Tempo de planejar

Desde que iniciei minha trajetória profissional no Food Service, convivo e combato uma “máxima” adotada principalmente pelos varejistas do segmento, de que é impossível ou inútil planejar.
O que costumo responder quando escuto isso é que para quem não sabe onde está indo, qualquer caminho serve. Isto é, não reclame quando estiver onde não desejou se você não escolheu onde queria estar e, consequentemente, não definiu o caminho que faria para isso.
O planejamento não é a ferramenta que nos permite acertar e, sim, a que nos ajuda a diminuir a incidência e a gravidade dos erros e percalços na gestão de qualquer negócio.
A sazonalidade, os imprevistos, o dinamismo do mercado e a eventual inconsistência da economia ou outros fatores externos quaisquer não são privilégios do varejo e não devem ser impeditivos do trabalho de planejamento, mesmo porque esses fatores são muito mais previsíveis do que acreditamos que sejam.
Faço menção ao tema agora, pois a época é apropriada, já que os meses que nos restam este ano não permitem mais mudanças estratégicas de curso, somente ações táticas.
A estratégia a partir de agora deve dizer respeito ao ano que está por começar. Sendo assim, se em 2017 planejou mal, não planejou ou planejou apenas “pro forma”, aproveite o fim do ano para fazer isso melhor para 2018.
Analise seus pontos fortes, onde acertou, onde errou, suas fraquezas, suas oportunidades e o que pode te ameaçar no próximo ano. Defina onde quer chegar e trace um caminho para isso.
Estabeleça poucos objetivos, e sempre associados a questões que realmente sejam relevantes para o resultado. Os objetivos devem ser tangíveis, claros, mensuráveis e de conhecimento de todos os envolvidos.
Não se satisfaça em trabalhar o ano todo para ter o resultado que teve no ano que está terminando, mesmo porque pensar grande toma o mesmo tempo e demanda a mesma energia que pensar pequeno. Coloque o seu plano no papel e se comprometa com ele.
Quando, no decorrer do próximo ano, durante a execução do planejamento, surgirem dificuldades ou necessidades de ajustes, lembre-se de que isso faz parte do processo.
O planejamento não é a garantia de sucesso, mas a diferença com ele é que, quando algo não estiver funcionando, você perceberá mais rápido e saberá melhor o que fazer, já que a decisão com relação à forma terá sido sua.
Apesar das dificuldades e da certeza de que o próximo ano ainda será de grandes desafios e muitos obstáculos, se nos prepararmos para isso e com antecedência, passaremos bem como já fizemos em outros momentos.
Pense nisso.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA