Inovação: o grande desafio

Apresentar novidades para o mercado exige das empresas muito mais do que criatividade. Saber como e quando agir é essencial

0

Inovação. Quando se fala do mercado de alimentação fora do lar, essa é uma das palavras que geralmente vêm à mente não somente dos empresários, mas também dos consumidores. Em um cenário cada vez mais competitivo, apresentar, de fato, um diferencial, é algo fundamental para continuar crescendo e para colher bons frutos. Trazer novidades e encantar a novos e potenciais clientes é a estratégia de diversas organizações, que veem nisso uma oportunidade para que elas possam se expandir cada vez mais e alcançar retornos ainda melhores.

Diante desse cenário desafiador, que merece uma atenção totalmente especial por parte das marcas, existem muitos exemplos que servem como inspiração para os empreendedores que desejam estar à frente e chamar a atenção das pessoas para que elas possam consumir os seus produtos e, mais do que isso, para que possam ser fiéis à marca e indicá-la para os outros, tornando-a ainda mais forte. Organizações revelam, na prática de seus projetos, que isso é possível, tendo como ponto de partida alguns aspectos que são essenciais, como um bom planejamento e criatividade.

Aliás, criatividade é o que não deve faltar em ocasiões em que se busca expansão de uma forma bastante equilibrada. Ela é uma característica fundamental não somente no que diz respeito à criação de novos itens ou na publicidade, mas também quando o assunto é contornar situações-problema e trazer para a realidade da empresa soluções para o dia a dia.

Seja em forma de itens totalmente novos, na reestruturação de formatos ou mesmo na maneira de servir, esse fator tem um grande poder nas organizações. Ele também se relaciona ao próprio cotidiano dos colaboradores. Pensar em formas de deixá-los motivados e satisfeitos pode fazer com que as marcas se desenvolvam ainda mais e que consigam evoluir de uma maneira mais estruturada.

Tudo isso, porém, é conquistado com planejamento. E os ganhos não acontecem da noite para o dia. É preciso que haja muito foco para saber onde e de que forma investir e inovar. A criatividade, apesar de possuir uma grande força, não é tudo. Sem saber onde aplicá-la de maneira saudável para as organizações, é possível que, mesmo com boas ideias, o desenvolvimento delas não seja o melhor.

É justamente esse um dos grandes desafios da inovação: saber onde e como agir. Além disso, é também necessário esperar o tempo certo para que se possa colocar todos os planos em prática. A execução de tudo aquilo que foi pensado, de maneira ponderada, pode garantir um retorno muito melhor do que aquele que era esperado inicialmente. O contrário, porém, também acontece: sem uma boa avaliação a respeito de como e quando executar o que foi proposto, mesmo que existam boas ideias, pode haver um resultado insignificante ou, em alguns casos, até mesmo o prejuízo.

Exemplo

E quando se trata de inovação e de todos os benefícios que esse fator traz para os diversos envolvidos nas relações comerciais, a Cargill Food Service é uma empresa que se destaca muito, por uma série de fatores relacionados aos seus produtos e aos seus serviços.
A marca tem como princípio ser uma parceira escolhida pelos clientes que atuam ou então que servem no mercado de alimentação fora do lar e que valorizam características como a qualidade, a performance, as soluções e a inovação em produtos e também em serviços.
Sendo assim, são desenvolvidas soluções adequadas e, inclusive, itens personalizados para as cadeias de fast food, padarias, hospitais, restaurantes, lanchonetes, confeitarias e hotéis, de maneira direta ou por meio de distribuidores que ficam localizados nos maiores centros urbanos.

Para que tudo isso seja realizado de maneira assertiva, há um sério controle de qualidade, um time de vendas que é dedicado e um serviço técnico especializado para que possa oferecer suporte, treinamento e, ainda, consultoria culinária. Dessa forma, os operadores têm uma ajuda a mais para que eles possam contar com um cardápio que seja realmente diferenciado e, assim, consigam conquistar os seus clientes.

“Além de lançamentos específicos para o mercado de Food Service, inovamos na relação com nossos distribuidores e apresentamos um novo modelo comercial de negócios. Hoje, a Cargill trabalha com alguns distribuidores e atacadistas locais, mas passará a ter uma malha efetiva de parceiros que contribuirão para um melhor atendimento regional e pulverização de produtos Cargill, sendo possível atender todo o país” destaca Luis Claudio, gerente de Food Service da Cargill no Brasil.

O profissional conta que, em termos de produtos, há três principais lançamentos da marca para o mercado de alimentação fora do lar.

“Além de lançamentos específicos para o mercado de Food Service, inovamos na relação com nossos distribuidores e apresentamos um novo modelo comercial de negócios", destaca Luis Claudio, gerente de Food Service da Cargill no Brasil
“Além de lançamentos específicos para o mercado de Food Service, inovamos na relação com nossos distribuidores e apresentamos um novo modelo comercial de negócios”, destaca Luis Claudio, gerente de Food Service da Cargill no Brasil

“Óleo de Algodão LIZA em baldes quadrados de 14,5 kg ou 15,8 litros – de sabor neutro e duas vezes filtrado, o novo produto é rico em ácidos graxos Ômega 6, composto essencial não produzido pelo organismo e que deve ser adquirido através de uma dieta balanceada e equilibrada. Extraído da semente, conhecida como caroço do algodão, o óleo apresenta um maior rendimento para fritura e mais economia, já que aguenta altas temperaturas sem perder suas qualidades. Além disso, a nova embalagem facilita o manuseio, reduzindo o custo de frete e otimizando o estoque e o armazenamento. Ademais, está alinhada às práticas sustentáveis, uma vez que otimiza o espaço dos caminhões, reduzindo as viagens e, consequentemente, emitindo menos CO2.Novas embalagens institucionais em sachê da linha de atomatados (molhos e extrato de tomate) – as marcas Elefante, Pomarola e Tarantella, referência em extrato e molhos de tomate, estão disponíveis a partir de abril também nas embalagens de sachê 1,02 kg e 2 kg. Considerada prática, econômica e segura, a embalagem do formato sachê já tem grande representatividade no mercado de Food Service. Segundo dados da Nielsen C&C, essa embalagem é líder absoluta no momento da escolha na categoria molhos, e no segmento extrato tem a mesma representatividade que a tradicional embalagem lata, graças à versatilidade e praticidade. Com a ampliação da linha, atenderemos todas as necessidades e continuaremos levando a mesma qualidade e rendimento para todos os restaurantes e os transformadores desse mercado.Maior diversificação de embalagens institucionais de azeite – em 2016, a Cargill se uniu a Borges Branded Foods em uma parceria para a comercialização de azeites Borges. Juntamos o profundo conhecimento e tradição de Borges na categoria de azeites à excelência em execução da Cargill, entregando, desta forma, a melhor solução para nossos clientes, e disponibilizamos ao mercado embalagens de 2, 3 e 5 litros, proporcionando economia, redução de custo de frete, facilidade no manuseio e armazenamento”, enumera.

Em todos os sentidos

Para Luis Claudio, é muito importante que a inovação exista em todos os sentidos possíveis. Segundo o profissional, ela deve estar relacionada não somente à diversificação dos produtos que são oferecidos aos consumidores, mas também às novas tecnologias, opções de embalagens, fortalecimento das marcas e posicionamento de preço adequado. Tudo isso alinhado a boas parcerias de distribuição e à atenção que se deve ter às necessidades que os clientes possuem.

Fidelização

Mas quando se fala em mudar alguma coisa ou levar novidades para o mercado, também existem as preocupações relativas a isso, o que é algo constante nas organizações. Uma delas, que é bastante comentada em meio a diversos profissionais, é a de tornar isso realidade sem comprometer o relacionamento com os clientes antigos, que já estão acostumados aos procedimentos e itens da marca, que eles já admiram, de uma determinada forma.

Sendo assim, nesse processo, é muito importante que se pense em todos os aspectos que o envolvem, inclusive nos diferentes tipos de público que se espera atingir, sem que se comprometa um relacionamento estabelecido entre a empresa e o consumidor que é fiel há anos. E isso vai além do óbvio, do senso comum. Não é o suficiente apenas achar que um fator só já consegue garantir que o consumidor fique satisfeito com a marca e a escolha em detrimento de outra. É preciso ir sempre além.

Luis Claudio ressalta, por exemplo, que, para que se possa manter o cliente fidelizado, não basta praticar preços atrativos ou mesmo ser líder de mercado. É necessário que se apresente diferenciais para que, dessa maneira, o cliente possa continuar no negócio não só hoje, mas amanhã e sempre.

“É importante mostrar que nossos produtos não são obsoletos, que buscamos sempre inovação em termos de embalagem, tecnologia e novos sabores, que estamos atentos às demandas e prontos para apresentar as melhores soluções para nossos clientes. A Ação Renove o Meio Ambiente é um exemplo

de solução desenvolvida pela Cargill que é um diferencial para os grandes clientes. Sempre em busca de oportunidades para contribuir de forma efetiva com a preservação ambiental por meio de ações de sustentabilidade ligadas à sua cadeia produtiva, lançamos um programa inédito de gestão na coleta de óleo vegetal residual para o setor de Food Service. Com fornecimento de material de comunicação exclusivo, certificação de empresas coletoras, sistema de rastreamento e gestão online, a Cargill garante a destinação final ambientalmente adequada ao óleo utilizado na cozinha de seus clientes e oferece retorno financeiro às empresas participantes. Nós vendemos soluções em óleos e gorduras e queremos ser responsáveis pela destinação final ambientalmente adequada dos resíduos gerados pelo uso dos nossos produtos, assim nossos clientes podem ter segurança no seu processo, redução dos custos de operação e ainda contribuir com a preservação ambiental”, salienta ele.

Desafios

No entanto, apesar de todos os ganhos existentes nas mais diversas ações de inovação, também existem os muitos desafios que aparecem pelo caminho e que precisam ser superados, para que, dessa forma, a empresa continue a colher os bons frutos de seu trabalho e dedicação constantes. Um deles, para Luis Claudio, é mostrar ao operador o valor agregado que o produto possui. Isso significa, inclusive, frisar que não se deve levar em consideração somente o preço ou brigar exclusivamente por ele. É importante que se possa mostrar aos clientes que há vários fatores que realmente fazem a diferença quando se trata da compra de um item de uma marca em detrimento de outro. “Sair da guerra de preços e mostrar que a qualidade e rendimento comprovadamente superiores aos concorrentes fazem diferença na conta final”, resume Luis Claudio.

Um exemplo disso é o Óleo de Algodão Liza. Utilizando-o, o cliente precisa de uma quantidade menor do produto, troca menos vezes o óleo da fritadeira e, ainda, faz com que o cheiro e a fumaça no estabelecimento sejam menores “Para apresentar esses benefícios, não basta apenas trabalharmos com marcas líderes. É necessário capacitar a brigada do restaurante e a equipe de vendas do distribuidor e da indústria para que possam conscientizar os operadores”, afirma o profissional da Cargill.

Instabilidade econômica

Outro fator que atravessa o caminho das organizações e que faz com que elas tenham que se superar cada vez mais é a instabilidade econômica. Esse, inclusive, tem sido um assunto bastante falado nos últimos tempos no Brasil, diante do cenário que o país está tendo de enfrentar. As notícias, muitas vezes, não foram das melhores nesse âmbito: muitas organizações tiveram enormes prejuízos e outras não conseguiram avançar em uma série de quesitos, vendo, em diversas vezes, os seus números diminuírem.

Em períodos como esse, são várias as ideias que surgem para que se possa amenizar os efeitos da crise econômica e para que se consiga seguir em frente sem se abalar. Elas podem variar de acordo com as circunstâncias, com a fase que a empresa vivia no período pré-crise, com a forma como ela se relacionou com o mercado ao longo dos anos, com a imagem construída com o tempo, entre outros fatores tão importantes quanto esses. Por isso é tão importante não perder o foco nas mais diversas fases, mesmo naquelas em que há prosperidade, pois o cenário pode mudar rapidamente e até mesmo surpreender aqueles que não se prepararam e não se conscientizaram da importância de estar sempre investindo nos mais diversos aspectos.

Diversas soluções têm sido idealizadas e muito tem sido discutido em relação a isso, a esses momentos em que a economia não está tão forte. Afinal de contas, como passar por essa fase sem perdas? E se a inovação é tão importante, de que maneira ela pode ajudar nesse momento a garantir ou até mesmo, em muitos casos, a aumentar de maneira consistente os lucros das organizações?

Para Luis Claudio, quando momentos de crise se tornam uma realidade, as empresas são forçadas a observar as necessidades que o mercado apresenta de uma maneira ainda mais cuidadosa e com mais atenção. Diante disso, a reinvenção de produtos é algo que não somente é importante, mas, muitas vezes, é mesmo necessário. “Porém, independentemente do cenário econômico, a busca por inovações e soluções que atendam nosso público devem ser constantes”, destaca o profissional.

Consumidores

Aliás, quando se fala em desafio, atrair os consumidores é também um deles. É importante que as organizações tenham sempre como uma de suas preocupações a de apresentar itens e serviços que chamem a atenção dos clientes e potenciais clientes, mas sem se descuidar de todos os aspectos relativos a isso.

“Quando falamos em atrair uma maior diversidade de operadores, além de um portfólio forte e relevante para o mercado, dependemos muito dos distribuidores com os quais atuamos. É necessário construirmos alianças fortes e termos ao nosso lado bons distribuidores focados no mercado de Food Service, com equipe de vendas formada por especialistas do setor e treinada para o atendimento desses clientes, afinal, eles são uma extensão da nossa empresa. Para os que a Cargill atende diretamente (Key Accounts Food Service), atraímos muitos deles por meio de produtos de qualidade, equipe comercial e técnica devidamente capacitada e P&D focado em atender e sugerir novas soluções”, afirma Luis Claudio, que também fala sobre alguns dos principais entraves que se relacionam aos investimentos na área de alimentação. “Logística ponto a ponto, pulverização de clientes, apoio técnico, capacitação profissional do time comercial e dos operadores. Esses são os principais desafios que as empresas precisam enfrentar e criar soluções para não só investir, mas também para não perderem participação na área de alimentação”, diz.

Aprendizados

Tendo em vista um cenário com tantos desafios, mas também com muito trabalho, dedicação e esforço, vários são também os aprendizados decorrentes disso. No cotidiano das empresas, é possível adquirir conhecimento sobre uma infinidade de áreas, não somente técnicos, mas também relativos aos relacionamentos, às formas de lidar com as mais diferentes circunstâncias, entre outros.

Luis Claudio conta que o principal aprendizado dele na área foi enxergar que o mercado de food service está em uma mudança que é constante, em desenvolvimento e em consolidação. Para ele, esse segmento ainda é carente de informações e soluções e, ao contrário do que é dito por muitas pessoas, não é um mercado apenas de preço.
“Claro que uma parcela dele sempre existirá, mas se o operador é bem atendido e compreende o valor agregado do produto, torna-se fiel à solução. A prestação de serviço e um bom atendimento são diferenciais poderosos, por isso é importante ter uma equipe capacitada, distribuidores que façam um excelente trabalho de relacionamento e fidelização com os clientes e, principalmente, representem a marca nos clientes finais. A indústria ainda está em constante aprendizado para atender melhor esse mercado, mas olhando para 13 anos atrás, quando tive a minha primeira experiência ainda na Cargill, posso dizer que muita coisa mudou. Temos mais pessoas envolvidas e preocupadas com o setor, os distribuidores estão mais profissionais e as grandes e médias redes trazendo uma demanda de novas soluções para atender o cliente final, que antes não existiam. Tudo indica que teremos um futuro promissor nos próximos anos”, ressalta.

Planos

Quando o assunto são os projetos da Cargill em médio e em longo prazo, Luis Claudio frisa que a empresa vai continuar investindo em novas tecnologias, em novas embalagens, na capacitação de sua equipe e na construção de alianças comerciais que sejam duradouras, tanto com clientes diretos quanto com a rede de distribuidores.

“Acabamos de fazer um alto investimento para a adequação da fábrica de Goiânia para a nova linha de atomatados em sachês e continuaremos em busca de soluções que agreguem valor aos nossos clientes finais e nos diferenciem no mercado”, salienta ele.

Evento

A Cargill Food Service está sempre investindo não somente nos produtos que oferece e em inovações, mas também em relacionamento. Tanto é que no fim do mês de março deste ano, foi realizado pela empresa o 1º Encontro Nacional com seus Distribuidores Parceiros na cidade de Campinas, em São Paulo. Além de estreitar o relacionamento, o encontro teve também como objetivos apresentar o novo modelo de Distribuição, lançamento de produtos e o compartilhamento da estratégia para o crescimento sustentável do negócio ao longo dos próximos anos.

“A Cargill Food Service tem como característica comercial trabalhar com relações de negócios baseada na confiança, ética e duradouras. Hoje, temos Distribuidores parceiros que estão conosco desde o início da área que foi criada em 2006 e queremos contar com esses parceiros para apoiarmos nossa estratégia de crescimento dos próximos anos. Nesse encontro, além de levarmos os Distribuidores para conhecerem nosso Centro de Inovação em Campinas, contamos com palestrantes e convidados para falar do mercado de Food Service que contribuíram para que o encontro fosse um sucesso”.

Saiba mais

A Cargill está no Brasil desde o ano de 1965, sendo que as suas atividades tiveram início no campo. Hoje, a organização é uma das maiores indústrias de alimentos do país, além de ser uma das quinze maiores empresas do Brasil. É a principal exportadora de soja do país e, ainda, a maior exportadora de cacau da América Latina. A sua sede fica localizada na cidade de São Paulo, no estado de mesmo nome. A Cargill conta com unidades industriais, escritórios, armazéns e terminais portuários em cerca de 120 cidades. Ao todo, seis mil colaboradores trabalham para a marca no Brasil.

A organização conta com uma equipe de executivos de venda especializada e com foco em garantir a visibilidade das marcas nos pontos de vendas. Dessa forma, realiza patrocínios e também faz participações em eventos. A equipe marca presença em diversos locais do Brasil e ajuda a manter lucrativos os empreendimentos de seus clientes.

A empresa foi fundada no ano de 1865. Possui uma matriz em Minnesota, nos Estados Unidos, e conta com mais de 130 mil funcionários, distribuídos em 63 países. Possui várias marcas que são bastante conhecidas pelas pessoas, como Liza, Pomarola, Elefante, Tarantella, Mazola, entre outras, sempre com muito sucesso.

Innovation Center

A marca possui também um projeto pioneiro na América Latina chamado Cargill Innovation Center – Latin América. O objetivo é reunir em um mesmo local todo o conhecimento que a empresa possui em pesquisa, desenvolvimento e também aplicação de novos ingredientes e produtos, nas mais diferentes categorias.

O lugar fica localizado no Pólo Tecnológico de Campinas e conta com laboratórios de aplicação. Nesses laboratórios, é possível, por meio de equipamentos especiais, simular grande parte dos processos de diferentes indústrias existentes no mercado hoje, onde atuam os clientes da marca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × um =