A qualquer momento

0
A qualquer momento

Mesmo em meio à crise, é possível inovar e garantir retornos consistentes

Inovação. Não é de hoje que essa palavra tem tido um importante papel nas empresas. Mas como é possível inovar mesmo em meio à crise? A Food Service News perguntou e as empresas responderam.

Não pode parar

Steven Charles Rumsey é diretor de inovação e tecnologia da Duas Rodas. De acordo com ele, a inovação não pode parar, principalmente em momentos como o atual.

A qualquer momento“A inovação não pode parar, especialmente em um momento difícil como este. Como atitude e processo, a inovação é aplicável a uma infinidade de objetivos. E, com certeza, o ambiente de crise pode até estimular mais inovação por apresentar novos desafios e a necessidade de adaptação às novas circunstâncias. Com a pandemia da Covid-19, vivenciamos um cenário de mudança de hábitos do consumidor e do mercado, motivado por uma série de questões como restrições em relação à aglomeração de pessoas, trabalho home office e mais consumo em casa, entre outras, resultando em grandes alterações de prioridades de comportamento e consumo. E as empresas, de uma hora para outra, se depararam com uma necessidade premente de redirecionar recursos para novos focos e até modelos de negócios, e o e-commerce é um grande exemplo disso, para poderem se adaptar a esta nova realidade. Nós trabalhamos, na Duas Rodas, com o desafio permanente de encontrar oportunidades até mesmo em meio às adversidades. Com a pandemia, nos reinventamos, agilizamos projetos, apostamos firme na plataforma digital com foco total na manutenção da nossa tradicional proximidade com os clientes, ainda mais relevante neste cenário de transformações e de preparação para a retomada pós-Covid”, destaca ele.

Conforme ressalta Rumsey, na Duas Rodas, a inovação é o principal driver de competitividade e expansão dos negócios.

“Na Duas Rodas, temos a inovação como o principal driver de competitividade e expansão dos nossos negócios. Os lançamentos inovadores mais recentes estão fortemente conectados às demandas atuais de consumo, como saudabilidade, naturalidade, indulgência e conveniência, com produtos que ajudam as indústrias a reduzir o sódio, o açúcar e gorduras em suas formulações, além da ampliação de nossos portfólios de aromas naturais, extratos e desidratados de plantas, soluções com poder antioxidante e outras funcionalidades, criando oportunidades para diferentes categorias de alimentos e bebidas, oferecendo novas experiências sensoriais aos consumidores. Entre os lançamentos mais recentes, temos a apresentação para a temporada de 2021 de 8 novas soluções zero adição de açúcar e zero açúcar de linhas da Specialitá e a Selecta Equilibrium, marcas da Duas Rodas voltadas ao mercado de sorvetes. A Specialitá Crema está lançando 4 sabores zero adição de açúcar: Creme de Amendocrema, Creme de Cookies Branco, Creme de Cookies Nero e Creme de Torta de Limão. A marca apresenta também a Pasta Chocolat Trufa 00 zero adição de açúcar e zero lactose e a Pasta Saborizante Nata zero açúcar. Já na linha Selecta Equilibrium são duas novas bases: para Leite e para Sorbet, ambas zero açúcar. Interessante destacar que estes lançamentos, que integram o portfólio de cerca de 50 soluções low sugar e no sugar para o mercado de sorvetes, são resultado do trabalho de uma equipe de especialistas em sabor da Duas Rodas que estudaram novas matérias-primas e combinações para desenvolver versões zero açúcar que preservem a indulgência, o sabor e a textura mesmo sem a adição de açúcar na formulação. Outra inovação recente é a tecnologia exclusiva de redução de gorduras saturadas, o OFF SAT, premiado como um dos 5 ingredientes mais inovadores do Fi Innovation Awards no final de 2020. O OFF SAT permite reduzir em até 90% a gordura saturada em biscoitos laminados, extrusados ou moldados. Sem alterar sabor, odor e crocância do biscoito padrão, atributos extremamente valorizados pelos consumidores, com esta tecnologia oferecemos importante alternativa à indústria frente à nova rotulagem nutricional de alimentos aprovada pela Anvisa no ano passado, de retirar a lupa do rótulo de ‘alto em gorduras saturadas’. No mês passado, lançamos também o CreamyFeel, uma solução tecnológica que proporciona uma perfeita conexão entre saudabilidade e indulgência, evidenciando notas cremosas e proporcionando uma sensação de recobrimento compensando o baixo teor de gordura em produtos lácteos e em bebidas à base de plantas. Esta tecnologia de aroma natural pode ser aplicada em produtos como iogurtes, achocolatados, bebidas lácteas e plant-based. Além disso, permite outra característica cada vez mais valorizada pelos consumidores nos tempos atuais, que é o apelo clean label. Outro exemplo interessante citar é a tecnologia exclusiva de encapsulação de aromas em pó, a nossa linha GranFlavor, que foi reconhecida como ingrediente mais inovador pelo prêmio Food Ingredientes Innovation Awards de 2019. É um ingrediente voltado para aplicações doces, que proporciona melhor experiência sensorial no
produto final frente às usuais tecnologias de microencapsulação, por promover maior saída aromática, além de maior fixação do aroma e melhor proteção do ativo. Na mesma linha de benefícios da tecnologia de aromas GranFlavor, contamos com o portfólio Flavor Intense, para aplicações salgadas, que oferece maior intensidade de suas principais notas aromáticas, valorizando ao mesmo tempo odor e sabor, que reforçam a fidelidade de cada aroma. Como líderes nacionais na fabricação de aromas e ingredientes para a indústria de alimentos e bebidas, também levamos inovação às demandas crescentes do mercado de cárneos. O Plant Based Solutions, por exemplo, é uma linha de aromas e soluções tecnológicas, que conferem o sabor, a suculência e a textura da carne animal às proteínas vegetais, oferecendo as melhores experiências sensoriais para os consumidores de alimentos à base de plantas. Fruto de um processo interno de desafio e estímulo à criação, que envolveu equipes de pesquisa e desenvolvimento de todas as unidades da Duas Rodas, utilizando como metodologia de ideação uma adaptação dos hackathons, outro ingrediente que se destaca no conceito de inovação é o Utankakao, uma solução tecnológica 100% natural e clean label que foi desenvolvida para ajudar na performance de produtos reduzidos em cacau. O produto entrega atributos aromáticos de odor e sabor, além da acidez, amargor e adstringência características do cacau a categorias como biscoitos e misturas para bolos”, afirma ele.

Para Rumsey, “entender profundamente os desejos e necessidades dos consumidores é fundamental para se antecipar e oferecer alternativas de soluções para a indústria de alimentos e bebidas inovarem e atenderem os brasileiros. E para diagnosticar estas necessidades do mercado, utilizamos ferramentas de inteligência de mercado e uma ampla estrutura de inovação colaborativa, com envolvimento de consumidores, colaboradores, clientes, entidades e parceiros, fornecedores e universidades. Os movimentos dos consumidores indicam interesse crescente por alimentos que os ajudem a levar uma vida mais saudável, não apenas no aspecto da saúde física, mas mental e emocional também. E é justamente por isto que a indulgência se mantém como atributo importantíssimo no processo de escolha de um alimento ou bebida. Importante lembrarmos que a regra fundamental para consumo de qualquer alimento é a qualidade sensorial. Pessoas comem o que agrada sensorialmente. Por isto, para promover o consumo de alimentos saudáveis, estes produtos precisam ter impacto sensorial positivo”, diz.

Rumsey destaca que, quando o assunto é inovação, os desafios e objetivos devem estar muito claros. “Inovação é o resultado de um conjunto de atitudes e processos que necessitam de um ambiente acolhedor e nutritivo. Para começar, os desafios e objetivos devem estar muito claros. São fundamentais também um ambiente e processos que estimulem o pensamento criativo, onde pessoas são incentivadas a pensar de maneiras diferentes sem receio de serem julgadas ou com medo de errar. Com novos conceitos e ideias desenvolvidos, o próximo passo é ter um processo de desenvolvimento disciplinado que possa conduzir e consolidar estas novidades até um estágio mais tangível de comercialização. Uma ideia nova somente é considerada uma inovação de sucesso se gera valor concreto. Para alcançar este valor final, é necessário colocar em ação uma sequência de atividades que, no contexto empresarial, requer a condução e contribuição de talentos e habilidades desde a geração da ideia, desenvolvimento, produção, comunicação e comercialização. Todos trabalhando em sintonia, passando de fase para fase, e maximizando o uso dos ativos da empresa”, afirma.

O diretor de inovação e tecnologia da Duas Rodas destaca também que “inovar é o processo principal de criação de novo valor. Este valor pode ter várias caraterísticas como, por exemplo, a expansão de portfólio, atingimento de novos mercados e clientes, maneiras mais eficientes de trabalhar ou produzir, novos modelos de negócio, e outros, resultando em maior competitividade no mercado e crescimento”, diz.

De acordo com Rumsey, “processos e investimentos em inovação estão diretamente conectados com os objetivos e as caraterísticas dos desafios. Especialmente aspectos técnicos, que variam muito dependendo do foco, do segmento da indústria e objetivos. Mas, além do objetivo técnico, existe a necessidade de criar um ambiente com processos adequados para apoiar os aspectos psicoemocionais que ajudam a acelerar a inovação. Para isso é necessário ter investimentos em processos e estímulos na área de gestão de pessoas, que ajudem a promover um ambiente positivo, estimulador, colaborativo e com a segurança psicológica, convidando as pessoas a participarem e a contribuírem com o processo criativo permanente, de numa maneira plena. Anualmente, a Duas Rodas investe em torno de 5% do faturamento em diferentes frentes de inovação que alcançam pesquisa e desenvolvimento, infraestrutura, equipamentos e capital intelectual para inovar produtos, processos e tecnologias e ampliar o posicionamento no mercado mundial”, afirma.
Rumsey salienta que inovação é uma ferramenta universal “Primeiramente é importante lembrar que inovação é uma ferramenta universal. Não existe problema com o qual os processos de inovação não podem contribuir. Justamente por isso é imprescindível trabalhar a questão cultural no ambiente empresarial, base de apoio para a atitude de inovação. Para alcançar os objetivos do negócio, é fundamental também desenvolver métricas com as quais os resultados de inovação possam ser mensurados. Assim, é possível criar e acompanhar metas específicas e claras, que é importante para uma gestão constante”, diz.

O diretor de inovação e tecnologia da Duas Rodas salienta que pessoas são seres criativos. “O que é mais importante na maximização do aproveitamento desta criatividade nata é a presença de um clima e de uma cultura acolhedora, que promovam a participação, e processos que orientem os comportamentos e atividades a serem mais eficientes possíveis. Como a água sempre encontra o seu caminho, o processo de inovação vai acontecer naturalmente se existe o ambiente certo e os processos de apoio de condução. Na empresa, contamos com diversos processos que estimulam a cultura de inovação entre os colaboradores, entre eles eventos, como o Creativity Day, que estimula a inovação, criatividade e abertura de pensamento; iniciativas que promovam a apresentação de projetos inovadores, como o TasteHack, um tipo de hackaton, realizado com as equipes de especialistas em sabor das nossas unidades no Brasil e nos demais países da América Latina (Chile, Argentina, Colômbia e México); os Comitês de Ideias; e o Toolkit de Inovação, que reúne um mix de ferramentas para estimular iniciativas de inovação entre equipes, entre outras ações”, afirma.

Estratégias

A qualquer momento
De acordo com Mariano Iocco, diretor de marketing para América Latina na Sealed Air, “faz parte do processo de pesquisa e inovação enfrentar os desafios de conhecer os mercados em que atuamos, entendê-los e, então se antecipar para atender suas futuras necessidades”

Mariano Iocco é diretor de marketing para América Latina na Sealed Air. De acordo com ele, “nos momentos de crise, em que os desafios parecem maiores que as oportunidades são as estratégias mais inovadoras que fazem diferença. Nós, da Sealed Air, acreditamos na inovação como propósito e, para tanto, é preciso combinar conhecimento, qualidade nos processos, ciência e tecnologias, de forma calculada e decidida, para criar soluções que resolvam muitos dos desafios enfrentados por nossos clientes em todo o mundo. É importante notar que é errado pensar que para inovar é sempre necessário fazer investimentos, pois inovar muitas vezes implica em aproveitar os recursos de forma eficiente, impactando positivamente a rentabilidade”, afirma.

Iocco conta que a companhia investiu em inovações ao longo dos anos. “Somos uma companhia que tem a missão de proteger, resolver desafios e deixar o nosso mundo melhor do que o encontramos. Seguindo este propósito, ao longo dos anos inovamos com soluções de proteção para diversos mercados. Para indústria de alimentos, em 1990, somamos ao nosso portfólio a marca Cryovac, que desenvolveu a inovadora tecnologia de embalagem a vácuo. E não paramos por aí, temos orgulho em trabalhar com tecnologias que aumentam a vida útil de carnes, queijos, alimentos prontos, evitando desperdício na cadeia do varejo alimentar. Destaco abaixo algumas de nossas inovações para o segmento de alimentos:

OvenEase – É uma embalagem a vácuo de material flexível com barreira a oxigênio, projetado para alimentos crus ou pré-cozidos. Este sistema permite que o alimento seja assado ou cozido dentro do próprio sistema de proteção, ideal para trazer praticidade para o food service e para o consumo em casa. Por permitir cozinhar o alimento na própria embalagem, gera-se economia de energia, água e insumos para limpeza.

Simple Steps – A partir das transformações nos hábitos de vida impulsionados pela realidade do isolamento social, a Sealed Air trouxe mais uma de suas inovações para o mercado: uma solução de proteção que viabiliza a comercialização de pratos prontos com alta praticidade. Simple Steps chegou no mercado brasileiro neste ano e já é comercializada pela linha de pratos caseiros da Liv Up. Também é desenvolvido a partir de uma bandeja rígida de alta barreira e com tecnologia a vácuo ‘skin’, que protege o interior dos alimentos, removendo todo o ar e fornecendo uma película protetora firme sobre o produto, eliminando, assim, espaços e permitindo melhor experiência visual e maior atratividade nas gôndolas. Com essa embalagem, a refeição pronta ganha mais tempo de vida útil (shelf life) na prateleira, aprimorando a apresentação do produto e garantindo uma maior qualidade e frescor.

A qualquer momento
“Nós, da Sealed Air, acreditamos na inovação como propósito e, para tanto, é preciso combinar conhecimento, qualidade nos processos, ciência e tecnologias, de forma calculada e decidida, para criar soluções que resolvam muitos dos desafios enfrentados por nossos clientes em todo o mundo”, afirma Mariano Iocco, diretor de marketing para América Latina na Sealed Air

FlexPrep – Além de soluções de embalagem, a Sealed Air está em constante desenvolvimento de sistemas que contam com equipamentos e automação para trazer produtividade para nossos clientes. No segmento de Food Service, por exemplo, onde já atuamos com embalagens para fluídos, temos no nosso portfólio global o porcionador FlexPrep, que distribui condimentos de pouches flexíveis pré-cheios por meio de uma unidade de distribuição mecânica. As bolsas hermeticamente fechadas reduzem o consumo de embalagem primária em 85% e oferecem maior eficiência e redução de desperdício de alimento, quando comparadas aos sistemas tradicionais. O uso do filme de barreira Cryovac ajuda a garantir que os condimentos, molhos e curativos permaneçam frescos antes e durante o uso. Esta solução inovadora é fácil de usar, reduz o tempo de preparação e fornece até 98% de rendimento – uma melhoria significativa em relação aos contêineres rígidos”, afirma ele.

E por que essas inovações foram e são importantes? “A resposta é simples, porque melhoram a experiência de compra do consumidor! A tecnologia de proteção de alimentos a vácuo é essencial para atender a dinâmica do Food Service, evitando perdas. Além da redução de perdas, as soluções pioneiras da Sealed Air sempre se anteciparam às transformações nos hábitos de vida e de consumo. Desta forma, inovar para atender a nova conjuntura social é fundamental para entregar soluções com excelência e apoiar os desafios dos nossos clientes. Além disso, nossas inovações como OvenEase, Simple Steps e Freshnesh Plus (tecnologias da embalagem de barreira ativa) permitem ao Food Service padronizar a oferta, minimizar a contaminação cruzada e garantir que a experiência do consumidor seja a mesma, independente do lugar onde ele estiver. O consumidor de São Paulo terá a mesma experiência daquele que estiver em Santa Catarina, Rio de Janeiro etc. Outro ponto relevante trata-se do compromisso com soluções sustentáveis. Nossas inovações são sempre baseadas em reduzir o impacto ambiental dos produtos. A sustentabilidade da Sealed Air é registrada no Compromisso 2025, que tem como meta até 2025: intensificar esforços para desenvolver soluções de embalagem 100% recicláveis ou reutilizáveis; eliminar resíduos plásticos ao atingir 50% de conteúdo reciclado em todas soluções de embalagens; e liderar negociações com parceiros em todo o mundo para aumentar os índices de reciclagem e reutilização”, afirma Iocco.

De acordo com Iocco, “faz parte do processo de pesquisa e inovação enfrentar os desafios de conhecer os mercados em que atuamos, entendê-los e, então se antecipar para atender suas futuras necessidades. Em conclusão, conhecer o consumidor e colocá-lo no centro das decisões; tratar a inovação como um desafio de todos e ter um processo estruturado; criar um ambiente interno propício para a criatividade e, especialmente, aprender a lidar com o fracasso como parte do processo”, afirma ele.

Iocco explica que por meio da inovação é possível melhorar a imagem de marca. “Por meio da inovação conseguimos melhorar a imagem de marca. Além disso, elas passam a oferecer ao mercado produtos e serviços mais inovadores, atualizados e de melhor qualidade, impactando positivamente na rentabilidade e atraindo sempre mais clientes. Na Sealed Air o investimento em inovação nos permite nos antecipar às tendências e permitir que possamos entregar as melhores soluções para nossos clientes, garantindo a continuidade de seus negócios”, diz ele.

Para o diretor de marketing, a inovação pode acontecer em diversos âmbitos. “A inovação pode acontecer em diversos âmbitos, sendo os principais: Oferta, Marketing, Processo e Organização. Olhando sobre essa ótica, as empresas podem inovar tanto em geração de valor (Oferta e Marketing), como em eficiência (processo e organização). A indústria busca gerar valor especialmente durante o desenvolvimento inicial ou em um momento de atualização, já a busca por eficiência ocorre durante a sua fase de testes monitorados, quando a empresa está buscando basicamente produtividade, eficiência operacional, explorar uma oportunidade ao máximo. Na Sealed Air acreditamos na inovação com propósito. Em nossa história em todo mundo investimos em recursos humanos e pesquisas para estar em constante crescimento. Globalmente, temos mais de 1.500 cientistas, engenheiros, especialistas em equipamentos em aplicações, 56 instalações para pesquisa e laboratórios; mais de 3.600 patentes e mais de 9.300 marcas registradas. Além de três centros internacionais chamados Packforum®, para aprendizagem e inovação”, afirma.

Conforme destaca Iocco, é importante que a inovação seja colocada como estratégia central da empresa para não perdê-la de vista. “Acredito que a única maneira de fazer isso é colocar inovação como estratégia central da empresa, implementando um processo estruturado. A intenção da inovação é a criação de valor para o negócio, enquanto a estratégia organiza e orienta as condições necessárias para se chegar lá. Considerando que as inovações são capazes de gerar vantagens competitivas a médio e longo prazo, inovar é essencial para a sustentabilidade das empresas. As organizações precisam encontrar seu caminho na inovação e pensar fora da caixa”, diz ele.

O diretor de marketing destaca que a empresa nasceu a partir da inovação. “Somos uma empresa que nasceu a partir da inovação, acreditamos na importância da manutenção deste propósito nas relações diárias, bem como na colaboração entre times para desenvolvimento de soluções inovadoras para nossos clientes”, afirma. “Ao longo de nossa história, nossas inovações têm gerado maior conveniência para alimentação, maior eficiência operacional, mais sustentabilidade e segurança para nossos clientes. Hoje, a Sealed Air tem um amplo portfólio de material de embalagem e equipamentos que permitem aos nossos clientes inovar na forma como chegam ao consumidor e, ao mesmo tempo, melhorar os índices de desperdício alimentar, impactando positivamente o meio ambiente. Estamos à disposição para colaborar com processos de inovação do mercado”, diz ele.

Ideias

A qualquer momento
“Quando se aplica uma cultura empreendedora dentro da empresa, você motiva uma atitude de inovação quase que automaticamente”, afirma Ricardo Rossalto, diretor comercial da Rational

Ricardo Rossalto é diretor comercial da Rational. Para ele, “o conceito de inovação é bastante variado, dependendo, principalmente da sua aplicação. De forma sucinta a inovação é a exploração de novas ideias com sucesso. Dizendo isso, nem sempre inovar quer dizer fazer algo extremamente complexo. Na minha opinião, ouvir o cliente, estar presente em momentos difíceis, como hoje (onde o que mais se tem é distanciamento), já te permite encontrar ideias para poder inovar”, afirma. “Por sermos uma multinacional e líderes mundiais no segmento, carregamos um peso enorme por inovação. Todo o mercado espera por inovação vindo da nossa parte. No geral somos uma empresa muito conservadora em lançamento de produtos. Dizendo isso, a cada lançamento, avançamos perto de uma década em inovações. Transformamos tarefas muito complexas em tarefas extremamente simples! Dois exemplos disso são os assistentes patenteados do nosso forno iCombiPro, o iCookingSuite e iProductionManager”, diz ele.

Rossalto conta que “o iCookingSuite é a inteligência de cocção dos nossos equipamentos. Este assistente sabe o caminho para o resultado de cocção desejado e sempre o reproduz de modo confiável. Além disso, você pode interferir no percurso de cocção a qualquer momento ou alterar de carga única para carga mista. Isso traz como inovação, liberdade e flexibilidade para o operador. Eu não preciso preocupar com o constante monitoramento que é padrão das cozinhas profissionais tradicionais. Já o iProductionManager é o ‘gerente’ produção eficiente nos preparos das refeições. Este assistente assume o planejamento dos processos de produção e indica quais alimentos podem ser preparados juntos e em qual momento. Isso alivia os processos de trabalho, economiza tempo e energia. O operador já não precisa mais se preocupar com tarefas repetitivas e pode concentrar diversos preparos em apenas 1m²”, afirma.

De acordo com Rossalto, são dois os principais desafios na hora de inovar. “Na minha visão, são dois os principais desafios na hora de inovar. Primeiramente, é importante saber o que realmente vai resolver/revolucionar a vida dos clientes. Não apenas agora, mas também no futuro/longo prazo. Em segundo lugar é preciso conseguir efetivamente aplicar a usabilidade desta inovação. Quem vai usar, é interativo, fácil de operar, pode ser usado globalmente, levando em consideração as mais diversas culturas etc.?”, salienta.

A satisfação dos clientes, diz ele, é o principal benefício de investir em inovação. “De acordo com pesquisas independentes de inteligência de mercado, a RATIONAL conta com o maior índice de satisfação do mercado com relação a clientes satisfeitos com a nossa marca. Nós os chamamos carinhosamente de apóstolos”, afirma.

E como não perder a inovação de vista? “Acredito mais uma vez, que customer experience deve ser o principal termômetro para não perder a inovação de vista”, afirma Rossalto, que também destaca como motivar os colaboradores a inovarem. “Nós na RATIONAL motivamos nossos colaboradores a inovar, oferecendo a eles uma cultura de ‘donos’ do negócio. Quando se aplica uma cultura empreendedora dentro da empresa, você motiva uma atitude de inovação quase que automaticamente”, afirma.

Fundamental

Norma Waichert é CEO e fundadora do Banana Food. De acordo com ela, inovar é fundamental. “O mundo respira inovação, é fundamental inovar, principalmente diante de situações adversas que tiram os empreendedores da zona de conforto. A atenção deve ser voltada para as necessidades do mercado, que mudam de forma contínua. É necessário colocar as ideias em prática e tomar atitudes de forma rápida e consistente”, destaca ela.

A qualquer momento
“A atenção deve ser voltada para as necessidades do mercado, que mudam de forma contínua. É necessário colocar as ideias em prática e tomar atitudes de forma rápida e consistente”, destaca Norma Waichert, CEO e fundadora do Banana Food

Norma Waichert afirma que a empresa conta com uma escuta atenta no que diz respeito às necessidades dos clientes e às mudanças de mercado. “Inovamos no desenvolvimento tecnológico, disponibilizamos ferramentas digitais como cardápio e aplicativo de delivery. No marketing abrangemos novas técnicas e estratégias usadas para captar mais clientes, usamos sempre linguagem atual que gere uma identificação com nosso público. Adaptamos e inovamos nosso cardápio com estratégia e soluções, influenciando positivamente na experiência do cliente”, afirma. “A inovação está no nosso DNA. Temos uma cultura de mudança, dentro da empresa, que praticamos diariamente para se destacar no mercado de forma diferenciada e criativa. Proporcionando assim, diversas experiências para nosso público. Gerando vantagens competitivas”, diz ela.

O desafio principal na hora de inovar, destaca Norma Waichert, é “o gerenciamento de ideias para soluções que causem um impacto significativo, e colocá-las em prática de forma rápida e assertiva”, diz ela, que ainda fala acerca dos benefícios. “O principal benefício é conseguir se consolidar e crescer no mercado de forma saudável, consistente, e não deixando de lado nossa visão, missão e principalmente nossos valores”, afirma.
Para não perder a inovação de vista, diz a CEO, é preciso buscar soluções contínuas. “Buscando soluções de forma contínua para desafios, necessidades e estar sempre atualizados para gerar vantagens competitivas, antes que ocorra necessidade de mudança nos momentos desafiadores”, diz. “Temos uma postura aberta e sempre conversamos com a equipe a respeito de novas ideias e ficamos à disposição para ouvir sugestões, possibilitando o surgimento de novas ideias, gerando uma cultura de mudança dentro da empresa. Desenvolvemos programas de estímulo à criatividade trazendo a importância da participação dos colaboradores no crescimento da empresa, acompanhado com um bom café”.

Norma Waichert afirma que “a necessidade dos clientes dita a velocidade da inovação. O gestor de inovação deve sair em busca de soluções para mercado, fortalecendo a marca diariamente”, diz.

Inovação em várias frentes

Bruno Oliveira é head de inovação e novos negócios da Nestlé. De acordo com ele, “a Nestlé tem inovações que vão do campo até à casa do consumidor. A companhia também inova não só em produtos, mas também em experiências, serviços e modelos de negócios”, afirma.

Para exemplificar, Bruno Oliveira ressalta que, no que diz respeito ao campo, “em parceria com a Embrapa, a Nestlé é pioneira no desenvolvimento do primeiro protocolo para pecuária de leite de baixo carbono do país, definindo uma calculadora que mede o balanço de carbono equivalente das propriedades leiteiras em diferentes biomas e sistemas de produção. O projeto integra o compromisso global da Nestlé de neutralizar todas as emissões de suas operações, incluindo suas cadeias de fornecimento, até 2050, com metas intermediárias de redução de 20% até 2025 e de 50% para 2030”, diz.

Já em relação à indústria 4.0, “a Nestlé investiu mais de R$ 2 bilhões, nos últimos 3 anos, em modernização e ampliação de linhas nas fábricas. Hoje, 100% das novas linhas já nascem com o conceito de indústria 4.0. Nas linhas de KitKat, por exemplo, foi implantado o que há de mais avançado. A unidade conta com o uso de robôs, automação e ganhos em transformação digital e realidade aumentada, com benefícios em produtividade, eficiência e aproveitamento de pessoas”, diz ele, que acrescenta também que “a Nestlé Brasil tem na sua fábrica de Caçapava (SP) um modelo de indústria 4.0 e de tecnologias que aceleram a produção. A unidade opera de forma integrada, com todas as informações online e acesso remoto à gestão da operação”, afirma.

Bruno Oliveira também salienta, ao falar sobre novos produtos, que “o consumidor está cada vez mais exigente com a saúde e a qualidade nutricional dos alimentos. Além de buscar conveniência e comodidade. Do lado da empresa, isso exige maior produtividade com sustentabilidade – com tecnologia e renovação/inovação de portfólio. Entre 2019 e 2020, foram lançados 326 novos produtos. Em 2021, a previsão é lançar mais 285”, destaca.

Nesse cenário, Bruno Oliveira afirma que nos últimos três anos, a Nestlé investiu cerca de R$ 40 milhões em produtos plant-based. “E, 2021, são mais de 12 novos itens lançados no mercado brasileiro, como cápsulas de Nescafé Dolce Gusto, sorvetes veganos de Nature’s Heart em parceria com a Bacio di Latte, além de itens culinários, bebidas prontas para consumo, entre outros”, diz ele.

Inovações também são vistas quando o assunto é o Nescau. “Outro exemplo muito significativo é o da marca NESCAU, que criou um novo produto orgânico pronto para beber em embalagem que dispensa o uso de tampas plásticas. Para criar uma embalagem que mantivesse a segurança e durabilidade do produto sem a necessidade da tampa, a marca investiu em diferentes frentes, que vão do redesenho do recipiente ao ajuste de processos produtivos e equipamentos na fábrica. A solução encontrada pela companhia foi desenvolver uma embalagem denominada Abre-Fácil, que consiste de um envoltório a base de material PET (mesmo material da garrafa) que ao ser encolhido através de aplicação de ar quente, substituiu a função da tampa realizando a vedação e protegendo a produto. Para facilitar a abertura da embalagem, foi desenvolvido sistema de picotes que permite acessar o lacre de forma fácil, garantindo a usabilidade do produto e seu conceito de pronto para beber. Com o lançamento de Nescau, a companhia evita a utilização de mais de 610 mil tampas por ano, o que equivale a cerca de 2,6 toneladas de plástico. Além disso, evita um outro grande problema já que, por serem muito pequenas e leves, muitas vezes essas tampas não são descartadas corretamente e podem parar no meio ambiente, inclusive nos oceanos”, destaca ele.

Bruno Oliveira salienta ainda a inovação em experiências. “Dando continuidade à evolução na jornada de experiência do consumidor iniciada por KitKat® Chocolatory, KitKat® trouxe ao mercado a plataforma de e-commerce Flagship Store Online e o clube de fidelidade Break Society. O site traz a experiência da loja física para o online, explorando a personalização e conteúdos exclusivos para o Break Society. Com uma comunicação voltada ao público jovem e fãs da marca, além da venda de produtos exclusivos e edições limitadas, a plataforma busca com os conteúdos exclusivos se conectar cada vez mais com os usuários cadastrados. Dessa maneira, o KitKat® Chocolatory se consolida não apenas como plataforma de e-commerce, mas também uma via de relacionamento D2C com os fãs da marca. A plataforma conta com mais de 85k usuários em apenas poucos meses de operação”, afirma ele.

No que diz respeito à inovação em modelos de negócio, Bruno Oliveira destaca que “Vem de Bolo é a primeira startup da Nestlé e o primeiro marketplace de bolos do Brasil que conecta confeiteiros independentes aos consumidores. Criamos a plataforma, no começo de 2019, depois que observamos este mercado por mais de um ano, buscando entender quem são os doceiros, quais são os desafios do negócio, o que precisam de suporte e como a tecnologia pode ajudá-los. Hoje Vem de Bolo tem 1072 produtos na plataforma (portfólio amplo, incluindo produtos veganos e funcionais)”, diz.

Um dos maiores desafios na hora de inovar, de acordo com Bruno Oliveira, “é compreender de fato o que o consumidor precisa. Por isso, a Nestlé criou um Data Lab, que, entre outras coisas, suporta o desenvolvimento de inovações. Com o foco em consumer centricity, conseguimos acelerar e capturar informação de mercado através de diferentes ferramentas e passamos a conhecer o consumidor de forma mais profunda, com cada vez mais informações proprietárias. Esta visão 360o. do consumidor, com respeito e transparência, nos permite melhorar nosso relacionamento, gerando mais fidelidade. Além disso, com os dados, temos a possibilidade de desenvolvermos modelos preditivos e também personalizarmos alguns touchpoints da jornada do consumidor, melhorando sua experiência. Com o Data Lab nos conectamos com mais de 12 milhões de consumidores”, diz.

Quando o assunto é não perder a inovação de vista, Bruno Oliveira conta que “na Nestlé, mapeamos o ecossistema empreendedor de forma constante, o que amplia a captura e geração de ideias. Nos últimos 3 anos, analisamos mais de 1400 start-ups e scale-ups. Deste total, a companhia se relacionou com 381 e com 86 delas, desenvolveu pilotos, POC ou MVP ou até mesmo parcerias (roll-out). Também patrocinamos vários programas de inovação, o que ajuda a Nestlé a estar em sintonia com as principais tendências”, afirma.
Segundo Bruno Oliveira, há várias iniciativas na companhia para fomentar a inovação.

“Estimulamos o mindset empreendedor, o espírito de dono, colaboração, transparência, olhar externo, foco nas pessoas que consomem nossos produtos. Estes valores são incentivados de forma constante pela comunicação interna e através de uma série de ações e programas. Uma iniciativa que tem sido vital para fomentar a cultura da inovação é o que chamamos de missão colaborativa. Desde o começo da pandemia, mais de 800 colaboradores de áreas que estavam com menos demanda foram dar suporte para outras mais aquecidas. Evoluímos com essa iniciativa e fizemos um novo modelo dentro das áreas de inovação e transformação digital, realizando 22 missões colaborativas, lançando desafios para atrair e desenvolver colaboradores, que passaram a atuar em projetos que queríamos implementar. Com isso, a área de inovação recebeu insights importantes e, ao mesmo tempo, desenvolveu novas competências de inovação nos colaboradores que participaram. Também temos um programa de intraempreendedorismo, chamado de Open Innova. Desde 2018, ele estimula a prática de inovação entre os colaboradores, que enviam propostas para um concurso de inovação. No primeiro ano, o programa focou em projetos de produtividade. Uma das ideias vencedoras foi a caixa personalizada de bombons do Chocobot, que foi um sucesso. Já em 2019, o tema foi sustentabilidade. O projeto vencedor foi o Cacausando, que inovou propondo a reutilização da casca do cacau para ela ser transformada em briquete. Em 2020, o foco continuou em sustentabilidade. Venceu o Green Canteen, que promove educação sobre as escolhas alimentares, impacto no meio e ambiente e redução de desperdício”, diz. “Outro exemplo de programa é o Innovation Challenge. Desde 2018, ele estimula a prática de inovação em contato com fornecedores”, destaca.

Bruno Oliveira salienta ainda que a Nestlé inaugurou o Centro de Inovação Tecnológica (CIT) no ano de 2020. “Este espaço é dedicado à inovação, desenvolvimento e testes de novas tecnologias para os negócios da Nestlé para toda a Zona Américas. Nosso objetivo, com esta nova estrutura, é acelerar a pesquisa e desenvolvimento de inovações dentro do conceito de Connected Factory e de Indústria 4.0. No CIT, a companhia lança diversos desafios de negócios para startups. O CIT fica no Parque Tecnológico São José dos Campos (SP), onde a companhia participa de um ecossistema que já abriga representantes de 280 empresas e quatro universidades. Instalado em um espaço de 100 m², o Centro de Inovação e Tecnologia da companhia conta com 18 posições de trabalho, sendo 11 para colaboradores Nestlé e sete rotativas para receber parceiros, fornecedores, pesquisadores, estudantes, entre outros profissionais ligados à área de tecnologia e automação. No CIT foram lançados desafios de inovação para cocriação com startups, empreendedores e empresas, pensando em soluções conjuntas para auxiliar a companhia a melhorar processos em diferentes frentes, que vão das fábricas aos pontos de venda. Alguns desafios foram em frentes como o desenvolvimento de experiência de consumo única para o consumidor nos pontos de venda; a diminuição de desperdício, reciclagem pós-consumo e redução de emissões; a criação de uma aplicação com inteligência artificial disponível para avaliação online nas linhas de produção de alimentos e bebida; soluções com foco em captura e monitoramento de comportamento de consumo; viabilização de personalização em escala; uma aplicação para identificação de sinais que possam ajudar os gestores na eliminação de acidentes de trabalho e aumento da gestão preventiva de saúde ocupacional; soluções com foco em monitoramento de preços em lojas físicas, acompanhamento de desempenho e comparação com o mercado; entre outros. Atualmente, o Centro de Inovação e Tecnologia tem 260 projetos (robótica, veículos autônomos, IA, entre outros)”, afirma.

Oportunidade

“Toda crise traz consigo uma oportunidade. Cabe a nós identificá-la e ter as ferramentas certas e as pessoas motivadas a manter a Inovação como centro de tudo o que se faz. Inovação é movimento, é resiliência, é reinvenção. É não ter medo do novo. Nesse sentido, investimos em duas frentes de inovação seguindo as tendências de consumo. A primeira foi perceber a oportunidade do desenvolvimento do e-commerce. Dada a mudança nos hábitos de consumo devido ao isolamento social, a PepsiCo inovou ao lançar uma estratégia de e-commerce para salgadinhos, uma categoria tradicionalmente conhecida pela ‘compra de impulso’ em lojas físicas. O resultado é que o Brasil se tornou a operação número em vendas de e-commerce da PepsiCo na América Latina, com um crescimento de triplo dígito nas vendas pelas plataformas com parceiros logo nos primeiros meses após a implementação da estratégia. No digital, trabalhamos com um estudo, via dados e pesquisas do nosso time de Insights, que nos permite entender qual é a Digital Shelf ideal, em quais categorias precisamos estar presentes, em quais precisamos estar como cross, em quais canais e para quais públicos temos espaço para oferecer descontos, combos, frete grátis, sugerir produtos que o shopper possa gostar, e tantas outras estratégias que nos faz ter a certeza de que estamos captando nosso consumidor da forma mais linear e coerente possível. A segunda foi entender que os hábitos de consumo mudaram e investimos em novos sabores e formatos mais adequados ao consumo dentro do lar”, afirma Gabriela Cortez, diretora de trade marketing da PepsiCo.

A qualquer momentoDe acordo com ela, a companhia inova continuamente. “Entendemos que a Inovação vai muito além de novos produtos e sabores. Desde o campo, no desenvolvimento de novas tecnologias para o cultivo de nossas matérias-primas naturais; passando por nossa linha produtiva nas fábricas, desenvolvimento de novos produtos, canais de venda, logística com frotas próprias com caminhões movidos a GNV e eletricidade; até o fomento da economia circular, no descarte e reuso do plástico em nossa cadeia – a PepsiCo inova continuamente desenvolvendo novos processos e estabelecendo metas para ser uma empresa resiliente e sustentável e para Vencer com Propósito, contribuindo para a economia e para inovações sociais em todos os mercados em que está inserida. Além disso, o consumidor está no centro das inovações do nosso negócio, e buscamos ouvi-los em todos os pontos de contato, seja ele físico ou digital. O nosso time de Consumer Insights trabalha incansavelmente para identificar hábitos, gostos, preferências e desejos dos nossos públicos. Exemplo disso foi uma pesquisa na qual identificamos que o sabor apimentado é uma forte tendência de consumo. Daí os lançamentos de Doritos Wasabi, o da linha Flamin’Hot, em 5 marcas de Elma Chips (CHEETOS®, DORITOS®, LAY’S®, RUFFLES® e TORCIDA®) e TORCIDA® Camarão com Pimenta Malagueta, neste ano. Prova de que um sabor diferente como Wasabi é sucesso entre os brasileiros é que o novo produto incrementou em +4p.p. o volume da marca DORITOS®, segundo a Nielsen (Retail Index) e agora faz parte do portfólio da marca no Brasil. Outros lançamentos de produtos foram inspirados nos pedidos dos consumidores nas redes sociais das marcas, como volta de CHEETOS® Tubo, Zambinos e até dos Tazos! Também é constante a nossa preocupação com o aperfeiçoamento e adequação do nosso portfólio. Procuramos ampliar nossa gama de produtos com inovações constantes, buscando opções equilibradas para todas as ocasiões de consumo. Temos metas representativas para redução de itens como sódio, açúcar e gordura em itens de todas as categorias”, afirma ela.

Gabriela Cortez destaca que a inovação está em todas as áreas de atuação da companhia. “A inovação está no desenvolvimento – Tecnologia, R&D e mentes empreendedoras para inovação em produtos, no portfólio e no processo produtivo e desenvolvimento do mercado e varejo, com impacto na economia local. De forma ampla, a Inovação está em todas as áreas de atuação da PepsiCo, porque trabalhamos para crescer junto com o Brasil, com inovação e sustentabilidade voltadas ao desenvolvimento de comunidades, da agricultura, do mercado, do varejo e de talentos em todas as regiões onde atuamos. Ao inovar, estamos nos aproximando do que nossos consumidores e consumidoras desejam, estamos em movimento para sempre oferecer os melhores produtos e soluções. Criamos interesse em experimentação, e fidelizamos nosso público. Nossa missão é criar mais sorrisos a cada gole e a cada mordida”, diz ela.

Para a diretora de trade marketing da PepsiCo, “nenhum desafio deve ser impeditivo para a inovação. No meio do caminho, podemos nos deparar com alguns, mas é importante ter um time destemido para o novo, para o movimento, para aquilo que não estávamos olhando. E sair da zona de conforto pode trazer desafios, mas a resiliência e a motivação devem ser maiores”, diz ela.

De acordo com Gabriela Cortez, “a PepsiCo tem investido cada vez mais em P&D, e conta com um centro especializado, no interior de São Paulo (Sorocaba), e que é referência na América Latina, sendo responsável por uma série de inovações lançadas no Brasil. Seja qual for a matéria-prima pesquisada e seu mercado potencial, o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento R&D de Sorocaba mantém-se alinhado à visão de Vencer com Propósito da PepsiCo, com o intuito máximo de desenvolver soluções mais equilibradas para os nossos produtos. Aprimorar a estratégia de saúde e bem-estar da empresa para os próximos anos é um dos objetivos dos mais de 100 cientistas que atuam no R&D, de diversas áreas de especialização, como engenharia de alimentos, engenharia química, nutrição, biologia, química, entre outras. Outra inovação é a chegada de uma equipe de seasoning, formada por especialistas em aromas. A área de Pesquisa & Desenvolvimento realiza testes sensoriais com aparelhos e processos capazes de identificar os gostos do público, para personalizar e adaptar seus produtos”, afirma ela.

E como não perder a inovação de vista? “Trazendo a inovação para a cultura da empresa. Aqui na PepsiCo, temos inovação em nosso DNA e isso está refletido nas ações e decisões sempre focadas no desenvolvimento sustentável do negócio concomitante ao respeito e atenção aos nossos(as) consumidores(as). Estamos há mais de uma década trabalhando na expansão do nosso portfólio, trazendo opções mais equilibradas e entregando para o consumidor a experiência de consumo que ele deseja, por exemplo, com base em dados e empatia. Temos uma estratégia regionalizada levando em consideração as particularidades das regiões do nosso país, com estudo aprofundado de cultura e hábitos do consumidor, que guiam as inovações da companhia”, diz ela.

Gabriela Cortez afirma que, na PepsiCo, costuma-se dizer que “a diversidade é o combustível para a inovação. Para os nossos funcionários e funcionárias, proporcionamos um ambiente inclusivo, onde as pessoas possam se sentir à vontade para ser quem elas são. Assim, estimulamos a criatividade e inovação, contribuindo para reter e atrair talentos e para garantir a representatividade da sociedade e dos nossos consumidores dentro da companhia. A diversidade permeia as políticas da companhia e é tema constante de treinamentos e mentorias. Pessoas diversas trazem olhares diversos, ideias diversas e abrem portas para o novo, por isso também desenvolvemos muitos projetos em grupos multifuncionais”, diz ela.

Duas Rodas
www.duasrodas.com
Sealed Air
www.sealedair.com.br
Rational
www.rational-online.com
Banana Food
www.bananafood.com.br
Nestlé
www.nestle.com.br
PepsiCo
www.pepsico.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

2 × três =