Saudável para o consumidor e para o negócio

alimentação saudável

Nos últimos meses, estivemos com alguns de nossos clientes, discutindo sobre as redes de alimentação e quais tendências e movimentos nos parecem mais consistentes.

Há vários segmentos interessantes, mas achei interessante destacar um deles que, apesar de não ser novidade, convém ressaltar – a alimentação saudável.

No recente estudo “Mapeamento de Redes de Alimentação”,  identificamos que entre as 600 e poucas redes existentes no Brasil, já são mais de 30 as que têm um posicionamento claramente saudável e/ou natural, ou seja, já são 5% do universo das redes brasileiras.

Engrossando os números, elas já são mais de 500 lojas espalhadas pelo Brasil, sendo quase impossível encontrar um centro urbano ou uma praça de alimentação que não tenha opções de restaurantes, lanchonetes ou outros formatos vendendo o apelo saudável.

Como sempre defendemos, para um formato ou segmento se estabelecer, é necessário acima de tudo que haja necessidade e interesse do consumidor e é justamente aí que embaso este artigo.

A ASSERT, em seu mais recente estudo no mercado brasileiro, apontou que o número de consumidores que afirma estar preocupado ou muito preocupado com alimentação saudável já soma 54% do total.

Em paralelo, um dos mais importantes institutos de pesquisa em Foodservice no mundo apontou que 83% dos consumidores de alimentação fora do lar concordam com a afirmação de que gostariam de ter mais opções saudáveis nos cardápios.

E, a essas alturas, julgo importante dizer que a preocupação e o interesse em alimentação saudável não se restringem apenas às redes organizadas, mas a qualquer tipo de estabelecimento que atenda ao consumidor brasileiro.

Outra evidência de que esta tendência ainda tem uma “avenida de oportunidades” é a informação de que, mesmo preocupados, apenas 45% se dizem preparados para mudar de vida para ser mais saudáveis e apenas 25% deles dizem comer fora de forma saudável apenas metade das vezes.

Em outras palavras, iniciando um ano em que tudo precisa ser mais saudável – de nós mesmos aos nossos negócios – se você tem um restaurante, uma lanchonete, uma padaria, ou outro tipo de estabelecimento, independente ou rede, cabe repensar seu cardápio e suas opções, para endereçar esta tendência crescente e irremediável.

Um ótimo 2016 para todos!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA