Não é só o cardápio

Cortinas e persianas, quando bem idealizadas, podem contribuir positivamente com os espaços de alimentação

EDITORIATUDO A VER 2

Nos estabelecimentos de alimentação fora do lar, como não poderia deixar de ser, a comida é muito importante e costuma sempre ser muito bem pensada pelos empresários do segmento. Diversos pratos novos são feitos constantemente e, em várias ocasiões, os cardápios chegam a ser reformulados para que se possa atrair os clientes e também fidelizá-los. No entanto, a comida está longe de ser o único fator que deve ser levado em conta na hora de idealizar um empreendimento e torná-lo algo de sucesso, atendendo a diversas demandas dos consumidores. Muitas vezes, quando algumas pessoas pensam em montar algo na área, não param para analisar tudo o que envolve um ambiente e que pode fazer a diferença para os indivíduos que frequentam o local. Isso vai englobar, inclusive, diversos elementos.

Uns desses itens que contam com grande importância dentro de um estabelecimento de alimentação são as cortinas e também as persianas, que recebem cada vez mais atenção por parte dos empreendedores. Elas possuem relevância em diversos sentidos, podendo, em vários casos, fazer a diferença dentro de um grande número de negócios. Um desses sentidos diz respeito à própria imagem que se quer passar de um local. Muitas vezes, um empreendimento é focado em um determinado tipo de comida. Para que se possa evidenciar isso, as cortinas e as persianas podem contar com características que combinam com o tipo de abordagem do lugar, em seus modelos e em suas cores.

Dia a dia

Conforme afirma Letícia Almeida, Designer de Interiores (CEAD) e Administradora (FURG), Pós-graduada (UFPR) e mestre em Psicologia (UFRGS), proprietária da Com’Up Espaços e Estratégias, as persianas e cortinas são elementos de extrema importância na decoração. Conforme a profissional ressalta, elas têm a função de proporcionar privacidade, que é um fator de conforto psíquico para quem está dentro de um determinado local, seja ele comercial ou residencial. Além disso, elas também são capazes de promover um conforto sensorial, “minimizando a incidência de luminosidade excessiva nos olhos das pessoas que se encontram no interior de um local. Ao mesmo tempo, permitem que se aproveite a luz natural proveniente do exterior, que é fonte de alegria e saúde, quando são confeccionadas com materiais translúcidos (como alguns tecidos, fibras e telas solares). Contribuem, ainda, para o conforto térmico e acústico, o que, junto com a possibilidade de se aproveitar a luminosidade natural, resulta em economia de energia ao minimizar a necessidade de luz artificial e de aparelhos de ar-condicionado e split”, diz. “E, finalmente, mas também muito importante: cortinas e persianas reforçam o estilo escolhido para a decoração do ambiente.

Ambientes mais clean, por exemplo, pedem peças mais retas e lisas. Já ambientes mais suntuosos pedem cortinas mais volumosas, de tecidos nobres e cores sóbrias. Enfim, cada estilo pede um estilo de persiana ou cortina, peças que vão emoldurar portas e janelas e arrematar a decoração. Em suma, são elementos muito importantes, pelas questões estéticas e funcionais mencionadas, para que a experiência dos clientes em um restaurante seja extremamente agradável – o que potencializa muito o sucesso do negócio”, frisa a profissional a respeito do assunto.

Escolha

Para que se possa escolher esses produtos para um estabelecimento, no entanto, é importante que se observem alguns critérios. O principal deles, conforme ressalta Letícia, deve ser a qualidade que eles apresentam. Ela menciona, por exemplo, que a garantia do produto e instalação são muito importantes; embora possa haver um pequeno custo inicialmente, ela frisa que isso garante tranquilidade e suporte ao cliente em casos em que aconteçam imprevistos.

“Na sequência, a praticidade deve ser considerada como um segundo critério: materiais que garantam limpeza e manutenção descomplicada fazem toda a diferença no dia a dia (e no bolso) do empresário. No caso de um restaurante, é importante considerar também que os materiais possam estar sujeitos ao vapor dos alimentos, ou até ao contato direto com os mesmos em casos imprevistos, então, esse aspecto é ainda mais decisivo. E, em terceiro lugar, o estilo da decoração do ambiente deve ser considerado, para que a peça entre de forma harmoniosa no contexto”, afirma.

Atuação

Conforme frisa Letícia, a nossa relação com o mundo exterior é mediada constantemente pelos cinco sentidos. Ela salienta que este é um importante princípio e detalha: “são eles a porta de entrada para as nossas percepções sobre tudo aquilo que nos rodeia. Estímulos provenientes das imagens, dos cheiros, dos sons, dos toques e dos gostos definem todas as nossas experiências ao longo da vida, constituindo, nessa interação, a nossa personalidade, os nossos sentimentos, o nosso humor e as nossas opiniões. Já diz um antigo ditado, bastante popular, que ‘o que os olhos não veem o coração não sente’. Pois é mesmo assim. Mesmo que, eventualmente, isso aconteça de forma inconsciente”, diz.

Dessa forma, como a profissional afirma, a decoração de qualquer ambiente comercial é uma fonte permanente de informações para os clientes e também para os consumidores, despertando emoções e sensações por meio dos sentidos. “Assim, mesmo que nem sempre tenham consciência disso, os clientes avaliam a empresa através do que veem em suas marcas e em seus espaços. De nada adianta a empresa ter uma marca que inspire alimentação natural, por exemplo, e o seu espaço não estar coerente com esse conceito. É justamente esse o nosso trabalho na Com’Up: elaborar um planejamento de marketing consistente, que se reflita na marca e nos espaços do cliente, para que seus resultados sejam imbatíveis. No caso da decoração dos ambientes comerciais, propomos o espaço ideal para que se transmita as mensagens certas ao público-alvo, ajudando as empresas a consolidarem os seus conceitos junto aos seus clientes através do espaço físico. Configuramos o espaço para que seja sensorial e visualmente agradável, para que o seu layout favoreça a circulação dos clientes e o trabalho da equipe que trabalha no estabelecimento, que irá considerar a acústica do local, a incidência de luz e os fatores que poderão proporcionar conforto psíquico e ergonômico durante a permanência no ambiente. Além, é claro, de deixarmos o ambiente bonito – o que é extremamente importante. Quem não gosta de uma paisagem bonita, de uma cena tocante, de usar as suas cores preferidas? Pois é, a beleza nos faz feliz. E estar feliz, no fim das contas, é o objetivo de todos nós. E dos nossos clientes também”, finaliza ela.

Mercado

Para se ter uma ideia do que envolve essa área e dos números que ela tem movimentado ao longo dos anos, mostrando-se bastante atrativa, o mercado têxtil no país, de acordo com os dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (ABIT) fatura cerca de US$ 50 bilhões anuais. Já o segmento de decoração, que abriga desde móveis a cortinas e persianas, está entre os que mais crescem no Brasil. Ainda segundo a ABIT, essa área movimenta aproximadamente R$ 5 bilhões anualmente no país. Além disso, diversos cursos técnicos têm sido criados na área de decoração, chamando a atenção de um bom número de pessoas e mostrando todo o seu potencial.

 

Artigo anteriorTodos por um
Próximo artigoPor toda a parte
A redação da Food Service News através deste canal, pauta assuntos de cunho financeiro e informativo, nossas matérias abordam novidades do mercado, tendências, dicas e oferecem entrevistas exclusivas. Além disso, a revista está sempre inovando e antecipando tendências, trazendo um conteúdo indispensável para quem deseja investir e saber mais sobre o segmento.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA