Muito mais do que complemento

Em um cenário que exige produtos criativos e atrativos por meio de uma junção de fatores, as sobremesas ganham novas versões e elevam seu papel no segmento

Sobremesas diferenciadas. Em busca de conquistar um público cada vez mais exigente, que procura por produtos verdadeiramente criativos, muitas empresas da área de alimentação fora do lar têm investido nesses doces para se destacarem no mercado.
Nas redes sociais, por exemplo, é possível perceber o quanto esse tipo de item chama a atenção das pessoas e alcança um bom número de vendas em diversos locais que os comercializam. Frequentemente, os internautas postam fotos de doces imponentes, inclusive direcionando os seus conhecidos, amigos e familiares para os estabelecimentos que os produzem. Um dos locais que ilustram essa realidade é o Paris 6.

Fazendo bastante sucesso também com as suas muitas opções de sobremesas – que agradam não só pelo sabor, mas pela beleza que elas possuem – o local frequentemente é lembrado pelas pessoas nas redes, inclusive por diversos famosos. Muitos deles até dão o próprio nome aos pratos, mostrando como os itens são queridos e admirados, despertando ainda mais o interesse dos consumidores pelas receitas do lugar.

Liara Souza
A chef Liara Souza criou a Petit Cake em 2014; o sucesso tem sido tão grande que, nos próximos dois anos, a empresa deve abrir mais 60 unidades

A diversidade quando se trata desse mercado é também outro fator importante para quem deseja investir no setor. Além de marcas especializadas na comercialização de doces, eles também compõem o cardápio de diversos outros tipos de estabelecimentos, que possuem foco em culinárias distintas, marcando uma presença realmente efetiva. Eles podem ser encontrados desde em pequenos negócios até mesmo nas grandes redes de fast-food, que, inclusive, estão sempre lançando novidades nesse ramo.

Aliás, as sobremesas já passaram a ser vistas de uma maneira diferenciada nos restaurantes, mudando seu posicionamento ao longo do tempo. Antes tidas como apenas um complemento da refeição, hoje elas já ganharam um local maior de destaque e são, muitas vezes, procuradas individualmente.

Além disso, os eventos também são uma oportunidade para quem investe em doces, pois possuem uma grande demanda em relação a esse tipo de produto. Muitas organizações têm focado as festas, as reuniões de empresas, entre outros, como alguns de seus principais consumidores e pensam em produtos específicos para esses tipos de encontros.

Internet

E se a internet contribui para o sucesso de muitas sobremesas diferenciadas e dos estabelecimentos que as comercializam por meio de divulgações nas redes sociais, ela também pode ser uma importante aliada na venda direta de doces. O e-commerce brasileiro cresce cada vez mais, já que é capaz de oferecer praticidade, comodidade, entre outros benefícios para os consumidores, que, inclusive, já se sentem mais seguros para efetivarem compras por esse meio.

Somente para se ter uma ideia desse cenário e de como ele tem apresentado bons números, a previsão é de que, neste ano, o setor fature R$ 59,9 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o que representa um crescimento de 12% em relação ao ano anterior. O Brasil está na lista dos 10 maiores e-commerces no mundo e utilizar todo esse potencial pode ser muito importante para que o negócio de doces se expanda ainda mais.

Êxito

Petit Cake
Sucesso também nas redes sociais, as chamadas taças sujas são um dos maiores destaques em vários estabelecimentos

E quando se fala de sobremesas realmente diferenciadas e criativas, uma das marcas que vêm alcançando bastante êxito no segmento e já possui um grande plano de expansão é a Petit Cake, da chef Liara Souza.

A empresa foi criada no ano de 2014, na cidade de Votuporanga, que fica localizada no interior de São Paulo. Para que pudesse apresentar aos consumidores diversas combinações e tendências, a profissional resgatou uma antiga receita e a paixão da família pela gastronomia. Além de se destacar pelos itens oferecidos, a organização também faz sucesso por dar ao consumidor a possibilidade de receber os itens alimentícios pelos correios, como acontece com a sobremesa chamada Big Boss.

A marca tem se estabelecido tão bem no mercado que neste ano entrou para o franchising e já conta com quatro unidades em funcionamento, além de mais seis contratos assinados. Em dois anos, a rede deve abrir mais 60 lojas.

“A Petit Cake surgiu do incentivo de amigos e parentes para que eu investisse no meu talento. Eu trabalhava em uma empresa de eletricidade e fazia um doce aqui e outro ali. Investir na gastronomia ajudou a ‘matar a saudade’ da minha avó, que não está mais entre nós. Ela era a minha referência na cozinha. Fazia bolos para festas e docinhos, mas queria mais. Investi em cursos e encontrei nas ‘taças sujas’ o grande diferencial da marca”, conta Liara.

Ela ressalta que a Petit Cake se adapta aos desejos do consumidor e não segue um plano de negócios tradicional e já existente, sendo pensada e repensada diariamente.
“Além de nossas sobremesas, que são feitas com produtos de alta qualidade e de marcas reconhecidas no mercado, nosso diferencial está em justamente querer promover a melhor experiência para o consumidor. Tudo é pensando, desde o projeto arquitetônico até a forma de apresentação dos pratos, para que o cliente sinta-se em casa. O resgate da memória afetiva por meio das nossas sobremesas faz com que os consumidores se aproximem ainda mais da marca”, diz ela.

E a receita vem dando certo. De acordo com a profissional, o feedback tem sido positivo e, conforme ela relata, inclusive, desde o início muitos clientes se autointitulam petit cakers. “Nossos consumidores já entenderam que ali é o momento de esquecer tudo de ruim e simplesmente relaxar com nossassobremesas”, ressalta.

Atuação

A busca constante pelo novo é algo que contribui muito para o crescimento da empresa. Conforme Liara pontua, para que uma marca se destaque no mercado, é necessário que se priorize mais a experiência dos consumidores do que os índices de vendas.

“Os clientes não querem ser somente números em nosso banco de dados, e os atraímos para o nosso lado por meio de nossas sobremesas. O atendimento personalizado, o cuidado com a customização dos produtos e o pós-venda são fundamentais”, frisa.

Petit Cake
Apostando na diversidade, empresas que investem em doces trabalham focando não somente o paladar, mas também a apresentação dos produtos, cada vez mais chamativa

É também muito importante nesse processo, conforme Liara diz, que se mantenha
constantemente a qualidade da marca não só no que diz respeito aos produtos que são oferecidos aos consumidores, mas também em relação ao atendimento realizado, à disposição da loja, entre outros fatores. Para ela, tudo isso vai interferir diretamente na opinião do consumidor acerca da empresa.

“Lidar com a alimentação é lidar com o desejo das pessoas. Temos que fazer de tudo para que elas não se frustrem”, afirma a profissional, que também fala acerca dos benefícios de investir no setor. “Ah, os benefícios são inúmeros. São tantos que os desafios chegam a ser derrubados de forma automática. Investir no setor de alimentação resulta em um constante índice de satisfação. Os retornos são sempre positivos. E, pensando no âmbito de mercado, cada vez mais as pessoas se alimentam fora do lar. Isso é apontado frequentemente em pesquisas. Quando você consegue atingir esse público com produtos cheios de afeto, é impossível pensar que não será beneficiado de alguma forma”, salienta.

Petit Cake
Criatividade tem sido um dos fatores indispensáveis na hora de elaborar as sobremesas

Para Liara, a área de alimentação ainda tem muito a crescer. Apesar de a gastronomia ter passado, recentemente, por um período de ascensão, a profissional acredita que muitas coisas ainda precisam ser estruturadas. É um setor que, para a chef,é ótimo para fazer investimentos, mas desde que se tenha um negócio muito bem alinhado e pronto para que se possa atender a demanda do mercado.

“A Petit Cake fideliza seu cliente por meio da experiência que ela oferece para ele. Manter a qualidade do produto, pensar em algo novo e sempre ouvir o que o consumidor tem a dizer faz com que eles se aproximem da marca. E, assim, a fidelização acaba acontecendo de forma orgânica”, afirma. “Na Petit Cake, aprendemos diariamente. E não porque falta estrutura e planejamento, mas, sim, porque estamos abertos para o novo: nossos clientes. Durante o tempo de empresa, aprendi que precisamos ouvir e solucionar o problema do cliente e que nem sempre esse problema está relacionado à marca. Todos buscam experiências e temos que proporcionar as melhores”, finaliza.

EDITORIATENDÊNCIA
Artigo anteriorRevista 121
Próximo artigoGrandes profissionais para grandes empresas
A redação da Food Service News através deste canal, pauta assuntos de cunho financeiro e informativo, nossas matérias abordam novidades do mercado, tendências, dicas e oferecem entrevistas exclusivas. Além disso, a revista está sempre inovando e antecipando tendências, trazendo um conteúdo indispensável para quem deseja investir e saber mais sobre o segmento.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA