O que 2017 nos reserva?

Empresas revelam as expectativas para o próximo ano e fazem um balanço importante sobre 2016

A busca por produtos caracterizados por sua saudabilidade tem sido um destaque no Brasil. Somente para se ter uma ideia da dimensão desse cenário, o país já é o quinto maior mercado de alimentação saudável do mundo. Segundo um levantamento realizado pela Euromonitor, houve um volume de vendas, no ano passado, de US$ 27,5 bilhões em relação a esse tipo de produto. Desde 2012, esse setor tem crescido, em média, 20% anualmente, enquanto nos outros países esse crescimento gira em torno de 8%.

Com o fim do ano, muitas são as expectativas das empresas para 2017. É também comum que haja um balanço a respeito do que aconteceu em 2016 e que se pense em todas as conquistas alcançadas e os desafios que foram superados. A Food Service News conversou com algumas marcas importantes do mercado para que elas falassem a respeito desse tema. Confira.

Dinâmica

“Os dois últimos anos trouxeram uma mudança na dinâmica do mercado, gerando oportunidade para maximizar nossa eficiência e consolidação de uma base sustentável de crescimento para os próximos anos”, diz Eduardo Bonelli, gerente de marketing de Food Service da Ajinomoto
“Os dois últimos anos trouxeram uma mudança na dinâmica do mercado, gerando oportunidade para maximizar nossa eficiência e consolidação de uma base sustentável de crescimento para os próximos anos”, diz Eduardo Bonelli, gerente de marketing de Food Service da Ajinomoto

“Os dois últimos anos trouxeram uma mudança na dinâmica do mercado, gerando oportunidade para maximizar nossa eficiência e consolidação de uma base sustentável de crescimento para os próximos anos.

Acreditamos que o sucesso dos nossos clientes é nosso ativo mais importante, por isso estaremos cada vez mais próximos e empenhados em construir um relacionamento duradouro.

Em 2017, continuaremos melhorando a eficiência dos nossos negócios e aumentando nossa contribuição para o mercado, que é uma das bases mais importantes da empresa há mais de 100 anos”, diz Eduardo Bonelli, gerente de marketing de Food Service da Ajinomoto.

Pioneirismo

“A Ultragaz é primeira empresa de GLP do Brasil. Ao longo da nossa história, conquistamos mais 11 milhões de consumidores e mais de 50 mil clientes empresariais, público para o qual levamos o melhor, mais seguro e confiável produto do mercado, acompanhado de um atendimento de excelência. Vamos continuar investindo em inovação, trazendo novas aplicações para o mercado consumidor, trabalhando para ampliar a oferta de soluções para o segmento de comércio e serviços, mostrando toda a versatilidade do GLP, posicionando a Companhia como uma parceira de negócio de seus clientes e não apenas como uma empresa fornecedora de gás, já que, ao longo de sua história, temos dedicado nossos esforços em oferecer as alternativas mais adequadas para cada empresa/negócio.

Apostamos no fortalecimento das novidades lançadas recentemente, como o Ultrapronto, sistema de abastecimento de GLP a granel resultante dos esforços da empresa em evoluir e acompanhar as demandas do mercado. Trata-se de uma solução completa que inclui todos os serviços para o fornecimento e abastecimento contínuo do gás para pequenas e médias empresas. Com essa proposta, a Companhia cuida de todo o processo para a utilização do GLP, conferindo agilidade e conveniência na liberação do uso do gás, pois inclui desde a simulação virtual de como ficará o espaço do cliente, passando pela construção e instalação do abrigo até o abastecimento programado. Tudo feito com mão de obra qualificada e certificada, sem delegar qualquer parte da operacionalização para o cliente. Se houver a necessidade de executar alguma obra de adequação à norma de instalação da central de GLP, a Ultragaz, por meio do UltraPronto, oferece os serviços necessários. Todo o processo segue as mais rigorosas normas de segurança e os requisitos legais no que tange à instalação de GLP. Outra aposta está na adoção do GLP em fornos por parte do mercado de Food Service, substituindo os de lenha e de energia elétrica com muita eficiência e economia também. O GLP pode ser usado como alternativa energética em diversos processos de cocção de alimentos em fornos, como nos fornos de pizza, esteira e individual”, ressalta de Gustavo Luiz Teixeira da Silva, gerente de Novos Usos de GLP da Ultragaz.

Desafiador

“O ano de 2017 será também desafiador e o objetivo é criar cada vez mais oportunidades para apresentar soluções eficientes, inovadoras, ou uma nova plataforma, como o novo site ufs.com que lançamos em 2016”, diz Rodrigo Bertoncini, Diretor de Marketing de Unilever Food Solutions
“O ano de 2017 será também desafiador e o objetivo é criar cada vez mais oportunidades para apresentar soluções eficientes, inovadoras, ou uma nova plataforma, como o novo site ufs.com que lançamos em 2016”, diz Rodrigo Bertoncini, Diretor de Marketing de Unilever Food Solutions

“O ano de 2017 será também desafiador e o objetivo é criar cada vez mais oportunidades para apresentar soluções eficientes, inovadoras, ou uma nova plataforma, como o novo site ufs.com que lançamos em 2016. A plataforma digital que apresentamos ao mercado é focada em conteúdo para proprietários, chefs e cozinheiros de bares e restaurantes com dicas de como melhorar o cardápio, como inovar sem errar, como se diversificar diante dos concorrentes, como organizar uma cozinha, conservar os ingredientes, além de mostrar receitas e informações sobre produtos.

Além de oferecer os melhores produtos que entregam as melhores soluções para cozinhas profissionais, a Unilever Food Solutions também atua no desenvolvimento do mercado de Food Service, oferecendo um trabalho de consultoria para os seus clientes. Esse trabalho é visto como um diferencial e fundamental para o momento em que o mercado vive.

Nesse processo de consultoria, buscamos entender a realidade dos nossos clientes, como eles operam suas cozinhas e quais suas dificuldades. Com base nesse estudo, oferecemos uma ampla gama de serviços gratuitamente, seja com um treinamento sobre Segurança do Alimento, elaboração de um cardápio, otimização de ingredientes ou um treinamento para os funcionários.

Pensando no desenvolvimento do mercado em médio longo prazo, outro caminho que a Unilever Food Solutions adotou em 2016 foi fortalecer parcerias, como as que fizemos com a rede educacional Kroton, com a OSCIP Gastromotiva e com o Sebrae. Todas elas miram no futuro, em como preparar cozinheiros para que eles tenham melhor nível de conhecimento sobre o mercado e qual o papel da indústria de alimentos no mercado de Food Service.
Optamos também por fazer ações focadas no ambiente digital, como a parceria com Cuponeria e Cheftime para o Festival do Hambúrguer; o Concurso Melhores Quilos, que elege o melhor restaurante self service em várias regiões do Brasil. Todas essas iniciativas nos ajudam a consolidar nosso papel no mercado de Food Service de uma empresa que busca a eficiência no momento de adversidade do mercado, mas que também não deixa de pensar e investir no desenvolvimento do mercado para o futuro”, salienta Rodrigo Bertoncini, Diretor de Marketing de Unilever Food Solutions.

Confiança

“Estamos confiantes para 2017. Acreditamos que será uma excelente oportunidade para nossos clientes fazerem investimentos em seus negócios e, assim, estarem preparados para um crescimento contínuo e sustentável da economia, embora lento, mas há sinais de uma leve melhora que estamos sentindo em nossos negócios nos últimos três meses.
Passaremos pelas atribulações políticas e o Brasil com certeza sobreviverá a isso se fortalecendo ainda mais, quer do ponto de vista do cidadão, das instituições e também das empresas e empresários, assim como nós fornecedores de soluções.

“Estamos confiantes para 2017. Acreditamos que será uma excelente oportunidade para nossos clientes fazerem investimentos em seus negócios e, assim, estarem preparados para um crescimento contínuo e sustentável da economia”, pontua Milton Machado, diretor da Prática
“Estamos confiantes para 2017. Acreditamos que será uma excelente oportunidade para nossos clientes fazerem investimentos em seus negócios e, assim, estarem preparados para um crescimento contínuo e sustentável da economia”, pontua Milton Machado, diretor da Prática

Esperamos um início de ano com maior dificuldade, mas temos convicção de que será um ano melhor do que 2016. Faremos uma convenção Comercial com nossos parceiros em abril ou junho, ainda estamos confirmando a data, além de termos já planejado visitas da nossa equipe Comercial pelo Brasil inteiro nesse primeiro semestre de 2017.

Também iremos participar de diversas feiras nacionais e internacionais. Estamos certos de que com nossa política de investimento em nossa equipe comercial, na proximidade com nossos clientes e na gestão profissional de nosso pipeline de vendas, aliados a investimentos e a novos lançamentos de produto, faremos com que  2017 seja um ano melhor.

Estamos muito focados em levar soluções aos nossos clientes que lhes permitam reduzir seus desperdícios, em todas as fases da cadeia de seus negócios no Food Service, desde o correto armazenamento dos alimentos, preparos rápidos,  sem desperdício, com baixo consumo energético e alta produtividade, aliado à qualidade do alimento produzido.

Vamos pisar fundo no acelerador. A empresa está bem produtiva e preparada para abraçar ainda mais o mercado com nossas soluções, queremos ser o melhor instrumento para que  nosso cliente  possa fazer ‘comida boa, sem desperdícios e com qualidade’”, salienta Milton Machado, diretor da Prática.

Contramão

“Este ano foi marcado por muitos desafios e incertezas no nosso país, porém, na contramão da crise e pela dinâmica do setor com suas diversas oportunidades, o Food Service aumentou a possibilidade de crescimento.

“Para o próximo ano, as expectativas são ainda melhores. Esse mercado tende a crescer cada vez mais. E para seguir em destaque nesse segmento tão competitivo, nós da Mult-Grill vamos continuar a desenvolver, aperfeiçoar, adaptar e melhorar o desempenho e a tecnologia dos nossos equipamentos de acordo com as necessidades dos clientes. Cliente satisfeito é sucesso garantido”, diz Cíntia Macedo, diretora de marketing da Mult-Grill

Atualização

“A McCain tem como política a atualização e melhoria constantes de todos os seus canais de atendimento ao consumidor da marca.  A empresa atua com frentes em digital, atendimento direto ao consumidor e, claro, ações de ponto de venda, parcerias estratégicas e um calendário dinâmico de lançamentos.

A McCain apresentou diversas novidades ao longo de 2016.  Uma das principais inovações foram as Batatas Emoticons com formato dos consagrados símbolos de interação das redes sociais. Apresentamos também a batata assada; ideal para ser recheada ao gosto do consumidor e em uma embalagem menor para atender perfeitamente pessoas que moram sozinhas, casais ou famílias pequenas.

Também foram lançados alguns produtos que fizeram sucesso do food service, bem como outras novidades que chegaram ao varejo depois, como as Batatas Corte Fino, Caseiras, Canoa e Rústica, que são oferecidas em embalagens do tamanho da necessidade do consumidor final.

Sobre 2016. O ano foi difícil para o mercado de uma forma geral e, claro, sentimos a retração também. De qualquer forma, foi um período de implementação de novidades, esforços estratégicos para ampliação em canais como varejo e consolidação no food service. Aprimoramos nosso trabalho de campo com ações de pdv, injetamos mais força comercial e, claro, fizemos todo o trabalho de sustentação da comunicação da marca como sinônimo de qualidade, sabor e confiança; esses atributos foram conquistados mundialmente e se refletem em nossas ações também no Brasil. Em uma época de crise, além de providências práticas em relação ao negócio, essa é uma das melhores estratégias para blindar as marcas de perdas de mercado por conta de crises econômicas.

Ampliamos nossa linha no food service oferecendo produtos cuja versatilidade dá ao operador a possibilidade de ampliação real de suas margens de lucro. Além disso, esses produtos saem do básico e trazem atributo de valor diferenciado, por isso, o consumidor aceita esse desembolso maior.

Atuamos também com todo o assessoramento ao operador, com ferramentas práticas para ele entender como precificar seus produtos de forma que a equação preço justo ao consumidor e lucratividade ao estabelecimento seja possível de existir.

Vale ressaltar também que a McCain é líder mundial na produção e venda de batatas pré-fritas congeladas, oferecendo um produto de qualidade já reconhecido mundialmente e reconhecido pelo consumidor pela qualidade inquestionável.

Temos vários planos que incluem a continuidade do nosso calendário de lançamentos, aportes em ações de trade marketing para aproximar o consumidor da marca no momento da compra e o lançamento de um CD no Nordeste para melhorar nossa capilaridade e distribuição em regiões estratégicas”, diz Ricardo Hvenegaard, Gerente de Marketing e Varejo da McCain.

Criatividade

“Entendemos que o momento atual exigiu da indústria e do operador de Food Service muito mais criatividade, inovação e foco em produtividade e em fazer cada vez mais e melhor.
Trabalhamos com força em projetos de inovação, investimos em capacitação de nossa equipe e também na equipe de nossos distribuidores. Ou seja, continuamos a estruturar nosso portfólio, nossos processos e nossa equipe, pois acreditamos que teremos ainda momentos com taxas de crescimento mais tímidas no primeiro semestre, mas com uma melhora do cenário econômico a partir do final do primeiro semestre. Acreditamos que temos oportunidades maiores do que as dificuldades, e nosso plano de negócios reflete crescimentos ainda na casa de dois dígitos.

Temos a inauguração de uma nova fábrica do Rio de Janeiro que foi construída nos últimos dois anos e que traz o melhor em termos de tecnologia e processos de produção. Isso será refletido em produtividade e qualidade ainda melhor de nossos produtos atuais e com muitas novidades nas categorias em que atuamos. Essa fábrica tem a vocação de atender somente o mercado de Food Service e começa a operação neste mês.

Também teremos um trabalho forte nas categorias de produtos lácteos, que englobará treinamento, capacitação e muito foco em tendências com inovação, levando maior valor agregado ao mercado”, frisa Cecília Ávila Martins, Diretora de Food Service da Vigor.

Entusiasmo

“Nossa empresa continua com muito entusiasmo e iniciativa. Digo que, ao fim de cada ano, ganhamos um grau de maturidade e isso nos impulsiona a empreender de forma coerente e a estarmos sempre à frente de todos na questão de tecnologia, inovação e serviços. O segredo da Intellikit está na cabeça do grande visionário e pioneiro em tecnologia no Brasil: estou falando do meu pai e presidente da empresa, José Carlos Dias Reis, e juntos iremos surpreender mais uma vez o mercado. Nossa expectativa para o próximo ano será no investimento e montagem de cozinhas coworking de ‘alta tecnologia’, onde nossos clientes e amigos poderão usufruir com profissionalismo, empreender e produzir seus alimentos antecipadamente com tecnologia e qualidade com baixíssimo custo. O que podemos dizer aos leitores, clientes e amigos? Aguardem, pois virão novidades para todos os tipos de cozinha, até mesmo para cozinhas residenciais”, destaca Fernando Reis, Chef da Intellikit.

“Nossa empresa continua com muito entusiasmo e iniciativa. Digo que, ao fim de cada ano, ganhamos um grau de maturidade e isso nos impulsiona a empreender de forma coerente”, ressalta Fernando Reis, Chef da Intellikit
“Nossa empresa continua com muito entusiasmo e iniciativa. Digo que, ao fim de cada ano, ganhamos um grau de maturidade e isso nos impulsiona a empreender de forma coerente”, ressalta Fernando Reis, Chef da Intellikit

Aprimoramento

“A Rede acredita que 2017 será um período de grandes desafios no Brasil, e isso não será diferente no setor de Bares e Restaurantes. Um dos caminhos que enxergamos é o aprimoramento constante da experiência do consumidor por meio da tecnologia – como sempre, garantido que o dinheiro do cliente esteja seguro. Nesses 20 anos de existência, a Rede tem atuado junto ao segmento de forma muito focada no relacionamento, e acreditamos que essa também será a tônica para o próximo ano. Temos investido bastante para contribuir de fato para a cadeia de valor, trazendo novas soluções para apoiar os empresários na retomada do crescimento”, afirma Rogério Vasconcelos Costa, diretor comercial da Rede.

Crescimento

“Temos acompanhado um crescimento gradual, porém efetivo, no mercado de gelaterias, o que se mostra diferente de tendências explosivas e passageiras como foram as do frozen yogurt e das paletas. Esse crescimento é algo muito positivo para o nosso ramo, pois acreditamos que isso demonstra uma mudança no hábito de consumo dos brasileiros, que parecem estar abrindo, a cada dia, mais oportunidades para a consolidação de produtos de alta qualidade.

“Estamos focando também em um programa de aulas rico em informações e técnicas para a abertura de uma gelateria, introdução de novos itens no menu, desenvolvimento e balanceamento de receitas, decoração e muito mais”, diz Davide Franzin, Diretor Geral da Pregel
“Estamos focando também em um programa de aulas rico em informações e técnicas para a abertura de uma gelateria, introdução de novos itens no menu, desenvolvimento e balanceamento de receitas, decoração e muito mais”, diz Davide Franzin, Diretor Geral da Pregel

Com foco nesse crescimento, a PreGel está investindo em um novo centro de treinamento, maior e mais moderno do que o anterior. Além da estrutura do centro, estamos focando também em um programa de aulas rico em informações e técnicas para a abertura de uma gelateria, introdução de novos itens no menu, desenvolvimento e balanceamento de receitas, decoração e muito mais. Esperamos que esse mercado cresça ainda mais no próximo ano, e queremos ser mais do que apenas uma empresa que fornece ingredientes aos consumidores. Queremos continuar oferecendo o melhor apoio e parceria na hora de o cliente desenvolver o seu negócio.

Além da gelateria, outro mercado que também nos chama atenção e que reflete a mesma mudança de hábitos do consumidor brasileiro é o da confeitaria e de sobremesas. O consumidor está mais atento com a qualidade dos produtos que ingere, e isso abre as portas para que a nossa empresa, como fabricante de ingredientes premium, possa se integrar ainda mais no mundo das confeitarias, docerias e até mesmo das padarias”, salienta Davide Franzin, Diretor Geral da Pregel.

Movimentação

“A RATIONAL visualiza um 2017 de maiores perspectivas, acompanhando de perto a movimentação do Food Service brasileiro após os dois últimos anos de reestruturação que o setor precisou passar para se adequar à realidade econômica do país, assim como a evolução dos consumidores em relação aos hábitos de alimentação fora do lar, estilo de vida e ascensão de grupos como os Millennials. A qualidade das refeições, tanto do ponto de vista de padronização quanto nutricional, é outro importante fator de escolha de nossos clientes e dos consumidores, o que fortalece a presença dos nossos fornos combinados no mercado brasileiro”, diz a empresa, em comunicado enviado à Food Service News. “Do ponto de vista do National Corporate Chef, Marcelo Spiller, ‘sendo a RATIONAL a empresa dos chefs, 2017 será também ano de investir no “compartilhar” os mais de 40 anos de experiência em tecnologia de cocção combinada com os profissionais da cozinha e futuros cozinheiros. Manteremos o foco na satisfação de nossos clientes com dicas, receitas e atendimento personalizado via ChefLine para que todos possam extrair ao máximo dos nossos equipamentos’. Dessa forma, o Brasil é parte importante da estratégia mundial da RATIONAL AG e oferecerá o máximo de ferramentas e serviços para seus parceiros e clientes inovarem e se adaptarem buscando crescimento em 2017”, completa a organização.

Vivência

“O Brasil ainda vive um momento econômico instável e muito difícil que impacta diretamente na redução da renda familiar, retraindo o consumo de forma geral, principalmente a alimentação fora do lar. Entretanto, o hábito de comer fora é um movimento sem volta por conta do modelo de vida que o mundo adotou: agitado, com as pessoas querendo mais praticidade e cada vez com menos tempo para cozinhar em casa.
Somos um país com amplo potencial e, por conta disso, a indústria tem visto com bons olhos as iniciativas do governo para estagnar a queda do consumo juntamente com a diminuição do fechamento dos postos de trabalho. Em um futuro breve, a renda voltará a crescer. Além disso, as gerações mais novas já estão acostumadas a comer fora de casa, e o índice de natalidade não diminui.

Embora a demanda de mercado seja alterada por conta dos hábitos de compra, como, por exemplo, a substituição de marcas de renome por mais baratas e/ou de alimentos tradicionais por outros similares, o consumo ainda existe e sempre existirá. Nesse sentido, a Alibra, que é fornecedora de ingredientes para empresas nos segmentos de food service e indústrias de alimentos e de bebidas, espera estar ainda mais presente no cotidiano das famílias brasileiras por meio das soluções que oferece. Isso é possível por conta da nossa flexibilidade para atender diferentes demandas e necessidades de aplicação de cada setor.

A nossa missão como indústria é entender as mudanças do mercado para atender as necessidades das famílias brasileiras conforme a situação econômica do país. Por isso, a fórmula do sucesso é planejar, focar, persistir, mudar a trajetória quando necessário, e, sobretudo, acreditar sempre. Nós acreditamos que o novo ano será muito bom!”, afirma Tiago Paschoini, gerente de vendas, varejo e Food Service da Alibra.

Interesse

“2016 foi um ano em que tivemos uma queda de 50% em nosso faturamento. Conseguimos manter nossos clientes, com orçamentos reduzidos, porém não foi um ano fácil. Nossas expectativas para 2017 são de voltar aos números de 2015 e crescer mais! Pelo o que sentimos, o interesse pelo mercado brasileiro está voltando. O problema é que ainda não voltou ao normal e aí os objetivos de nossas ações são ainda mais difíceis de serem atingidos.

A Cap Amazon Tropical Marketing é uma agência de comunicação e marketing que tem como clientes os queijos da França (através da representação que fazemos do CNIEL – Centro Nacional Interprofissional da Economia Leiteira), a maçã Pink Lady® e algumas regiões vinícolas da França, tais como Alsácia, Bordeaux e Borgonha. Capitalizamos em cima da qualidade superior de nossos produtos de origem.

 “Nossas expectativas para 2017 são de voltar aos números de 2015 e crescer mais! Pelo o que sentimos, o interesse pelo mercado brasileiro está voltando”, pontua Caroline Putnoki, sócia-diretora da Cap Amazon Tropical Marketing
“Nossas expectativas para 2017 são de voltar aos números de 2015 e crescer mais! Pelo o que sentimos, o interesse pelo mercado brasileiro está voltando”, pontua Caroline Putnoki, sócia-diretora da Cap Amazon Tropical Marketing

As campanhas de marketing que realizamos para nossos clientes incluem a educação do trade (formações em parcerias com supermercados tanto para os queijos quanto para a Pink Lady®, lojas de vinho e importadoras, ou escolas como o Senac) para explicar os produtos, sua mais-valia e, deste modo, fazer com que o consumidor brasileiro conheça o produto, entenda seu valor e o introduza em seus hábitos de consumo.

Um de nossos maiores desafios é que, como trabalhamos com produtos importados, temos pouco controle no que diz respeito ao preço que eles chegam no mercado brasileiro, sujeito às oscilações de câmbio”, pontua Caroline Putnoki, sócia-diretora da Cap Amazon Tropical Marketing.

Contornando

“O ano de 2016 foi de muitos desafios para a Pif Paf, devido ao cenário econômico desfavorável. A empresa conseguiu contornar as dificuldades, investindo em novos produtos diferenciados e práticos, com foco no atendimento aos clientes. Neste ano, lançamos a linha de produtos Tá Fácil, que oferece lombo suíno, coxa, sobrecoxa, coxinha da asa ou peito de frango já temperados, e os práticos e saborosos salgadinhos que levam a marca Ladelli. As duas linhas são de fácil preparo e vão direto do freezer para o forno.

Para 2017, as expectativas são de retomada do crescimento e melhoria da economia. Dessa forma, apostamos mais uma vez no aumento de vendas. Continuaremos inovando e levando aos consumidores produtos com excelente relação custo-benefício.

Podemos dizer que o segredo para se destacar é ter uma excelente equipe de trabalho, que, ao longo do tempo, demonstra amor pela empresa; fazer o dever de casa e oferecer sempre um algo a mais, seja em qualidade, variedade, praticidade, preço e atendimento. Enfim, valorizar as pessoas que fazem ou que, de uma forma ou de outra, participam de nosso negócio, fornecendo ou adquirindo nossos produtos.

A Pif Paf conta com uma equipe preparada, que se preocupa em oferecer o melhor aos clientes. Nosso maior objetivo é estar presente em todos os tipos de mesas e, para isso, a empresa está sempre investindo em novos produtos, sem deixar de se preocupar com a qualidade e melhoria dos que já existem. Oferecemos um mix que contempla mais de 300 itens, buscando agradar e atrair novos públicos de variados gostos. Também primamos pela frequência de entrega que atenda às necessidades dos clientes. Pontualidade é outro compromisso nosso, além de contarmos com uma equipe de SAC preparada para atender e resolver, para nossos consumidores, quaisquer eventualidades que possam ocorrer.
Nos últimos 10 anos, nosso setor passou por mudanças profundas. Entre as 10 maiores empresas, excluindo duas grandes cooperativas e a Pif Paf, as demais mudaram de dono. A Pif Paf, há quase 50 anos, é dirigida por uma mesma família e pode ser tratada como exceção. A grande concentração do setor se deu com a formação de dois grandes players, que representam cerca de 50% do mercado. Uma dessas empresas teve origem com a fusão das duas maiores do setor, e a outra ingressou em nosso segmento em um estalar de dedos, proveniente das aquisições que a maior empresa de proteína animal do mundo realizou. Ambas contaram com expressivos aportes de bancos. Nós, que permanecemos neste seleto grupo, há décadas e a duras penas, podemos dizer que o que mais nos motiva é estar presente nas mesas das famílias brasileiras, oferecendo produtos de excelente qualidade com valores acessíveis a qualquer público. Dizer que é normal conviver em um cenário desses, posso afirmar que não é. Porém, nossos resultados não deixam a desejar, independentemente de quem sejam os concorrentes: fundidos, entrantes e/ou cooperativas. Permanecemos humildes, mas, ao mesmo tempo, orgulhosos de fazer parte desse seleto grupo de indústrias de alimentos”, diz Cláudio Faria, gerente corporativo de Relações Institucionais da Pif Paf Alimentos.

Melhoria

“Foi um ano difícil e de ajustes, tanto no portfólio de produtos quanto na estratégia de vendas e mercados focados. As expectativas para 2017 são de um ano melhor. Os ajustes de 2016 trarão bons resultados em 2017 e o setor de Food Service deve crescer em relação ao mesmo período.

Como se destacar no mercado? Fazendo diferente. Um exemplo é nossa nova linha de produtos com peso de 500g que conta com 4 sabores de mousse (chocolate, maracujá, limão e morango), 2 tipos de molhos (branco e escuro), chantilly e maria mole. São produtos que podem ser comprados com desembolso menor e pode ser trabalhado de forma otimizada pelos nossos clientes. Com isso, clientes finais podem experimentar os produtos gastando menos e descobrindo a qualidade e praticidade da linha Tecnutri.

Como atrair e fidelizar consumidores? Estando mais próximo a eles, entendendo suas necessidades, oferecendo produtos adequados à realidade do mercado atual, ou seja, atender melhor. Quais são os principais desafios do setor? E os principais benefícios? Retomar o crescimento e apostar em novos produtos”, diz Ari Santa Lucia, gerente de marketing da Sustentare.

Esforço

“O balanço que a Ramuza faz com relação ao ano de 2016 é de que precisou haver um esforço de vendas muito maior em comparação aos anos anteriores para tentar manter o mesmo número, porém, ainda assim houve uma queda de faturamento. Aproveitamos este momento para rever uma série de questões internas. Mas também percebo no mercado uma inércia muito grande com relação à crise: muitos players não vão resistir porque não aproveitaram o momento para rever custos, mudar estratégias, enfim, fazer algo diferente. No ramo de balanças em especial, além do fator ‘mercado/crise’, estamos sofrendo uma invasão de balanças chinesas que não possuem Portaria e aferição do INMETRO. Essa invasão hoje está representando quase 60% do mercado de balanças no Brasil! Além disso, essas balanças são vendidas ilegalmente, sem nota fiscal.

As expectativas para 2017 são otimistas devido às mudanças políticas e também às ações plantadas em 2016, que esperamos que surtam efeito, além de uma postura mais ativa dos órgãos competentes com relação às invasões das balanças chinesas.

Acredito que a melhor forma para se destacar no mercado é profissionalizar os processos e pessoas nas empresas. Percebo que as empresas que não estão profissionalizadas já estão falidas. Além disso, a abertura de novos mercados e a criação de novos produtos são fatores muito importantes para conseguir manter o faturamento. Tudo isso exige muita ação e esforço, pois também envolve mudanças de hábitos, o que é um grande desafio!

Não existe uma fórmula mágica para atrair e fidelizar nossos consumidores, mas o que percebo é que um atendimento cordial, rapidez nos envios de pedidos, produtos com qualidade (que demandem pouca assistência técnica) e preço competitivo são os fatores fundamentais para o aumento de clientes e a fidelização deles”, salienta Melina Melo, sócio-diretora da Ramuza.

Aprendizado

“Anos como o de 2016 proporcionam muito aprendizado e ajustes de processos e métodos para que possamos entregar mais resultados com menos recursos. Esse é um aspecto positivo para o ganho de produtividade e vendas. Temos convicção de que estamos no caminho de mudanças efetivas. O momento é de decisões que retomem o crescimento socioeconômico do Brasil, tanto do ponto de vista do governo quanto da iniciativa privada. O ano de 2017 será de retomada. Espera-se que a economia comece a registrar índices de recuperação. Acreditamos que o país volte a produzir em níveis comparáveis a anos anteriores.

Como se destacar no mercado? Inovando. Aprender com as dificuldades, ter novas ideias, investir em novos serviços e procurar sempre se atualizar para atender às necessidades de seu público-alvo. Quem lança novidades busca estar à frente da concorrência. Para atrair e fidelizar consumidores, deve-se atendê-lo com eficiência e profissionalismo sempre. Não somente vender um produto ou serviço, mas ter contato constante, investir no relacionamento pós-venda e fornecer conteúdo relevante ao consumidor. Aquilo que hoje se chama de Inbound Marketing gera um grande benefício para ambas as partes.

Oferecemos capacitação com cursos e treinamentos gratuitos, novas tecnologias e soluções de automação, normas de rastreabilidade de produtos que propiciam segurança ao consumidor e/ou paciente. Além disso, a organização oferece ferramentas que contribuem para a construção de uma consistente base de dados, fundamental para uma linguagem única entre todos os elos da cadeia de abastecimento, gerando benefícios para o mercado como um todo.

“O ano de 2017 será de retomada. Espera-se que a economia comece a registrar índices de recuperação. Acreditamos que o país volte a produzir em níveis comparáveis a anos anteriores”, afirma Virginia Vaamonde, CEO da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil
“O ano de 2017 será de retomada. Espera-se que a economia comece a registrar índices de recuperação. Acreditamos que o país volte a produzir em níveis comparáveis a anos anteriores”, afirma Virginia Vaamonde, CEO da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil

Uma dessas ferramentas é o CNP – Cadastro Nacional de Produtos, uma plataforma com base na internet e que reúne em um mesmo local diversas informações sobre empresas e produtos. O seu acesso pode ser feito de qualquer lugar, já que a aplicação está na nuvem. Todas essas características são essenciais para que haja uniformidade das informações eletrônicas.

A Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil tem o desafio em 2017 de contribuir para seus mais de 58 mil associados e toda a comunidade de negócios na retomada da produtividade”, diz Virginia Vaamonde, CEO da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil.

Inovação

“O ano de 2016, sem dúvida, foi um ano de desafios para a Indústria de uma forma geral, com a redução do consumo. Com o mercado mais retraído, as empresas de forma geral precisam se dedicar em inovação e produtos/serviços que atendam as necessidades dos consumidores de forma mais eficiente e atrativa. Entretanto, foi um ano de entender o mercado e suas particularidades, para repensar investimentos agora que o mercado demonstra perspectiva de retomada (assim esperamos!).

O ano de 2017, de fato, demonstra perspectiva mais otimista que 2016 e 2015. Alguns fatores contribuem para isso, cenário interno, político etc, porém é de se ter ainda cautela e embasar investimentos de Marketing de forma muito bem planejada para não se surpreender com a velocidade que o mercado tenha ou não ano que vem. Trabalhar com otimismo, mas manter o pé no chão e focar no mercado. Para Azuma Kirin, é um ano de novidades. A mudança do nome da antiga linha de Alimentos TOZAN no fim deste ano deixará definitivamente as gêndolas para que a AZUMA assuma este papel. A Linha de saquês também passa por reformulação de comunicação, então será um ano estratégico e importante para a Companhia.

O que sempre falo quando sou questionado é: os consumidores não querem produtos milagrosos ou que ‘reinventam a roda’, mas, sim, produtos práticos, de qualidade e versáteis, estes, sim, são cada vez mais procurados. Então, inovar na forma que passamos informação sobre nossos produtos, diferenciais técnicos e de usabilidade são, de fato, formas de nos diferenciarmos dos concorrentes.

Confiabilidade é a palavra. Um produto que te passa confiança, tradição, este sim se destaca dos demais.

Ainda na linha de pensamento acima, fidelizar um consumidor é mais difícil que conquistá-lo pela primeira vez. Apostamos em entregar um produto legítimo, de qualidade indiscutível. O resultado na satisfação do uso, no sabor e rendimento, é inevitável. Essa é a melhor forma de fidelizar um consumidor, ainda mais em nossa indústria, onde o ALIMENTO faz tão parte do emocional das pessoas, pois estamos presentes nas mesas, nas comemorações em família, nos momentos especiais. Não podemos entregar nada menos que o melhor.

Um de nossos principais desafios é apresentar os valores e benefícios de nossas marcas e produtos de forma clara ao mercado, contra marcas que apresentam produtos com custo muito inferior, mas que nem sempre com a qualidade que o consumidor merece.Na contramão deste mesmo aspecto, produtos com características e valores muito claros se tornam forças muito claras das marcas.

O setor de Alimentos e Bebidas é muito mutável e evolui com a sociedade, seus hábitos de consumo e necessidades. Nós temos o dever de sempre entregar produtos que o consumidor entende ser interessante e importante para sua vida, é claro com o bom senso e respeito, mas acredito que se adaptar às necessidades da comunidade é um grande e contínuo benefício deste setor. A exemplo da própria Azuma Kirin Company, que faz isso a mais de 80 anos, junto a gastronomia Oriental”, salienta Michael Marçal de Oliveira, Analista de Marketing da Azuma Kirin Company.

Número

“A expectativa para as instituições de ensino na área de alimentação é que, com a instabilidade econômica em 2016 e um número maior de pessoas desempregadas, profissionais que veem a alimentação como um possível setor para empreender busquem cursos para aprimoramento de técnicas culinárias e o aprendizado em gestão de negócios de alimentação.

Outra expectativa do setor de ensino é que os cursos de graduação continuem atraindo jovens que gostam de gastronomia, considerando que ainda existe muito espaço nesse mercado para profissionais especializados.

“A expectativa para as instituições de ensino na área de alimentação é que, com a instabilidade econômica em 2016 e um número maior de pessoas desempregadas, profissionais que veem a alimentação como um possível setor para empreender busquem cursos para aprimoramento de técnicas culinárias e o aprendizado em gestão de negócios de alimentação”, afirma Zenir Dalla Costa, coordenadora dos cursos de Pós-graduação e Extensão em Gastronomia do Centro Universitário Senac - Santo Amaro
“A expectativa para as instituições de ensino na área de alimentação é que, com a instabilidade econômica em 2016 e um número maior de pessoas desempregadas, profissionais que veem a alimentação como um possível setor para empreender busquem cursos para aprimoramento de técnicas culinárias e o aprendizado em gestão de negócios de alimentação”, afirma Zenir Dalla Costa, coordenadora dos cursos de Pós-graduação e Extensão em Gastronomia do Centro Universitário Senac – Santo Amaro

Para atender a esse cenário, o Senac criou o Programa de Parcelamento Estudantil Senac, que tem o objetivo de proporcionar aos alunos dos cursos de graduação presencial a oportunidade de obterem o parcelamento diferenciado de 50% ou 80% das mensalidades do curso. O programa destina-se aos candidatos aprovados nos cursos de graduação presencial oferecidos no processo seletivo para alunos ingressantes, que tenham renda familiar per capita de até 4 salários mínimos – até 2,5 salários mínimos per capita é possível parcelar 80% do valor da mensalidade. De 2,5 a 4 salários mínimos, 50%.

Na área de gastronomia, esse financiamento tem auxiliado muitos alunos a pagarem o curso após o término. Na pós-graduação, o aumento do número de parcelas para os cursos tem atraído muitos estudantes para os cursos de Cozinha Brasileira, Cozinha Avançada e Gestão de Empreendimentos de Alimentação”, diz Zenir Dalla Costa, coordenadora dos cursos de Pós-graduação e Extensão em Gastronomia do Centro Universitário Senac – Santo Amaro

Mudanças

“O mercado de Food está passando por diversas mudanças nos últimos anos. Segundo a 10ª Pesquisa Setorial ABF Food Service, as redes de franquia do segmento de alimentação tiveram um crescimento global de 9,4% em 2015, comparado ao ano anterior, mesmo numa situação de crise econômica. Já dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) indicam que o mercado de delivery de comida no país movimentou cerca de R$ 9 bilhões em 2015 – crescimento de R$ 1 bilhão na comparação com 2014.
Frente a esse cenário, as inovações tecnológicas tendem a auxiliar os empresários para agilizar a operação e promover uma melhor gestão dos negócios. O sistema da Linx para a área de alimentação e food service possui recursos de autoatendimento, pré-venda e controle de produção de pratos. Já os bares e restaurantes, o software de gestão é preparado para atender todos os processos desse segmento, garantindo que tudo flua corretamente e possibilitando o aumento do tíquete médio. As soluções da Linx oferecem uma visão completa dos negócios das montadoras e do fluxo de caixa das lojas, agilizando a tomada de decisões e auxiliando na sustentabilidade dos negócios.

“A perspectiva de crescimento do consumo e, portanto, da utilização de serviços de alimentação no Brasil é positiva. O setor mantém sua busca por inovações tecnológicas, a fim de oferecer a melhor experiência aos clientes nos estabelecimentos e manter a sustentabilidade de seus negócios”, pontua Rodrigo Andrade, Diretor do segmento de Food Service da Linx
“A perspectiva de crescimento do consumo e, portanto, da utilização de serviços de alimentação no Brasil é positiva. O setor mantém sua busca por inovações tecnológicas, a fim de oferecer a melhor experiência aos clientes nos estabelecimentos e manter a sustentabilidade de seus negócios”, pontua Rodrigo Andrade Oliveira, Diretor de Oferta da Linx

Procuramos também fazer um amplo trabalho no sentido de melhorar o nosso nível de atendimento a clientes, com a criação de diretorias corporativas e definição de SLAs de atendimento. Para 2017, a empresa seguirá buscando por inovações e seguindo as tendências do mercado de tecnologia e de varejo, atendendo com excelência as necessidades específicas de nossos clientes.

A perspectiva de crescimento do consumo e, portanto, da utilização de serviços de alimentação no Brasil é positiva. O setor mantém sua busca por inovações tecnológicas, a fim de oferecer a melhor experiência aos clientes nos estabelecimentos e manter a sustentabilidade de seus negócios.

Seguimos num bom ritmo, investindo na operação, mesmo diante de um cenário econômico tão adverso. Nosso modelo de venda de software por assinatura mensal, com receitas recorrentes, garante previsibilidade e rentabilidade ao nosso resultado. Além disso, nossas soluções possuem um custo compatível com o mercado de TI e geram um grande valor ao estabelecimento”, afirma Rodrigo Andrade Oliveira, Diretor de Oferta da Linx.

Aquisições

“O ano de 2016 foi de importantes realizações e de grande performance para a Duas Rodas, com resultados promissores. Investimos na consolidação das nossas unidades localizadas no Brasil e em outros 4 países da América Latina. Crescemos em praticamente todas as divisões de negócios, mesmo em momento de economia turbulenta do Brasil. Um cenário que fortalece a estratégia de expansão do grupo Duas Rodas para 2017. A nossa unidade Mix, em São Bernardo do Campo (SP), começa o ano em novas e amplas instalações, que permitirão o aumento da capacidade produtiva em pelo menos 50%. Junto à Mix, construiremos um Centro de Inovação e Tecnologia em 2017, um espaço estrategicamente localizado com o objetivo de fortalecer ainda mais o nosso relacionamento com os clientes na região Sudeste.

Ainda no primeiro trimestre, vamos inaugurar os novos prédios da unidade no Chile, investimento que permitirá dobrar a sua capacidade produtiva, além de promovermos a transferência da unidade da Colômbia para um espaço mais amplo, consolidando o movimento de fortalecer a empresa em países estratégicos nos quais já estamos instalados.
Em outra frente de investimentos, a Duas Rodas vai focar em aquisições no mercado nacional, por entendermos que existe uma interessante janela de oportunidades no Brasil”, afirma Leonardo Zipf, presidente da Duas Rodas.

1 Comentário

  1. Um artigo desse tamanho, e sem citar o DELIVERY ONLINE? Em que mundo vocês estão vivendo? Tem ideia do impacto desse setor no Foodservice? Para mim, está “maquiada” a principal tendência desse setor. iFood, SpoonRocket, UberEATS, Pedidos Já….

DEIXE UMA RESPOSTA