Aos 13 anos, jovem cria marca de doces para bancar curso na França

0

Por Redação FSN – 22 de maio de 2014

O jovem João Camargo, com apenas oito anos na época, tinha como tarefa escolar fazer biscoitos amanteigados utilizando as medidas corretas da receita. “Acho que era algo na aula de matemática, na qual tínhamos que aprender o sistema métrico”, lembra. Entretanto, o garoto foi além de apenas acertar nas quantidades certas, e agradou familiares e amigos com o sabor dos biscoitos.

A partir do sucesso inicial, Camargo criou novas versões e sabores, e passou a vender para consegui algum dinheiro. Quando ele e sua irmã queriam um cachorro de estimação, por exemplo, João apostou em bolos e em um mês juntou o dinheiro necessário para comprar o animal.

Segundo Camargo, o aprendizado de culinária veio através de programas de TV e livros de gastronomia. Ele explica que o seu primeiro contato com o universo da gastronomia foi quando sua avó o levou ao restaurante da chef Roberta Sudbrack. O garoto, vale dizer, ainda não tinha passado dos dez anos.

“Foi a primeira vez que conheci uma chef de verdade e vi como um restaurante funcionava”, conta o carioca, agora com 13 anos. Ele ainda tentou participar de um dos cursos ministrados por Roberta, mas foi recusado por causa de sua idade.

Mais uma vez Camargo recorreu à culinária: comprou um buquê de flores e preparou um bolo para Roberta pedindo uma exceção. A chef amou o presente, elogiou a criação do jovem, e ele se tornou o primeiro aluno de nove anos do seu curso.

Os doces viraram sua principal paixão, apesar de se arriscar a cozinhar outros pratos. “Gosto da precisão necessária para fazer uma boa sobremesa. Seja na quantidade dos ingredientes ou na própria decoração”, afirma.

Depois de alguns outros cursos e aulas, Camargo decidiu que quer se profissionalizar e tem planos ambiciosos.  “Talvez eu vá para a escola francesa Le Cordon Bleu, não sei ainda. Mas, de preferência na França”. Para concretizar o sonho, ele criou sua marca, a ‘Do João’, uma página no Facebook e passou a fazer bolos e doces sob encomenda para juntar dinheiro. Seu menu conta com nove opções, com valores entre R$ 40 e R$ 80, mas ele aceita pedidos customizados.

Camargo ainda não sabe se deseja ser um empreendedor, apesar de ter todas as características. “Eu só comecei meu negócio por causa da minha paixão pela gastronomia. Ainda quero viajar muito, conhecer diferentes culinárias e chefs antes de abrir outra empresa”, afirma. “Por enquanto minha maior recompensa é ver a felicidade das pessoas quando comem algo que eu fiz.”, conclui.

dojoao2

Fonte: PEGN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezesseis − 6 =