2021: o que vem por aí?

0

Totalmente atípico, o ano de 2020 foi marcado pela pandemia da Covid-19, que impactou o mundo de maneira histórica. Mas, afinal, como deverá ser o novo ano que está prestes a se iniciar?

“Quais são as expectativas da empresa para 2021, diante de um cenário tão desafiador como o atual, com a crise provocada pela pandemia da Covid-19?” Essa foi a pergunta feita pela Food Service News para uma série de profissionais que atuam direta ou indiretamente na área de alimentação. Abaixo, você confere o resultado!

Daniel Silva, coordenador do Comitê de Food Service da ABIA

2021: o que vem por aí?“Totalmente alinhado às necessidades do consumidor brasileiro, no quesito praticidade, conveniência e saudabilidade, o setor de alimentação fora do lar deverá continuar acelerando o processo de modernização e digitalização para aumentar a eficiência da cadeia, desde a produção do alimento até a entrega da refeição ao consumidor.
Estimamos uma retomada do setor entre 20% a 25% em termos nominais para 2021, com uma recuperação lenta e gradual em sintonia com a economia brasileira e o processo de reabertura dos estabelecimentos de food service. Entre alguns fatores que tendem a impulsionar esta retomada estão novas possibilidades de obter receitas, se aproximando do varejo alimentar, olhando atentamente para a franca expansão dos canais emergentes, como o delivery, as dark kitchens (cozinhas que atuam somente para delivery), que devem reorganizar a cadeia de fornecimento e garantir a expansão dos negócios.
Apesar das oportunidades, é preciso olhar com cautela para o futuro, pois aumento expressivo no desemprego ou uma segunda onda da pandemia podem mudar a perspectiva positiva de uma recuperação para 2021, uma vez que os operadores de food service já enfrentam desafios como acesso ao crédito, complexidade e custos relacionados com a adequação aos novos protocolos de segurança e higiene, além de aumento de custo em algumas matérias-primas.
O mercado de food service tem muito potencial de retomada e crescimento por atender as demandas de um consumidor cada vez mais exigente, a rapidez de adequação à nova realidade e parcerias sustentáveis entre indústria, distribuidores, consultorias, instituições e operadores serão fatores fundamentais para a superação dos desafios durante este período complexo gerado pela pandemia.”

2021: o que vem por aí?André Gasparini, diretor comercial da Agropalma

“Assim como para todas as empresas deste segmento, existem ainda muitas variáveis que precisam ficar mais claras, para conseguirmos ter um termômetro mais preciso para 2021. Sabemos do desafio que enfrentaremos e, por isso, estamos fortalecendo os relacionamentos com os nossos parceiros. Acreditamos que haverá altos e baixos neste setor no próximo ano e, por isso, estaremos acompanhando bem de perto o mercado, para aproveitarmos as oportunidades que a adversidade irá nos propor.”

Chiara Tengan, gerente de marketing da Ajinomoto® Food Service

2021: o que vem por aí?“Sem dúvida, o ano de 2020 desacelerou uma evolução histórica e importante para a divisão Food Service na Ajinomoto. No entanto, nosso impacto foi menor do que o observado no setor e a recuperação está sendo mais rápida do que o previsto. Este resultado é fruto da agilidade interna em mobilizar e ressignificar o negócio para dar uma resposta assertiva às dores do setor. Entre as nossas ações mais valorizadas estão o Kit Retomada, conjunto de cartilhas com conteúdos técnicos de suporte e, mais recentemente, o lançamento do Meu Negócio, portal que disponibiliza dicas de gestão entre outros serviços.
Com isso, ainda em 2020, conseguimos retomar a performance dos períodos pré-pandemia, mesmo com o mercado parcialmente responsivo. E com essa base já restabelecida, as expectativas passam a ser efetivamente mais otimistas. Encaramos a pandemia como um grande laboratório de reinvenção e inovação, que passaremos a implementar a partir de 2021. Tanto internamente como ao longo do nosso canal de distribuição, sentimos que saímos mais fortes para driblar o deslocamento de consumo e aproveitar deste movimento.
Para 2021, apostamos nossos esforços em duas novas grandes frentes de expansão que elevarão o setor a um novo potencial de negócios: (1) a ampliação do conceito de ‘food service’, que passa mais do que nunca a transitar não só no ‘típico almoço ao lado do local de trabalho’ como também dentro de casa, ou dentro do trabalho, e em todas as refeições possíveis do dia; (2) a ampliação do acesso, com a popularização do delivery e das marmitas de baixo desembolso produzidas em dark kitchens.”

Paulo Micheleto Júnior, gerente de comercial Food Service da Alibra

2021: o que vem por aí?“A Alibra em 2020, como todo o mundo, foi surpreendida com a pandemia. O segmento food service da companhia sofreu com a crise nos primeiros meses e, ao mesmo tempo, o de varejo superou as expectativas de volumes de vendas com os compostos lácteos voltados para o consumidor final. A grande variedade de produtos Alibra para diversas aplicações e mercados distintos possibilitou balancear os esforços para onde existisse uma maior demanda. Sentimos na pele o aumento no consumo, em todos os mercados onde atuamos, e junto desse ‘boom’ na demanda também vieram os aumentos de preços em toda a cadeia de fornecimento de insumos e embalagens. Foi e continua sendo bastante desafiador, equilibrar oferta e procura, de forma a manter os negócios saudáveis e sustentáveis.
No decorrer dos meses, também conseguimos um bom desempenho em food service, superando a performance de 2019, principalmente com o nosso campeão de vendas do segmento: a cobertura sabor mussarela Mozzana, desenvolvida para ser aplicada como cobertura ou recheio em pizzas, pastéis, salgadinhos, massas etc. É um produto que, além de auxiliar na padronização da receita, não tem variação de sal, gordura e proteínas, não aglomera após ralada, proporciona derretimento uniforme, evita a formação de poças de gordura após o forneamento das pizzas e estouro da massa em salgadinhos fritos e, ainda, reduz custos das receitas.
Nosso plano é consolidar o que conquistamos em 2020, ano em que expandimos nossa base de clientes através de novos distribuidores estratégicos e novas áreas de atuação. Por mais que 2021 seja desafiador, com muitas incertezas em relação ao combate da crise sanitária e de outros cenários adversos como as eleições acirradas, acredito que não seremos mais pegos de surpresa, e estaremos ainda mais preparados para o que houver daqui para frente.
Temos mais soluções importantes que serão lançadas em breve, como na linha vending, e contamos com um time comercial preparado, com treinamentos contínuos. A capacitação dos nossos colaboradores é fundamental para atender às novas expectativas desses projetos e contribuir para que tenhamos confiança para cenários positivos neste ano que se aproxima.

Essa soma de fatores nos deixa bem motivados para 2021!”

Jean Louis Belo Gallego, diretor comercial LATAM da Arytza

2021: o que vem por aí?“Apesar de um cenário desafiante e preocupante do ponto de vista da saúde e o enorme impacto nos estabelecimentos independentes de food service, estamos muito otimistas. Com a digitalização do food service, o crescimento da venda via delivery e take away, o mercado de QSR deverá ter um crescimento natural versus os meses pré-pandemia. As vendas para as mesmas lojas, se comparada ao período antes da questão do coronavírus, será maior.
Para o food service independente, temos uma estratégia de distribuição bastante capilarizada, onde apesar do fechamento de pontos de food service, temos uma base de crescimento muito grande, visto que estamos falando de mais de 1 milhão de estabelecimentos.
Nossos objetivos de crescimento e nossos investimentos estão mantidos para 2021. Estamos construindo nossa quinta fábrica no Brasil – em Pouso Alegre (MG) – e ela contará com a primeira indústria de panificação do mundo a instalar uma tecnologia de congelamento contínuo. O pão será produzido de forma totalmente automatizada, desde a mistura dos ingredientes até a embalagem e congelamento. O processo sem a interferência humana garante um alto índice de padronização e segurança alimentar.”

Pierre Berenstein, CEO da Bloomin’ Brands

2021: o que vem por aí?“As expectativas da companhia são bastante positivas e promissoras. O Outback desenvolveu durante todo este ano estratégias visando oferecer a melhor experiência para os clientes, seja em casa ou no restaurante. Temos o perfil inovador e buscamos constantemente presentear nossos fãs com muitas novidades.
O serviço de delivery, que chamamos de #MomentoOutbackEmCasa, foi implementado em agosto de 2018, permitindo a conexão com os clientes e entregando uma incrível experiência Outback. Durante o isolamento, o canal foi essencial para mantermos essa proximidade com os consumidores. Pensando nisso, a marca anunciou diversos lançamentos nos últimos meses para que os clientes pudessem matar a saudade do restaurante em casa.
Entre as novidades podemos citar o nosso icônico chopp no delivery; as versões salgadas e doces do fondue que ficaram disponíveis durante o inverno, além da volta de grandes sucessos do menu na campanha Back To Outback, que também ficaram disponíveis para pedidos via delivery.
Ainda durante a pandemia e para celebrar o Dia da Coxinha, o Outback proporcionou uma experiência inédita aos seus fãs com o lançamento de sua exclusiva coxinha feita com a costela da marca, a famosíssima Ribs On The Barbie. E, para comemorar o Dia da Sobremesa, em parceria com a marca KitKat, apresentou aos clientes a sobremesa S’mores Outback. Podemos dizer que todas essas novidades foram sucesso e o retorno dos nossos fãs foi muito positivo.
A rede anunciou o lançamento dos New Gold Steaks, pratos principais que chegam para proporcionar uma experiência criativa e bem diferente aos clientes, inspirada no conceito Surf ‘N’ Turf (tendência que é sucesso no mundo e combina um mix de carne vermelha e camarões). As novidades estão disponíveis por tempo limitado em todos os restaurantes da rede no Brasil e também no delivery.
Mesmo durante a pandemia, o Outback não deixou de investir na expansão da rede e, até o fim do ano, cumprirá com as inaugurações previstas, encerrando 2020 com 110 restaurantes em todas as regiões do país.
Até o momento, a rede já abriu sete unidades em Campo Grande (RJ), São Bernardo do Campo (SP), Belém (PA), a primeira da região Norte do Brasil, São Gonçalo (RJ), Taguatinga (DF), Bauru (SP) , Lauro de Freitas (BA) e Juiz de Fora (MG). Nas próximas semanas, outros três restaurantes estão previstos para serem abertos nas cidades de Canoas (RS), Ribeirão Preto (SP) e em São Paulo, a última inauguração do ano, prevista para a primeira quinzena de dezembro, no Shopping Morumbi.
Isso é motivo de orgulho para o Outback que mesmo em um período tão delicado, conseguimos manter o plano de expansão. Em 2021, o objetivo é continuar expandindo e que tenhamos ainda mais unidades espalhadas pelo Brasil.
O ano de 2020 foi muito desafiador, mas acreditamos no país, continuamos investindo e cuidando de nossas pessoas. Em 2021, com certeza continuaremos inovando para surpreender positivamente cada vez mais nossos clientes.”

Augusto Lemos, head da Cargill Foods na América do Sul

2021: o que vem por aí?“Antes de falar de futuro, precisamos refletir sobre a pandemia e seus impactos durante 2020. Sem dúvida, aprendemos muito e adaptamos nossa forma de trabalhar, o que acredito que levaremos para o próximo ano. Notamos que podemos ser ainda mais ágeis, tomar decisões mais rapidamente e acelerar as mudanças, mantendo sempre os clientes no centro de nossas decisões e ações.
Visando não parar a cadeia de fornecimento de alimentos e seguir com nosso trabalho de maneira segura, na Cargill, adotamos diversas medidas para manter nossas operações e ainda apoiar nossos clientes a dar continuidade aos seus negócios mesmo diante deste novo mercado. Uma das ações que adotamos foi, por exemplo, aumentar a atuação de nossas marcas nas plataformas digitais, auxiliando no abastecimento dos pequenos varejos de todo o Brasil, que atendem aos consumidores finais e intermediários, como distribuidores e atacadistas, e também garantir nossa presença em sites e aplicativos de vendas para que os consumidores possam fazer suas compras com tranquilidade e segurança, diretamente de suas casas.
Além disso, pensando no mercado de food service, a Cargill elaborou um guia para bares, lanchonetes e restaurantes, com informações detalhadas para a preparação e delivery das refeições. De forma segura e asséptica, também lançamos a plataforma Cargill Coach, para apoiar os parceiros do food service com foco no gerenciamento e rendimento do óleo nas preparações de comidas fritas. Nossos especialistas em culinária ofereceram cursos e palestras, via plataformas online e ao vivo, permitindo interação e proximidade com os nossos parceiros no dia a dia.
Contando com a tecnologia e reuniões virtuais, fomos capazes de avançar no desenvolvimento do nosso portfólio, como estava planejado, e lançamos novos produtos, mesmo durante a pandemia. Com isso, ajudamos muitos clientes não apenas a sobreviver, mas também a crescer e entrar em novos mercados. Nesse contexto, outra expectativa garantida para o próximo ano é que o portfólio Cargill continuará se desenvolvendo em todos os canais de acesso aos clientes e consumidores, inclusive nas plataformas digitais, pois assim nos mantemos fiéis ao nosso propósito de nutrir o mundo de forma segura, responsável e sustentável.
Temos certeza de que em 2021 o varejo continuará sua trajetória de crescimento, e os formatos Cash&Carry e de Proximidade ganharão ainda mais destaque. Além disso, o consumo via e-commerce crescerá ainda mais e assumirá seu papel de veículo complementar de distribuição aos consumidores e varejistas. Dessa forma, a Cargill continuará sua jornada de investimento em inovação e na geração de valor para consumidores, tanto nas linhas de óleos comestíveis como de atomatados. Novas apresentações, novos formatos e propostas premium farão parte dessa agenda.
No próximo ano, nossas marcas principais como Liza, Elefante e Pomarola também estarão ainda mais próximas dos consumidores por meio de contínua comunicação digital.
De modo geral, nossas expectativas para 2021 estão bastante positivas, pois superamos diversos desafios para entender, produzir e atender o novo mercado, e tiramos muitos aprendizados que nos fortaleceram. Com as vendas online se desenvolvendo ainda mais, nos sentimos preparados para atender o novo modelo, seguir com nossos projetos e continuar realizando nossas entregas da melhor maneira possível. É claro que ainda precisamos retomar a trajetória de crescimento de food service, que sofreu economicamente com a Covid-19. Mas, acreditamos que futuramente o mercado terá espaço tanto para as antigas ações do setor quanto para os novos modelos que foram construídos para esse momento.

João Dellabruna, diretor da Dellabruna

2021: o que vem por aí?“Em 2019, quando olhávamos para o horizonte de 2020, avistávamos um ano com excelentes e promissoras perspectivas. Aí veio o inesperado, o impensável. Agora, olhando 2020 pelo retrovisor, constatamos o estrago que esse tsunami causou no mercado de food service.
Analisando com um pouco mais de acuidade, concluímos que, apesar de tudo, apesar de algumas baixas, sobrevivemos. O setor de food service sobreviveu. Fomos, sem dúvida, um dos ramos de negócio mais atingidos por esta crise e sobrevivemos. Isso demonstra a resiliência, a garra e a determinação do empreendedor brasileiro.
Agora, estamos presenciando e testemunhando o renascimento do setor. E, como todo renascimento, é palpável a energia, a criatividade, e mais uma vez a garra e a determinação se fazem presentes.
Nossas perspectivas para 2021 são as mais otimistas possíveis. Acreditamos com todas as forças que o setor ressurgirá com energia total e se desenvolverá de uma maneira inédita. Isso criará muitas oportunidades. Cabe a cada um de nós saber aproveitá-las.
Nestes tempos de renascimento e reinvenção, inovação e eficiência continuam em pauta e certamente são as palavras-chaves que nos levarão ao sucesso. Posso garantir que nós da Dellabruna estamos preparados, ansiosos e cheios de energia para enfrentarmos estes novos tempos. Mas certamente não estamos sozinhos, todos estamos.”

Hilton Siqueira Leonetti, diretor comercial e marketing da Duas Rodas

2021: o que vem por aí?“Na Duas Rodas, mesmo em meio às dificuldades trazidas pela Covid-19, mantivemos firmes os nossos esforços para seguir produzindo aromas e ingredientes, assegurando às indústrias condições para manter o abastecimento de alimentos e bebidas.
Desde o início da pandemia, rapidamente buscamos nos reinventar, ampliamos os nossos investimentos em plataformas digitais, que se mostraram ferramentas muito eficientes para vencer as barreiras do distanciamento social e manter o nosso tradicional relacionamento com os nossos clientes e demais parceiros.
Os problemas de abastecimento que o mercado está sentindo estão sob controle na nossa empresa, pois fizemos contratos que garantem a disponibilidade dos insumos e matérias-primas.
Temos como princípio acreditar que as adversidades trazem lições e oportunidades para evoluirmos sempre mais. E esta postura mostrou-se mais uma vez muito assertiva neste cenário de adversidades que vivenciamos em 2020, porque estamos com a produção a pleno vapor, especialmente neste segundo semestre.
Nossas expectativas para 2021 sã o as melhores possíveis. E, justamente por isso, vamos manter os nossos planos de investimentos estratégicos em inovação, processos, infraestrutura, lançando novos produtos e ampliando linhas de produção.
Vamos continuar atendendo o mercado da melhor forma possível, sempre com ênfase em relacionamento.”

Alexandre Romero, diretor comercial, de marketing e novos negócios da Engefood

2021: o que vem por aí?“Fazer qualquer projeção diante desse cenário desafiador se tornou uma tarefa muito difícil. O grau de incerteza ainda é muito grande, principalmente pela segunda onda que vem ocorrendo na Europa.
Atualmente, no Brasil, temos acompanhado a liberação dos setores de serviço e consumo, que podem funcionar com uma taxa de ocupação maior e por mais horas, por exemplo: shopping centers, bares, restaurantes e estabelecimentos comerciais em geral (essa evolução depende de cada estado ou cidade).
Apesar de todos os acontecimentos que essa pandemia trouxe, a Engefood se posicionou de uma forma que pudesse dar todo o suporte necessário para o mercado. Estamos investindo na reformulação do nosso show room e na criação de uma nova central de produção, com capacidade de produção de alimentos de até 6 toneladas por dia, além de outras frentes na área do marketing digital.
Ajustamos nossas metas e objetivos, mas acreditamos que nesse próximo ano, o empresário que conseguiu fazer uma reestruturação no seu modelo de negócio estará preparado para aproveitar as oportunidades no mercado de food service.”

Andrea Köhler, gerente de marketing da Fini

2021: o que vem por aí?“Nos despedimos de 2020 com otimismo e positividade. Diante do cenário desafiador, seguimos com os planos de ações assertivos com expectativa de crescimento, expansão (novas franquias), capilaridade de distribuição e importantes lançamentos.
Não paramos, e como líderes absoluto do segmento, redirecionamos esforços com foco em atingir as metas definidas antes da pandemia e reforçamos ainda mais nossa marca, como referência em qualidade e inovação no mercado nacional.
Reforçamos nosso e-commerce e entramos para a plataforma delivery. Nossa campanha #VemdeFini contou com muita produção de conteúdo, interação e participação de influenciadores, que nos rendeu o Trending Topics no Twitter.
E para 2021? Vem muita novidade, inovação. O cenário é inspirador com um calendário especial para o ano que vem. Enfim, podemos dizer que será um ano especial de celebrações.”

Alexandre Nedel, diretor comercial da Haribo

2021: o que vem por aí?“Apesar do cenário atual ainda incerto, estamos otimistas com relação à 2021 e acreditamos na retomada da economia com boa recuperação de segmentos importantes para categoria de balas. Com certeza, o COVID-19 trouxe mudanças significativas na dinâmica do varejo assim como no hábito de consumo e é fundamental que as empresas entendam isso e reinventem suas estratégias neste novo cenário.
Esta atitude será fundamental para garantir o sucesso em 2021. Haribo está fortalecendo seu plano de inovação, com investimento em distribuição e visibilidade da marca no país, trazendo todo seu conhecimento de marca número 1 de vendas do mundo. Queremos junto com nossos clientes ter um ano de 2021 de retomada e sólido crescimento.”

Fabio Cefaly, diretor de novos negócios e relações com investidores da M. Dias Branco

2021: o que vem por aí?“O mercado de alimentos foi um dos menos afetados por se tratar de uma atividade considerada essencial. Ao longo da pandemia, os esforços da M. Dias Branco estiveram, sobretudo, no cuidado com os colaboradores e na garantia de abastecimento dos seus produtos.
Em 2021, a M. Dias Branco pretende seguir o direcionamento estratégico, focado no crescimento da companhia para os próximos anos, baseado em um plano robusto de incremento de participação em nossos mercados de atuação e no fortalecimento de nossas exportações, alicerçados no trabalho constante e estruturado de produtividade, segurança e eficiência. Prevemos ainda a defesa da liderança em massas e biscoitos na região Nordeste e o crescimento nos mercados do Sul e Sudeste.”

Cintia Macedo, diretora de marketing da Mult-Grill

2021: o que vem por aí?“Nós da Mult-Grill estamos otimistas, mas é difícil fazer projeções em um cenário que apresenta tanta incerteza. Um dos segmentos que foram profundamente impactados e prejudicados pela pandemia da Covid-19 foi o do food service. Muitos estabelecimentos não suportaram a crise e fecharam em definitivo. O setor teve que se reinventar, se transformar e se adaptar ao ‘novo normal’, mesmo assim, segundo pesquisa da Abrasel, mais da metade de bares e restaurantes ainda operam no prejuízo.
Em contrapartida, muitos empreendedores perceberam a oportunidade de obter sucesso trabalhando apenas com o delivery. Assim, as cozinhas compartilhadas e dark kitchens ganharam força e se tornaram tendência em 2020, e a expectativa é que continuem em alta em 2021.
Visando esse nicho do mercado, a Mult-Grill lança o Trio Fenomenal, que são 3 equipamentos em perfeita harmonia (Refrigerador + Grill + Estufa de Proteínas), para modernizar a operação com praticidade, agilidade, alta produtividade e qualidade de padronização com tecnologia e segurança.
O desafio é enorme, mas continuaremos firmes e focados em sempre oferecer as melhores soluções aos nossos clientes!”

Ana Carolina Santos, gerente executiva de Nestlé Professional

2021: o que vem por aí?“Nós de Nestlé Professional acreditamos que será um ano de recuperação gradual, retomando o patamar de negócios próximo de 2019. Mesmo diante da crise, há oportunidades de novos negócios, novas categorias e novos formatos de trabalho. Aceleração digital e delivery são chave, assim como o formato de trabalho colaborativo e parcerias que tendem a ter ainda mais valor. Temos o desafio junto aos operadores de entregar uma experiência ainda melhor ao consumidor nas refeições fora do lar com muita segurança e qualidade”.

Anderson Camacho, gerente geral de vendas da NISSIN FOODS DO BRASIL

2021: o que vem por aí?“Para 2021, entendemos que o cenário segue demandando cautela, mas, baseado nas experiências de 2020, entendemos que o comércio digital segue a todo vapor, uma vez que o isolamento fez com que todos passassem a comprar ainda mais online, movimento que não foi diferente no e-commerce de alimentos. Segundo uma pesquisa da Synapcom, o comércio eletrônico de alimentos e bebidas cresceu mais de 100% durante o primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019. Assim, acredito que essa tendência deve sustentar-se em 2021, mesmo com a reabertura das lojas físicas, uma vez que o cliente vivenciou – e aprovou – a comodidade de fazer as compras sem sair de casa.
Justamente por isso, nós, da NISSIN, estamos atentos aos movimentos digitais e investindo cada vez mais em ações de e-commerce. Este ano, estruturamos a nossa área de ‘Inovação em Negócios’, que possui dentre as atribuições o compartilhamento de informações sobre os meios digitais com a nossa equipe comercial e distribuidores, além de apoiar os supermercadistas no desenvolvimento de plataformas de e-commerce e também a fechar parcerias com empresas 100% digitais, visando disponibilizar ao consumidor os nossos produtos em diversos canais.
Além disso, sabemos que há uma oferta represada em diversos setores quando falamos sobre lançamentos e novidades. Por isso, acredito também que, já se planejando para 2021, muitas marcas devem trazer novidades que foram congeladas durante 2020 e que aparecerão dentro do contexto do ‘novo normal’ em 2021. Aqui na Nissin, já apresentamos ao mercado grandes novidades na categoria de macarrão instantâneo. Dentre elas, está o ‘Saladaria’, com dois novos sabores e que foi desenvolvido para consumo frio, similar a uma salada de macarrão, evidenciando o pioneirismo e inovação da Nissin.”

Isaac Azar, sócio-fundador da rede Paris 6

2021: o que vem por aí?“Em 2021, observaremos um ano totalmente atípico no sentido das sazonalidades. Pessoas que receberem a vacinação e que deixaram de frequentar restaurantes irão voltar a fazê-lo com uma frequência maior do que em anos anteriores, independentemente da época do ano. Pessoas que não receberem a vacinação optarão pelo turismo interno nas férias e nos feriados, aumentando o fluxo dos restantes ao longo de todo o ano.
Devemos lembrar que a vacinação no Brasil não será concluída em um mês. Talvez nem em um ano. A prioridade será para os grupos de risco. Esses, quando vacinados, serão um grande incremento no movimento dos restaurantes. As normas restritivas (como distanciamento e horários de funcionamento) também serão revistas ao longo do ano.
Mas é difícil prever a velocidade que toda essa movimentação irá ocorrer e a eficácia da vacina, que é a variável mais importante para o economia global. Uma coisa é certa: 2021 será muito melhor do que 2020. Dependendo da contenção da pandemia e da retomada econômica, 2021 poderá inclusive superar 2019. É esperar para ver.”

Milton Machado, diretor da Prática

2021: o que vem por aí?“Este ano de 2020 ainda não acabou e nos reserva alguns desafios, como enfrentar o aumento de preços de matéria-prima e componentes.
O aumento de custos é algo muito impactante, visto que o mercado em que atuamos ainda sofre restrições de crédito e de novos negócios, além da paralisação de vários setores da restauração, sendo que o mercado não está apto para absorver aumentos significativos de preços.
O aço inox nesses últimos meses subiu mais de 30% e aço 1020 mais de 80%. Lidar com esses aumentos e a falta de componentes em nossa cadeia de suprimentos, com certeza é o maior desafio.
Procuramos durante a pandemia investir em P&D com vários produtos a serem lançados no mercado, ainda neste ano e no começo do ano que vem: Rotisserie Gourmet, Coifa ventless, micro-ondas de 1000 watts, entre outras surpresas.
Também procuramos investir bastante em EAD e criamos a Universidade Prática, onde nossa equipe comercial tem a facilidade de se atualizar e aprender com mais detalhes sobre nosso portfólio. Isso nos permite atender melhor e de maneira mais eficiente nossos clientes.
Da mesma forma, procuramos fazer valer nosso propósito de proximidade em relação aos nossos canais e nossos clientes.
Diante de todas essas ações, estamos conseguindo fechar o ano de 2020 com uma previsão de queda nominal do faturamento pequena em comparação a 2019. Estamos projetando um crescimento para o ano que vem somente no mercado nacional, um crescimento de dois dígitos em relação a 2020.
Apesar de alguns cenários sombrios pela frente, acreditamos que será um ano de oportunidades e bons negócios, pois entendemos que a automação, a busca do aumento de eficiência e produtividade, a redução de desperdícios no preparo de alimentos e a segurança na preparação serão itens fundamentais para 2021.
A Prática tem a solução para atender desde o pequeno cliente até as grandes operações de food service com soluções integradas.
Também acreditamos em nossa solidificação nos mercados externos, exportando para mais de 30 países, somado esse fato à nossa operação nos USA.
Em resumo, temos uma boa perspectiva para 2021. Vamos encarar o ano com otimismo, mas atentos para os movimentos do mercado, que ainda está muito volátil e inseguro, mas prevemos um ano de crescimento.”

Eduardo Sousa, gerente nacional de vendas da Santher

2021: o que vem por aí?“Ter produtos que façam o papel de aliado da limpeza e da segurança da saúde dos consumidores será o divisor de águas. No caso da Santher, em meio à pandemia desenvolvemos uma nova linha de Wipers, pano em não tecido com a marca SANNO, que vai auxiliar os restaurantes e cozinhas industriais na higienização e na execução dos processos/atividades, atrelando o excelente poder de absorção e a resistência no equilíbrio certo. Também lançamos uma nova linha de dispenser que atende a dois dos principais atributos que são: excelente performance – para assegurar economia e eficiência em uso; e lindo design dos equipamentos – tornando-o agradável e harmônico ao ambiente.
Além disso, vemos como oportunidade a nossa linha de produtos de cuidados com as mãos, como sabonetes e álcool gel, no qual atendemos aos principais critérios para a adesão desses produtos: qualidade cosmética – com álcoois que não grudam na mão ou deixam odores fortes ou desagradáveis e sabonetes com excelentes fragrâncias. Oferecemos também os Guardanapos, linha indispensável para o segmento food service, e que apresentamos um portfólio completo com equipamentos para guardanapos de mesa ou torre.
É muito comum o cliente de um estabelecimento alimentício fazer uma conexão, consciente ou inconscientemente, entre a qualidade e higiene dos banheiros neste local versus a cozinha. Banheiro sujo, com equipamentos quebrados, será um ponto de atenção para este cliente, que, principalmente após uma pandemia, espera o melhor nesses locais, pois, afinal, 36% dos surtos de doenças transmitidas por alimentos podem ser atribuídos a uma má higiene pessoal*. Todos os anos, as doenças transmitidas pelos alimentos afetam 1 em cada 10 pessoas e podem ser fatais, resultando em 420 mil mortes. De 30 a 39% das pessoas não lavam as mãos depois de usar o banheiro, enquanto 53% não lavam as mãos antes de preparar os alimentos.**
O novo perfil do consumidor tornou-se exigente nesta categoria em que eficiência e qualidade devem ser consideradas muito mais do que simplesmente o preço. Portanto, mais do que participar de um simples processo de vendas, a Santher tem interesse em contribuir na conscientização deste mercado, disponibilizando de forma gratuita treinamentos com conteúdo de ponta sobre Microrganismos e A Importância da Higiene das Mãos, além de oferecer, definitivamente, o portfólio mais sustentável do país (Linha Reviva), onde a celulose desse produto é oriunda das embalagens Longa Vida, minimizando os impactos de recursos naturais.
Uma estação de trabalho mais limpa e com produtos mais adequados resulta em mais saúde, bem-estar e melhor produtividade dos colaboradores e usuários.”
*Fonte: Hui 2006, CDC Frank Bryan 1988
*Fonte: OMS.

Camila Feriani, head de Retail & Alimentos e Bebidas da corretora de seguros THB Brasil

2021: o que vem por aí?“Uma pandemia sem precedente e com impactos que carregaremos para os próximos anos. Encontramos na indústria de alimentos a responsabilidade de continuar gerando produtos para atender um novo perfil de consumidor: o consumidor que estava em isolamento social, abastecendo sua dispensa de forma exagerada, com receio de os produtos sumirem das prateleiras. Consumidores exigentes quanto ao papel social da indústria diante do Covid-19, versus, as medidas de higiene e segurança que os seus funcionários estavam submetidos. Acompanhamos grandes varejistas de alimentos colocando em prática seu projeto de venda online. O consumidor outrora preocupado se a loja possui ar-condicionado e estacionamento, agora busca qual a melhor experiência de compra online e em quanto tempo o produto chegará em sua casa. A pandemia global mudou fortemente a percepção dos consumidores em relação ao mundo, influenciando a maneira como comemos, bebemos e interagimos com a indústria.
A expectativa da THB para 2021 é que a indústria de alimentos acompanhe a evolução do consumidor, gerando maior transparência em seus processos, agilidade, responsabilidade civil, ambiental e social. Inovação e automação são realidades no segmento, que precisou em 2020 dobrar sua eficiência. Por outro lado, proteger e mitigar ataques cibernéticos exigirá um esforço adicional da empresa, já que pesquisas revelam que toda empresa passará por ataque cibernético, só não se sabe quando.
A melhor forma de a indústria de alimentos e bebidas proteger sua operação e automação é transferir o risco para o mercado segurador, contratando apólice de seguro para risco cibernético. Iniciando um ano ainda sem grandes certezas quanto aos prazos da vacina contra o coronavírus, outra grande expectativa do consumidor é a responsabilidade civil da indústria em rastrear o produto de ponta a ponta. Com conhecidos incidentes envolvendo a contaminação de produtos, a tendência é que no próximo ano a indústria de alimentos siga investindo em minimizar este tipo de impacto. Em uma suposta contaminação do alimento fabricado, a empresa ganha eficiência e se preserva, contando com uma consultoria de riscos dedicada, além da contratação do seguro de Responsabilidade Civil para Produtos Contaminados.
O mercado segurador brasileiro passou por grandes avanços neste ano. Esperamos que para o ano vindouro, a indústria de alimentos e bebidas usufrua de um mercado segurador simplificado e com maior agilidade para atender às demandas de riscos deste exigente e importante segmento.”

Darci Friebel, diretor comercial da Tramontina

2021: o que vem por aí?“Neste, que foi um ano atípico, a Tramontina reavaliou todo o seu planejamento, e com o engajamento e dedicação de todos, conseguimos superar as adversidades. Estamos otimistas em relação a 2021, pois o consumidor está observando os protocolos sanitários e tendo cada vez mais confiança e segurança em frequentar bares, restaurantes, hotéis e demais serviços. Quem se preparar adequadamente para receber este consumidor terá um grande ano em 2021.
Observando esses movimentos, a Tramontina lançará mais linhas de produtos para oferecer soluções ao mercado, além de estruturar ainda mais as equipes para atender as demandas com agilidade e qualidade. Acreditamos que 2021 será um ano produtivo em que, com muito trabalho e dedicação, conseguiremos superar as expectativas e crescer ainda mais. Enquanto isso, reforçamos que o mais importante continua sendo o cuidado com as pessoas: nossos colaboradores, consumidores, parceiros lojistas e fornecedores.”

José Carlos Palopoli, trade marketing Xamego Bom

2021: o que vem por aí?“Na realidade, vemos esta crise como um divisor de águas, ou seja, acreditamos que após a chegada da vacina e o estabelecimento de uma nova relação comercial, que 2021 será um ano promissor do ponto de vista do mercado food service.
Em fevereiro de 2020, quando a pandemia se fez presente no mundo todo, como todas as empresas de todos os segmentos de mercado, nós também sentimos. Mas no fim de maio, tivemos nosso reconhecimento demonstrado que os números apontaram, pois pudemos sentir a real força que os produtos Xamego Bom possuem no mercado, pois nessa época retomamos nosso crescimento sempre apoiados nos patamares de qualidade dos produtos que fabricamos. E os resultados se mostram crescentes e sustentáveis, nos deixando muito satisfeitos com esse reconhecimento por parte dos nosso clientes.
Sendo assim, acreditamos em um ano de 2021 de continuidade do crescimento.”

Abia
www.abia.org.br
Agropalma
www.agropalma.com.br
Ajinomoto® Food Service
www.ajinomotofoodservice.com.br
Alibra
www.alibra.com.br
Arytza
www.arytza.com.br
Bloomin’ Brands
www.bloominbrands.com
Cargill
www.cargill.com.br
Dellabruna
www.dellabruna.com.br
Duas Rodas
www.duasrodas.com
Engefood
www.engefood.com.br
Fini
www.finistore.com.br
Haribo
www.haribo.com
M Dias Branco
www.mdiasbranco.com.br
Mult-Grill
www.multgrill.com.br
Nestlé Professional
www.nestleprofessional.com.br
Nissin Foods do Brasil
www.nissin.com.br
Paris 6
www.paris6.com.br
Prática
www.praticabr.com
Santher
www.santher.com.br
THB Brasil
www.thbgroup.com.br
Tramontina
www.tramontina.com.br
Xamego Bom
www.xamegobom.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

7 − 6 =