Os ventos voltam a soprar a favor

Ao longo dos últimos dois a três anos, colocamos bastante energia no contexto de crise. Arriscaria dizer que a economia, de forma geral, foi mais impactada do que nosso mercado de food service, mas ele também sofreu (menos do que setores como o automobilístico, a construção, o eletroeletrônico etc).
Sem de forma nenhuma negar a existência da crise e seus impactos negativos em nosso mercado, considero muito importante estimular a visão de que essas dificuldades todas serviram como uma grande peneira.
Muitos dos que não passaram pela peneira foram os que não se prepararam para a gestão, para um serviço de qualidade, para uma não menor qualidade nos produtos, para o marketing e ativação e, acima de tudo, para a compreensão sobre o consumidor.
Faço frequentemente em minhas palestras uma pergunta para a audiência: “quantos de vocês planejaram não crescer em 2016 ou 2017?”. E, normalmente, não mais do que uma ou duas pessoas levantam as mãos.
Dois comentários críticos: em primeiro lugar, não acredito que 10% dos empresários realmente planejaram alguma coisa; em segundo lugar, o crescimento “projetado” é mera expressão de desejo, desconsiderando cenário econômico, concorrência, consumidor etc.
Minha contribuição é a seguinte: para quem teve o mérito de sobreviver e até prosperar nesses últimos anos, o negócio agora é manter o nível de alerta ligado e buscar atualização constante, pesquisar o consumidor mais do que nunca, conhecer o que se está fazendo de novo e relevante em outros estabelecimentos, descobrir que tecnologias estão chegando para ajudar no negócio e assim por diante.
O mercado vai produzir um crescimento não maior do que uns 2 a 4% ao ano nos próximos tempos e, certamente, seu desejo é crescer acima disso. Converta o desejo num plano e, se após isso, você realmente executar bem seu plano, as chances de sucesso serão grandes.

Artigo anteriorAvaliação da qualidade dos serviços no Food service
Próximo artigoO ascensorista do fast food
Fundador da Food Consulting e Food Experts, empresas especializadas em Foodservice, criador e titular do curso Gestão Estratégica de Foodservice na ESPM-SP há 10 anos e palestrante sobre o mercado de Foodservice e Alimentação, para várias das mais importantes empresas e associações do país; foi executivo de grandes empresas como Sadia, Ceval, Bunge, 3 Corações, entre tantas outras atuações profissionais de sucesso.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA