Cachaça orgânica potiguar faz sucesso no mercado internacional

0

A Extrema, cachaça orgânica do Rio Grande do Norte, exportou 500 litros da bebida para um importador alemão. O produto saiu do Aeroporto de São Gonçalo no Amarante no final de julho e tem a próxima remessa prevista para setembro, quando 2,5 mil litros serão exportados.

No mercado alemão, a garrafa de 750 mililitros está sendo comercializado sob o rótulo de Passarinho para uma empresa que é especialista na venda de biocachaças para a produção de caipirinhas. O processo de exportação da cachaça demorou seis meses até ser concluído, levando em consideração exigências tributárias, legais e sanitárias.

Para que o processo ganhasse vida, foi feito uma parceria entre a Agroindustrial Extrema e a 3D Indústria de Bebidas, além do suporte do Sebrae no Rio Grande do Norte. O Plano Nacional da Cultura Exportadora foi essencial nesse processo e, a partir dele, foi feito um diagnóstico e plano de ação com foco no mercado internacional.

Também foi necessário a elaboração do planejamento logístico e a paletização do produto, através da equipe técnica de Mercados do Sebrae. Como a bebida foi transportada de modo aéreo, precisou de identificar os fornecedores para entrar no mercado europeu.

De acordo com Anderson Faheina, a exportação do produto faz parte de um a estratégia de diversificar o mercado. “Esse envio representa expansão e diversificação mercadológica. Essa exportação só foi possível porque a Extrema é uma cachaça orgânica, pois a Alemanha já compra essa bebida, mas o importador teve interesse por se tratar de um produto certificado com o selo de orgânico”.

Fonte: Revista PEGN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezessete − onze =