FS Chef: Do Nordeste para o mundo

Chef Rodrigo Oliveira tem como uma de sua missões desmitificar a cozinha sertaneja

O chef Rodrigo Oliveira tem revelado, ao longo dos anos, todo o talento dele nas cozinhas, conquistando a admiração de milhares de pessoas. À frente do Mocotó, restaurante de comida nordestina localizado em São Paulo, o profissional já recebeu uma série de prêmios por sua atuação.

Tudo isso começou de maneira natural, conforme conta ele. Primeiramente, Rodrigo queria apenas ficar perto do pai. “Ele abriu uma casa do norte para vender itens nordestinos e eu queria estar lá para limpar a mesa, lavar louça. Foi assim que comecei, aos 14 anos. Quando chegou a hora de cursar faculdade, até fiquei um pouco em Engenharia e Gestão Ambiental, mas foi no curso de Gastronomia que me identifiquei”, relata.

Trajetória

No meio dessa trajetória de tanto êxito, porém, não faltaram e nem faltam os desafios. O chef ressalta, aliás, que são muitos, diariamente, e também cita alguns deles. “Mostrar que a cozinha sertaneja não é pesada ou menor tecnicamente como a imagem que muitos carregam dela; ter um restaurante na Vila Medeiros, periferia da cidade de São Paulo, e o maior de todos: convencer meu pai que mudanças são necessárias”, diz ele, que também acrescenta o que mais aprendeu na área até hoje “que os dois ingredientes principais de uma cozinha são tempo e pessoas”, avalia o profissional.

Destaque

Para se destacar no mercado, segundo Rodrigo, são necessários 99% de transpiração e 1% de inspiração. “É possível que você construa um trabalho inovador com pouco trabalho, mas as chances são muito pequenas. Os grandes talentos vêm de muito comprometimento e conhecimento profundo do meio no qual atuam”, salienta ele.

Já quando se trata do que é mais gratificante em seu trabalho, Rodrigo responde que é fazer as pessoas felizes. Ele diz que o satisfaz “perceber que alguém saiu muito feliz do meu restaurante, tanto da equipe quanto um cliente”, afirma.

Sendo assim, os benefícios de investir na profissão, para o chef, são vários. Ele menciona, por exemplo, o fato de “conhecer mais o meio em que atua, acredito que valha para qualquer profissão. Precisa ir aos restaurantes que te inspiram, ler os expoentes que estão fazendo propostas que acredita. Com isso, terá mais informações para construir a sua própria história”, destaca ele.

Dessa forma, para quem está iniciando na área, o profissional aconselha: “Invista em conhecimento, tanto dos livros quanto da experiência. Vá conhecer os restaurantes que te inspiram, sente-se à mesa daqueles que consegue ir para ter a sensação de ser um comensal. Isso te dará um novo ponto de vista do que é restauração”, afirma.

Mas, se o assunto é como realmente alcançar o êxito profissional, Rodrigo enfatiza: até hoje não sabe responder a essa questão de forma definitiva. “Minhas pistas: goste realmente do que faz, invista em conhecimento sobre seu campo de atuação, trabalhe muito, acredite”, ressalta.

Segmento

Muito se fala a respeito da força da área de alimentação no Brasil atualmente e em como o segmento pode evoluir ainda muito mais. Em relação a esse assunto, Rodrigo diz que acredita que o setor está crescendo e faz um panorama da situação do país.

“Hoje temos uma boa gama de bons restaurantes para comer, não apenas em São Paulo, como em muitas cidades do Brasil. O Rio tem uma cena linda, Curitiba, Recife, Salvador. Estamos em franco crescimento de qualidade e imagino que esse cenário irá se consolidar”, avalia ele, que considera que a sua maior conquista na área foi “mostrar que na periferia também fazemos boa comida”, frisa.

Perguntas e respostas
Food Service News: Para você, o que é uma boa receita?
Rodrigo Oliveira: Difícil essa pergunta. Para mim, boa receita é o que vai resultar em algo que eu goste. Meus filhos foram as melhores receitas que fiz, com certeza.

FSN: Em quais profissionais você se inspira?
R.O: São muitos. Aqui no Brasil, tem a Mara Salles, pioneira em olhar os ingredientes brasileiros, Jeferson Rueda, Alex Atala, Paulo Martins.

FSN: Como é o seu dia a dia de trabalho?
R.O: Acordo cedo para ficar com minha família. Preparo o café da manhã e levo as crianças para a escola. Depois vou para o trabalho, que revezo entre os restaurantes Mocotó e Balaio. Também tenho me preocupado com a saúde, me dedicando mais aos esportes.

FSN: Como você vê a glamourização da profissão?
R.O: A moda sempre tem dois lados. Por um, enxergo que a valorização da profissão do cozinheiro traz talentos para a área e coloca em foco o que realmente importa, que é o alimento. Por outro, ela pode criar uma ilusão do que é a profissão, que não tem nada de glamour. Trabalhamos muitas horas em pé, em um lugar quente e com uma dinâmica física e mentalmente estressantes.

FSN: Quais as maiores transformações que você viu na área desde que começou sua carreira?
R.O: São muitas. Hoje vemos que temos uma cena importante de restaurantes e cozinheiros que se dedicam à cozinha brasileira em suas diferentes formas. Esse é um movimento relativamente recente. Depois, acredito que a criação de cursos de graduação em gastronomia também tenha tido um papel importante na profissionalização do setor. Temos uma geração de profissionais que enxergam uma carreira na cozinha, isso é maravilhoso, pois eles se dedicam à sua profissão. Agora falta fazermos isso com a frente da casa, o serviço e o bar.

FSN: Quais são os seus planos em médio e em longo prazo?
R.O: Lutar mais, andar mais de bicicleta e passar mais tempo com meus filhos. No fim deste ano ou no começo do ano que vem, vamos abrir um restaurante em Los Angeles. Também vamos inaugurar outra proposta no espaço que ocupou o Esquina Mocotó. Por enquanto é isso e cuidar do que temos, que já dá bastante trabalho.

O restaurante

O Mocotó foi fundado em 1973, como casa do norte, por José de Almeida, pai de Rodrigo Oliveira. Ao longo do tempo, o empreendimento foi ganhando cada vez mais reconhecimento, em diferentes direções. Para se ter uma ideia de todo o sucesso do local, o estabelecimento recebeu a 27ª posição na lista dos melhores restaurantes da América Latina pela revista britânica Restaurant, ganhou o selo de Bib Gourmand pelo Guia Michelin, entre outros importantes reconhecimentos.

Rodrigo Oliveira
www.instagram.com/rodrigomocoto
https://pt-br.facebook.com/rodrigomocoto/
Mocotó
www.mocoto.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA