamos o cliente para o melhor momento da compra e de possíveis alternativas para cada cliente”, explica Michel Malvasi, gerente da Unidade Palm&Lauric Oils, que é especializada em Óleos de Coco, Babaçu e Palmiste(derivado da amêndoa da Palma) e possui ampla informação no mercado nacional e internacional, dando suporte aos seus clientes com todos os tipos de informações que possam lhes ajudar a tomar uma decisão segura.

De acordo com o gerente, o óleo de palma é um produto natural, produzido por processamento físico sem absoluto contato com insumos químicos, diferente das gorduras vegetais hidrogenadas, que no seu processo sofrem contato com hidrogênio e catalizadores de níquel, e podem gerar gorduras trans, que causam muitos danos à saúde com seu uso intensivo ao longo dos anos. Para ele, os benefícios da utilização do óleo de palma integral ou fracionado estão mais do que comprovados. “Percebemos isto ao notar gigantes multinacionais do setor de alimentos instaladas no Brasil que têm determinação de sua matriz para utilizar com exclusividade este óleo pela alta estabilidade que ele proporciona aos seus produtos, permitindo um prazo de validade extensivo e um tempo bem maior dos produtos na prateleira”, diz.

Agropalma
www.agropalma.com.br

Cepêra
www.cepera.com.br

Aboissa
www.aboissa.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 + 20 =