Assinatura de cafés especiais vira tendência

Pedidos podem ser feitos pela internet

0

Os clubes de assinatura tem virado tendência no Brasil. Esse esquema de venda, muito comum com cervejas e vinhos, tem atraído outros produtos gastronômicos, inclusive os cafés.

Esse esquema de venda pode acontecer paralelo a outra atividade, por não precisar de grande investimento. Na assinatura,os cafés costumam ser entregues pelo correio em uma embalagem laminada internamente, para controlar a umidade do café. Além disso, algumas informações no rótulo indicam o tipo da fazenda, a altitude, tipo da tora e colheita.

Para um dos sócios do Moka Clube, Hugo Rocco, esse modelo de negócio é uma tendência para produtos especiais. Ele é um apreciador de café, que viaja em busca de produtores e acredita que o contato direto é a única forma de garantir a qualidade dos produtos. “Uma temporada em Londres me fez conhecer cafés brasileiros que eu nunca tinha visto por aqui. Quando voltei, em 2012,enquanto terminava a faculdade de engenharia elétrica, fui atrás desses produtores e comecei a montar o plano de negócio com mais dois amigos. Meu desejo era que alguns brasileiros tivesse acesso aos cafés que são sempre exportados”,conta Rocco.

O Moka Clube, com sede em Juvene, no Paraná, teve o investimento inicial de R$ 30 mil. Atualmente, o negócio conta com mil assinantes em todo país, a maioria assinante do plano de entrega com 250 gramas por mês ( R$34,90 sem o frete). Pela quantidade, Rocco acredita que esse tipo de cafés não interfere na compra diária feita em supermercados. Há várias fazendas parceiras e, em cada entrega, um café de origem diferente.

Já no Pé de Café, formada em 2009 em Conconda, São Paulo,investiu cerca de R$ 90 mil na montagem do e-commerce. A marca possui 90 assinantes e cobra R$21,90 (mais frete) em 250 gramas de café.

Fonte: Valor Econômico

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × 2 =